31 de mai de 2009

Liturgia Diária!!!

Domingo, dia 31 de Maio de 2009
SOLENIDADE DE PENTECOSTES

Domingo de Pentecostes (semana I do saltério)
Visitação de Nossa Senhora



Comentário ao Evangelho do dia feito por
São Bruno de Segni : Do Pentecosts judaico ao Pentecostes cristão

Leituras

Actos 2,1-11.
Quando chegou o dia do Pentecostes, encontravam-se todos reunidos no mesmo
lugar.
De repente, ressoou, vindo do céu, um som comparável ao de forte rajada de
vento, que encheu toda a casa onde eles se encontravam.
Viram então aparecer umas línguas, à maneira de fogo, que se iam dividindo,
e poisou uma sobre cada um deles.
Todos ficaram cheios do Espírito Santo e começaram a falar outras línguas,
conforme o Espírito lhes inspirava que se exprimissem.
Ora, residiam em Jerusalém judeus piedosos provenientes de todas as nações
que há debaixo do céu.
Ao ouvir aquele ruído, a multidão reuniu-se e ficou estupefacta, pois cada
um os ouvia falar na sua própria língua.
Atónitos e maravilhados, diziam: «Mas esses que estão a falar não são todos
galileus?
Que se passa, então, para que cada um de nós os oiça falar na nossa língua
materna?
Partos, medos, elamitas, habitantes da Mesopotâmia, da Judeia e da
Capadócia, do Ponto e da Ásia,
da Frígia e da Panfília, do Egipto e das regiões da Líbia cirenaica,
colonos de Roma,
judeus e prosélitos, cretenses e árabes ouvimo-los anunciar, nas nossas
línguas, as maravilhas de Deus!»


Salmos 104,1.24.29-30.31.34.
Bendiz, ó minha alma, o SENHOR! SENHOR, meu Deus, como Tu és grande! Estás
revestido de esplendor e majestade!
SENHOR, como são grandes as tuas obras! Todas elas são fruto da tua
sabedoria! A terra está cheia das tuas criaturas!
Se deles escondes o rosto, ficam perturbados; se lhes tiras o alento,
morrem e voltam ao pó donde saíram.
Se lhes envias o teu espírito, voltam à vida. E assim renovas a face da
terra.
Glória ao SENHOR por toda a eternidade! Que o SENHOR se alegre em suas
obras!
Que o meu cântico lhe seja agradável, pois no SENHOR encontro a minha
alegria.


Gálatas 5,16-25.
Mas eu digo-vos: caminhai no Espírito, e não realizareis os apetites
carnais.
Porque a carne deseja o que é contrário ao Espírito, e o Espírito, o que é
contrário à carne; são, de facto, realidades que estão em conflito uma com
a outra, de tal modo que aquilo que quereis, não o fazeis.
Ora, se sois conduzidos pelo Espírito, não estais sob o domínio da Lei.
Mas as obras da carne estão à vista. São estas: fornicação, impureza,
devassidão,
idolatria, feitiçaria, inimizades, contenda, ciúme, fúrias, ambições,
discórdias, partidarismos,
invejas, bebedeiras, orgias e coisas semelhantes a estas. Sobre elas vos
previno, como já preveni: os que praticarem tais coisas não herdarão o
Reino de Deus.
Por seu lado, é este o fruto do Espírito: amor, alegria, paz, paciência,
benignidade, bondade, fidelidade,
mansidão, auto-domínio. Contra tais coisas não há lei.
Mas os que são de Cristo Jesus crucificaram a carne com as suas paixões e
desejos.
Se vivemos no Espírito, sigamos também o Espírito.


João 15,26-27.16,12-15.
«Quando vier o Paráclito, o Espírito da Verdade, que procede do Pai, e que
Eu vos hei-de enviar da parte do Pai, Ele dará testemunho a meu favor.
E vós também haveis de dar testemunho, porque estais comigo desde o
princípio.»
«Tenho ainda muitas coisas a dizer-vos, mas não sois capazes de as
compreender por agora.
Quando Ele vier, o Espírito da Verdade, há-de guiar-vos para a Verdade
completa. Ele não falará por si próprio, mas há-de dar-vos a conhecer
quanto ouvir e anunciar-vos o que há-de vir.
Ele há-de manifestar a minha glória, porque receberá do que é meu e vo-lo
dará a conhecer.
Tudo o que o Pai tem é meu; por isso é que Eu disse: 'Receberá do que é meu
e vo-lo dará a conhecer'.»


Da Bíblia Sagrada



Comentário ao Evangelho do dia feito por

São Bruno de Segni (c. 1045-1123), bispo
Comentário ao Êxodo, cap. 15 (trad. Sr Isabelle de la Source, Lire la Bible, vol. 2, p. 78)

Do Pentecosts judaico ao Pentecostes cristão

O Monte Sinai é o símbolo do Monte Sião. [...] Reparai até que ponto as
duas alianças se ecoam uma à outra, com que harmonia a festa de Pentecostes
é celebrada em cada uma delas. [...] O Senhor desceu ao Monte Sião no mesmo
dia e de maneira muito semelhante a como tinha descido ao Monte Sinai.
[...]

Escreve Lucas: «Subitamente ressoou, vindo do céu, um som comparável ao de
forte rajada de vento, que encheu toda a casa onde se encontravam. Viram
então aparecer umas línguas à maneira de fogo, que se iam dividindo, e
poisou uma sobre cada um deles» (Act 2, 2-3). [...] Sim, tanto num como
noutro monte se ouve um ruído violento e se vê um fogo. No Sinai, foi uma
nuvem espessa, no Sião o esplendor de uma luz muito forte. No primeiro
caso, tratava-se de «imagem e sombra» (Heb 8, 5), no segundo caso da
realidade verdadeira. No passado, ouviu-se o trovão, hoje discernem-se as
vozes dos apóstolos. De um lado, o brilho dos relâmpagos; do outro,
prodígios por todo o lado. [...]

«Moisés mandou sair o povo do acampamento, para ir ao encontro de Deus, e
pararam junto do monte» (Ex 19, 17). E, nos Actos dos Apóstolos, lemos que
«ao ouvir aquele som poderoso, a multidão reuniu-se e ficou estupefacta»
(v. 6). [...] O povo de toda a Jerusalém reuniu-se aos pés da montanha de
Sião, ou seja, no lugar onde Sião, a imagem da Santa Igreja, começou a ser
edificado, a colocar os seus fundamentos. [...]

«Todo o Monte Sinai fumegava, porque o Senhor havia descido sobre ele no
meio de chamas», diz o Êxodo (v. 18). [...] Como poderiam deixar de arder
aqueles que tinham sido abrasados pelo fogo do Espírito Santo? Assim como o
fumo assinala a presença do fogo, assim também, pela segurança dos seus
discursos e pela diversidade das línguas que falavam, o fogo do Espírito
Santo manifestou a Sua presença no coração dos apóstolos. Felizes os
corações que estão cheios deste fogo! Felizes os homens que ardem com este
calor! «Todo o monte estremecia violentamente. Os sons da trombeta
repercutiam-se cada vez mais» (vv. 18-19). [...] Assim também a voz dos
apóstolos e a sua pregação se tornaram cada vez mais fortes, fazendo-se
ouvir cada vez mais longe, até que «por toda a terra caminha o seu eco, até
aos confins do universo a sua palavra» (Sl 18, 5).




Gerir directamente o seu abono (ou a sua subscrição) neste endereço : www.evangelhoquotidiano.org


30 de mai de 2009

Pentecostes

Queridos Leitores

Chegamos ao fim do tempo pascal. Foram cinquenta dias para celebrarmos a alegria da Ressurreição do Senhor e, com ela, a certeza da nossa Salvação.

Eis-nos de regresso ao tempo comum, o tempo em que somos chamados a viver o dia a dia da nossa caminhada, estabelecendo as nossas balizas, fixando as nossas metas, nesta aventura de estarmos no mundo sem sermos do mundo.

Temos, é certo, um óptimo guia, o melhor dos guias, o Espírito Santo que, no cumprimento da profecia de Joel, não cessa de ser derramado nos nossos corações. Com ele, seremos capazes de discernir o que é bom, o que é justo, o que é agradável aos olhos de Deus. E seremos capazes de lutar sabendo que, se Deus é por nós, ninguém será contra nós.

Neste Pentecostes que chega, queremos desejar-vos a todos a disponibilidade para escutar e a ousadia para seguir aquilo que, sucessivamente, o Senhor Jesus vos irá pedindo com a Sua palavra.

Temos a satisfação de iniciar este novo tempo com um número redondo de 60.000 leitores em língua portuguesa. A todos os que se esforçaram por divulgar este serviço, junto de familiares e amigos, a todos os que o apoiaram com a sua oração, com as suas dádivas, com as suas sugestões e críticas, queremos deixar o nosso profundo reconhecimento. Que o Senhor vos retribua a 100 por um! Queremos também sugerir, mais uma vez, que não deixem cair os braços nesta tarefa de levar o Evangelho a casa (ao computador) de cada vez mais homens e mulheres de boa vontade. Com dizia o texto de S. Marcos do dia da Ascensão, o Senhor coopera com os discípulos no anúncio da Boa Nova.

Que Ele vos encha das suas graças. E que Maria caminhe sempre convosco.

Com muita amizade

A equipa portuguesa de Evangelho Quotidiano

http://www.evangelhoquotidiano.org/

Liturgia Diária!!!

