5 de mai de 2009

Como encontrar o amor de sua vida?

Todos, em algum momento, já nos perguntamos como saber se realmente estamos apaixonados e se a pessoa querida é a que mais nos convém. Gostaríamos de ter uma varinha mágica para nos ajudar a saber se quem está diante de nós é nosso príncipe azul ou nossa princesa encantada, segundo for o caso, ou se se trata de outro sapo ou outra rã disfarçada.

Os problemas do amor são muito complicados e é por isso que o melhor conselho que ALMAS pode dar é que esta decisão seja tomada de acordo com Aquele que tem o melhor projeto para sua vida: DEUS. Aconselhamos perguntar a Ele quem é a pessoa indicada para compartilhar tudo o que você é e o que tem. Com certeza, se souber escutá-lo, Ele vai lhe mostrar o que é melhor para você.

No entanto, para você se sentir mais seguro no momento de tomar suas decisões, queremos dar umas dicas que podem ajudá-lo a saber se a decisão que você está tomando é a mais correta.

Passo 1: Elimine as causas mais freqüentes da má seleção do cônjuge:

1) Decisão precipitada de casar, quando ainda não tiver conhecido bem a pessoa escolhida. Isto acontece em namoros (noivados) muito curtos, em que não há possibilidade de conhecer a pessoa.

2) Casar-se jovem demais, quando ainda estiver na adolescência.

3) Não tomar a decisão quando uma ou as duas pessoas tiverem muita pressa para casar.

4) Um, ou os dois, estiverem fazendo a escolha de casar para satisfazer outra pessoa.

5) Um namoro/noivado de pouca experiência. Por falta de comunicação ou porque nunca discutiram e não sabem resolver conflitos.

6) Um, ou os dois, tiverem expectativas irreais sobre o que é o casamento, seja por vê-lo de uma forma demasiado idealizada, ou porque nutrem esperanças de mudar o cônjuge, sobre a forma de ser, sentir, pensar ou agir, quando se casarem.

7) Um, ou os dois, tiverem problemas emocionais que não foram analisados durante o namoro, como ciúmes ou vícios como drogas ou alcoolismo.

Passo 2: Clara imagem mental.

Tenha uma clara imagem mental da pessoa ideal para você. Para isso, é importante fazer uma distinção entre a pessoa de nossos sonhos e a pessoa que eu possa atrair.

«Não se preocupe em encontrar a pessoa indicada, é melhor se ocupar em ser a pessoa apropriada».

Para poder chegar a estar igual à pessoa que você almeja, trabalhe com sua própria pessoa, o que significa maximizar suas virtudes e minimizar seus defeitos.

Passo 3: Escolha alguém como você.

Certamente os opostos se atraem, mas isto não quer dizer que vocês tenham de ser diferentes totalmente, em tudo. Os estudos científicos e estatísticos, realizados em casais que viveram muito tempo juntos, revelam que vivem melhor aqueles que têm mais coisas em comum.

Para isto, é importante fazer um balanço entre semelhanças e diferenças. Quando falamos de semelhanças, nos referimos às coisas vitais ou transcendentais, e não a qualquer coisa. As semelhanças essenciais, como os valores (religião, família, etc.), a capacidade de intimidade emocional com a outra pessoa, os hábitos pessoais como higiene, alimentação, entre outras coisas.

Nisto, deve-se ser flexível, o compromisso do matrimônio permite que haja ajustes em muitas coisas.

Também temos de observar que o casamento é um complemento, sendo aí onde entra o papel das coisas contrárias, às quais deveríamos chamar COMPLEMENTARES.

Passo 4: Que os dois sejam pessoas sadias.

Isto se refere um pouco à maturidade, lembrando que ela não chega com a idade, mas trata-se de alguma coisa que uma pessoa vai construindo em si mesma, desde o nascimento.

