1 de mar de 2009

Liturgia Diária!!!

Domingo, dia 01 de Março de 2009
1º Domingo da Quaresma - Ano B

Primeiro Domingo da Quaresma (semana I do saltério)
Santo Albino, bispo, +550, S. Rosendo, bispo, +977



Comentário ao Evangelho do dia feito por
Santo Agostinho : «Ele mesmo foi provado em tudo, à nossa semelhança, excepto no pecado» (Heb 4, 15)

Leituras

Gén. 9,8-15.
A seguir, Deus disse a Noé e a seus filhos:
«Vou estabelecer a minha aliança convosco, com a vossa descendência futura
e com os demais seres vivos que vos rodeiam: as aves, os animais
domésticos, todos os animais selvagens que estão convosco, todos aqueles
que saíram da arca.
Estabeleço convosco esta aliança: não mais criatura alguma será exterminada
pelas águas do dilúvio e não haverá jamais outro dilúvio para destruir a
Terra.»
E Deus acrescentou: «Este é o sinal da aliança que faço convosco, com todos
os seres vivos que vos rodeiam e com as demais gerações futuras:
coloquei o meu arco nas nuvens, para que seja o sinal da aliança entre mim
e a Terra.
Quando cobrir a Terra de nuvens e aparecer o arco nas nuvens,
recordar-me-ei da aliança que firmei convosco e com todos os seres vivos da
Terra, e as águas do dilúvio não voltarão mais a destruir todas as
criaturas.


Salmos 25(24),4-5.6-7.8-9.
Mostra me, SENHOR, os teus caminhos e ensina me as tuas veredas.
Dirige me na tua verdade e ensina me, porque Tu és o Deus meu salvador. Em
ti confio sempre.
Lembra te, SENHOR, da tua compaixão e do teu amor, pois eles existem desde
sempre.
Não recordes os meus pecados de juventude e os meus delitos. Lembra-te de
mim, SENHOR, pelo teu amor e pela tua bondade.
O SENHOR é bom e justo; por isso ensina o caminho aos pecadores,
guia os humildes na justiça e dá lhes a conhecer o seu caminho.


1 Pedro 3,18-22.
Também Cristo padeceu pelos pecados, de uma vez para sempre –o Justo pelos
injustos – para nos conduzir a Deus. Morto na carne, mas vivificado no
espírito.
Foi então que foi pregar também aos espíritos cativos,
outrora incrédulos, no tempo em que, nos dias de Noé, Deus os esperava
pacientemente enquanto se construía a Arca; nela poucas pessoas – oito
apenas – se salvaram por meio da água.
Isto era uma figura do baptismo, que agora vos salva, não por limpar
impurezas do corpo, mas pelo compromisso com Deus de uma consciência
honrada, em virtude da ressurreição de Jesus Cristo,
que, tendo subido ao Céu, está sentado à direita de Deus, e a Ele se
submeteram Anjos, Dominações e Potestades.


Marcos 1,12-15.
Em seguida, o Espírito impeliu-o para o deserto.
E ficou no deserto quarenta dias. Era tentado por Satanás, estava entre as
feras e os anjos serviam-no.
Depois de João ter sido preso, Jesus foi para a Galileia, e proclamava o
Evangelho de Deus,
dizendo: «Completou-se o tempo e o Reino de Deus está próximo:
arrependei-vos e acreditai no Evangelho.»


Da Bíblia Sagrada



Comentário ao Evangelho do dia feito por

Santo Agostinho (354-430), bispo de Hipona (Norte de África) e Doutor da Igreja
Discursos sobre os Salmos, PS 60; CCL 39, 766 (trad. Brésard, 2000 anos C, p. 88)

«Ele mesmo foi provado em tudo, à nossa semelhança, excepto no pecado» (Heb 4, 15)

«Escutai, ó Deus, o meu clamor, atendei a minha oração! [...] Dos confins
da terra grito por Vós, com o meu coração desfalecido.» (Sl 60, 2-3). Dos
confins da terra, ou seja, de toda a parte. [...] Não é só uma pessoa que
fala assim; e, no entanto, é uma só pessoa, porque não há senão um só
Cristo do qual somos os membros (Ef 5,23). [...] Aquele que grita dos
confins da terra está na angústia, mas não está abandonado. Porque fomos
nós, ou seja, o Seu corpo, que o Senhor quis prefigurar no Seu próprio
corpo. [...]

