24 de jun de 2009

Liturgia Diária!!!

Quarta-feira, dia 24 de Junho de 2009
Nascimento de S. João Baptista - solenidade

Natividade de S. João Baptista
Solenidade da Natividade de São João Baptista



Comentário ao Evangelho do dia feito por
São Beda : «João não era a luz, mas veio para dar testemunho» (Jo 1, 8)

Leituras

Is. 49,1-6.
«Ouvi-me, habitantes das ilhas, prestai atenção, povos de longe. Quando
ainda estava no ventre materno, o SENHOR chamou-me, quando ainda estava no
seio da minha mãe, pronunciou o meu nome.
Fez da minha palavra uma espada afiada, escondeu-me na concha da sua mão.
Fez da minha mensagem uma seta penetrante, guardou-me na sua aljava.
Disse-me: «Israel, tu és o meu servo, em ti serei glorificado.»
Eu dizia a mim mesmo: «Em vão me cansei, em vento e em nada gastei as
minhas forças.» Porém, o meu direito está nas mãos do SENHOR, e no meu Deus
a minha recompensa.
E agora o SENHOR declara-me que me formou desde o ventre materno, para ser
o seu servo, para lhe reconduzir Jacob, e para lhe congregar Israel. Assim
me honrou o SENHOR. O meu Deus tornou-se a minha força.
Disse-me: «Não basta que sejas meu servo, só para restaurares as tribos de
Jacob, e reunires os sobreviventes de Israel. Vou fazer de ti luz das
nações, para que a minha salvação chegue até aos confins da terra.»


Salmos 139(138),1-3.13-14.15.
SENHOR, Tu examinaste-me e conheces-me,
sabes quando me sento e quando me levanto; à distância conheces os meus
pensamentos.
Vês-me quando caminho e quando descanso; estás atento a todos os meus
passos.
Tu modelaste as entranhas do meu ser e formaste-me no seio de minha mãe.
Dou-te graças por tão espantosas maravilhas; admiráveis são as tuas obras.
Quando os meus ossos estavam a ser formados, e eu, em segredo, me
desenvolvia, tecido nas profundezas da terra, nada disso te era oculto.


Actos 13,22-26.
Pondo este de parte, Deus elevou David como rei, e a seu respeito deu este
testemunho: 'Encontrei David, filho de Jessé, homem segundo o meu coração,
que fará todas as minhas vontades.'
Da sua descendência, segundo a sua promessa, Deus proporcionou a Israel um
Salvador, que é Jesus.
João preparou a sua vinda, anunciando um baptismo de penitência a todo o
povo de Israel.
Quase a terminar a sua carreira, João dizia: 'Eu não sou quem julgais; mas
vem, depois de mim, alguém cujas sandálias não sou digno de desatar.'
Irmãos, filhos da estirpe de Abraão, e os que de entre vós são tementes a
Deus, a nós é que foi dirigida a palavra de salvação.


Lucas 1,57-66.80.
Entretanto, chegou o dia em que Isabel devia dar à luz e teve um filho.
Os seus vizinhos e parentes, sabendo que o Senhor manifestara nela a sua
misericórdia, rejubilaram com ela.
Ao oitavo dia, foram circuncidar o menino e queriam dar-lhe o nome do pai,
Zacarias.
Mas, tomando a palavra, a mãe disse: «Não; há-de chamar se João.»
Disseram-lhe: «Não há ninguém na tua família que tenha esse nome.»
Então, por sinais, perguntaram ao pai como queria que ele se chamasse.
Pedindo uma placa, o pai escreveu: «O seu nome é João.» E todos se
admiraram.
Imediatamente a sua boca abriu-se, a língua desprendeu-se-lhe e começou a
falar, bendizendo a Deus.
O temor apoderou-se de todos os seus vizinhos, e por toda a montanha da
Judeia se divulgaram aqueles factos.
Quantos os ouviam retinham-nos na memória e diziam para si próprios: «Quem
virá a ser este menino?» Na verdade, a mão do Senhor estava com ele.
Entretanto, o menino crescia, o seu espírito robustecia-se, e vivia em
lugares desertos, até ao dia da sua apresentação a Israel.


Da Bíblia Sagrada



Comentário ao Evangelho do dia feito por

São Beda, o Venerável (c. 673-735), monge, Doutor da Igreja
Homilia II, 20; CCL 122, 328-330 (trad. Delhougne, Les Pères commentent, p. 487-488)

«João não era a luz, mas veio para dar testemunho» (Jo 1, 8)

O facto de o nascimento de João ser comemorado quando os dias começam a
diminuir e o do Senhor quando os dias começam a aumentar tem um significado
simbólico. Com efeito, o próprio João revelou o segredo desta diferença. As
multidões tomavam-no pelo Messias em razão das suas virtudes eminentes, e
alguns consideravam que o Senhor não era o Messias, mas um profeta, devido
à fragilidade da Sua condição corporal. E João declarou: «Convém que Ele
cresça e que eu diminua» (Jo 3, 30). E o Senhor cresceu verdadeiramente
porque, quando foi olhado como profeta, deu a conhecer aos crentes do mundo
inteiro que era o Messias. João diminuiu, porque aquele que as pessoas
julgavam ser o Messias lhs apareceu, não como Messias, mas como anunciador
do Messias.

É normal, pois, que a claridade do dia comece a diminuir a partir do
nascimento de João, dado que a sua reputação de divindade havia de
desvanecer-se e o seu baptismo em breve desapareceria. Como também é normal
que a claridade dos dias recomece a aumentar a partir do nascimento do
Senhor, pois Ele veio à terra revelar a todos os pagãos as luzes de um
conhecimento que, até então, só os judeus possuíam em parte, e difundir por
todo o mundo o fogo do Seu amor.




Gerir directamente o seu abono (ou a sua subscrição) neste endereço : www.evangelhoquotidiano.org


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Irmão, deixe uma mensagem!!!


"Despojemo-nos das ações das trevas e vistamos as armas da Luz" Rm 13,12
CEFAS, oriundo do nome de São Pedro apóstolo, significa também um Acróstico: Comunhão para Evangelização, Formação e Anúncio do Senhor. É um humilde projeto de evangelização através da internet, buscando levar formação católica doutrinal e espiritual.