Sabado, dia 30 de Maio de 2009
Sábado da 7ª semana da Páscoa

Santa Joana d'Arc, virgem, mártir, (+ Rouen, França, 1431)



Comentário ao Evangelho do dia feito por
Santo Agostinho : Dois apóstolos, duas vidas, uma Igreja

Leituras

Actos 28,16-20.30-31.
Quando entrámos em Roma, Paulo foi autorizado a ficar em alojamento próprio
com o soldado que o guardava.
Três dias depois, convocou os principais dos judeus e, quando estavam todos
reunidos, disse-lhes: «Irmãos, embora nada tenha feito contra o povo ou
contra os costumes paternos, fui preso em Jerusalém e entregue às mãos dos
romanos.
Estes, depois de me terem interrogado, queriam libertar-me, por não haver
em mim crime algum digno de morte.
Mas, como os judeus se opuseram, fui constrangido a apelar para César, sem
querer, de modo algum, acusar o meu povo.
Foi por este motivo que pedi para vos ver e falar, pois é por causa da
esperança de Israel que trago estas cadeias.»
Paulo permaneceu dois anos inteiros no alojamento que alugara, onde recebia
todos os que iam procurá-lo,
anunciando o Reino de Deus e ensinando o que diz respeito ao Senhor Jesus
Cristo, com o maior desassombro e sem impedimento.


Salmos 11,4.5.7.
O SENHOR habita no seu santuário; o SENHOR tem nos céus o seu trono; os
seus olhos contemplam o mundo e as suas pupilas observam os filhos dos
homens.
O SENHOR perscruta o justo e o ímpio, mas odeia os que amam a violência.
Na verdade, o SENHOR é justo e ama a justiça; os homens honestos
contemplarão a sua face.


João 21,20-25.
Pedro voltou-se e viu que o seguia o discípulo que Jesus amava, o mesmo que
na ceia se tinha apoiado sobre o seu peito e lhe tinha perguntado: 'Senhor,
quem é que te vai entregar?'
Ao vê-lo, Pedro perguntou a Jesus: «Senhor, e que vai ser deste?»
Jesus respondeu-lhe: «E se Eu quiser que ele fique até Eu voltar, que tens
tu com isso? Tu, segue-me!»
Foi assim que, entre os irmãos, correu este rumor de que aquele discípulo
não morreria. Jesus, porém, não disse que ele não havia de morrer, mas sim:
«Se Eu quiser que ele fique até Eu voltar, que tens tu com isso?»
Este é o discípulo que dá testemunho destas coisas e que as escreveu. E nós
sabemos bem que o seu testemunho é verdadeiro.
Há ainda muitas outras coisas que Jesus fez. Se elas fossem escritas, uma
por uma, penso que o mundo não teria espaço para os livros que se deveriam
escrever.


Da Bíblia Sagrada



Comentário ao Evangelho do dia feito por

Santo Agostinho (354-430), Bispo de Hipona (África do Norte) e Doutor da Igreja
Sermões sobre o evangelho de João, n° 124; CCL 36, 685 (trad. Orval)

Dois apóstolos, duas vidas, uma Igreja

A Igreja conhece duas vidas louvadas e recomendadas por Deus. Uma é na fé,
a outra na visão; uma na peregrinação do tempo, a outra na morada da
eternidade; uma no trabalho, a outra no repouso; uma no caminho, a outra na
pátria; uma no esforço da acção, a outra na recompensa da contemplação.
[...] A primeira é simbolizada pelo apóstolo Pedro, a segunda por João.
[...] E não são só eles, mas toda a Igreja, Esposa de Cristo, que o
realiza, ela que há-de ser libertada das provações deste mundo e permanecer
na beatitude eterna.

Pedro e João simbolizaram, cada um, uma destas duas vidas. Mas ambos
passaram juntos a primeira, no tempo, pela fé; e juntos desfrutarão a
segunda, na eternidade, pela visão. Foi portanto para todos os santos
unidos inseparavelmente ao corpo de Cristo, e a fim de os conduzir no meio
das tempestades desta vida, que Pedro, o primeiro dos apóstolos, recebeu as
chaves do reino dos céus, com o poder de reter ou absolver os pecados (Mt
16, 19). Foi também por todos os santos, e a fim de lhes dar acesso à
profundidade serena da sua vida mais íntima, que Cristo deixou João
repousar no Seu peito (Jo 13, 23.25). Pois o poder de reter ou absolver os
pecados não pertence somente a Pedro, mas a toda a Igreja; e João não é o
único a beber na fonte do peito do Senhor, o Verbo que desde o início é
Deus junto de Deus (Jo 7, 38;1, 1), [...] mas o próprio Senhor dedica o Seu
Evangelho a todos os homens do mundo inteiro, para que cada um o beba
consoante a sua capacidade.




Gerir directamente o seu abono (ou a sua subscrição) neste endereço : www.evangelhoquotidiano.org


29 de mai de 2009

Liturgia Diária!!!

Sexta-feira, dia 29 de Maio de 2009
Sexta-feira da 7ª semana da Páscoa

Beato Félix de Nicósia, religioso, +1787



Comentário ao Evangelho do dia feito por
São João Crisóstomo : «O bom pastor dá a sua vida pelas ovelhas» (Jo 10, 11)

Leituras

Actos 25,13-21.
Alguns dias mais tarde, o rei Agripa e Berenice chegaram a Cesareia e foram
apresentar cumprimentos a Festo.
Como se demorassem vários dias, Festo expôs ao rei o caso de Paulo,
dizendo: «Está aqui um homem que Félix deixou preso,
e contra o qual, estando eu em Jerusalém, os sumos sacerdotes e os anciãos
dos judeus apresentaram queixa, pedindo a sua condenação.
Respondi-lhes que não era costume dos romanos conceder a entrega de homem
algum, antes de o acusado ter os acusadores na sua frente e dispor da
possibilidade de se defender da acusação.
Vieram, pois, comigo e, sem mais demoras, sentei-me, no dia seguinte, no
tribunal e mandei comparecer o homem.
Postos em frente dele, os acusadores não alegaram nenhum dos crimes que eu
pudesse suspeitar;
só tinham com ele discussões acerca da sua religião e de um certo Jesus,
que morreu e Paulo afirma estar vivo.
Quanto a mim, embaraçado perante um debate deste género, perguntei-lhe se
queria ir a Jerusalém, a fim de lá ser julgado sobre o assunto.
Mas Paulo apelou para que a sua causa fosse reservada à decisão de Augusto
e eu ordenei que o mantivessem preso até o enviar a César.»


Salmos 103(102),1-2.11-12.19-20.
Bendiz, ó minha alma, o SENHOR, e todo o meu ser louve o seu nome santo.
Bendiz, ó minha alma, o SENHOR, e não esqueças nenhum dos seus benefícios.
Como é grande a distância dos céus à terra, assim são grandes os seus
favores para os que o temem.
Como o Oriente está afastado do Ocidente, assim Ele afasta de nós os nossos
pecados.
SENHOR estabeleceu nos céus o seu trono e o seu reino estende-se a tudo o
que existe.
Bendizei o SENHOR, todos os seus anjos, poderosos mensageiros, que cumpris
as suas ordens, sempre dóceis à sua palavra.


João 21,15-19.
Depois de terem comido, Jesus perguntou a Simão Pedro: «Simão, filho de
João, tu amas-me mais do que estes?» Pedro respondeu: «Sim, Senhor, Tu
sabes que eu sou deveras teu amigo.» Jesus disse-lhe: «Apascenta os meus
cordeiros.»
Voltou a perguntar-lhe uma segunda vez: «Simão, filho de João, tu amas-me?»
Ele respondeu: «Sim, Senhor, Tu sabes que eu sou deveras teu amigo.» Jesus
disse-lhe: «Apascenta as minhas ovelhas.»
E perguntou-lhe, pela terceira vez: «Simão, filho de João, tu és deveras
meu amigo?» Pedro ficou triste por Jesus lhe ter perguntado, à terceira
vez: 'Tu és deveras meu amigo?' Mas respondeu-lhe: «Senhor, Tu sabes tudo;
Tu bem sabes que eu sou deveras teu amigo!» E Jesus disse-lhe: «Apascenta
as minhas ovelhas.
Em verdade, em verdade te digo: quando eras mais novo, tu mesmo atavas o
cinto e ias para onde querias; mas, quando fores velho, estenderás as mãos
e outro te há-de atar o cinto e levar para onde não queres.»
E disse isto para indicar o género de morte com que ele havia de dar glória
a Deus. Depois destas palavras, acrescentou: «Segue-me!»


Da Bíblia Sagrada



Comentário ao Evangelho do dia feito por

São João Crisóstomo (c. 345-407), presbítero em Antioquia, depois Bispo de Constantinopla, Doutor da Igreja
Homília 88 sobre o Evangelho de João; PG 59, 477 (trad. Orval)

«O bom pastor dá a sua vida pelas ovelhas» (Jo 10, 11)

Aquilo que principalmente atrai a benevolência do alto é a solicitude para
com o próximo. É por isto que Cristo exige esta disposição a Pedro: «Simão,
filho de João, tu amas-Me mais do que estes?» Pedro respondeu: «Sim,
Senhor, Tu sabes que eu sou deveras teu amigo». Jesus disse-lhe: «Apascenta
os Meus cordeiros». Por que foi que, deixando de lado os outros apóstolos,
Jesus se dirigiu a Pedro falando-lhe sobre eles? É que Pedro era o primeiro
entre os apóstolos, o seu porta-voz, o chefe do seu colégio, de tal maneira
que foi a ele, e não aos outros, que Paulo veio um dia consultar (Ga 1,
18). Para mostrar bem a Pedro que devia confiar e que a sua negação estava
esquecida, Jesus dá-lhe agora a primazia entre os seus irmãos. Não menciona
a sua negação e não lhe faz sentir vergonha do passado. «Se Me amas,
diz-lhe, permanece à cabeça dos teus irmãos; e o amor fervoroso que sempre
Me manifestaste com tanta alegria, prova-o agora. A vida que dizias ser
capaz de dar por Mim, dá-a pelas Minhas ovelhas». [...]

