19 de abr de 2009

Liturgia Diária!!!

Domingo, dia 19 de Abril de 2009
2º Domingo da Páscoa (Divina Misericórdia) - Ano B

Segundo Domingo de Páscoa (da Divina Misericórdia)
Santo Expedito, mártir, séc. III, Nossa Senhora da Alegria



Comentário ao Evangelho do dia feito por
São Francisco de Sales : «Soprou sobre eles e disse-lhes: «Recebei o Espírito Santo»»

Leituras

Actos 4,32-35.
A multidão dos que haviam abraçado a fé tinha um só coração e uma só alma.
Ninguém chamava seu ao que lhe pertencia, mas entre eles tudo era comum.
Com grande poder, os Apóstolos davam testemunho da ressurreição do Senhor
Jesus, e uma grande graça operava em todos eles.
Entre eles não havia ninguém necessitado, pois todos os que possuíam terras
ou casas vendiam-nas, traziam o produto da venda
e depositavam-no aos pés dos Apóstolos. Distribuía-se, então, a cada um
conforme a necessidade que tivesse.


Salmos 118(117),2-4.16-18.22-24.
Diga a casa de Israel: «O seu amor é eterno.»
Diga a casa de Aarão: «O seu amor é eterno.»
Digam os que crêem no SENHOR: «O seu amor é eterno.»
mão do SENHOR foi magnífica; a mão do SENHOR fez maravilhas.»
Não morrerei, antes viverei, para narrar as obras do SENHOR.
SENHOR castigou-me com dureza, mas não me deixou morrer.
pedra que os construtores rejeitaram veio a tornar-se pedra angular.
Isto foi obra do SENHOR e é um prodígio aos nossos olhos.
Este é o dia da vitória do SENHOR: cantemos e alegremo-nos nele!


1 João 5,1-6.
Todo aquele que crê que Jesus é o Cristo nasceu de Deus; e todo aquele que
ama quem o gerou ama também quem por Ele foi gerado.
É por isto que reconhecemos que amamos os filhos de Deus: se amamos a Deus
e cumprimos os seus mandamentos;
pois o amor de Deus consiste precisamente em que guardemos os seus
mandamentos; e os seus mandamentos não são uma carga,
porque todo aquele que nasceu de Deus vence o mundo. E este é o poder
vitorioso que venceu o mundo: a nossa fé.
E quem é que vence o mundo senão aquele que crê que Jesus é Filho de Deus?
Este, Jesus Cristo, é aquele que veio com água e com sangue; e não só com a
água, mas com a água e com o sangue. E é o Espírito quem dá testemunho,
porque o Espírito é a verdade.


João 20,19-31.
Ao anoitecer daquele dia, o primeiro da semana, estando fechadas as portas
do lugar onde os discípulos se encontravam, com medo das autoridades
judaicas, veio Jesus, pôs-se no meio deles e disse-lhes: «A paz esteja
convosco!»
Dito isto, mostrou-lhes as mãos e o peito. Os discípulos encheram-se de
alegria por verem o Senhor.
E Ele voltou a dizer-lhes: «A paz seja convosco! Assim como o Pai me
enviou, também Eu vos envio a vós.»
Em seguida, soprou sobre eles e disse-lhes: «Recebei o Espírito Santo.
Àqueles a quem perdoardes os pecados, ficarão perdoados; àqueles a quem os
retiverdes, ficarão retidos.»
Tomé, um dos Doze, a quem chamavam o Gémeo, não estava com eles quando
Jesus veio.
Diziam-lhe os outros discípulos: «Vimos o Senhor!» Mas ele respondeu-lhes:
«Se eu não vir o sinal dos pregos nas suas mãos e não meter o meu dedo
nesse sinal dos pregos e a minha mão no seu peito, não acredito.»
Oito dias depois, estavam os discípulos outra vez dentro de casa e Tomé com
eles. Estando as portas fechadas, Jesus veio, pôs-se no meio deles e disse:
«A paz seja convosco!»
Depois, disse a Tomé: «Olha as minhas mãos: chega cá o teu dedo! Estende a
tua mão e põe-na no meu peito. E não sejas incrédulo, mas fiel.»
Tomé respondeu-lhe: «Meu Senhor e meu Deus!»
Disse-lhe Jesus: «Porque me viste, acreditaste. Felizes os que crêem sem
terem visto».
Muitos outros sinais miraculosos realizou ainda Jesus, na presença dos seus
discípulos, que não estão escritos neste livro.
Estes, porém, foram escritos para acreditardes que Jesus é o Messias, o
Filho de Deus, e, acreditando, terdes a vida nele.


Da Bíblia Sagrada



Comentário ao Evangelho do dia feito por

São Francisco de Sales (1567-1622), Bispo de Genebra e Doutor da Igreja
Primeiro Sermão para o Pentecostes (rev.)

«Soprou sobre eles e disse-lhes: «Recebei o Espírito Santo»»

Senhor Jesus Cristo, faz com que voltemos a ter «um só coração e uma só
alma» (Act 4, 32), porque, nesse momento, far-se-á «uma grande calma» (Mc
4, 39). Minha querida audiência, exorto-vos à amizade e à benevolência
entre vós e à paz entre todos; porque, se tivéssemos caridade entre nós,
teríamos a paz e o Espírito Santo. É necessário tornarmo-nos piedosos e
rezar a Deus [...], porque os Apóstolos eram perseverantes na oração. [...]
Se começarmos a rezar fervorosamente, o Espírito Santo virá sobre nós e
dirá: «Tranquilizai-vos, sou Eu: não temais!» (cf. Mc 6,50) [...] Que
devemos nós pedir a Deus, meus irmãos? Tudo o que for para Sua honra e para
a salvação das nossas almas e, numa palavra, a ajuda do Espírito Santo; «Se
lhes envias o Teu Espírito [...] renovas a face da terra» (Sl 104 (103),
30) – a paz e a tranquilidade...

É preciso que peçamos essa paz, para que o Espírito da paz venha sobre nós.
Temos, também, de dar graças a Deus por todos os Seus benefícios, se
quisermos que Ele nos conceda as vitórias que são o início da paz; e, para
obter o Espírito Santo, temos de agradecer a Deus Pai que O enviou,
primeiramente, ao nosso mestre, Jesus Cristo, Nosso Senhor, Seu Filho [...]
– porque «todos nós participamos da Sua plenitude» (cf. Jo 1,16) – e porque
O enviou aos Seus Apóstolos para que no-Lo comunicassem, impondo sobre nós
as mãos. Temos de agradecer ao Filho: tal como Deus, Ele envia-nos o
Espírito: sendo Deus, envia Espírito aos que se dispõem a recebê-Lo. Mas,
sobretudo, temos de agradecer porque, sendo Homem, nos mereceu a graça de
receber o Divino Espírito [...].

E como é que Jesus nos mereceu a vinda do Espírito Santo? «Inclinando a
cabeça, entregou o espírito» (Jo 19,30); porque, entregando o Seu último
suspiro, e o Seu espírito ao Pai, mereceu-nos que o Pai enviasse o Espírito
ao Seu corpo místico.




Gerir directamente o seu abono (ou a sua subscrição) neste endereço : www.evangelhoquotidiano.org


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Irmão, deixe uma mensagem!!!


"Despojemo-nos das ações das trevas e vistamos as armas da Luz" Rm 13,12
CEFAS, oriundo do nome de São Pedro apóstolo, significa também um Acróstico: Comunhão para Evangelização, Formação e Anúncio do Senhor. É um humilde projeto de evangelização através da internet, buscando levar formação católica doutrinal e espiritual.