31 de out de 2008

Informativo Cléofas - 30/10/2008

Informativo Cléofas, 30 de Outubro de 2008 - Ano III - Número 97

Matéria do Programa Escola da Fé

FINADOS

A Intercessão dos Santos

Em 1336, através da Constituição “Benedictus Deus”, o Papa Bento XII definiu como dogma de fé, que, logo após a morte corporal, as almas totalmente puras são admitidas à contemplação da essência de Deus face à face.

Os mortos não estão dormindo:

Concílio universal de Florença, reafirmou em 1439, a seguinte declaração: “As almas daqueles que, depois do Batismo, não se tiverem manchado em absoluto com alguma mancha de pecado, assim como as almas que, depois de contraída alguma mancha de pecado, tiverem sido purificadas ou no corpo ou fora do corpo,... essas almas todas são recebidas no céu e vêem claramente o próprio Deus em sua Unidade e Trindade, como Ele é; umas, porém, vêem mais perfeitamente do que outras, conforme a diversidade de méritos de cada qual. Quanto às almas daqueles que morrem com pecado atual e mortal... sem demora são punidas no inferno por penas que variam para cada qual”. (Denzinger , Enquiridio 693).

+
leia mais

O programa Escola da Fé, é exibido toda a quinta-feira às 20h30 na TV Canção Nova (Link))


Perguntas e Respostas

+ O Cerco de Jericó pode ser feito em casa?
+ A missa do Sábado vale para o Domingo?
+ O que é Oração Centrante?

+ Porque o casal casado somente no civil não pode comungar?


Blog do Prof. Felipe

A Igreja aceita a pena de morte?

Alguns leitores têm nos perguntado como interpretar o §2266 do Catecismo da Igreja que fala sobre a pena de morte e afirma: “… o ensinamento tradicional da Igreja reconheceu como fundamentado o direito e o dever da legítima autoridade pública de infligir penas proporcionadas à gravidade dos delitos, sem excluir, em caso de extrema gravidade, a pena de morte. ”

A Igreja, na prática, é contra a pena de morte; tanto assim que a cada caso de condenação nos EUA, o Papa pede clemência; aliás, tem pouco adiantado.

Como S. Tomás de Aquino a aceitava, em casos raros, na Idade Média, a Igreja não fechou a porta definitivamente para a possibilidade dela ser usada em “um caso de extrema gravidade”. Esse caso de “extrema gravidade” seria por exemplo comparado à legítima defesa, onde a sociedade não tivesse como se livrar do perigo de um assassino, de forma alguma, nem pela prisão perpétua. Na prática, isto parece não mais existir; especialmente por causa dos presídios de segurança máxima; o que faz a Igreja ser, na prática contra a pena de morte.(...)


+ leia mais


Livro da Semana

A Moral Católica

A Moral católica não são grades escravizantes; antes, são janelas abertas para o infinito das bem-aventuranças e um meio de felicidade. O mundo se engana pensando que pode ser feliz de outra maneira.

Não basta crer em Deus e conhecer a fé católica; é preciso viver de acordo com o que ensina a Moral divina, dada por Jesus Cristo à Igreja.

Todo aquele que conhece, faz o que Deus manda e obedece as Suas Leis é feliz, é bem-aventurado, como disse Jesus no Sermão da Montanha.

Neste livro você poderá conhecer o que a Igreja Católica, porta voz de Cristo, nos ensina sobre esta maneira de viver os costumes.


Ficha Técnica
Editora: Cléofas
ISBN: 85-88158-10-8
Ano: 2005
Edição: 2
Número de páginas: 200
Idioma: Português (BR)
Acabamento: Brochura
Formato: 14x21 cm


+ comprar


* Caso não deseje mais receber a newsletter, entre em contato e escolha o assunto "Newsletter - REMOVER"
** Veja nossas regras para a newsletter aqui.
Livro da Semana


A Moral Católica
14x12 cm - 200 páginas.


Shopping Cléofas


Sereis uma só Carne
14x21 cm - 72 páginas


Para ser Feliz
16x23 cm - 264 páginas.


 


© 2008 - Editora Cléofas

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Irmão, deixe uma mensagem!!!


"Despojemo-nos das ações das trevas e vistamos as armas da Luz" Rm 13,12
CEFAS, oriundo do nome de São Pedro apóstolo, significa também um Acróstico: Comunhão para Evangelização, Formação e Anúncio do Senhor. É um humilde projeto de evangelização através da internet, buscando levar formação católica doutrinal e espiritual.