Simbolizou-nos na Sua pessoa quando quis ser tentado por Satanás. Lê-se no
Evangelho que Nosso Senhor, o Cristo Jesus, foi tentado no deserto pelo
diabo. Em Cristo, és tu que és tentado, porque Cristo tomou de ti a Sua
humanidade para te dar a Sua salvação, de ti tomou a Sua morte para te dar
a Sua vida, de ti sofreu os Seus ultrajes para te dar a Sua honra. Foi
portanto de ti que Ele tomou as tentações, para te dar a Sua vitória. Se
somos tentados n'Ele, n'Ele também triunfaremos do diabo.

Reconheces que Cristo foi tentado, e não reconheces que alcançou a vitória?
Reconhece-te como tentado n'Ele, reconhece-te como vencedor n'Ele. Ele
poderia ter impedido o diabo de se aproximar d'Ele; mas, se não tivesse
sido tentado, como nos teria ensinado a maneira de vencer a tentação? Eis
por que motivo não é de espantar que, atormentado pela tentação, Ele grite
dos confins da terra segundo este salmo. Mas por que não é vencido? O salmo
continua: «Conduzi-me ao rochedo». [...] Recorda o Evangelho: «Sobre esta
pedra edificarei a minha Igreja» (Mt 16, 18). Assim, é a Igreja, que Ele
quis construir sobre a pedra, que grita dos confins da terra. Mas quem se
tornou rochedo, para que a Igreja pudesse ser construída sobre a rocha?
Ouçamos São Paulo: «O rochedo era Cristo» (1Co 10, 4). É pois sobre Ele que
nós somos edificados. Eis por que razão a pedra sobre a qual somos
construídos foi a primeira a ser batida pelos ventos, pelas torrentes e
pelas chuvas, quando Cristo foi tentado pelo diabo (Mt 7, 25). Eis a
fundação inabalável sobre a qual Ele te quis edificar.




Gerir directamente o seu abono (ou a sua subscrição) neste endereço : www.evangelhoquotidiano.org


28 de fev de 2009

Liturgia Diária!!!

Sabado, dia 28 de Fevereiro de 2009
Sábado depois das Cinzas

Beato Daniel Brottier, presbítero, +1936, S. Torcato, bispo, séc. I



Comentário ao Evangelho do dia feito por
Beato Charles de Foucauld : «E ele, deixando tudo, levantou-se e seguiu-O»

Leituras

Is. 58,9-14.
Então invocarás o SENHOR e Ele te atenderá, pedirás auxílio e te dirá:
«Aqui estou!» Se retirares da tua vida toda a opressão, o gesto ameaçador e
o falar ofensivo,
se repartires o teu pão com o faminto e matares a fome ao pobre, a tua luz
brilhará na tua escuridão, e as tuas trevas tornar-se-ão como o meio dia.
O SENHOR te guiará constantemente, saciará a tua alma no árido deserto,
dará vigor aos teus ossos. Serás como um jardim bem regado, como uma fonte
de águas inesgotáveis.
Reconstruirás ruínas antigas, levantarás sobre antigas fundações. Serás
chamado: «Reparador de brechas, restaurador de casas em ruínas.»
Se te abstiveres de trabalhar ao sábado, de te ocupares dos teus negócios
no meu dia santo, se chamares ao sábado a tua delícia, consagrando-o à
glória do SENHOR; se o solenizares, abstendo-te de viagens, de procurares
os teus interesses, e de tratares os teus negócios,
então, encontrarás a tua felicidade no SENHOR. Far-te-ei desfilar sobre as
alturas da terra, alimentar-te-ei com a herança do teu pai Jacob. É o
próprio SENHOR quem o diz!


Salmos 86(85),1-2.3-4.5-6.
Inclina, SENHOR, os teus ouvidos e responde me, porque estou triste e
necessitado.
Protege a minha vida, porque te sou fiel; salva o teu servo, que em ti
confia.
Senhor, tem compaixão de mim, que a ti clamo todo o dia.
Alegra o espírito do teu servo, pois para ti, Senhor, elevo a minha alma.
Porque Tu, Senhor, és bom e indulgente, cheio de misericórdia para quantos
te invocam.
Senhor, ouve a minha oração, atende os gritos da minha súplica.


