11 de abr de 2009

Liturgia Diária!!!

Sabado, dia 11 de Abril de 2009
Sábado Santo - VIGÍLIA PASCAL

Vigília Pascal
Santo Estanislau, bispo, mártir, +1097, Nossa Senhora dos Prazeres



Comentário ao Evangelho do dia feito por
Beato Guerric d'Igny : «O Senhor actuou neste dia»

Leituras

Ex. 14,15-31.15,1.
O Senhor disse a Moisés: «Porque clamas por mim? Fala aos filhos de Israel
e manda-os partir.
E tu, levanta a tua vara e estende a mão sobre o mar e divide-o, e que os
filhos de Israel entrem pelo meio do mar, por terra seca.
E eis que Eu vou endurecer o coração dos egípcios para que venham atrás
deles, e serei glorificado por meio do faraó e de todo o seu exército, dos
seus carros de guerra e dos seus cavaleiros,
e os egípcios saberão que Eu sou o Senhor, quando for glorificado por meio
do faraó, dos seus carros de guerra e dos seus cavaleiros.»
O anjo de Deus, que caminhava à frente do acampamento de Israel,
levantou-se, partiu e passou a caminhar atrás deles. E a coluna de nuvem
levantou-se de diante deles e colocou-se atrás deles.
Veio colocar-se entre o acampamento do Egipto e o acampamento de Israel. E
houve nuvens e trevas, e iluminou-se a noite, e não se aproximaram um do
outro toda a noite.
Moisés estendeu a sua mão sobre o mar, e o Senhor fez recuar o mar com um
vento forte de oriente toda a noite, e pôs o mar a seco. As águas
dividiram-se,
e os filhos de Israel entraram pelo meio do mar, por terra seca, e as águas
eram para eles um muro à sua direita e à sua esquerda.
Os egípcios perseguiram-nos, e todos os cavalos do faraó, os seus carros de
guerra e os seus cavaleiros, entraram atrás deles para o meio do mar.
E aconteceu que, na vigília da manhã, o Senhor olhou da coluna de fogo e de
nuvem, para o acampamento dos egípcios, e lançou a confusão no acampamento
dos egípcios.
Ele desviou as rodas dos seus carros de guerra, e eles conduziam com
dificuldade. Os egípcios disseram: «Fujamos diante de Israel, porque o
Senhor combate por eles contra o Egipto.»
O Senhor disse a Moisés: «Estende a tua mão sobre o mar, e que as águas
voltem sobre os egípcios, sobre os seus carros de guerra e sobre os seus
cavaleiros.»
Moisés estendeu a sua mão sobre o mar, e o mar voltou ao seu leito normal,
ao raiar da manhã, e os egípcios a fugir foram ao seu encontro. E o Senhor
desfez-se dos egípcios no meio do mar.
As águas voltaram e cobriram os carros de guerra e os cavaleiros; de todo o
exército do faraó que entrou atrás deles no mar, não ficou nenhum.
Os filhos de Israel caminharam em terra seca, pelo meio do mar, e as águas
eram para eles um muro à sua direita e à sua esquerda.
O Senhor salvou, naquele dia, Israel da mão do Egipto, e Israel viu os
egípcios mortos à beira do mar.
Israel viu a mão poderosa com que o Senhor actuou contra o Egipto, o povo
temeu o Senhor e acreditou nele e em Moisés, seu servo.
Então, Moisés cantou, e os filhos de Israel também, este cântico ao Senhor.
Eles disseram: «Cantarei ao Senhor que é verdadeiramente grande: cavalo e
cavaleiro lançou no mar.


Ex. 15,1-6.17-18.
Então, Moisés cantou, e os filhos de Israel também, este cântico ao Senhor.
Eles disseram: «Cantarei ao Senhor que é verdadeiramente grande: cavalo e
cavaleiro lançou no mar.
Minha força e meu canto é o Senhor: Ele foi para mim a salvação. É este o
meu Deus: glorificá-lo-ei; o Deus de meu pai: exaltá-lo-ei.
O Senhor é um guerreiro: Senhor é o seu nome.
Os carros de guerra do faraó e o seu exército Ele atirou ao mar; e os seus
combatentes escolhidos foram afundados no Mar dos Juncos.
Cobrem-nos os abismos: desceram às profundezas como uma pedra.
A tua direita, Senhor, resplandeceu de força; a tua direita, Senhor,
apanhou o inimigo.
Fá- -lo-ás entrar e plantá-lo-ás na montanha que é a tua herança, lugar que
fizeste para Tu habitares, Senhor, santuário que as tuas mãos, Senhor,
estabeleceram.
O Senhor reinará eternamente e para sempre.»