Mas Pedro perturba-se pensando que poderia dar a entender que amava muito,
não amando verdadeiramente. Pedro diz, tanto como estava certo de mim no
passado, assim estou agora confundido. Jesus interroga-o três vezes, e três
vezes lhe dá a mesma ordem. Mostra-lhe assim o apreço que dá ao cuidado das
Suas ovelhas, dando-lhe, com efeito, a maior prova de amor para com ele.





Gerir directamente o seu abono (ou a sua subscrição) neste endereço : www.evangelhoquotidiano.org


28 de mai de 2009

Informativo Cléofas - 28/05/2009

Informativo Cléofas, 28 de Maio de 2009 - Ano IV - Número 123

Notícias do Programa Escola da Fé

+ Movimento para vencer a pornografia
+ Aumento do número de sacerdotes no Brasil
+ Filósofo inglês ateu mais influente do mundo aceita a existência de Deus
+ Rio pode ser sede da JMJ 2013
+ Descoberta inscrição hebraica de 3 mil anos em Jerusalém
+ Permitir suicídio assistido "seria um ato perverso", adverte Arcebispo inglês
+ Walesa sustenta que teria renunciado à Presidência antes que legalizar aborto
+ Espanha é o país da UE que mais rápido perde população jovem
+ O Papa sustenta que o mundo digital deve ser um espaço de evangelização



+ leia mais

O programa Escola da Fé, é exibido toda a quinta-feira às 20h30 na TV Canção Nova (Link))


Perguntas e Respostas

+ O transplante de Orgãos é aceito pela Igreja?
+ O que dizer sobre a Opus Dei?
+ O que significa Apocalipse e por que o mesmo é o ultimo livro da biblia?

+ Posso rezar o Terço caminhando ou pela TV?

+ índice


Blog do Prof. Felipe

Sobre o filme “Anjos e Demônios”

O“Anjos e Demônios” é picaretagem pura

Marco Antonio Campos - jornalista

http://portal.rpc.com.br/gazetadopovo/blog/tubodeensaio/?id=885810

Ontem fui ver uma sessão para a imprensa de Anjos e Demônios, baseado no romance de Dan Brown, e que estréia depois de amanhã. Resumindo bem resumido o enredo, uma sociedade secreta se aproveita das pesquisas do Grande Colisor de Hádrons (o famoso LHC, a “máquina do fim do mundo”) e elabora um plano para explodir o Vaticano exatamente durante o conclave que elegerá o sucessor de um Papa morto recentemente. O especialista em símbolos Robert Langdon é chamado pelo Vaticano para ajudar a desvendar a conspiração. Como suspense, é até melhorzinho que O Cdigo Da Vinci, mas a avaliação artística eu deixo para o roteiro do Caderno G, que sai na sexta, e para meu colega Paulo Camargo, da Central de Cinema. Também não vou comentar os erros factuais grotescos, especialmente os relativos ao conclave. Nosso negócio aqui é ciência e religião, e nisso o filme é picaretagem pura.

Uma idéia de fundo observada durante todo o longa (exceto em um discursinho conciliador no desfecho) é a oposição entre Igreja e ciência; mais ainda, a perseguição aos cientistas promovida pela Igreja. Essa perseguição estaria na origem dos Illuminati (a tal sociedade secreta), e o roteiro coloca essa idéia até mesmo na boca de personagens pertencentes ao clero. Ainda entrou no filme uma cena completamente idiota (e que não tem influência alguma no enredo) em que militantes a favor da pesquisa com embriões enfrentam os católicos que aguardam a eleição do Papa, tudo em plena Praça de São Pedro. Como não podia deixar de ser, ninguém se preocupa em esclarecer que a Igreja se opõe apenas ao uso de células-tronco embrionárias, enquanto encoraja a pesquisa com células-tronco adultas.

 

Segundo o filme, Galileu e Bernini eram membros da sociedade. Bom, mas o próprio site de Dan Brown afirma, como fato real, que os Illuminati foram fundados em 1776 e dissolvidos poucos anos depois. Então, como raios Galileu (que morreu em 1642) e Bernini (que morreu em 1680) poderiam ter feito parte dos Illuminati?...(...)

leia mais


Livro da Semana

Não vos Conformeis com este Mundo

NUNCA FOI TÃO DIFÍCIL como hoje defender Cristo, o Evangelho e a Sua Santa Igreja, pois o chamado “politicamente correto” é exatamente uma vivência de valores anticristãos (aprovação de casamentos gays, aborto, pílula abortiva do dia seguinte, eutanásia, bebê de proveta, manipulação genética de embriões, “produção independente” de filhos sem casamento, etc.). Campeia a imoralidade no meio de nós; o pecado é chamado de virtude e o vício é legalizado como um bem.

COMO UM ROLO COMPRESSOR movido pela mídia, os falsos valores vão invadindo os nossos lares e escolas, criando uma cultura neo-pagã e anti-cristã, deformando a educação das crianças e dos jovens. É preciso com coragem combater tudo isto por amor a Deus e ao homem. Este é o drama que você vai ver se desenrolar neste livro.


Ficha Técnica
ISBN: 978-85-88158-30-6
Ano: 2007
Edição: 2
Número de páginas: 232
Idioma: Português BR
Acabamento: Brochura
Formato: 14×21 cm


+ comprar


* Caso não deseje mais receber a newsletter, entre em contato e escolha o assunto "Newsletter - REMOVER"
** Veja nossas regras para a newsletter aqui.
Lançamento



Jesus Sinal de Contradição

14x21 cm - 264 páginas


Shopping Cléofas



O que são as Indulgências?

14x21 cm - 120 páginas



Sofrendo na Fé

14x21 cm - 200 páginas.



© 2009 - Editora Cléofas

Liturgia Diária!!!

Quinta-feira, dia 28 de Maio de 2009
Quinta-feira da 7ª semana da Páscoa

Santa Maria Ana de Paredes, virgem, +1645



Comentário ao Evangelho do dia feito por
Guigues o Cartuxo : «Quero que, onde Eu estiver, estejam também Comigo»

Leituras

Actos 22,30.23,6-11.
No dia seguinte, querendo averiguar com imparcialidade do que era acusado
pelos judeus, fê-lo desalgemar, convocou os sumos sacerdotes e todo o
Sinédrio e mandou buscar Paulo, fazendo-o comparecer diante deles.
Sabendo que havia dois partidos no Sinédrio, o dos saduceus e o dos
fariseus, Paulo bradou diante deles: «Irmãos, eu sou fariseu, filho de
fariseus, e é pela nossa esperança, a ressurreição dos mortos, que estou a
ser julgado.»
Estas palavras desencadearam um conflito entre fariseus e saduceus e a
assembleia dividiu-se,
porque os saduceus negam a ressurreição, assim como a existência dos anjos
e dos espíritos, enquanto os fariseus ensinam publicamente o contrário.
Estabeleceu-se enorme gritaria, e alguns escribas do partido dos fariseus
ergueram-se e começaram a protestar com energia, dizendo: «Não encontramos
nada de mau neste homem. E se um espírito lhe tivesse falado ou mesmo um
anjo?»
A discussão redobrou de violência, a tal ponto que o tribuno, receando que
Paulo fosse despedaçado por eles, mandou descer a tropa para o arrancar das
mãos deles e reconduzi-lo à fortaleza.
Na noite seguinte, o Senhor apresentou-se diante dele e disse-lhe:
«Coragem! Assim como deste testemunho de mim em Jerusalém, assim é
necessário que o dês também em Roma.»


Salmos 16(15),1-2.5.7-8.9-10.11.
Defende me, ó Deus, porque em ti me refugio.
Digo ao SENHOR: "Tu és o meu Deus, és o meu bem e nada existe acima de ti."
SENHOR, minha herança e meu cálice, a minha sorte está nas tuas mãos.
Bendirei o SENHOR porque Ele me aconselha; até durante a noite a minha
consciência me adverte.
Tenho sempre o SENHOR diante dos meus olhos; com Ele a meu lado, jamais
vacilarei.
Por isso, o meu coração se alegra e a minha alma exulta e o meu corpo
repousará em segurança.
Pois Tu não me entregarás à morada dos mortos, nem deixarás o teu fiel
conhecer a sepultura.
Hás-de ensinar me o caminho da vida, saciar me de alegria na tua presença,
e de delícias eternas, à tua direita.


João 17,20-26.
Não rogo só por eles, mas também por aqueles que hão-de crer em mim, por
meio da sua palavra,
para que todos sejam um só, como Tu, Pai, estás em mim e Eu em ti; para que
assim eles estejam em Nós e o mundo creia que Tu me enviaste.
Eu dei-lhes a glória que Tu me deste, de modo que sejam um, como Nós somos
Um.
Eu neles e Tu em mim, para que eles cheguem à perfeição da unidade e assim
o mundo reconheça que Tu me enviaste e que os amaste a eles como a mim.
Pai, quero que onde Eu estiver estejam também comigo aqueles que Tu me
confiaste, para que contemplem a minha glória, a glória que me deste, por
me teres amado antes da criação do mundo.
Pai justo, o mundo não te conheceu, mas Eu conheci-te e estes reconheceram
que Tu me enviaste.
Eu dei-lhes a conhecer quem Tu és e continuarei a dar-te a conhecer, a fim
de que o amor que me tiveste esteja neles e Eu esteja neles também.»