Lucas 5,27-32.
Depois disto, Jesus saiu e viu um cobrador de impostos, chamado Levi,
sentado no posto de cobrança. Disse-lhe: «Segue-me.»
E ele, deixando tudo, levantou-se e seguiu-o.
Levi ofereceu-lhe, em sua casa, um grande banquete; e encontravam-se com
eles, à mesa, grande número de cobradores de impostos e de outras pessoas.
Os fariseus e os doutores da Lei murmuravam, dizendo aos discípulos:
«Porque comeis e bebeis com os cobradores de impostos e com os pecadores?»
Jesus tomou a palavra e disse-lhes: «Não são os que têm saúde que precisam
de médico, mas os que estão doentes.
Não foram os justos que Eu vim chamar ao arrependimento, mas os pecadores.»



Da Bíblia Sagrada



Comentário ao Evangelho do dia feito por

Beato Charles de Foucauld (1858-1916), eremita e missionário no Sahara


«E ele, deixando tudo, levantou-se e seguiu-O»

Como sois bom, meu Deus, e como Vos aplicais a reabilitar os pecadores, a
clamar «Esperança» aos culpados. Como Vos revelais, desde as primeiras
linhas do Evangelho, o Bom Pastor, o Pai do filho pródigo, o médico divino
que veio para os doentes.

Parece que assumistes, logo desde as primeiras linhas do Evangelho, a
tarefa de nos repetir: «Não desejo a morte do pecador, mas sim que ele se
converta e viva» (Ez 18,23). Oh Deus, Pai das misericórdias, quereis
dizer-nos que há esperança e graça mesmo para os culpados, mesmo para os
mais caídos, os mais impuros. Aqueles que, aos olhos dos homens, estão
irremediavelmente aviltados e perdidos são ainda nobres e belos aos Vossos
olhos. Que eles se arrependam, que digam como David: «Pequei» (2Rs 12,13).
Revelais com tanta generosidade a estas almas, que o mundo considerava tão
perdidas e que Vós tendes plenamente encontrado, reabilitado, purificado,
embelezado, revelais tão generosamente o tesouro dos Vossos favores que
nenhuma graça lhes é recusada, nenhuma grandeza lhes está inacessível.

Por mais fundo que caiamos, não desesperemos nunca. A bondade de Deus está
acima de todo o mal possível. «Mesmo que os vossos pecados fossem como
escarlate, tornar-se-iam brancos como a neve.» (Is 1,18). Não há nenhum
momento na nossa vida em que não possamos começar uma existência nova,
[...] separada como que por um muro das nossas infidelidades do passado.




Gerir directamente o seu abono (ou a sua subscrição) neste endereço : www.evangelhoquotidiano.org


27 de fev de 2009

Não deixe de aproveitar....

Liturgia Diária!!!

Sexta-feira, dia 27 de Fevereiro de 2009
Sexta-feira depois das Cinzas

S. Gabriel de Nossa Senhora das Dores, confessor, +1862, S. Leandro, bispo, +600



Comentário ao Evangelho do dia feito por
S. Pedro Crisólogo : «Qual é o jejum que Me agrada? [...] Não é partilhares o teu pão com quem tem fome?» (Is 58, 6-7)

Leituras

Is. 58,1-9.
Grita em voz alta, sem te cansares. Levanta a tua voz como uma trombeta.
Denuncia ao meu povo as suas faltas, aos descendentes de Jacob, os seus
pecados.
Consultam-me dia após dia, mostram desejos de conhecer o meu caminho, como
se fosse um povo que praticasse a justiça, e não abandonasse a lei de Deus.
Pedem-me sentenças justas, querem aproximar-se de Deus.
Dizem-me: «Para quê jejuar, se vós não fazeis caso? Para quê humilhar-nos,
se não prestais atenção?» É porque no dia do vosso jejum só cuidais dos
vossos negócios, e oprimis todos os vossos empregados.
Jejuais entre rixas e disputas, dando bofetadas sem dó nem piedade. Não
jejueis como tendes feito até hoje, se quereis que a vossa voz seja ouvida
no alto.
Acaso é esse o jejum que me agrada, no dia em que o homem se mortifica?
Curvar a cabeça como um junco, deitar-se sobre saco e cinza? Podeis chamar
a isto jejum e dia agradável ao SENHOR?
O jejum que me agrada é este: libertar os que foram presos injustamente,
livrá-los do jugo que levam às costas, pôr em liberdade os oprimidos,
quebrar toda a espécie de opressão,
repartir o teu pão com os esfomeados, dar abrigo aos infelizes sem casa,
atender e vestir os nus e não desprezar o teu irmão.
Então, a tua luz surgirá como a aurora, e as tuas feridas não tardarão a
cicatrizar-se. A tua justiça irá à tua frente, e a glória do SENHOR atrás
de ti.
Então invocarás o SENHOR e Ele te atenderá, pedirás auxílio e te dirá:
«Aqui estou!» Se retirares da tua vida toda a opressão, o gesto ameaçador e
o falar ofensivo,


