6 de abr. de 2021

A abissal diferença civilizacional entre a pandemia de 1918 e a de 2020/2021

 A Irmã Lúcia narra nas suas Memórias como foi a pandemia de 1918, a pneumônica ou gripe espanhola. A leitura dessa descrição mostra-nos a diferença civilizacional que existe quando vemos a reação do mundo à pandemia de C0V1D-19 ou vírus chinês. Comecemos pelo excerto das Memórias:


«A epidemia (pneumónica, de 1918) atingiu quase toda a gente. A mãe e minha irmã Glória andavam de casa em casa a tratar os doentes. Um dia, o ti Marto foi avisar o meu pai de que não deixasse a mãe nem as filhas andar por casa dos doentes a tratá-los, porque era uma epidemia que contagiava e podíamos, também nós, ficar doentes.


À noite, o pai, ao chegar a casa, proibiu a mãe e as filhas de irem às casas dos doentes para tratá-los. A mãe escutou, em silêncio, tudo o que o pai disse e depois respondeu:


– Olha, tu tens razão. É mesmo assim como tu dizes. Mas, olha lá, como podemos nós deixar morrer aquela gente, sem ter(em) quem lhe(s) chegue um copo de água? O melhor seria que viesses tu comigo e vias como as pessoas estão e se nós podemos deixá-los assim abandonados. E, apontando para uma grande panela que tinha pendurada na corrente da chaminé, sobre o braseiro da lareira, disse:


– Vês esta panela? Está cheia de galinhas. Algumas nem são nossas; trouxe-as de casa dos doentes, que as nossas não chegavam para tudo. Está a ferver, para fazer caldos, e já tenho aí as panelinhas que trouxe das suas casas, para lhos levar. Se tu quisesses vir comigo, ajudavas-me a levar as cestas com as panelas dos caldos e, ao mesmo tempo, vias e resolvíamos como se há de fazer.


O pai aceitou. Encheram as panelas de caldo e lá foram os dois, cada um com duas cestas, uma em cada mão. Daí a pouco, volta o pai com um bebé num bercinho e disse para a minha irmã Glória e para mim:


– Tomai conta deste menino. Os pais estão os dois de cama, com febre, e não podem olhar por ele.

Voltou a sair e, daí a pouco, regressou com mais duas crianças que já andavam, mas ainda não podiam valer-se, e disse:


– Tomai conta de mais estas duas, que não fazem senão chorar, à volta da cama dos pais, e eles estão com febre e não podem atendê-las.


E assim trouxe mais. Não me lembro quantas. No dia seguinte, vieram dizer que também em casa da tia Olímpia, estavam todos de cama com febre. Os meus pais lá foram também tratá-los. Aí, na ocasião, melhoraram todos, mas quatro ficaram sempre com algumas décimas de febre que os foram minando e, um após outro, em poucos anos, morreram quatro: o Francisco, a Jacinta, a Florinda e a Teresa.


Nesses dias, os meus pais não fizeram outra coisa mais que andar de casa em casa, a tratar dos doentes. O pai com o meu irmão Manuel tratavam também dos animais que estavam nos currais a gritar com fome, e tiravam o leite para se dar aos doentes e às crianças. (...) Foi tão grande a necessidade, que meus pais não hesitaram em deixar-me ir focar, algumas noites, em casa de uma viúva que vivia só com um filho que estava tuberculoso no último grau, para que ela pudesse descansar, sabendo que tinha ali uma criança de 11 anos, que chegasse ao filho um copo de água ou uma tigelinha de caldo, ou a chamasse, se ele precisasse de outa coisa. (...) Também advertiram o meu pai de que era temerário deixar-me ir a essa casa porque podia contagiar-me. O pai respondeu:


– Não há de Deus pagar-me com o mal o bem que eu faço por Ele!


E assim aconteceu! A confiança de meu pai não foi confundida, que tenho quase 82 anos e ainda não senti o mínimo de vestígio dessa doença!” (Memórias da Irmã Lúcia V, n.º 3, pp. 19-21)


O que vemos neste magnífico trecho? É muito simples: a Cristandade, isto é, a civilização cristã em ação exprimindo as suas virtudes: a caridade, amar o outro como a si mesmo, a heroicidade, a capacidade de sacrifício, a consciência de que estamos vivos e podemos morrer e de que morrer a fazer o bem é melhor do que viver covardemente encerrado em casa; e ainda, a confiança em Deus.