Da Bíblia Sagrada



Comentário ao Evangelho do dia feito por

Guigues o Cartuxo (? - 1188), prior da Grande Cartuxa
Meditação 10 (trad. SC 163, p. 187)

«Quero que, onde Eu estiver, estejam também Comigo»

É necessário seguir Cristo, é necessário aderir a Ele, não O devemos
abandonar até à morte. Como dizia Eliseu ao seu mestre: «Pelo Deus vivo e
pela tua vida, juro que não te deixarei» (2R 2, 2). [...] Então, sigamos
Cristo e unamo-nos a Ele! «A felicidade é estar perto de Deus» diz o
salmista (72, 28). «A minha alma está unida a Ti, a Tua mão direita me
sustenta» (Sl 62, 9). E São Paulo acrescenta: «Quem se une ao Senhor, forma
com Ele um só espírito» (1Cor 6, 17). Não apenas um só corpo, mas também um
só espírito. Do espírito de Cristo, todo o Seu corpo vive; pelo corpo de
Cristo, chegamos ao espírito de Cristo. Por conseguinte, permanece pela fé
no corpo Cristo e um dia serás um só espírito com Ele. Pela fé, estás desde
já unido ao Seu corpo; pela visão, também serás unido ao Seu espírito. Não
é que no alto vejamos sem o corpo, mas os nossos corpos serão espirituais
(1Cor 15, 44).

«Para que todos sejam um só, como Tu, Pai, estás em Mim e Eu em Ti; para
que assim eles estejam em Nós e o mundo creia»: eis a união pela fé. E mais
adiante pede: «que eles cheguem à perfeição da unidade e assim o mundo
reconheça»: eis a união pela visão.

Eis o modo de nos alimentarmos espiritualmente do corpo de Cristo: ter
n'Ele uma fé pura, procurar sempre, através da meditação assídua, o
conteúdo desta fé, encontrar o que procuramos pela inteligência, amar
ardentemente o objecto da nossa descoberta, imitar na medida do possível
Aquele que amamos; e, imitando-O, aderir a Ele constantemente para
chegarmos à união eterna.





Gerir directamente o seu abono (ou a sua subscrição) neste endereço : www.evangelhoquotidiano.org


27 de mai de 2009

Liturgia Diária!!!

Quarta-feira, dia 27 de Maio de 2009
Quarta-feira da 7ª semana da Páscoa

Santo Agostinho de Cantuária, bispo, +605



Comentário ao Evangelho do dia feito por
S. Cirilo de Alexandria : «Para serem um só, como Nós somos»

Leituras

Actos 20,28-38.
Tomai cuidado convosco e com todo o rebanho, de que o Espírito Santo vos
constituiu administradores para apascentardes a Igreja de Deus, adquirida
por Ele com o seu próprio sangue.
Sei que, depois de eu partir, se hão-de introduzir entre vós lobos temíveis
que não pouparão o rebanho
e que, mesmo no meio de vós, se hão-de erguer homens de palavras perversas
para arrastarem discípulos atrás de si.
Estai, pois, vigilantes e recordai-vos de que, durante três anos, de noite
e de dia, não cessei de exortar, com lágrimas, cada um de vós.
E agora, confio-vos a Deus e à palavra da sua graça, que tem o poder de
construir o edifício e de vos conceder parte na herança com todos os
santificados.
Jamais cobicei prata, nem ouro, nem o vestuário de alguém.
E bem sabeis que foram estas mãos que proveram às minhas necessidades e às
dos meus companheiros.
Em tudo vos demonstrei que deveis trabalhar assim, para socorrerdes os
fracos, recordando-vos das palavras que o próprio Senhor Jesus disse: 'A
felicidade está mais em dar do que em receber.'»
Depois destas palavras, ajoelhou-se com todos eles e orou.
Todos romperam em pranto e, lançando-se ao pescoço de Paulo, começaram a
abraçá-lo,
consternados, sobretudo, com as palavras que lhes dissera: que não veriam
mais o seu rosto. Em seguida, acompanharam-no ao barco.


Salmos 68(67),29-30.33-34.35-36.
Ó Deus, mostra o teu poder, aquele poder com que intervieste em nosso
favor.
No teu santuário, em Jerusalém, os reis virão oferecer te presentes.
Louvai a Deus, reinos da terra, cantai hinos ao Senhor!
Ele avança pelos céus eternos e faz ouvir a sua voz, que é poderosa.
Reconhecei o poder de Deus! A sua majestade resplandece sobre Israel; o seu
poder alcança a vastidão das nuvens.
Deus é temível no seu santuário, o Deus de Israel dá força e poder ao seu
povo. Bendito seja Deus!


João 17,11-19.
Doravante já não estou no mundo, mas eles estão no mundo, e Eu vou para ti.
Pai santo, Tu que a mim te deste, guarda-os em ti, para serem um só, como
Nós somos!
Enquanto estava com eles, Eu guardava-os em ti, em ti que a mim te deste.
Guardei-os e nenhum deles se perdeu, a não ser o homem da perdição,
cumprindo-se desse modo a Escritura.
Mas agora vou para ti e, ainda no mundo, digo isto para que eles tenham em
si a plenitude da minha alegria.
Entreguei-lhes a tua palavra, e o mundo odiou-os, porque eles não são do
mundo, como também Eu não sou do mundo.
Não te peço que os retires do mundo, mas que os livres do Maligno.
De facto, eles não são do mundo, como também Eu não sou do mundo.
Faz que eles sejam teus inteiramente, por meio da Verdade; a Verdade é a
tua palavra.
Assim como Tu me enviaste ao mundo, também Eu os enviei ao mundo,
e por eles totalmente me entrego, para que também eles fiquem a ser teus
inteiramente, por meio da Verdade.


Da Bíblia Sagrada



Comentário ao Evangelho do dia feito por

S. Cirilo de Alexandria (380-444), bispo e Doutor da Igreja
Comentário ao evangelho de João, 17, 11; PG 74, 558 (trad. Jean expliqué, DDB 1985, p. 134)

«Para serem um só, como Nós somos»

Quando Jesus Se tornou semelhante a nós, quer dizer, Se fez homem, o
Espírito ungiu-O e consagrou-O, embora Ele seja Deus por natureza. [...]
Ele mesmo santifica o Seu próprio corpo, e tudo o que na criação é digno de
ser santificado. O mistério que se passou em Cristo é o princípio e o
itinerário da nossa participação no Espírito.

Para nos unir também a nós, para nos fundir na unidade com Deus e entre
nós, ainda que separados pela diferença das nossas individualidades, das
nossas almas e dos nossos corpos, o Filho Único inventou e preparou um meio
de nos agregar, graças à sabedoria que é a Sua e segundo o conselho de Seu
Pai. Por um só corpo, o Seu próprio corpo, Ele abençoou os que crêem Nele,
numa comunhão mística fez um só corpo com Ele e entre eles.

Por conseguinte, quem poderá separar, quem poderá privar da sua união
física os que, por esse corpo sagrado e só por ele, são unidos na unidade
de Cristo? Se partilhamos do mesmo pão, formamos todos um só corpo (1Cor
10, 17). Porque Cristo não pode ser repartido. É por isso que também a
Igreja é chamada corpo de Cristo, e nós, os seus membros, segundo a
doutrina de S. Paulo (Ef 5, 30). Todos unidos no único Cristo pelo Seu
santo corpo, recebemo-Lo, único e indivisível, no nosso próprio corpo.
Devemos considerar que os nossos próprios corpos já não nos pertencem.





Gerir directamente o seu abono (ou a sua subscrição) neste endereço : www.evangelhoquotidiano.org


26 de mai de 2009

“Anjos e Demônios” é picaretagem pura


Marco Antonio Campos - jornalista

http://portal.rpc.com.br/gazetadopovo/blog/tubodeensaio/?id=885810

Ontem fui ver uma sessão para a imprensa de Anjos e Demônios, baseado no romance de Dan Brown, e que estréia depois de amanhã. Resumindo bem resumido o enredo, uma sociedade secreta se aproveita das pesquisas do Grande Colisor de Hádrons (o famoso LHC, a “máquina do fim do mundo”) e elabora um plano para explodir o Vaticano exatamente durante o conclave que elegerá o sucessor de um Papa morto recentemente. O especialista em símbolos Robert Langdon é chamado pelo Vaticano para ajudar a desvendar a conspiração. Como suspense, é até melhorzinho que O Cdigo Da Vinci, mas a avaliação artística eu deixo para o roteiro do Caderno G, que sai na sexta, e para meu colega Paulo Camargo, da Central de Cinema. Também não vou comentar os erros factuais grotescos, especialmente os relativos ao conclave. Nosso negócio aqui é ciência e religião, e nisso o filme é picaretagem pura.

Uma idéia de fundo observada durante todo o longa (exceto em um discursinho conciliador no desfecho) é a oposição entre Igreja e ciência; mais ainda, a perseguição aos cientistas promovida pela Igreja. Essa perseguição estaria na origem dos Illuminati (a tal sociedade secreta), e o roteiro coloca essa idéia até mesmo na boca de personagens pertencentes ao clero. Ainda entrou no filme uma cena completamente idiota (e que não tem influência alguma no enredo) em que militantes a favor da pesquisa com embriões enfrentam os católicos que aguardam a eleição do Papa, tudo em plena Praça de São Pedro. Como não podia deixar de ser, ninguém se preocupa em esclarecer que a Igreja se opõe apenas ao uso de células-tronco embrionárias, enquanto encoraja a pesquisa com células-tronco adultas.

Segundo o filme, Galileu e Bernini eram membros da sociedade. Bom, mas o próprio site de Dan Brown afirma, como fato real, que os Illuminati foram fundados em 1776 e dissolvidos poucos anos depois. Então, como raios Galileu (que morreu em 1642) e Bernini (que morreu em 1680) poderiam ter feito parte dos Illuminati? Mas dá pra entender a tentação de incluir Galileu no rolo: costuma-se pintar o astrônomo e matemático como uma espécie de “mártir” da ciência, imolado por um bando de religiosos retrógrados (você pode clicar aqui para conhecer melhor alguns detalhes sobre os problemas de Galileu com a Inquisição). Dan Brown inclusive inventa uma “última obra” de Galileu chamada Diagramma Veritatis. Ora, basta consultar qualquer site de referência sobre Galileu para saber que seu livro final foi Discursos e demonstrações matemáticas sobre duas novas ciências.