Romanos 6,3-11.
Ou ignorais que todos nós, que fomos baptizados em Cristo Jesus, fomos
baptizados na sua morte?
Pelo Baptismo fomos, pois, sepultados com Ele na morte, para que, tal como
Cristo foi ressuscitado de entre os mortos pela glória do Pai, também nós
caminhemos numa vida nova.
De facto, se estamos integrados nele por uma morte idêntica à sua, também o
estaremos pela sua ressurreição.
É isto o que devemos saber: o homem velho que havia em nós foi crucificado
com Ele, para que fosse destruído o corpo pertencente ao pecado; e assim
não somos mais escravos do pecado.
É que quem está morto está justificado do pecado.
Mas, se morremos com Cristo, acreditamos que também com Ele viveremos.
Sabemos que Cristo, ressuscitado de entre os mortos, já não morrerá; a
morte não tem mais domínio sobre Ele.
Pois, na morte que teve, morreu para o pecado de uma vez para sempre; e, na
vida que tem, vive para Deus.
Assim vós também: considerai-vos mortos para o pecado, mas vivos para Deus,
em Cristo Jesus.


Marcos 16,1-7.
Passado o sábado, Maria de Magdala, Maria, mãe de Tiago, e Salomé compraram
perfumes para ir embalsamá-lo.
De manhã, ao nascer do sol, muito cedo, no primeiro dia da semana, foram ao
sepulcro.
Diziam entre si: «Quem nos irá tirar a pedra da entrada do sepulcro?»
Mas olharam e viram que a pedra tinha sido rolada para o lado; e era muito
grande.
Entrando no sepulcro, viram um jovem sentado à direita, vestido com uma
túnica branca, e ficaram assustadas.
Ele disse-lhes: «Não vos assusteis! Buscais a Jesus de Nazaré, o
crucificado? Ressuscitou; não está aqui. Vede o lugar onde o tinham
depositado.
Ide, pois, e dizei aos seus discípulos e a Pedro: 'Ele precede-vos a
caminho da Galileia; lá o vereis, como vos tinha dito'.»


Da Bíblia Sagrada



Comentário ao Evangelho do dia feito por

Beato Guerric d'Igny (c. 1080-1157), abade cisterciense
3º Sermão para a Ressurreição (trad. SC 202, p.249s rev.)

«O Senhor actuou neste dia»

«O Senhor actuou neste dia, cantemos e alegremo-nos nele» (Sl 117, 24).
Irmãos, esperemos o Senhor e exultemos de alegria, a fim de O vermos e de
rejubilarmos na Sua luz. Abraão exultou com a simples ideia de ver o dia de
Cristo, e por isso mereceu vê-lo e rejubilar (Jo 8, 56). Também tu tens de
velar todos os dias às portas da Sabedoria (Prov 8, 34) [...], montar
guarda, com Maria Madalena, à porta do túmulo de Cristo. E estou certo de
que então compreenderás com ela quão verdadeiro é o que lemos nas
Escrituras sobre a Sabedoria em pessoa, que é Cristo: «os que a amam
descobrem-na facilmente [...]. Ela antecipa-se a dar-se a conhecer aos que
a desejam» (Sab 6, 12-13). [...]

Foi Ele mesmo que o prometeu: «Amo os que Me amam; quem Me procura
encontrar-Me-á» (Prov 8, 17). Foi assim que Maria encontrou Jesus na carne,
pois velava, tendo ido ao túmulo antes de amanhecer. É verdade que tu já
não O conhecerás segundo a carne (2Cor 5, 16), mas segundo o espírito. Mas
encontrá-Lo-ás espiritualmente, se O procurares com um desejo semelhante ao
de Maria [...]: «A minha alma deseja-Vos de noite, e o meu espírito dentro
de mim busca-Vos» (Is 26, 9). Diz com o salmista: «A minha alma está
sedenta de Vós» (62, 2). [...]

Velai, pois, irmãos, e rezai intensamente! [...] Velai tanto mais quanto
desponta já a aurora do dia que não tem ocaso. [...]  Sim, «já é hora de
despertardes do sono, que [...] a noite vai adiantada e o dia está próximo»
(Rom 13, 11-12). Velai, pois, para que a Luz da manhã, Cristo, nasça para
vós, pois «iminente como a aurora está a Sua vinda» (Os 6, 3); Ele está
disposto a renovar muitas vezes o mistério da Sua ressurreição matinal em
favor daqueles que para Ele velam. Então poderás cantar, de coração
jubiloso: «O Senhor actuou neste dia, cantemos e alegremo-nos nele».




Gerir directamente o seu abono (ou a sua subscrição) neste endereço : www.evangelhoquotidiano.org


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Irmão, deixe uma mensagem!!!


"Despojemo-nos das ações das trevas e vistamos as armas da Luz" Rm 13,12
CEFAS, oriundo do nome de São Pedro apóstolo, significa também um Acróstico: Comunhão para Evangelização, Formação e Anúncio do Senhor. É um humilde projeto de evangelização através da internet, buscando levar formação católica doutrinal e espiritual.