30 de jan de 2009

Liturgia Diária!!!

Sexta-feira, dia 30 de Janeiro de 2009
Sexta-feira da 3ª semana do Tempo Comum

Santa Jacinta Mariscotti, virgem, +1640



Comentário ao Evangelho do dia feito por
São Vicente de Paulo : «A que podemos comparar o Reino de Deus?»

Leituras

Heb. 10,32-39.
Recordai os primeiros dias nos quais, depois de terdes sido iluminados,
suportastes a grande luta dos sofrimentos, tanto sendo expostos
publicamente a insultos e tribulações, como sendo solidários com os que
assim eram tratados.
Tomastes parte nos sofrimentos dos encarcerados, aceitastes com alegria a
confiscação dos vossos bens, sabendo que possuís bens melhores e mais
duradouros.
Não percais, pois, a vossa confiança, à qual está reservada uma grande
recompensa.
Na realidade, tendes necessidade de perseverança, para que, tendo cumprido
a vontade de Deus, alcanceis a promessa.
Pois ainda um pouco, de facto, um pouco apenas, e o que há-de vir, virá e
não tardará.
O meu justo viverá pela fé, mas, se ele voltar atrás, a minha alma não
encontrará nele satisfação.
Nós, porém, não somos daqueles que voltam atrás para a perdição, mas homens
de fé para a salvação da nossa alma.


Salmos 37(36),3-4.5-6.23-24.39-40.
Confia no SENHOR e faz o bem; habitarás a terra e viverás tranquilo.
Procura no SENHOR a tua felicidade, e Ele satisfará os desejos do teu
coração.
Confia ao SENHOR o teu destino, confia nele e Ele há-de ajudar-te.
Fará brilhar, como luz, a tua justiça, e, como sol do meio dia, os teus
direitos.
O SENHOR assegura os passos do homem e compraz se nos seus caminhos.
Se cair, não ficará por terra, porque o SENHOR há-de estender-lhe a mão.
A salvação dos justos vem do SENHOR; Ele é o seu refúgio na hora da
angústia.
O SENHOR os ajuda e liberta, defende os dos ímpios e salva os, porque nele
se refugiam.


Marcos 4,26-34.
Dizia ainda: «O Reino de Deus é como um homem que lançou a semente à terra.

Quer esteja a dormir, quer se levante, de noite e de dia, a semente germina
e cresce, sem ele saber como.
A terra produz por si, primeiro o caule, depois a espiga e, finalmente, o
trigo perfeito na espiga.
E, quando o fruto amadurece, logo ele lhe mete a foice, porque chegou o
tempo da ceifa.»
Dizia também: «Com que havemos de comparar o Reino de Deus? Ou com qual
parábola o representaremos?
É como um grão de mostarda que, ao ser deitado à terra, é a mais pequena de
todas as sementes que existem;
mas, uma vez semeado, cresce, transforma-se na maior de todas as plantas do
horto e estende tanto os ramos, que as aves do céu se podem abrigar à sua
sombra.»
Com muitas parábolas como estas, pregava-lhes a Palavra, conforme eram
capazes de compreender.
Não lhes falava senão em parábolas; mas explicava tudo aos discípulos, em
particular.


Da Bíblia Sagrada



Comentário ao Evangelho do dia feito por

São Vicente de Paulo (1581-1660), presbítero, fundador de comunidades religiosas
Entrevistas; parecer de A. Durant, 1656 (Seuil 1960, p. 320)

«A que podemos comparar o Reino de Deus?»

Não tenhais a paixão de parecerdes superiores, nem mestres. Não estou de
acordo com uma pessoa que me dizia, há alguns dias, que, para bem conduzir
e manter a autoridade, era preciso fazer ver que se era o superior. Ó meu
Deus! Nosso Senhor Jesus Cristo não falou nada assim; ele ensinou-nos o
contrário, com a palavra e com o exemplo, dizendo-nos que Ele próprio veio,
não para ser servido, mas para servir os outros, e que aquele que quiser
ser o primeiro deve ser o escravo de todos (Mc 10, 44-45) [...].

Por isso, entregai-vos a Deus, a fim de falardes no espírito humilde de
Jesus Cristo, confessando que a vossa doutrina não é vossa, nem de vós, mas
do Evangelho. Imitai sobretudo a simplicidade das palavras e das
comparações que Nosso Senhor fazia na Sagrada Escritura, falando ao povo.
Que maravilhas não podia Ele ensinar ao povo! Que segredos não teria Ele
sido capaz de desvendar sobre a Divindade e as Suas admiráveis perfeições,
Ele que era a Sabedoria eterna de Seu Pai! No entanto, vede como fala
inteligivelmente, e como se serve de comparações familiares, de um
trabalhador, de um vinhateiro, de um campo, de uma vinha, de um grão de
mostarda. Aí está como é preciso que vós faleis, se quereis fazer-vos
entender pelo povo, a quem anunciais a palavra de Deus.

Outra coisa à qual deveis dar uma atenção muito particular é terdes uma
grande dependência em relação à conduta do Filho de Deus; quero dizer que,
quando for preciso agir, façais esta reflexão: «Isto está de acordo com as
máximas do Filho de Deus?» Se achardes que está, dizei: «No momento certo,
façamos»; se não, dizei: «Não o farei nunca». Mais, quando for o caso de
fazer qualquer boa obra, dizei ao Filho de Deus: «Senhor, se estivésseis no
meu lugar, como faríeis Vós nesta ocasião? Como instruiríeis Vós o povo?
Como consolaríeis Vós este doente do espírito ou do corpo?» [...]
Procuremos fazer com que Jesus Cristo reine em nós.




Gerir directamente o seu abono (ou a sua subscrição) neste endereço : www.evangelhoquotidiano.org


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Irmão, deixe uma mensagem!!!


"Despojemo-nos das ações das trevas e vistamos as armas da Luz" Rm 13,12
CEFAS, oriundo do nome de São Pedro apóstolo, significa também um Acróstico: Comunhão para Evangelização, Formação e Anúncio do Senhor. É um humilde projeto de evangelização através da internet, buscando levar formação católica doutrinal e espiritual.