21 de jun de 2009

Liturgia Diária!!!

Domingo, dia 21 de Junho de 2009
12º Domingo do Tempo Comum - Ano B

Décimo Segundo Domingo do Tempo Comum (semana IV do saltério)
S. Luís Gonzaga, religioso, +1591



Comentário ao Evangelho do dia feito por
Catecismo da Igreja Católica : «Quem é este, a quem até o vento e o mar obedecem?»

Leituras

Job 38,1.8-11.
Então, do seio da tempestade, o Senhor respondeu a Job e disse:
Quem pôs diques ao mar, quando, impetuoso, saía do seio materno,
quando Eu lhe dava por manto as nuvens, e o enfaixava com névoas
tenebrosas?
Encerrei-o dentro dos limites que tracei, e pus-lhe portas e ferrolhos,
dizendo: 'Chegarás até aqui; não mais além; aqui se quebrará o orgulho das
tuas ondas.'


Salmos 107(106),23-24.25-26.28-29.30-31.
Os que se fizeram ao mar nos seus navios, para fazer comércio na imensidão
das águas,
esses viram as obras do SENHOR e as suas maravilhas no alto mar.
sua palavra, soprou um vento de tempestade e as ondas levantaram-se;
elevavam-se até aos céus e desciam às profundezas; a sua vida desfalecia
pelo enjoo.
Mas, na sua angústia, clamaram ao SENHOR, e Ele livrou-os das suas
aflições.
Transformou a tempestade em bonança, e as ondas do mar amainaram.
Alegraram-se, ao verem as ondas acalmadas, e Deus conduziu-os ao porto
desejado.
Dêem graças ao SENHOR, pelo seu amor e pelas suas maravilhas em favor dos
homens.


2 Cor. 5,14-17.
Sim, o amor de Cristo nos absorve completamente, ao pensar que um só morreu
por todos e, portanto, todos morreram.
Ele morreu por todos, a fim de que, os que vivem, não vivam mais para si
mesmos, mas para aquele que por eles morreu e ressuscitou.
Por conseguinte, de agora em diante, não conhecemos ninguém à maneira
humana. Ainda que tenhamos conhecido a Cristo desse modo, agora já não o
conhecemos assim.
Por isso, se alguém está em Cristo, é uma nova criação. O que era antigo
passou; eis que surgiram coisas novas.


Marcos 4,35-41.
Naquele dia, ao entardecer, disse: «Passemos para a outra margem.»
Afastando-se da multidão, levaram-no consigo, no barco onde estava; e havia
outras embarcações com Ele.
Desencadeou-se, então, um grande turbilhão de vento, e as ondas
arrojavam-se contra o barco, de forma que este já estava quase cheio de
água.
Jesus, à popa, dormia sobre uma almofada.
Acordaram-no e disseram-lhe: «Mestre, não te importas que pereçamos?» Ele,
despertando, falou imperiosamente ao vento e disse ao mar: «Cala-te,
acalma-te!» O vento serenou e fez-se grande calma.
Depois disse-lhes: «Porque sois tão medrosos? Ainda não tendes fé?»
E sentiram um grande temor e diziam uns aos outros: «Quem é este, a quem
até o vento e o mar obedecem?»


Da Bíblia Sagrada



Comentário ao Evangelho do dia feito por

Catecismo da Igreja Católica
§§280, 288-292

«Quem é este, a quem até o vento e o mar obedecem?»

A criação é o fundamento de «todos os desígnios salvíficos de Deus», «o
princípio da história da salvação» que culmina em Cristo. Por seu turno, o
mistério de Cristo derrama a luz decisiva sobre o mistério da criação;
revela o fim em vista do qual «no princípio, Deus criou o céu e a terra»
(Gn 1,1) ; desde o princípio, Deus tinha em vista a glória da nova criação
em Cristo (Rm 8, 18-23). [...]

A revelação da criação é inseparável da revelação e da realização da
aliança de Deus, o Deus Único, com o seu povo. A criação é revelada como o
primeiro passo para esta Aliança, como o primeiro e universal testemunho do
amor omnipotente de Deus. [...]

«No começo, Deus criou o céu e a terra». [...] «No princípio era o Verbo
[...] e o Verbo era Deus [...]. Tudo se fez por meio d'Ele e, sem Ele, nada
se fez.» (Jo 1, 1-3). O Novo Testamento revela que Deus tudo criou por meio
do Verbo eterno, o seu Filho muito amado. Foi n'Ele «que foram criados
todos os seres que há nos céus e na terra [...]. Tudo foi criado por seu
intermédio e para Ele. Ele é anterior a todas as coisas, e todas se mantêm
por Ele» (Cl 1, 16-17). A fé da Igreja afirma igualmente a acção criadora
do Espírito Santo: Ele é Aquele «que dá a vida», «o Espírito Criador», «a
Fonte de todo o bem».

Insinuada no Antigo Testamento, revelada na Nova Aliança, a acção criadora
do Filho e do Espírito, inseparavelmente unida à do Pai, é claramente
afirmada pela regra de fé da Igreja: «Existe um só Deus [...]: Ele é o Pai,
é Deus, é o Criador, o Autor, o Ordenador. Fez todas as coisas por Si
mesmo, quer dizer, pelo Seu Verbo e pela Sua Sabedoria», «pelo Filho e pelo
Espírito» que são como «as Suas mãos» (Santo Ireneu). A criação é a obra
comum da Santíssima Trindade.




Gerir directamente o seu abono (ou a sua subscrição) neste endereço : www.evangelhoquotidiano.org


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Irmão, deixe uma mensagem!!!


"Despojemo-nos das ações das trevas e vistamos as armas da Luz" Rm 13,12
CEFAS, oriundo do nome de São Pedro apóstolo, significa também um Acróstico: Comunhão para Evangelização, Formação e Anúncio do Senhor. É um humilde projeto de evangelização através da internet, buscando levar formação católica doutrinal e espiritual.