19 de nov de 2008

Como sair da depressão - A depressão faz a pessoa enxergar trevas onde há luz

Pessoas depressivas perderam o sentido da vida. Cumularam na mente idéias negativas sobre as situações do cotidiano e se viram num beco sem saída. Entende-se que além de ser um mal do corpo, a depressão atinge principalmente a alma. Tudo o que acreditamos acaba se tornando real, principalmente as mazelas acumuladas na mente.

Já trabalhei com ex-depressivos e vi casos surpreendentes. Conheci uma pessoa que gastou uma fortuna em apenas duas horas de compras. Ela relata que queria ter “um dia de princesa” e fez isso para provar que podia. Na verdade estava com uma crise de depressão e não queria admitir. Buscou ajuda e hoje vive com brilhos nos olhos.

A depressão faz a pessoa enxergar trevas onde há luz. Não é manha, nem fraqueza; como comumente são tratadas as pessoas depressivas. Depressão é uma doença que merece atenção já nos primeiros sinais. Não é difícil encontrar casos de suicídios ou transtornos irreversíveis. Se não for tratada a depressão torna-se um mal sem cura.

Por onde começar? As pessoas que convivem com os depressivos são os melhores “remédios” para a cura. Sem desprezar as prescrições medicamentosas, a família e amigos devem contribuir para que o depressivo se perceba apoiado. Onde há incentivo há cura. Onde há condenação a cura tarda ou nunca chega.

Gosto demais do provérbio japonês que diz: “para você beber vinho em uma taça, precisa antes jogar fora o vinho”. Parafraseando o provérbio podemos dizer: para se livrar da depressão a pessoa precisa jogar fora o seu passado e fazer um novo recomeço. Não é uma decisão fácil. Somos condicionados a recordar mais as coisas ruins que as boas. E é por isso que sofremos tanto. A nossa mente não suporta um acumulo tão grande de pensamentos negativos. É a mesma coisa de querer encher com três quilos de farinha um saco que só suporta dois.

Os depressivos precisam criticar seus pensamentos negativos. Não levar a vida tão a serio é um bom começo. Viver é enfrentar desafios, mas o sofrimento é uma opção pessoal. Lou Marinoff fala no seu livro Pergunte a Platão: “a vida não é uma doença. E suas dificuldades e tribulações, que às vezes provocam mal-estar, também não são sintomas de doenças... você pode culpar os outros por seu mal-estar, mas seu sofrimento é só seu. Eis uma boa notícia: se é seu, você pode deixar de tê-lo.” A depressão pode desaparecer quando for tratada como um mal-estar, pois “a vida não é uma doença”.

Sugiro sempre aos depressivos que procurem alguém para conversar. Um desabafo sincero pode significar o fim de um longo sofrimento. Quando sentimos alguma dor é sinal de uma doença, mas quando começamos a sofrer é sinal de que algo dentro de nós precisa ser solucionado. Depressão tem cura e é preciso olhar com mais atenção para as pessoas ao nosso redor que sofrem deste mal.

Paulo Franklin
franklin.fm@hotmail.com
17/11/2008 - Estância⁄SE

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Irmão, deixe uma mensagem!!!


"Despojemo-nos das ações das trevas e vistamos as armas da Luz" Rm 13,12
CEFAS, oriundo do nome de São Pedro apóstolo, significa também um Acróstico: Comunhão para Evangelização, Formação e Anúncio do Senhor. É um humilde projeto de evangelização através da internet, buscando levar formação católica doutrinal e espiritual.