Salmos 51(50),3-4.5-6.18-19.
Tem compaixão de mim, ó Deus, pela tua bondade; pela tua grande
misericórdia, apaga o meu pecado.
Lava me de toda a iniquidade; purifica me dos meus delitos.
Reconheço as minhas culpas e tenho sempre diante de mim os meus pecados.
Contra ti pequei, só contra ti, fiz o mal diante dos teus olhos; por isso é
justa a tua sentença e recto o teu jul
Não te comprazes nos sacrifícios nem te agrada qualquer holocausto que eu
te ofereça.
O sacrifício agradável a Deus é o espírito contrito; ó Deus, não desprezes
um coração contrito e arrependido.


Mateus 9,14-15.
Depois, foram ter com Ele os discípulos de João, dizendo: «Porque é que nós
e os fariseus jejuamos e os teus discípulos não jejuam?»
Jesus respondeu-lhes: «Porventura podem os convidados para as núpcias estar
tristes, enquanto o esposo está com eles? Porém, hão-de vir dias em que
lhes será tirado o esposo e, então, hão-de jejuar.»


Da Bíblia Sagrada



Comentário ao Evangelho do dia feito por

S. Pedro Crisólogo (c. 406-450), bispo de Ravena, Doutor da Igreja
Homilia sobre a oração, o jejum e a esmola; PL 52, 320 (trad. Breviário)

«Qual é o jejum que Me agrada? [...] Não é partilhares o teu pão com quem tem fome?» (Is 58, 6-7)

Quem pratica o jejum deve compreender o jejum: deve simpatizar com o homem
que tem fome se quer que Deus simpatize com a sua própria fome; deve ser
misericordioso se espera obter misericórdia. [...] O que perdemos pela
desatenção, devemos conquistá-lo pelo jejum; imolemos as nossas vidas pelo
jejum, porque não há nada mais importante que possamos oferecer a Deus,
como prova o profeta quando diz: «O sacrifício que agrada a Deus é um
espírito contrito; Deus não desprezará um espírito humilhado e contrito»
(Sl 50, 19). Oferece pois a tua vida a Deus, oferece a oblação do jejum
para que tenhas aí uma oferta pura, um sacrifício santo, uma vítima viva
que inste em teu favor. [...]

Mas, para que estes dons sejam agradáveis, é preciso que venha em seguida a
misericórdia. O jejum não dá fruto se não for regado pela misericórdia; o
jejum torna-se menos árido pela misericórdia; o que a chuva é para a terra,
é a misericórdia para o jejum. Quem jejua pode cultivar o coração,
purificar a carne, arrancar os vícios, semear as virtudes; mas, se não
verter ondas da misericórdia, não recolhe frutos.

Ó tu que jejuas, o teu campo jejuará também se for privado da misericórdia;
ó tu que jejuas, o que espalhas pela tua misericórdia reflectir-se-á na tua
granja. Para não desperdiçares pela avareza, recolhe pela generosidade.
Dando ao pobre, dás a ti próprio; porque aquilo que não entregas a outrem,
não o terás.




Gerir directamente o seu abono (ou a sua subscrição) neste endereço : www.evangelhoquotidiano.org


 
 

Olá CEFAS!!

Não deixe de aproveitar.... 


Grande promoção!!!