O livro chega a ser ainda mais explícito na tentativa de criar oposição entre religião (especialmente a Igreja Católica) e ciência. Em um trecho aparecem cartazes, trazidos por religiosos, dizendo “cientista = satanista”. Brown ainda alega que Nicolau Copérnico foi “assassinado” (na verdade ele morreu em sua cama, de ataque cardíaco), e que os católicos consideravam inadequado dar tratamento médico a pessoas jovens.

“O êxtase de santa Teresa”, de Bernini, tem papel importante na trama. Diz o livro que o papa Urbano VIII (1623-1644) achou a estátua praticamente pornográfica e, em vez de colocá-la no Vaticano, mandou-a para uma capela obscura numa igreja distante. Na verdade, Urbano VIII morreu 8 anos antes de a estátua ficar pronta, e a obra foi encomendada pelo cardeal Cornaro especificamente para a mesmíssima capela onde está hoje. Mas nem isso parece ter incomodado Dan Brown.

Caso alguém queira um antídoto contra a série de mentiras que Brown tenta fazer passar como fatos, recomendo as obras de Thomas Woods Jr. (especialmente o capítulo “A Igreja e a ciência” de Como a Igreja Católica construiu a civilização ocidental) e Rodney Stark, para quem a ciência floresceu na Europa especificamente graças ao catolicismo.

Meu maior problema com livros e filmes do tipo Anjos e Demônios é que, ao misturar ficção e realidade, a tendência é que tudo seja absorvido pelo público como realidade. Não é como os livros do Jô Soares, que são comédias usando personagens históricos. Dan Brown se pretende sério; coloca “listas de fatos” no começo de seus livros. A pessoa vai ao cinema ver Anjos e Demônios e sai realmente achando que Galileu e Bernini eram Illuminati, que Copérnico morreu assassinado, que a Igreja atrapalha a ciência, que Pio IX era um maníaco que atravessava o Vaticano de martelo na mão, que a Igreja “marcou” quatro Illuminati (Langdon reprova o chefe da Guarda Suíça, perguntando se os católicos não lêem sua própria história. Bom, nós lemos; é que La purga não é história, é invenção de Dan Brown), que os cientistas querem refazer o momento da criação, que Galileu escreveu o tal Diagramma e por aí vai. Isso é um desserviço considerável à verdade histórica, e também à ciência.

Como curiosidade, a Organização Européia de Pesquisas Nucleares (CERN) criou um site apenas para esclarecer as pessoas sobre o que é real e o que é ficção (mas passa como verdade) sobre antimatéria, bombas devastadoras, “partículas de Deus” e outras coisinhas de Anjos e Demônios. Lá, por exemplo, você vai descobrir que não é possível criar uma bomba como a dos Illuminati. “Ah, mas aí não vai ter livro nem filme”, alguém pode dizer. Fico pensando aqui comigo, talvez tivesse sido melhor assim…

Viver de Amor...



Por Matheus Silva de Paula


"Em verdade vos declaro: ninguém há que tenha abandonado, por amor do Reino de Deus, sua casa, sua mulher, seus irmãos, seus pais ou seus filhos, que não receba muito mais neste mundo e no mundo vindouro a vida eterna." (Lc 18,29-30).

"Como o Pai me ama, assim também eu vos amo. Perseverai no meu amor." (Jo 15,9).

Viver de amor é exercitar a fé. Quando a alma se sente inválida por que não se doa, ela arde até se entregar totalmente a Deus e aos irmãos. Esta sensibilidade mostra que a alma está na direção certa, pois se sofre pelo verdadeiro amor, seu fim não será outro senão o encontro com o Pai, o maior dos desejos da alma. Ela busca então, de todas as formas, perseverar na vida reta, na fé e no amor, a fim de que queira, nesta vida, o Reino de Deus e a sua justiça (cf. Mt 6,33), e não os bens materiais, prazeres carnais ou glórias. Uma alma que vive de amor consegue não mais se preocupar com as coisas deste mundo: ela espera e aguarda a ação de Deus. Ela se doa sem medida, sem esperar salário; apenas confia em seu Senhor. Esta confiança é o que rege o seu caminhar.


É custoso para o homem ser simples; a carne exige o brilho, o prazer, a glória. A alma, no entanto, necessita esquecer a si mesma, e buscar apenas a vontade de Deus. O que a carne deseja é, na verdade, um veneno para a alma, mesmo quando esta já esteja imensamente enegrecida pela mancha do pecado. Tal condição, no entanto, não impossibilita a ação do Espírito Santo, basta que esta alma deseje verdadeiramente voltar ao primeiro amor. Deus jamais lhe negaria a reconciliação. Jesus perdoou todos os pecados da mulher pecadora que lhe ungiu os pés na casa de um fariseu por que ela demonstrou muito amor (cf. Lc 7,47). Assim também a misericórdia de Cristo se estende a todos os que demonstram este amor; necessário é, no entanto, que nos aproximemos do Salvador, que banhemos seus pés com beijos, lágrimas e perfume. E como fazer tais coisas? "Assim, pois, qualquer um de vós que não renuncia a tudo o que possui não pode ser meu discípulo." (Lc 14,33).

É na renúncia que encontramos os meios de nos aproximarmos do Senhor Jesus, e, tal como aquela mulher, termos nossa vida transformada pela misericórdia inenarrável do Cordeiro de Deus. É também através da doação e do serviço que recebemos a enorme graça de ajudarmos ao próprio Jesus, através do próximo: "...Em verdade eu vos declaro: todas as vezes que fizestes isto a um destes meus irmãos mais pequeninos, foi a mim mesmo que o fizestes." (Lc 25,40).

Em meio às provações, aos desertos da vida, vamos nos afastando gradualmente do amor de Deus, à medida que não lutamos para trilhar a santidade nestas situações. Parece mais prático parar de remar contra a maré, e deixarmo-nos levar por ela. Deus, é claro, nunca desampara seus filhos. Não interfere, porém, em suas escolhas: o homem é livre. Ele recebe, porém, conforme sua escolha. Se o homem opta por Cristo, deve viver conforme Cristo deseja que seus discípulos vivam, a fim de que, cada um a seu tempo, receba sua recompensa. Façamos aqui apenas a vontade de Deus; vivamos de amor. "Como o Pai me ama, assim também eu vos amo. Perseverai no meu amor. Se guardardes os meus mandamentos, sereis constantes no meu amor, como também eu guardei os mandamentos de meu Pai e persisto no seu amor." (Jo 15,9-10).

Viver perseverando neste amor é banhar-se no Preciosíssimo Sangue de Cristo derramado na cruz para que nós, pecadores imundos, fôssemos lavados pela salvação e graça. É querer seguir este Cristo, passo a passo no caminho do Calvário, olvidando a nós mesmos, deixando de lado nossas dores, como Jesus que não lamentou o peso da Cruz, mas consolou e alertou as mulheres que por Ele choravam... "Filhas de Jerusalém, não choreis sobre mim, mas chorai sobre vós mesmas e sobre vossos filhos." (Lc 23,28).

Todas as formas de trilhar o caminho da santidade se centram na imitação do Salvador, do Esposo Adorado. A busca da santidade é a busca da perfeição, perdida pelo pecado de Adão e Eva, e recuperado pelo Sim de Maria, e pelo cumprimento da missão do Verbo Encarnado, Jesus. A alma deve se fazer pequena, para atingir a humildade de Cristo, e tal como Ele, viver uma vida de serviço (cf. Jo 13,14), obediência (cf. Mt 26,42) e renúncia (cf. Mt 16,24), e assim, viver do Verdadeiro Amor.



© Copyright Sociedade Católica


__________
Para citar:

PAULA, Matheus Silva de
. Apostolado Sociedade Católica: Viver de Amor. Disponível em: http://www.sociedadecatolica.com.br/modules/smartsection/item.php?itemid=483 Desde 07/05/2009

Liturgia Diária!!!

Terça-feira, dia 26 de Maio de 2009
Terça-feira da 7ª semana da Páscoa

S. Filipe Néri, presbítero,fundador, +1595



Comentário ao Evangelho do dia feito por
Papa Bento XVI : «Segundo o poder que Lhe deste sobre toda a Humanidade, a fim de Ele que dê a vida eterna a todos os que Lhe entregaste.»

Leituras

Actos 20,17-27.
De Mileto, Paulo mandou chamar os anciãos da igreja de Éfeso.
Quando chegaram junto dele, disse-lhes: «Sabeis como, desde o primeiro dia
em que cheguei à Ásia, procedi sempre convosco.
Tenho servido o Senhor com toda a humildade e com lágrimas, no meio das
provações, que as ciladas dos judeus me acarretaram.
Jamais recuei perante qualquer coisa que vos pudesse ser útil. Preguei e
instruí-vos, tanto publicamente como nas vossas casas,
afirmando a judeus e gregos a necessidade de se converterem a Deus e de
acreditarem em Nosso Senhor Jesus.
E agora, obedecendo ao Espírito, vou a Jerusalém, sem saber o que lá me
espera;
só sei que, de cidade em cidade, o Espírito Santo me avisa de que me
aguardam cadeias e tribulações.
Mas, a meus olhos, a vida não tem valor algum; basta-me poder concluir a
minha carreira e cumprir a missão que recebi do Senhor Jesus, dando
testemunho do Evangelho da graça de Deus.
Agora sei que não vereis mais o meu rosto, todos vós, no meio de quem
passei, proclamando o Reino.
Por isso, tomo-vos hoje por testemunhas de que estou limpo do sangue de
todos,
pois jamais recuei, quando era preciso anunciar-vos todos os desígnios de
Deus.