Assim, você deve tentar ser uma pessoa “sadia” antes de casar, isto também implica que seja “livre” de seus pais, isto é, você não deve confundir o relacionamento que tem com seus pais com o relacionamento com o cônjuge. Deve respeitar seus pais sempre, mas se considerando – conforme diz o ditado – “farinha de outro saco”, e reconhecer que depois do casamento a pessoa mais importante de sua vida, será seu esposo ou sua esposa, e que este lugar nem sequer seus filhos podem usurpá-lo.

Passo 5: Encontre um amor que você sinta no mais profundo de seu coração, mas procure expressá-lo com cuidado.

Um relacionamento de namoro ou noivado, que está baseado somente na parte emotiva (passional), não permite que se conheçam bem, portanto, é importante que no namoro se converse mais do que se acaricia. A paixão EROS é algo temporâneo, mas positivo; o problema é ficar nisso. O EROS é bom, mas você deve expressá-lo com cuidado, já que esta paixão pode destruir sua vida.

Passo 6: Deixe que esta paixão de amor amadureça, antes de casar.

Deixe que passe a ser um amor maduro, de confiança, ou seja, permita dedicar um tempo a aprender a ser pessoa e parceiro. Um amor de projetos e sonhos de experiências pessoais que seja maior do que a paixão. Também não estamos falando de namoros eternos, de vários anos, em que já não se sabe se é amor ou costume o que sentem um pelo outro. Trata-se de um amor em que realmente se conheçam e estejam conscientes de que nenhum dos dois é perfeito, mas que ambos, se estiverem juntos, poderão ser melhores.

Passo 7: Domine a arte da intimidade.

Conserve os momentos que só vocês dois conhecem. A intimidade é poder ser quem você é diante dessa pessoa. É ser UM com outra pessoa.

Passo 8: Aprendam a lidar com os conflitos.

Não procurem, durante o namoro, evitar que existam problemas, eles são necessários porque só assim um casal pode crescer, portanto, os problemas vividos durante o namoro vão ser, sobretudo, úteis para o casamento. Quando, durante o namoro, aprendo a lidar com os conflitos, o casamento vai ser muito mais fácil.

Passo 9: Não continuem com o namoro e o compromisso se não estiverem prontos para casar-se para toda a vida.

Quando uma pessoa quer casar para toda a vida, simplesmente esta decisão já vai ajudar a não ser adúltero, a não ter amores substitutos, a ser fiéis, a manter o compromisso mesmo em tempos difíceis, e a idéia do casamento para sempre faz que ele seja mais íntimo. Se você não estiver pensando que com seu noivo ou noiva poderá viver toda a vida, o melhor será concluir este relacionamento.

Passo 10: Celebre seu casamento com o apoio da família e dos amigos.

As pessoas que amam você vêem outro ângulo de seu relacionamento e podem ajudá-lo a entender se realmente é boa sua decisão de casar. Isto não quer dizer que não seja sua decisão e que você tenha de submetê-la à opinião pública, mas pode ser um bom ponto de apoio a opinião das pessoas que o conhecem e desejam seu bem.

«Por falta de direção cai um povo; onde há muitos conselheiros, ali haverá salvação» (Provérbios 11, 14).

Deste modo, se houver alguma pessoa que lhe tenha estima verdadeira e que achar pouco adequado seu relacionamento, procure escutá-la e analisar se esta opinião é objetiva e se tem algum ponto importante a ser considerado.

Se você descobrir que seu relacionamento não é sadio, não tenha medo de pedir ajuda profissional, existe o aconselhamento pré-matrimonial que pode ajudar. Todos os casais precisam de apoio.

Por: Rosario Alfaro Martínez

Fonte: http://pt.almas.com.mx/almaspt/artman2/publish/Como_encontrar_o_amor_de_sua_vida.php

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Irmão, deixe uma mensagem!!!


"Despojemo-nos das ações das trevas e vistamos as armas da Luz" Rm 13,12
CEFAS, oriundo do nome de São Pedro apóstolo, significa também um Acróstico: Comunhão para Evangelização, Formação e Anúncio do Senhor. É um humilde projeto de evangelização através da internet, buscando levar formação católica doutrinal e espiritual.