Agenda 2009 QueDiaeHoje.NET no valor de apenas R$ 14,00 dentro do kit! Aproveite!


http://www.quediaehoje.net/loja/produtos.asp

 

6 de Março - Criação do Ministério da Fazenda

O Ministério da Fazenda cuida do comando da economia e sua diversidade de problemas. Cuida também da administração do patrimônio imobiliário da Nação; da arrecadação; da fiscalização e do controle do dinheiro pertencente aos cofres públicos da União. Em Pernambuco e em todos os demais estados, ele é representado pela Delegacia de Administração do Ministério da Fazenda. Para desenvolver todas as suas atividades no Estado, o Ministério da Fazenda conta ainda com a Delegacia do Patrimônio da União, a Delegacia Federal de Controle e a Procuradoria da Fazenda Nacional.

www.sindsep-pe.com.br/cart1.htm#

 
 
 
     


4 mar 1939
Carlos Vereza: Ator.Fez cinema, teatro e novelas.
6 mar 1928
Gabriel Garcia Márquez: Escritor e jornalista. Prêmio Nobel de Literatura em 1982. Nasceu em Aracataca, Colômbia, que, com o nome de Macondo, aparece em quase todos os seus livros.
7 mar 1954
Jackie Chan: Ator chinês


2 mar 1858 - Inauguração da Estrada de Ferro Central do Brasil
7 mar 1987 - O pugilista Mike Tyson venceu Bonecrusher Smith e tornou-se o campeão de pesos pesados pela Associação Mundial de Boxe.

 


QueDiaeHoje.NET
Onde você encontra tudo sobre todos os dias.


Nós respeitamos a sua privacidade. Para sair da lista clique aqui

Nossos parceiros:

    
 
 
 
Chico Silva

A história lembra aqueles milagres que muita gente diz que presenciou, mas que ninguém consegue provar. Sérgio Von Helder, o pastor da Igreja Universal que em 1995 chutou uma imagem de Nossa Senhora Aparecida, no dia da padroeira, teria se convertido ao catolicismo. O boato começou na internet, chegou a dois jornais do interior de São Paulo, foi publicado em uma respeitada revista católica, a Pergunte e Responderemos, editada pelo insuspeito dom Estêvão Bettencourt, monge do Mosteiro de São Bento do Rio de Janeiro, e acabou no Programa do Ratinho, no SBT. Também congestionou as linhas telefônicas e lotou caixas de e-mails das emissoras de tevê católicas do País. Mas o milagre virou mico. Von Helder trabalha no escritório da Universal, em Nova York, seguindo ordens de Edir Macedo, o patrono da Universal. Tanto que a mando do chefe, ele teria intermediado as aquisições de um canal de tevê em Atlanta e de uma emissora de rádio em Nova York.

A publicação levou muitos católicos a acreditar no falso milagre. O fato ganhou ainda mais repercussão quando um programa da tevê Canção Nova, emissora católica de Cachoeira Paulista, no Vale do Paraíba, interior de São Paulo, baseado na revista de dom Estêvão, divulgou o milagre como se tivesse ocorrido. ISTOÉ procurou Von Helder no escritório da Universal em Nova York. O bispo não retornou às ligações até o fechamento desta reportagem. De qualquer forma, este é mais um round na batalha que católicos e evangélicos vêm travando desde meados dos anos 90. E esse assalto parece ter sido vencido pelos discípulos de Edir Macedo.Apesar de falsa, a história é extraordinária. O bispo Von Helder teria sido acometido por um estranho mal, que atingiu justamente a perna que chutou a santa. Desesperado com a possibilidade de ficar aleijado, o bispo buscou tratamento em um hospital americano. Entre os médicos da equipe que o atenderam, ficou encantado com uma enfermeira negra. Ela dispensava cuidados especiais ao paciente odiado por milhões de católicos brasileiros. Depois de curado, Von Helder foi cumprimentar os médicos e quis agradecer pessoalmente à enfermeira que tanto cuidado lhe havia dispensado. Ficou chocado ao ser comunicado que no hospital não trabalhava nenhuma mulher negra. Consternado, acreditou que a mulher que o atendeu era a aparição de Nossa Senhora. A partir dali, teria se tornado um fervoroso praticante do catolicismo. Dom Estêvão, que em sua revista publicou o relato que originou a confusão, admite que não procurou confirmar a história com o próprio Von Helder. “Eu vi a notícia em um site e a publiquei com ressalvas, pois não foi o próprio Von Helder que me disse. Mas até o momento a Universal não se manifestou.”