Salmos 68(67),10-11.20-21.
Fizeste cair, ó Deus, a chuva com abundância; restauraste as forças à tua
herança extenuada.
O teu povo ficou restabelecido, e Tu, ó Deus, reconfortaste o pobre com a
tua bondade.
Bendito seja o Senhor, dia após dia; Ele cuida de nós; Ele é o Deus da
nossa salvação.
Ele é o nosso Deus, é um Deus que salva. Na verdade, o SENHOR Deus é aquele
que nos livra da morte!


João 17,1-11.
Assim falou Jesus. Depois, levantando os olhos ao céu, exclamou: «Pai,
chegou a hora! Manifesta a glória do teu Filho, de modo que o Filho
manifeste a tua glória,
segundo o poder que lhe deste sobre toda a Humanidade, a fim de que dê a
vida eterna a todos os que lhe entregaste.
Esta é a vida eterna: que te conheçam a ti, único Deus verdadeiro, e a
Jesus Cristo, a quem Tu enviaste.
Eu manifestei a tua glória na Terra, levando a cabo a obra que me deste a
realizar.
E agora Tu, ó Pai, manifesta a minha glória junto de ti, aquela glória que
Eu tinha junto de ti, antes de o mundo existir.
Dei-te a conhecer aos homens que, do meio do mundo, me deste. Eles eram
teus e Tu mos entregaste e têm guardado a tua palavra.
Agora ficaram a saber que tudo quanto me deste vem de ti,
pois as palavras que me transmitiste Eu lhas tenho transmitido. Eles
receberam-nas e reconheceram verdadeiramente que Eu vim de ti, e creram que
Tu me enviaste.
É por eles que Eu rogo. Não rogo pelo mundo, mas por aqueles que me
confiaste, porque são teus.
Tudo o que é meu é teu e o que é teu é meu; e neles se manifesta a minha
glória.
Doravante já não estou no mundo, mas eles estão no mundo, e Eu vou para ti.
Pai santo, Tu que a mim te deste, guarda-os em ti, para serem um só, como
Nós somos!


Da Bíblia Sagrada



Comentário ao Evangelho do dia feito por

Papa Bento XVI
Encíclica «Spe Salvi» §§ 41, 43

«Segundo o poder que Lhe deste sobre toda a Humanidade, a fim de Ele que dê a vida eterna a todos os que Lhe entregaste.»

No grande Credo da Igreja, a parte central – que trata do mistério de
Cristo a partir da Sua geração eterna no Pai e do Seu nascimento temporal
da Virgem Maria, passando pela cruz e pela ressurreição até ao Seu regresso
–, conclui com as palavras: «de novo há-de vir em Sua glória, para julgar
os vivos e os mortos». Já desde os primeiros tempos, a perspectiva do Juízo
influenciou os cristãos até na sua própria vida quotidiana, enquanto
critério segundo o qual deviam ordenar a vida presente, enquanto apelo à
sua consciência e, ao mesmo tempo, enquanto esperança na justiça de Deus. A
fé em Cristo nunca se limitou a olhar só para trás nem só para o alto, mas
olhou sempre também para a frente, para a hora da justiça que o Senhor
repetidas vezes preanunciara. [...]

N'Ele, o Crucificado, a negação das falsas imagens de Deus é levada ao
extremo. Agora, Deus revela a Sua Face precisamente na figura do servo
sofredor que partilha a condição do homem abandonado por Deus, tomando-a
sobre Si. Este sofredor inocente tornou-Se esperança-certeza: Deus existe,
e Deus sabe criar a justiça de um modo que nós não somos capazes de
conceber mas que, pela fé, podemos intuir. Sim, existe a ressurreição da
carne. Existe uma justiça. Existe a «revogação» do sofrimento passado, a
reparação que restabelece o direito.

Por isso, a fé no Juízo final é, primariamente e sobretudo, esperança –
aquela esperança cuja necessidade se tornou evidente justamente nas
convulsões dos últimos séculos. Estou convencido de que a questão da
justiça constitui o argumento essencial – em todo o caso, o argumento mais
forte – a favor da fé na vida eterna. A necessidade meramente individual de
uma satisfação que nos é negada nesta vida, da imortalidade do amor que
anelamos, é certamente um motivo importante para crer que o homem está
feito para a eternidade; mas só em conexão com a impossibilidade de a
injustiça da história ser a última palavra se torna plenamente convincente
a necessidade do retorno de Cristo e da nova vida.





Gerir directamente o seu abono (ou a sua subscrição) neste endereço : www.evangelhoquotidiano.org


25 de mai de 2009

Coragem de católicos indignados espanta jornal francês que publicou blasfêmia anticristã

Quando o maior jornal francês “Le Monde” publicou uma caricatura blasfema ridicularizando Nosso Senhor Jesus Cristo e o Papa, a Sociedade Americana para a Defesa da Tradição Família e Propriedade (TFP) pediu aos seus amigos e simpatizantes ao redor do mundo todo para protestar.

O jornal esquerdista não esperava pela avalanche de protestos que se seguiram. “A palavra clamor é fraca. Esta foi uma verdadeira tempestade, ou melhor, um furacão, um tsunami de protestos exigindo que o jornal se retrate”, comenta a repórter do jornal, Véronique Maurus.

O ataque do “Le Monde” foi uma das muitas, em resposta a uma declaração do Papa Bento XVI durante sua visita a Camarões, onde Sua Santidade reafirmou o ensino sobre castidade e uso de preservativos.

No mesmo dia, os norte-americanos começaram a preparar uma campanha de esforço mundial pedindo a seus amigos e assinantes do blog The America Needs Fatima Blog para enviar mensagens de protesto para o jornal francês.

Fiéis católicos ofendidos pelas caricaturas responderam em tão grande número que em um determinado momento 500 emails de protesto por hora ameaçaram fazer cair o servidor do jornal na internet.

Dia 27 de março, oito dias após a infame caricatura, o Le Monde publicou um artigo de Véronique Maurus sobre a extensão dos protestos.

Reconhecendo a eficácia do protesto, “É sacrilégio!” é o título do artigo que reconhece o impacto da campanha e mostra surpresa pela reação católica. Achando um tanto quanto inesperado encontrar católicos disponíveis para defesa da Fé, ela afirma no seu artigo “Cordeiro de Deus pode morder!”

Os emails de protesto começaram a chegar logo após a publicação. Um fio de água num primeiro momento, logo depois, centenas, em seguida, milhares de e-mails. O ápice foi na festa da Anunciação, 25 de março, quando os emails estavam chegando a uma taxa de “500 por hora.”

Uma reação como esta nunca fora vista antes, ela afirma. O volume de protestos inundaram o servidor do jornal, forçando-os a uma corrida para encontar um servidor auxiliar para lidar com tamanho volume.

O grito era mundial com emails, muitas vezes em Inglês, dos Estados Unidos, Canadá, Austrália, Grã-Bretanha, Irlanda, Alemanha e Espanha.

Leia a seguir algumas amostras de protestos recebidos pelo Jornal Francês publicada por Veronique Maurus em seu artigo:

“Claro que, como católico, não posso cortar cabeças - mas também não posso negar o meu desejo de rasgar o jornal em pedaços” (D. Reuben, e-mail).

“Você não teria feito isso contra os princípios éticos muçulmano. Você escolhe alvos leves porque são Covardes “(Steve Killelea, Sarasota, Flórida).

“Eu rezo para a alma da França, que deu Saint Louis [o rei] para o mundo” (Prémio Doug, Saint Louis, Missouri).

“Você atrairá a ira de Deus” “Vocês não percebem que atrairão a ira de Deus sobre o mundo?” (Rita Reber, Flórida). “

“Acho que o Le Monde se tornou uma criança teimosa que insulta os valores de nossos antepassados “(Paul Miller, Tennessee).

“A França ainda não se recuperou da ignomínia e infâmia da Revolução” (Frank L. Sharkozy, Wisconsin).

“Um dia você vai enfrentar um futuro de eterna escuridão. Que Deus tenha piedade de sua alma”(Deacon Ken Finn, San Diego, Califórnia).

O próprio cartunista que assina como Plantu, nunca recebeu tal reação contrária a qualquer uma de suas obras. No entanto, apesar da evidente ofensa, o documento defende-se afirmando que não querem ofender ninguém na fé religiosa, e afirma também que continuará a publicar caricaturas ofensivas.

O diretor do jornal, Alain Frachon alegou que se deve respeitar a “sagrada liberdade de expressão”.

——-

Fonte: Luz de Cristo x trevas da irracionalidade

Liturgia Diária!!!

Segunda-feira, dia 25 de Maio de 2009
Segunda-feira da 7ª semana da Páscoa

S. Beda, o Venerável, Doutor da Igreja, +735, São Gregório VII, papa, +1085, Santa Maria Madalena de Pazzi, virgem, +1607



Comentário ao Evangelho do dia feito por
São João da Cruz : «No mundo tereis tribulações; mas tende confiança: Eu já venci o mundo!»

Leituras

Actos 19,1-8.
Enquanto Apolo estava em Corinto, Paulo, depois de atravessar as regiões do
interior, chegou a Éfeso. Encontrou alguns discípulos
e perguntou-lhes: «Recebestes o Espírito Santo, quando abraçastes a fé?»
Responderam: «Mas nós nem sequer ouvimos dizer que existe o Espírito
Santo.»
E indagou: «Então, que baptismo recebestes?» Responderam eles: «O baptismo
de João.»
«João disse Paulo ministrou apenas um baptismo de penitência e dizia ao
povo que acreditasse naquele que ia chegar depois dele, isto é, Jesus.»
Quando isto ouviram, baptizaram-se em nome do Senhor Jesus.
E, tendo-lhes Paulo imposto as mãos, o Espírito Santo desceu sobre eles e
começaram a falar línguas e a profetizar.
Eram, ao todo, uns doze homens.
Paulo foi, em seguida, à sinagoga, onde, durante três meses, falou
desassombradamente e argumentava de forma a persuadir os seus ouvintes
sobre o que dizia respeito ao Reino de Deus.