Um século volvido, temos a polícia a percorrer as estradas e altifalantes avisando: «Fique em casa»; e estamos proibidos «para nosso bem», naturalmente, de sair de casa, de ir trabalhar, de ir ajudar um vizinho, de ir ao hospital ver o nosso pai ou a nossa mãe pela última vez, ou de o ir buscar ao lar, ou de ir um funeral, etc., etc., etc..


Colocadas lado-a-lado, parecem duas civilizações diferentes. E são.


O que aconteceu, pois, entre as duas civilizações? Como chegámos a este ponto de extremo egoísmo e covardia? A resposta é simples: a Cristandade decaiu em Europa. Agora somos uma civilização sem esqueleto, sem dimensão vertical; em duas palavras: sem Deus.


Somos uma civilização que trocou as virtudes objectivas e universais, como as que enunciamos acima, por ‘valores’ subjetivos e individuais. E esta decadência civilizacional é incomparavelmente mais grave do que qualquer pandemia. Melhor dito: esta decadência civilizacional é muitíssimo mais contagiosa do que qualquer variante de C0V1D.


Pedro Sinde in Sol

Fonte: http://senzapagare.blogspot.com/2021/04/a-abissal-diferenca-civilizacional.html

16 de mar. de 2021

Tratamento precoce é a diferença entre quem vai viver e quem vai morrer

 


 Estou reunindo aqui alguns materiais essenciais para entender porque a Ivermectina, um dos medicamentos indicados no tratamento preventivo pode ser o diferencial entre a vida e a morte sobre a C0V1D 19.



Canal no Telegram: 

https://t.me/tratamentoprecocepreventivo



NÃO SE VACINE!!!

ASSISTA PORQUE:

https://rumble.com/vep6l9-umacatstrofe-covid-se-avizinha.html



 

 

4 de set. de 2020

Parábola do estrangeiro

Pastor de Hermas, 50

PRIMEIRA PARÁBOLA 

50. 1Ele me disse: “Vós, servos de Deus, sabeis que habitais em terra estrangeira. De fato, vossa cidade acha-se longe desta cidade. Portanto, se conheceis vossa cidade, aquela que deveis habitar, por que correis assim atrás de campos, instalações luxuosas, palácios e mansões inúteis? 2Quem procura tais coisas nesta cidade não espera retornar à sua própria cidade. 3Insensato, vacilante, homem infeliz! Ignoras que tudo isso é estrangeiro e está em poder de outro? De fato, o dono desta cidade dirá: ‘Não quero que habites na minha cidade. Vai embora daqui, porque não obedeces às minhas leis’. 4Então, tu, que possuis campos, casas e muitos bens, ao ser expulso por ele, o que farás com teu campo, tua casa e tudo o que te resta do que acumulaste? Porque o dono desta cidade te diz justamente: ‘Ou obedeces às minhas leis, ou sais do meu país’. 5Portanto, o que farás, tu que segues a lei da tua cidade? Por causa de teus campos e do resto de teus bens, renegarás tua lei e andarás de acordo com a lei dessa cidade? Atenção! É perigoso renegar tua lei, porque, se queres retornar à tua cidade, temo que não te acolham mais, por teres renegado a lei de tua cidade, e assim sejas excluído dela. 6Vigia, portanto. Visto que moras em terra estrangeira, não reserves para ti senão o estritamente necessário, e estejas pronto. Desse modo, quando o dono dessa cidade quiser te expulsar, porque te opões às suas leis, sairás da sua cidade, chegarás à tua, e aí viverás conforme tua lei, sem prejuízo e com alegria. 7Atenção, vós que servis ao Senhor e o tendes no coração. Praticai as obras de Deus, lembrando-vos de seus mandamentos e das promessas que ele vos fez. Crede que ele as manterá, se seus mandamentos forem observados. 8Em lugar de campos, resgatai os oprimidos, conforme cada um puder; visitai as viúvas e os órfãos, e não os desprezeis. Gastai vossas riquezas e todos os vossos bens, que recebestes de Deus, nesses campos e casas. 9De fato, o Senhor vos enriqueceu, para que presteis a ele tais serviços. É melhor adquirir esses campos, bens e casas, que reencontrarás em tua cidade, quando aí retornares. 10Esse investimento é nobre e alegre, não produz tristeza, nem medo, mas alegria. Não procureis o investimento dos pagãos, perigoso para os servos de Deus. 11Fazei vossos próprios investimentos, com os quais podeis alegrar-vos. Não cometais fraude, não toqueis nos bens de outros, nem os desejeis, porque é mau desejar os bens alheios. Realiza tua tarefa, e serás salvo.”