Retirado de "Isto é On Line :
http://www.istoe.com.br/reportagens/28209_O+CONTO+DA+SANTA?pathImagens=&path=&actualArea=internalPage

Pensamentos de Santo Tomás de Aquino


Pensamentos de Santo Tomás de Aquino

"Ninguém pode nesta vida ter satisfeitas as suas aspirações, porque nunca um bem criado sacia as aspirações humanas de felicidade"

"A concórdia não é uniformidade de opiniões, mas concordância de vontades"

"Há homens cuja fraqueza de inteligência não lhes permitiu ir além das coisas corpóreas"

"Uma ofensa é tanto maior quanto maior é aquele contra quem é cometida"

"Rogo a Deus como se esperasse tudo dEle, mas trabalho como se esperasse tudo de mim"

"Maria pronunciou o seu "faça-se" em representação de toda a natureza humana"

"O crente transcende a verdade da sua própria inteligência"

"Aquele que crê adere ao dizer de alguém. Por isso o que parece ser o principal, e tendo de certo modo o valor do fim, em todo o assentimento é a pessoa a cujo dizer se dá assentimento. Assim, o que se concorda em crer apresenta-se como secundário"

"A paciência manifesta-se extraordinária de dois modos: quando alguém suporta grandes males pacientemente ou quando suporta aquilo que poderia ter evitado e não quis evitar"

"É tolice dizer que as criaturas são totalmente más, porque em algum aspecto são nocivas. Podem elas ser nocivas para uns, mas úteis para outros"

"Pela oração de muitos, às vezes, se alcança o que pela oração de um só não se obteria"

"A cobiça de qualquer bem temporal é o veneno da caridade; por ela o homem despreza o bem divino".

"A oração consiste na elevação da alma a Deus"

"Por ser mãe de Deus, Maria tem uma dignidade quase infinita".

"A humildade é o primeiro degrau para a sabedoria".

Liturgia Diária!!!

Quinta-feira, dia 26 de Fevereiro de 2009
Quinta-feira depois das Cinzas

S. Porfírio de Gaza, bispo, +420



Comentário ao Evangelho do dia feito por
Beata Teresa de Calcutá : «Tome a sua cruz, dia após dia, e siga-Me»

Leituras

Deut. 30,15-20.
«Repara que coloco hoje diante de ti a vida e o bem, a morte e o mal.
Assim, ordeno-te hoje que ames o Senhor, teu Deus, que andes nos seus
caminhos, que guardes os seus mandamentos, preceitos e sentenças. Assim
viverás, multiplicar-te-ás e o Senhor, teu Deus, te abençoará na terra em
que vais entrar para dela tomar posse.
Mas se o teu coração se desviar e não escutares, se te deixares arrastar e
adorares deuses estranhos e os servires,
declaro-vos hoje que, sem dúvida, morrereis; os vossos dias não se
prolongarão na terra na qual ides entrar, passando o Jordão, para dela
tomar posse.»
«Tomo hoje por testemunhas contra vós o céu e a terra; ponho diante de vós
a vida e a morte, a bênção e a maldição. Escolhe a vida para viveres, tu e
a tua descendência,
amando o Senhor, teu Deus, escutando a sua voz e apegando-te a Ele, porque
Ele é a tua vida e prolongará os teus dias para habitares na terra, que o
Senhor jurou que havia de dar a teus pais, Abraão, Isaac e Jacob.»


Salmos 1,1-2.3.4.6.
Feliz o homem que não segue o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho
dos pecadores, nem toma parte na reunião dos libertinos;
antes põe o seu enlevo na lei do SENHOR e nela medita dia e noite.
É como a árvore plantada à beira da água corrente: dá fruto na estação
própria e a sua folhagem não murcha; em tudo o que faz é bem sucedido.
Mas os ímpios não são assim! São como a palha que o vento leva.
O SENHOR conhece o caminho dos justos, mas o caminho dos ímpios conduz à
perdição.


Lucas 9,22-25.
e acrescentou: «O Filho do Homem tem de sofrer muito, ser rejeitado pelos
anciãos, pelos sumos sacerdotes e pelos doutores da Lei, tem de ser morto
e, ao terceiro dia, ressuscitar.»
Depois, dirigindo-se a todos, disse: «Se alguém quer vir após mim, negue-se
a si mesmo, tome a sua cruz, dia após dia, e siga-me.
Pois, quem quiser salvar a sua vida há-de perdê la; mas, quem perder a sua
vida por minha causa há-de salvá-la.
Que aproveita ao homem ganhar o mundo inteiro, perdendo-se ou condenando-se
a si mesmo?


Da Bíblia Sagrada



Comentário ao Evangelho do dia feito por

Beata Teresa de Calcutá (1910-1997), fundadora das Irmãs Missionárias da Caridade
Something Beautiful for God (trad. La Joie du don, p. 64 rev.)