Salmos 68(67),2-3.4-5.6-7.
Levanta se Deus: os seus inimigos dispersam se e fogem diante dele os que o
odeiam.
Como se dissipa o fumo, assim eles se dissipam; como a cera se derrete ao
fogo, assim desfalecem os ímpios diante
Mas os justos alegram se e rejubilam; diante de Deus exultam de alegria.
Louvai a Deus, cantai salmos ao seu nome, abri caminho àquele que cavalga
sobre as nuvens; o seu nome é SENHOR! Ex
Ele é pai dos órfãos e defensor das viúvas, o Deus que habita no seu santo
templo.
Deus prepara uma casa para os desamparados e liberta aqueles que estão
prisioneiros; mas os rebeldes viverão em te


João 16,29-33.
Disseram-lhe os seus discípulos: «Agora, sim, falas claramente e não usas
nenhuma comparação.
Agora vemos que sabes tudo e não precisas de que ninguém te faça perguntas.
Por isso, cremos que saíste de Deus!»
Disse-lhes Jesus: «Agora credes?
Eis que vem a hora e já chegou em que sereis dispersos cada um por seu
lado, e me deixareis só, se bem que Eu não esteja só, porque o Pai está
comigo.
Anunciei-vos estas coisas para que, em mim, tenhais a paz. No mundo, tereis
tribulações; mas, tende confiança: Eu já venci o mundo!»


Da Bíblia Sagrada



Comentário ao Evangelho do dia feito por

São João da Cruz (1542-1591), frade carmelita, Doutor da Igreja
Conselhos e máximas (173-177 in trad. Oeuvres spirituelles, Seuil, 1945, p. 1203)

«No mundo tereis tribulações; mas tende confiança: Eu já venci o mundo!»

Tende atenção em conservar o vosso coração na paz; que nenhum acontecimento
deste mundo o perturbe; pensai que tudo acaba aqui em baixo. Em todos os
acontecimentos, por muito deploráveis que sejam, devemos regozijar-nos em
vez de ficarmos tristes, para não perdermos um bem mais precioso, a paz e a
tranquilidade da alma.

Mesmo que aqui em baixo tudo se desmoronasse e que todos os acontecimentos
nos fossem adversos, seria inútil perturbarmo-nos, pois a perturbação
causar-nos-ia mais danos do que proveito.

Suportar tudo com a mesma disposição e na paz é, não apenas ajudar a alma a
adquirir grandes bens, mas também predispô-la a melhor avaliar as
adversidades em que se encontra e a aplicar-lhes o remédio adequado. O céu
é estável e não está sujeito às mudanças. Do mesmo modo, as almas, por
terem uma natureza celestial, são estáveis; não estão sujeitas a tendências
desordenadas nem a nada desse género; de certo modo, assemelham-se a Deus,
que é imutável.






Gerir directamente o seu abono (ou a sua subscrição) neste endereço : www.evangelhoquotidiano.org


24 de mai de 2009

Liturgia Diária!!!

Domingo, dia 24 de Maio de 2009
Ascensão do Senhor

Ascensão do Senhor (semana III do saltério)
Santa Joana Antida Thouret, virgem, +1826, Nossa Senhora da Estrada, Nossa Senhora Auxiliadora



Comentário ao Evangelho do dia feito por
Cardeal John Henry Newman : «Eles não são deste mundo como Eu não sou deste mundo»

Leituras

Actos 1,1-11.
No meu primeiro livro, ó Teófilo, narrei as obras e os ensinamentos de
Jesus, desde o princípio
até ao dia em que, depois de ter dado, pelo Espírito Santo, as suas
instruções aos Apóstolos que escolhera, foi arrebatado ao Céu.
A eles também apareceu vivo depois da sua paixão e deu-lhes disso numerosas
provas com as suas aparições, durante quarenta dias, e falando-lhes também
a respeito do Reino de Deus.
No decurso de uma refeição que partilhava com eles, ordenou-lhes que não se
afastassem de Jerusalém, mas que esperassem lá o Prometido do Pai, «do qual
disse Ele me ouvistes falar.
João baptizava em água, mas, dentro de pouco tempo, vós sereis baptizados
no Espírito Santo.»
Estavam todos reunidos, quando lhe perguntaram: «Senhor, é agora que vais
restaurar o Reino de Israel?»
Respondeu-lhes: «Não vos compete saber os tempos nem os momentos que o Pai
fixou com a sua autoridade.
Mas ides receber uma força, a do Espírito Santo, que descerá sobre vós, e
sereis minhas testemunhas em Jerusalém, por toda a Judeia e Samaria e até
aos confins do mundo.»
Dito isto, elevou-se à vista deles e uma nuvem subtraiu-o a seus olhos.
E como estavam com os olhos fixos no céu, para onde Jesus se afastava,
surgiram de repente dois homens vestidos de branco,
que lhes disseram: «Homens da Galileia, porque estais assim a olhar para o
céu? Esse Jesus que vos foi arrebatado para o Céu virá da mesma maneira,
como agora o vistes partir para o Céu.»


Salmos 47(46),2-3.6-7.8-9.
Povos todos, batei palmas, aclamai a Deus com brados de alegria,
porque o SENHOR, o Altíssimo, é temível; Ele é o grande rei de toda a
terra.
Deus subiu por entre aclamações, o SENHOR subiu ao som da trombeta.
Cantai a Deus, cantai! Cantai ao nosso rei, cantai!
Pois Deus é o rei de toda a terra, cantai-lhe um poema de louvor!
Deus reina sobre as nações, Deus está sentado no seu trono santo.


Efésios 1,17-23.
Que o Deus de Nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai a quem pertence a glória,
vos dê o Espírito de sabedoria e vo-lo revele, para o conhecerdes;
sejam iluminados os olhos do vosso coração, para saberdes que esperança nos
vem do seu chamamento, que riqueza de glória contém a herança que Ele nos
reserva entre os santos
e como é extraordinariamente grande o seu poder para connosco, os crentes,
de acordo com a eficácia da sua força poderosa,
que eficazmente exerceu em Cristo: ressuscitou-o dos mortos e sentou-o à
sua direita, no alto do Céu,
muito acima de todo o Poder, Principado, Autoridade, Potestade e Dominação
e de qualquer outro nome que seja nomeado, não só neste mundo, mas também
no que há-de vir.
Sim, Ele tudo submeteu a seus pés e deu-o, como cabeça que tudo domina, à
Igreja,
que é o seu Corpo, a plenitude daquele que tudo preenche em todos.


Marcos 16,15-20.
E disse-lhes: «Ide pelo mundo inteiro, proclamai o Evangelho a toda a
criatura.
Quem acreditar e for baptizado será salvo; mas, quem não acreditar será
condenado.
Estes sinais acompanharão aqueles que acreditarem: em meu nome expulsarão
demónios, falarão línguas novas,
apanharão serpentes com as mãos e, se beberem algum veneno mortal, não
sofrerão nenhum mal; hão-de impor as mãos aos doentes e eles ficarão
curados.»
Então, o Senhor Jesus, depois de lhes ter falado, foi arrebatado ao Céu e
sentou-se à direita de Deus.
Eles, partindo, foram pregar por toda a parte; o Senhor cooperava com eles,
confirmando a Palavra com os sinais que a acompanhavam.


Da Bíblia Sagrada



Comentário ao Evangelho do dia feito por

Cardeal John Henry Newman (1801-1890), sacerdote, fundador de comunidade religiosa, teólogo
PPS, vol. 6, n° 15 «Rising with Christ»

«Eles não são deste mundo como Eu não sou deste mundo»

Começai desde já, neste tempo santo de Páscoa, a vossa ressurreição com
Cristo. Vede como Ele vos estende a mão! Ele ressuscita; ressuscitai com
Ele! Saí do túmulo do velho Adão, abandonai as vossas preocupações, as
invejas, as inquietações, as ambições mundanas, a escravatura do hábito, o
tumulto das paixões, os fascínios da carne, o espírito frio, terra a terra
e calculista, a ligeireza, o egoísmo, a preguiça, a vaidade e as manias de
grandeza. Esforçai-vos doravante por fazer o que vos parece difícil mas que
não deveria, e não deve, ser negligenciado: velai, rezai e meditai.
[...]

Mostrai que o vosso coração, as vossas aspirações e toda a vossa vida estão
com o vosso Deus. Reservai em cada dia algum tempo para ir ao Seu encontro.
[...] Não vos peço que abandoneis o mundo nem que abandoneis os vossos
deveres nesta terra, mas sim que retomeis a posse do vosso tempo. Que não
consagreis horas inteiras ao lazer ou à vida em sociedade enquanto apenas
consagrais alguns instantes a Cristo. Que não rezeis unicamente quando
estais cansados e à beira de adormecer; que não vos esqueçais por completo
de O louvar ou de interceder pelo mundo e pela Igreja. Comportai-vos
segundo as palavras da Sagrada Escritura: «Procurai as realidades lá de
cima». Mostrai a vossa pertença a Cristo, pois o vosso coração «ressuscitou
com Ele» e «a vossa vida está oculta n'Ele» (Col 3,1-3).





Gerir directamente o seu abono (ou a sua subscrição) neste endereço : www.evangelhoquotidiano.org


23 de mai de 2009

Liturgia Diária!!!