4 de jul. de 2020

AULA ZERO - INTRODUÇÃO AO SEMINÁRIO DE FORMAÇÃO CATÓLICA





Irmãos, nesse vídeo dou um panorama inicial das intenções desse projeto. Baseado na doutrina católica, amparado inicialmente nas três coisas essenciais à nossa salvação segundo S. Tomás de Aquino.

O Seminário de Formação Católica é um projeto que busca trazer um método de formação acessível e gratuita de questões introdutórias às verdades da fé católica de forma mais acessível às pessoas, numa linguagem o mais simples possível.

Assistam a aula zero:




Para maiores informações, acessar este post:



23 de jun. de 2020

Seminário de Formação Católica







O Seminário de Formação Católica é um projeto que busca trazer um método de formação acessível e gratuita de questões introdutórias às verdades da fé católica de forma mais acessível às pessoas, numa linguagem o mais simples possível.

Eu, Alessandro Silva, sou leigo, casado, batizado desde o nascimento, mas caminhando na Igreja desde 1993, quando tive uma experiência com Deus e desde lá tenho buscado conhecer cada vez mais esse Deus maravilhoso, buscando uma vida interior que lhe agrade e servindo a Igreja no que ela necessita. Desde o início precisei estudar a doutrina da Igreja pois tinha muitas dúvidas, ajudamos muitos jovens de muitos movimentos, fizemos estudos bíblicos, doutrinais, etc. Nestes quase 27 anos de caminhada aprendemos muito e não poderíamos deixar de compartilhar o que Deus nos deu de graça. Trabalhamos em vários movimentos da Igreja, onde nos foi chamado a servir. Pelo menos desde 2008 começamos a evangelizar pela internet.

Quantos desejam estudar a doutrina da Igreja, a teologia, ou a bíblia, o catecismo, etc, e não sabem por onde começar, não é verdade? Quantos de nós, nossos familiares, amigos e conhecidos se sentem com muitas dúvidas e por vezes perdidos no meio de tantas opiniões e uma avalanche de informações...

Por isso esse projeto nasceu. Para dar um norte, uma direção. Uma introdução ao conhecimento da fé católica, das Escrituras, da teologia, enfim, do chamado "depósito da fé". Desde o início da minha caminhada tenho ficado maravilhado com as incríveis riquezas da Igreja que por muitas vezes são desconhecidas. Esse projeto é um pequeno esforço de facilitar o acesso a estas verdades maravilhosas a todos quanto for possível de uma forma mais simples.

Temos o objetivo de criar um canal com vídeos e outros materiais que falem a língua do povo, que seja introdutório, que possa dialogar, conversar com as necessidades dos que desejam aprofundar. E para isso será necessário da nossa parte que seja algo simples e profundo. Que seja acessível e gratuito. E da sua parte se pede apenas uma coisa: FOCO. Sim, no meio de tantas informações que temos na internet, o que vemos é justamente falta de FOCO nas pessoas para se formarem nas coisas de Deus. E isso é extremamente necessário em todas as áreas da nossa vida, para sermos pessoas melhores, para sermos felizes, mesmo em meio a tantas dificuldades.

É um plano ousado. No momento estamos gravando vídeos ao vivo no Instagram e no Facebook e depois os disponibilizando no Youtube e no Telegram. Abaixo coloco os canais que estamos organizando esse projeto formativo. Acompanhe!

Para quem deseja acompanhar ao vivo, estamos gravando todas as segundas, terças e quartas-feiras às 22:00hs na página do Facebook do Evangelizar Nossa Missão ( https://www.facebook.com/EvangelizarNossaMissao ) e no meu Instagram ( https://instagram.com/alegeruah ). Mas para quem não pode acompanhar ao vivo, acompanhem por esses canais abaixo:

ARQUIVO DE TODAS AS AULAS

Youtube: https://bit.ly/semformcatolica
(Aqui vou reunindo todos os vídeos.)

Telegram: https://t.me/sefoca
(Neste canal no Telegram, além de colocarmos todas as aulas, você não perderá nenhuma informação, conteúdo e notícias que tivermos que repassar.)