«Tome a sua cruz, dia após dia, e siga-Me»

Senhor, que a tua crucifixão e ressurreição nos ensinem a enfrentar as
lutas da vida quotidiana e a sofrer aí a angústia da morte, para que
vivamos em maior e mais criativa plenitude. Com humildade e paciência
aceitaste os reveses da vida humana, como os sofrimentos da tua crucifixão.
Ajuda-nos a aceitar as dificuldades e as lutas de cada dia como ocasiões
para crescermos e para nos tornarmos semelhantes a Ti. Torna-nos capazes de
as enfrentar com paciência e coragem, com plena confiança na Tua protecção.
Faz-nos compreender que só chegaremos à plenitude da vida pela contínua
aniquilação de nós próprios e dos nossos desejos egoístas, porque só
morrendo conTigo podemos conTigo ressuscitar.




Gerir directamente o seu abono (ou a sua subscrição) neste endereço : www.evangelhoquotidiano.org


25 de fev de 2009

Liturgia Diária!!!

Quarta-feira, dia 25 de Fevereiro de 2009
QUARTA-FEIRA DE CINZAS

S. Sebastião de Aparício, leigo, confessor, +1600



Comentário ao Evangelho do dia feito por
Papa Bento XVI : «Suplicamo-vos, pois, em nome de Cristo: reconciliai-vos com Deus» (2Cor 5, 20)

Leituras

Joel 2,12-18.
Mas agora, diz o Senhor, convertei-vos a mim de todo o vosso coração com
jejuns, com lágrimas, com gemidos.
Rasgai os vossos corações e não as vossas vestes, convertei-vos ao Senhor,
vosso Deus, porque Ele é clemente e compassivo, paciente e rico em
misericórdia.
Quem sabe? Talvez Ele mude de ideia e volte atrás, deixando, ao passar,
alguma bênção, para oferenda e libação ao Senhor vosso Deus!
Tocai a trombeta em Sião, ordenai um jejum, proclamai uma reunião sagrada.
Reuni o povo, purificai a assembleia, juntai os anciãos, congregai os
pequeninos e os meninos de peito. Saia o esposo dos seus aposentos e a
esposa do seu tálamo nupcial.
Entre o pórtico e o altar chorem os sacerdotes, e digam os ministros do
Senhor: «Tem piedade do teu povo, Senhor, não transformes em ignomínia a
tua herança, para que ela não se torne o escárnio dos povos! Porque diriam:
'Onde está o seu Deus?'»
O Senhor encheu-se de zelo pelo seu país e teve compaixão do seu povo.


Salmos 51(50),3-4.5-6.12-13.14.17.
Tem compaixão de mim, ó Deus, pela tua bondade; pela tua grande
misericórdia, apaga o meu pecado.
Lava me de toda a iniquidade; purifica me dos meus delitos.
Reconheço as minhas culpas e tenho sempre diante de mim os meus pecados.
Contra ti pequei, só contra ti, fiz o mal diante dos teus olhos; por isso é
justa a tua sentença e recto o teu jul
Cria em mim, ó Deus, um coração puro; renova e dá firmeza ao meu espírito.
Não me afastes da tua presença, nem me prives do teu santo espírito!
Dá-me de novo a alegria da tua salvação e sustenta me com um espírito
generoso.
Abre, Senhor, os meus lábios, para que a minha boca possa anunciar o teu
louvor.


2 Cor. 5,20-21.6,1-2.
É em nome de Cristo, portanto, que exercemos as funções de embaixadores e é
Deus quem, por nosso intermédio, vos exorta. Em nome de Cristo
suplicamo-vos: reconciliai-vos com Deus.
Aquele que não havia conhecido o pecado, Deus o fez pecado por nós, para
que nos tornássemos, nele, justiça de Deus.
E como seus colaboradores, exortamo-vos a não receber em vão a graça de
Deus.
Pois Ele diz: No tempo favorável, ouvi-te e, no dia da salvação, vim em teu
auxílio. É este o tempo favorável, é este o dia da salvação.