Sabado, dia 23 de Maio de 2009
Sábado da 6ª semana da Páscoa

São João Batista de Rossi, presbítero, +1764



Comentário ao Evangelho do dia feito por
Santo Anselmo : «Assim, a vossa alegria será completa»

Leituras

Actos 18,23-28.
Depois de aí ter passado algum tempo, voltou a partir e percorreu
sucessivamente a Galácia e a Frígia, fortalecendo todos os discípulos.
Entretanto, chegara a Éfeso um judeu chamado Apolo, natural de Alexandria,
homem eloquente e muito versado nas Escrituras.
Fora instruído na «Via» do Senhor e, com o espírito cheio de fervor,
pregava e ensinava com precisão o que dizia respeito a Jesus, embora só
conhecesse o baptismo de João.
Começou a falar desassombradamente na sinagoga. Priscila e Áquila, que o
tinham ouvido, tomaram-no consigo e expuseram-lhe, com mais precisão, a
«Via» do Senhor.
Como ele queria partir para a Acaia, os irmãos encorajaram-no e escreveram
aos discípulos, para que o recebessem amigavelmente. Quando lá chegou, pela
graça de Deus, prestou grande auxílio aos fiéis;
pois refutava energicamente os judeus, em público, demonstrando pelas
Escrituras que Jesus era o Messias.


Salmos 47(46),2-3.8-9.10.
Povos todos, batei palmas, aclamai a Deus com brados de alegria,
porque o SENHOR, o Altíssimo, é temível; Ele é o grande rei de toda a
terra.
Pois Deus é o rei de toda a terra, cantai-lhe um poema de louvor!
Deus reina sobre as nações, Deus está sentado no seu trono santo.
Reuniram se os príncipes dos povos ao povo do Deus de Abraão. Pois dependem
de Deus os potentados da terra; Ele e


João 16,23-28.
Nesse dia, já não me perguntareis nada. Em verdade, em verdade vos digo: se
pedirdes alguma coisa ao Pai em meu nome, Ele vo-la dará.
Até agora não pedistes nada em meu nome; pedi e recebereis. Assim, a vossa
alegria será completa.»
«Até aqui falei-vos por meio de comparações. Está a chegar a hora em que já
não vos falarei por comparações, mas claramente vos darei a conhecer o que
se refere ao Pai.
Nesse dia, apresentareis em meu nome os vossos pedidos ao Pai, e não vos
digo que rogarei por vós ao Pai,
pois é o próprio Pai que vos ama, porque vós já me tendes amor e já credes
que Eu saí de Deus.
Saí do Pai e vim ao mundo; agora deixo o mundo e vou para o Pai.»


Da Bíblia Sagrada



Comentário ao Evangelho do dia feito por

Santo Anselmo (1033-1109), monge, bispo, Doutor da Igreja
Proslogion, 26  (a partir da trad. Rousseau, Aubier, p.199 / Tournay rev.)

«Assim, a vossa alegria será completa»

Meu Senhor e meu Deus, esperança e alegria do meu coração, diz a esta minha
alma se a alegria em que está é essa de que nos dizes, pelo Teu Filho:
«Pedi e recebereis. Assim, a vossa alegria será completa». Encontrei, com
efeito, uma alegria plena, e mais do que plena, porque o coração, o
espírito, a alma, todo o meu ser, ao estar dela repleto, tê-la-á em
abundância e sem medida. Não é ela que entrará nos que se alegram; mas
serão estes quem, com todo o seu ser, nela entrarão.

Fala, Senhor! Diz a este teu servo, ao mais profundo do seu coração, se o
que sinto é mesmo a alegria em que entrarão todos aqueles que provarão a
própria glória do seu mestre (Mt 25, 21). Mas essa alegria que os teus
servos desfrutarão é algo «que os olhos não viram, os ouvidos não ouviram,
o coração do homem não pressentiu» (1Co 2, 9) [...]. Peço-Te pois, meu
Deus, que me concedas conhecer-Te, amar-Te, para que em Ti eu esteja em
alegria.

E se nesta vida tal não puder plenamente, faz com que eu caminhe sempre até
nela entrar em plenitude, um dia. Que, aqui na Terra, aumente sempre o
conhecimento que tenho de Ti, para que possa chegar à plenitude onde estás.
Que o meu amor por Ti cresça, aqui, para ser total nas alturas. Que agora a
minha alegria seja imensa em esperança, para ser depois total em realidade.
Senhor, através do Teu Filho ordenas-nos que peçamos, e prometes-nos que
receberemos, para que a nossa alegria seja perfeita [...]. Faz aumentar a
minha fome dessa alegria, para que eu nela entre!





Gerir directamente o seu abono (ou a sua subscrição) neste endereço : www.evangelhoquotidiano.org


22 de mai de 2009

Liturgia Diária!!!

Sexta-feira, dia 22 de Maio de 2009
Sexta-feira da 6ª semana da Páscoa

Santa Rita de Cássia, viúva, religiosa, +1457, Beato João Baptista Machado, presbítero, mártir, +1617



Comentário ao Evangelho do dia feito por
Santo Agostinho : «Eu hei-de ver-vos de novo! Então, o vosso coração há-de alegrar-se»

Leituras

Actos 18,9-18.
Certa noite, o Senhor disse a Paulo, numa visão: «Nada temas, continua a
falar e não te cales,
porque Eu estou contigo e ninguém porá as mãos em ti para te fazer mal,
pois tenho um povo numeroso nesta cidade.»
Então, ele ficou lá durante um ano e seis meses, a ensinar-lhes a palavra
de Deus.
Sendo Galião procônsul da Acaia, levantaram-se os judeus, de comum acordo,
contra Paulo e levaram-no ao tribunal.
«Este homem disseram eles induz as pessoas a prestar culto a Deus de uma
forma contrária à Lei.»
Paulo ia abrir a boca, quando Galião disse aos judeus: «Se se tratasse de
uma injustiça ou grave delito, escutaria as vossas queixas, ó judeus, como
é meu dever.
Mas como se trata de um conflito doutrinal sobre palavras e nomes e acerca
de vossa própria Lei, o assunto é convosco. Recuso-me a ser juiz em
semelhante questão.»
E mandou-os sair do tribunal.
Então todos se apoderaram de Sóstenes, o chefe da sinagoga, e puseram-se a
bater-lhe diante do tribunal. E Galião não se importou nada com isso.
Depois de se ter demorado ainda algum tempo em Corinto, Paulo despediu-se
dos irmãos e embarcou para a Síria, com Priscila e Áquila, rapando a cabeça
em Cêncreas, por causa de um voto que tinha feito.


Salmos 47(46),2-3.4-5.6-7.
Povos todos, batei palmas, aclamai a Deus com brados de alegria,
porque o SENHOR, o Altíssimo, é temível; Ele é o grande rei de toda a
terra.
Ele submeteu os povos ao nosso poder, pôs as nações a nossos pés.
Para nós escolheu a nossa herança, a glória de Jacob, seu predilecto.
Deus subiu por entre aclamações, o SENHOR subiu ao som da trombeta.
Cantai a Deus, cantai! Cantai ao nosso rei, cantai!


João 16,20-23.
Em verdade, em verdade vos digo: haveis de chorar e lamentar-vos, ao passo
que o mundo há-de gozar. Vós haveis de estar tristes, mas a vossa tristeza
há-de converter-se em alegria!
A mulher, quando está para dar à luz, sente tristeza, porque chegou a sua
hora; mas, quando deu à luz o menino, já não se lembra da sua aflição, com
a alegria de ter vindo um homem ao mundo.
Também vós vos sentis agora tristes, mas Eu hei-de ver-vos de novo! Então,
o vosso coração há-de alegrar-se e ninguém vos poderá tirar a vossa
alegria.
Nesse dia, já não me perguntareis nada. Em verdade, em verdade vos digo: se
pedirdes alguma coisa ao Pai em meu nome, Ele vo-la dará.


Da Bíblia Sagrada



Comentário ao Evangelho do dia feito por

Santo Agostinho (354-430), Bispo de Hipona, (norte de África) e Doutor da Igreja
Sermões sobre o Evangelho de João, nº 101 (trad. Bouchet, Lectionnaire, p. 199)

«Eu hei-de ver-vos de novo! Então, o vosso coração há-de alegrar-se»

Diz o Senhor: «Dentro em pouco já não Me vereis e pouco depois voltareis a
ver-Me» (Jo 16, 16). Aquilo a que Ele chama pouco é o nosso tempo actual,
acerca do qual o evangelista João declara na sua epístola: «É a última
hora» (1Jo 2, 18). Esta promessa [...] diz respeito a toda a Igreja, como
também esta outra promessa: «E Eu estarei sempre convosco, até ao fim do
mundo» (Mt 28, 20). O Senhor não tardará em cumprir a Sua promessa: dentro
em pouco, vê-Lo-emos e deixaremos de ter súplicas a fazer-Lhe, perguntas a
dirigir-Lhe, porque deixaremos de ter que desejar, de ter que procurar.Este pouco parece-nos muito porque ainda está a decorrer; quando
tiver terminado, perceberemos quão curto foi. Que a nossa alegria seja
portanto diferente da do mundo, sobre a qual está dito: «O mundo há-de
alegrar-se». Ao dar à luz este desejo, não sejamos sem alegria, mas como
diz o apóstolo Paulo: «Sede alegres na esperança, pacientes na tribulação»
(Rom 12, 12). Porque a mulher que se prepara para dar à luz, com a qual no
Senhor nos compara, rejubila muito mais com o filho que vai pôr no mundo do
que se entristece com o sofrimento por que tem de passar.




Gerir directamente o seu abono (ou a sua subscrição) neste endereço : www.evangelhoquotidiano.org



"Despojemo-nos das ações das trevas e vistamos as armas da Luz" Rm 13,12
CEFAS, oriundo do nome de São Pedro apóstolo, significa também um Acróstico: Comunhão para Evangelização, Formação e Anúncio do Senhor. É um humilde projeto de evangelização através da internet, buscando levar formação católica doutrinal e espiritual.