21 de set de 2008

FELIPE AQUINO FALA DE DOM ESTÊVÃO

MATÉRIA DO PROFESSOR FELIPE AQUINO QUANDO DO FALECIMENTO DE DOM ESTÊVÃO:

Faleceu na madrugada de segunda-feira (14 de Abril) o grande monge beneditino D. Flávio Estevão Bettencourt, incansável difusor da sabedoria cristã e defensor da Igreja Católica.
Santa Teresa de Ávila recomendava que o diretor espiritual fosse alguém “sábio, douto e santo”. Alguém certamente muito difícil de encontrar. Mas, os quarenta anos de trajetória de D. Estevão mostram que esse homem era o diretor recomendado por Santa Teresa.
“Dez vidas eu tivesse, dez vidas eu daria a Deus”, dizia. É difícil encontrar alguém com tamanha fé, espiritualidade, intelectualidade e capacidade de trabalho desse gigante da Igreja. Passou grande parte de sua vida no Mosteiro de São Bento, no Rio de Janeiro. Ali, serviu ao seu Senhor.
D. Estevão nasceu no Rio de Janeiro em 16 de setembro de 1919. Aos quatro anos de idade foi com os pais para Paris, onde permaneceu até os nove anos. Em Paris, iniciou seus estudos no Lycée Buffon. De volta ao Brasil, estudou no Colégio de São Bento do Rio de Janeiro, onde cursou o ensino fundamental entre 1931 e 1935. Depois, entrou no Mosteiro em 1º de fevereiro de 1936. Recebeu o hábito a 6 de outubro de 1937. Seu padroeiro era o protomártir S. Estevão.
Foi para Roma cursar o doutorado em Filosofia no Pontifício Ateneu de Santo Anselmo, em novembro de 1937, permanecendo lá até 1945. Fez sua Profissão Solene aos 7 de novembro de 1940 em Monte Cassino, onde S. Tomás de Aquino foi catequizado. Foi ordenado sacerdote aos 18 de julho de 1943, em Roma. Em novembro de 1944 defendeu a tese de Doutorado sobre Orígenes: “Doctrina Ascetica Origenis seu quid docuerit de Ratione animae humanae cum daemonibus”. Chegou ao Rio aos 2 de fevereiro de 1945.
Neste mesmo ano, assumiu a Cátedra Bíblica na Casa de Estudos da Congregação. Lecionou também na Universidade Santa Úrsula (1946-1980), na Pontifícia Universidade Católica (1958-1961 e 1968-1974), na Universidade Católica de Petrópolis (1968-1978), no Instituto Superior de Teologia da Arquidiocese do Rio de Janeiro (desde 1985), na Escola Superior de Catequese ‘Mater Ecclesiae’, na Escola ‘Luz e Vida’ de Catequese, e no Instituto Pio X do Rio de Janeiro (1957-1958). Foi assessor teológico do Cardeal D. Eugênio Sales.
D. Estevão foi diretor e redator da revistas “Pergunte & Responderemos”, desde 1957. A última edição, de número 549, foi publicada em março de 2008. Durante 51 anos cuidou sozinho da publicação, sem interrupção, combatendo o ateísmo, o fideísmo, o racionalismo, as heresias… e todos os erros de doutrina.
Como S. Tomás de Aquino, D. Estevão se valia da verdade e da razão para defender a fé. Conciliou maravilhosamente a fé com a razão. Além dos 549 números da PR, D. Estevão nos deixou muitos livros, cadernos do Curso de teologia por correspondência “Mater Ecclesiae” (http://www.lumenchristi.com.br/).
D. Estevão foi amigo, conselheiro, orientador. Certamente, Deus o acolherá, proporcionando o merecido repouso de sua alma na glória da Santíssima Trindade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Irmão, deixe uma mensagem!!!


"Despojemo-nos das ações das trevas e vistamos as armas da Luz" Rm 13,12
CEFAS, oriundo do nome de São Pedro apóstolo, significa também um Acróstico: Comunhão para Evangelização, Formação e Anúncio do Senhor. É um humilde projeto de evangelização através da internet, buscando levar formação católica doutrinal e espiritual.