13 de fev de 2009

Liturgia Diária!!!

Sexta-feira, dia 13 de Fevereiro de 2009
Sexta-feira da 5ª semana do Tempo Comum

Santa Catarina de Ricci, religiosa, +1590



Comentário ao Evangelho do dia feito por
Concílio Vaticano II : Alguns permanecem surdos aos apelos de Deus

Leituras

Gén. 3,1-8.
A serpente era o mais astuto de todos os animais selvagens que o Senhor
Deus fizera; e disse à mulher: «É verdade ter-vos Deus proibido comer o
fruto de alguma árvore do jardim?»
A mulher respondeu-lhe: «Podemos comer o fruto das árvores do jardim;
mas, quanto ao fruto da árvore que está no meio do jardim, Deus disse:
'Nunca o deveis comer, nem sequer tocar nele, pois, se o fizerdes,
morrereis.'
A serpente retorquiu à mulher: 'Não, não morrereis;
porque Deus sabe que, no dia em que o comerdes, abrir-se-ão os vossos olhos
e sereis como Deus, ficareis a conhecer o bem e o mal'.»
Vendo a mulher que o fruto da árvore devia ser bom para comer, pois era de
atraente aspecto e precioso para esclarecer a inteligência, agarrou do
fruto, comeu, deu dele também a seu marido, que estava junto dela, e ele
também comeu.
Então, abriram-se os olhos aos dois e, reconhecendo que estavam nus,
coseram folhas de figueira umas às outras e colocaram-nas, como se fossem
cinturas, à volta dos rins.
Ouviram, então, a voz do Senhor Deus, que percorria o jardim pela brisa da
tarde, e o homem e a sua mulher logo se esconderam do Senhor Deus, por
entre o arvoredo do jardim.


Salmos 32(31),1-2.5.6.7.
Feliz aquele a quem é perdoada a culpa e absolvido o pecado.
Feliz o homem a quem o SENHOR não acusa de iniquidade e em cujo espírito
não há engano.
Confessei te o meu pecado e não escondi a minha culpa; disse: "Confessarei
ao SENHOR a minha falta"; e Tu me perdoaste a culpa do pecado.
Por isso, todo o fiel te invoca no tempo da angústia. E, mesmo que
transbordem águas caudalosas, jamais o hão de atingir.
Tu és o meu refúgio: livras me da angústia e me envolves em cânticos de
libertação.


Marcos 7,31-37.
Tornando a sair da região de Tiro, veio por Sídon para o mar da Galileia,
atravessando o território da Decápole.
Trouxeram-lhe um surdo tartamudo e rogaram-lhe que impusesse as mãos sobre
ele.
Afastando-se com ele da multidão, Jesus meteu-lhe os dedos nos ouvidos e
fez saliva com que lhe tocou a língua.
Erguendo depois os olhos ao céu, suspirou dizendo: «Effathá», que quer
dizer «abre-te.»
Logo os ouvidos se lhe abriram, soltou-se a prisão da língua e falava
correctamente.
Jesus mandou-lhes que a ninguém revelassem o sucedido; mas quanto mais lho
recomendava, mais eles o apregoavam.
No auge do assombro, diziam: «Faz tudo bem feito: faz ouvir os surdos e
falar os mudos.»


Da Bíblia Sagrada



Comentário ao Evangelho do dia feito por

Concílio Vaticano II
«Gaudium et Spes», Constituição Dogmática sobre a Igreja no mundo actual, §§ 19-21

Alguns permanecem surdos aos apelos de Deus

A razão mais sublime da dignidade do homem consiste na sua vocação à união
com Deus. É desde o começo da sua existência que o homem é convidado a
dialogar com Deus; pois se existe, é só porque, criado por Deus por amor, é
por Ele por amor constantemente conservado; nem pode viver plenamente
segundo a verdade, se não reconhecer livremente esse amor e se entregar ao
seu Criador. Porém, muitos dos nossos contemporâneos não atendem a esta
íntima e vital ligação a Deus, ou até a rejeitam explicitamente; de tal
maneira que o ateísmo deve ser considerado entre os factos mais graves do
tempo actual. [...]

Enquanto alguns ateus negam expressamente Deus, outros pensam que o homem
não pode afirmar seja o que for a Seu respeito; outros ainda, tratam o
problema de Deus de tal maneira, que ele parece não ter significado.
Muitos, ultrapassando indevidamente os limites das ciências positivas, ou
pretendem explicar todas as coisas só com os recursos da ciência, ou, pelo
contrário, já não admitem nenhuma verdade absoluta. [...] Outros concebem
Deus de uma tal maneira, que aquilo que rejeitam não é de modo algum o Deus
do Evangelho. Outros há que nem sequer abordam o problema de Deus: parecem
alheios a qualquer inquietação religiosa e não percebem por que motivo se
devem ainda preocupar com a religião. Além disso, o ateísmo nasce muitas
vezes dum protesto violento contra o mal que existe no mundo. [...]

Não se deve passar em silêncio, entre as formas actuais de ateísmo, aquela
que espera a libertação do homem sobretudo da sua libertação económica.

A Igreja [...], consciente da gravidade dos problemas levantados pelo
ateísmo e levada pelo amor que tem a todos os homens, entende que eles
devem ser objecto de um exame sério e profundo. A Igreja defende que o
reconhecimento de Deus de modo algum se opõe à dignidade do homem, uma vez
que esta dignidade se funda e se realiza no próprio Deus. Com efeito, o
homem, ser inteligente e livre, foi constituído em sociedade por Deus
Criador; mas é sobretudo chamado a unir-se a Deus como filho e a participar
na Sua felicidade.




Gerir directamente o seu abono (ou a sua subscrição) neste endereço : www.evangelhoquotidiano.org


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Irmão, deixe uma mensagem!!!


"Despojemo-nos das ações das trevas e vistamos as armas da Luz" Rm 13,12
CEFAS, oriundo do nome de São Pedro apóstolo, significa também um Acróstico: Comunhão para Evangelização, Formação e Anúncio do Senhor. É um humilde projeto de evangelização através da internet, buscando levar formação católica doutrinal e espiritual.