19 de out de 2008

A LITURGIA DA IGREJA CATÓLICA 2

Como está Dividido o Ano Litúrgico
Desde seus primórdios, a Igreja cristã propôs a seus fiéis ritmos de oração destinados a uma progressão contínua. Assim, o Ano
Litúrgico revive em nós a realidade do Mistério de Cristo. Celebrando a cada ano os mesmos Mistérios e procurando vivê-los,
progredimos em direção ao fim dos tempos, construindo um mundo novo ano a ano. O Ano Litúrgico é, portanto, um calendário
religioso que contém as datas dos acontecimentos da História da Salvação. No entanto, o Ano Litúrgico não coincide com o Ano Civil,
isto é, não começa no mesmo dia; enquanto o Ano Civil começa em 1º de janeiro, o Ano Litúrgico inicia-se quatro domingos antes do
Natal, respectivamente no 1º Domingo do Advento. É formado por dois grandes ciclos - o do Natal e o da Páscoa - e por um longo
período de 33 ou 34 semanas, dependendo do ano, chamado de Tempo Comum. Podemos descrevê-lo, mais precisamente, da
seguinte maneira:
CICLO DE NATAL
Inicia-se com o Advento, que é um período de preparação - e não de penitência - e esperança, recordando a chegada do Natal e o
eminente retorno de Cristo. A seguir vem o Natal, que lembra o nascimento humano do Verbo divino. Depois vem a Epifania, que
mostra Jesus se manifestando às nações como o Filho de Deus. Por fim, vem o Batismo do Senhor, que marca o início da missão de
Jesus que culminará com a Páscoa.
PRIMEIRA PARTE DO TEMPO COMUM
Inicia-se após o Batismo do Senhor e vai até a terça-feira anterior à Quarta-Feira de Cinzas. É um tempo destinado ao acolhimento do
Reino de Deus pregado por Jesus.
CICLO DA PÁSCOA
Começa na Quarta-Feira de Cinzas, quando se inicia a Quaresma; esta dura quarenta dias, os quais são destinados à penitência,
oração, jejum e, principalmente, conversão. Durante a Quaresma não proferimos "aleluias" e nem enfeitamos as igrejas com flores.
Ao final da Quaresma, inicia-se a Semana Santa, que é formada pelo Domingo de Ramos (que mostra a entrada triunfal de Jesus em
Jerusalém, anunciando a proximidade da Páscoa) e o Tríduo Pascal (que tem, na Ressurreição do Senhor o seu ponto máximo no Ano
Litúrgico e que ocorre durante a vigília do Domingo da Páscoa). Cinqüenta dias depois da Páscoa, temos o Pentecostes, que assinala
o nascimento da Igreja iluminada pela presença vivificadora do Espírito Santo.
SEGUNDA PARTE DO TEMPO COMUM
Começa na segunda-feira após o Domingo de Pentecostes e termina no sábado anterior ao Primeiro Domingo do Advento (ver Ciclo de
Natal). Possui a mesma finalidade da primeira parte do Tempo Comum.
A LITURGIA DA IGREJA CATÓLICA
As Cores Litúrgicas
Quando vamos à Igreja, notamos que o altar, o tabernáculo, o ambão e até mesmo a estola usada pelo sacerdote combinam todos
com uma mesma cor. Percebemos também que, a cada semana que passa, essa cor pode variar ou permanecer a mesma. Se
acontecer de, no mesmo dia, irmos a duas igrejas diferentes comprovaremos que ambas utilizam as mesmíssimas coisas. Dessa
forma, concluímos que as cores possuem algum significado para a Igreja. Na verdade, a cor usada em um certo dia é válida para toda
a Igreja, que obedece um mesmo calendário litúrgico. Conforme a missa do dia - indicada pelo calendário - fica estabelecida
determinada cor. Mas o que simbolizam essas cores?
VERDE
Simboliza a esperança que todo cristão deve professar. Usada nas missas do Tempo Comum.
BRANCO
Simboliza a alegria cristã e o Cristo vivo. Usada nas missas de Natal, Páscoa, etc... Nas grandes solenidades, pode ser substituída
pelo amarelo ou, mais especificamente, o dourado.
VERMELHO
Simboliza o fogo purificador, o sangue e o martírio. Usada no Domingo de Ramos, na sexta-feira santa, na missa de Pentecostes e
dos santos mártires.
ROXO
Simboliza a preparação, penitência ou conversão. Usada nas missas da Quaresma e do Advento, dia de finados e eventualmente na
missa Exéquias.
ROSA
Raramente usada nos dias de hoje, simboliza uma breve "pausa" na tristeza da Quaresma e na preparação do Advento.
PRETO
Também em desuso, simboliza a morte. Usada em funerais, vem sendo substituída pela cor Roxa.

4 comentários:

  1. Gostei muito desse site.Sou coroinha e aqui aprendi várias coisas pára poder exercer uma boa funçao na igreja que sirvo:)

    ResponderExcluir
  2. Interessante este artigo posso utilizá-lo, pois sou catequista e do ministerio de liturgia!!!!!

    Jéssica

    ResponderExcluir
  3. A missa "cantada" em vez de simplesmente "rezada" é uma opção deliberada pelo sacerdote naquele dia ou é uma obrigação ditada pelo calendário litúrgico?
    Grato.
    Jose Valdoir Vargas.
    valdoirvargas@terra.com.br
    Favor responder por e-mail.

    ResponderExcluir

Irmão, deixe uma mensagem!!!


"Despojemo-nos das ações das trevas e vistamos as armas da Luz" Rm 13,12
CEFAS, oriundo do nome de São Pedro apóstolo, significa também um Acróstico: Comunhão para Evangelização, Formação e Anúncio do Senhor. É um humilde projeto de evangelização através da internet, buscando levar formação católica doutrinal e espiritual.