Whatsapp: https://chat.whatsapp.com/IrGF7DK78LaEME0qVIUGDG
(Neste grupo bloqueado do Whatsapp vamos avisá-lo das nossas aulas e outras informações relevantes. Entre e você não ficará de fora de nada que produzirmos.)

Quem quiser se unir nesse projeto também na produção de conteúdo, entre em contato comigo.

Deus seja adorado, os homens formados!

"Isto é bom e agradável diante de Deus, nosso Salvador, o qual deseja que todos os homens se salvem e cheguem ao conhecimento da verdade."
1 Timóteo 2,3-4

"Ora, a vida eterna consiste em que conheçam a ti, um só Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo que enviaste."
João 17,3

"Não há sinceridade nem bondade, nem conhecimento de Deus na terra... meu povo se perde por falta de conhecimento...."
Oséias 4,1-6

"...eu quero o amor mais que os sacrifícios, e o conhecimento de Deus mais que os holocaustos."
Oséias 6,6

"O que vos é dito aos ouvidos, proclamai-o sobre os telhados."
Mateus 10, 27

"Anunciar o Evangelho não é glória para mim; é uma obrigação que se me impõe. Ai de mim, se eu não anunciar o Evangelho!"
1 Coríntios 9,16

E São João Paulo II nos exortou fortemente:

"...os fiéis leigos escutem o chamamento de Cristo para trabalharem na sua vinha, para tomarem parte viva, consciente e responsável na missão da Igreja, nesta hora magnífica e dramática da história... Se o desinteresse foi sempre inaceitável, o tempo presente torna-o ainda mais culpável. Não é lícito a ninguém ficar inativo... Não há lugar para o ócio, uma vez que é muito o trabalho que a todos espera na vinha do Senhor... Dar fruto é uma exigência essencial da vida cristã e eclesial. Quem não dá fruto não permanece na comunhão: 'Todo ramo que em mim não dá fruto o meu Pai corta' (Jo 15,2)... Sem dúvida, a ordem de Jesus 'Ide e pregai o Evangelho' conserva sempre a sua validade e está cheia de uma urgência que não passa... Todo discípulo é chamado em primeira pessoa; nenhum discípulo pode eximir-se de dar sua própria resposta: 'Ai de mim se não evangelizar' (1Cor 9,16)... O problema missionário apresenta-se hoje à Igreja com tal amplitude e gravidade que só se todos os membros da Igreja o assumirem de forma verdadeiramente solidária e responsável, tanto singularmente como em comunidade, é que se poderá confiar numa resposta mais eficaz."

VOCAÇÃO E MISSÃO DOS LEIGOS NA IGREJA E NO MUNDO, Exortação Apostólica de São João Paulo II CHRISTIFIDELES LAICI, parágrafos 3, 32, 33 e 35.

9 de jun. de 2020

Livro Digital "Ofício das Leituras Anual do Tempo Comum Semanas 10 a 21"


Lançamento do Livro Digital
"Ofício das Leituras Anual do Tempo Comum Semanas 10 a 21"!




Você gostaria de rezar e meditar diariamente com um texto bíblico e um da Sagrada Tradição, dos Santos ou do Magistério em unidade com a Liturgia da Igreja inteira???

Conheça o Livro digital "OFÍCIO DAS LEITURAS ANUAL DO TEMPO COMUM DAS SEMANAS DE 10 A 21".

O Ofício das Leituras é um momento de oração e meditação que pode ser rezado “a qualquer hora do dia, ou até no dia anterior, à noite, depois de recitadas as Vésperas”, conforme orienta a INSTRUÇÃO GERAL SOBRE A LITURGIA DAS HORAS.

Reunimos o Ofício em forma de Livro Digital para ser uma ferramenta a mais de acesso a esse riquíssimo conteúdo e ao mesmo tempo você estará ajudando a mantermos o Podcast Ofício das Leituras no ar.

Você pode adquirir o livro digital em dois formatos no preço de um: pdf e em epub (adaptável melhor para leitura).

São centenas de páginas com conteúdo riquíssimo da Santa Igreja.
Colocamos num preço bem acessível de lançamento. Aproveite!
Deus te abençoe!






"Despojemo-nos das ações das trevas e vistamos as armas da Luz" Rm 13,12
CEFAS, oriundo do nome de São Pedro apóstolo, significa também um Acróstico: Comunhão para Evangelização, Formação e Anúncio do Senhor. É um humilde projeto de evangelização através da internet, buscando levar formação católica doutrinal e espiritual.