Mateus 6,1-6.16-18.
«Guardai-vos de fazer as vossas boas obras diante dos homens, para vos
tornardes notados por eles; de outro modo, não tereis nenhuma recompensa do
vosso Pai que está no Céu.
Quando, pois, deres esmola, não permitas que toquem trombeta diante de ti,
como fazem os hipócritas, nas sinagogas e nas ruas, a fim de serem louvados
pelos homens. Em verdade vos digo: Já receberam a sua recompensa.
Quando deres esmola, que a tua mão esquerda não saiba o que faz a tua
direita,
a fim de que a tua esmola permaneça em segredo; e teu Pai, que vê o oculto,
há-de premiar-te.»
«Quando orardes, não sejais como os hipócritas, que gostam de rezar de pé
nas sinagogas e nos cantos das ruas, para serem vistos pelos homens. Em
verdade vos digo: já receberam a sua recompensa.
Tu, porém, quando orares, entra no quarto mais secreto e, fechada a porta,
reza em segredo a teu Pai, pois Ele, que vê o oculto, há-de recompensar-te.

«E, quando jejuardes, não mostreis um ar sombrio, como os hipócritas, que
desfiguram o rosto para que os outros vejam que eles jejuam. Em verdade vos
digo: já receberam a sua recompensa.
Tu, porém, quando jejuares, perfuma a cabeça e lava o rosto,
para que o teu jejum não seja conhecido dos homens, mas apenas do teu Pai
que está presente no oculto; e o teu Pai, que vê no oculto, há-de
recompensar-te.»


Da Bíblia Sagrada



Comentário ao Evangelho do dia feito por

Papa Bento XVI
Audiência Geral de 06/02/08 (trad. DC 2398, p. 260 © copyright Libreria Editrice Vaticana)

«Suplicamo-vos, pois, em nome de Cristo: reconciliai-vos com Deus» (2Cor 5, 20)

Originariamente, na Igreja primitiva, a Quaresma era o tempo privilegiado
em que os catecúmenos se preparavam para os sacramentos do Baptismo e da
Eucaristia, que eram celebrados na Vigília da Páscoa. A Quaresma era
considerada um tempo do devir cristão, que não se realizava apenas num
momento, mas exigia um longo percurso de conversão e de renovação. A esta
preparação uniam-se também as pessoas já baptizadas, revivendo a lembrança
do Sacramento recebido, e dispondo-se para uma renovada comunhão com Cristo
na jubilosa celebração da Páscoa. Assim a Quaresma tinha, e ainda hoje
conserva, a índole de um itinerário baptismal, no sentido em que ajuda a
manter viva a consciência de que o ser cristão se realiza sempre como um
novo devir cristão: nunca é uma história concluída, que se encontra no
nosso passado, mas um caminho que exige sempre um exercício renovado. Ao impor-nos as cinzas sobre a cabeça, o celebrante diz:
«Recorda-te de que és pó e ao pó voltarás» (cf. Gn 3, 19), ou então repete
a exortação de Jesus: «Arrependei-vos e acreditai no Evangelho» (Mc 1, 15).
Ambas as fórmulas constituem uma exortação à verdade da existência humana:
somos criaturas limitadas, pecadores sempre necessitados de penitência e de
conversão. Como é importante ouvir e aceitar esta exortação nesta nossa
época! Quando proclama a sua autonomia total de Deus, o homem contemporâneo
torna-se escravo de si mesmo e encontra-se muitas vezes numa solidão
desconsolada. Então, o convite à conversão é um impulso a voltarmos aos
braços de Deus, Pai terno e misericordioso, a termos confiança nEle e a
confiarmo-nos a Ele como filhos adoptivos, regenerados pelo Seu amor. Com
pedagogia sábia, a Igreja repete que a conversão é antes de tudo uma graça,
uma dádiva que abre o coração à infinita bondade de Deus. É Ele mesmo Quem
antecipa, com a sua graça, o nosso desejo de conversão e acompanha os
nossos esforços em vista da plena adesão à Sua vontade salvífica. Assim,
converter-se significa deixar-se conquistar por Jesus (cf. Fil 3, 12) e,
com Ele, «voltar» ao Pai. Por conseguinte, a conversão exige que nos
ponhamos humildemente na escola de Jesus e caminhemos no seguimento dócil
dos Seus passos.




Gerir directamente o seu abono (ou a sua subscrição) neste endereço : www.evangelhoquotidiano.org


24 de fev de 2009

Liturgia Diária!!!

Terça-feira, dia 24 de Fevereiro de 2009
Terça-feira da 7ª semana do Tempo Comum

S. Sérgio, mártir, +304



Comentário ao Evangelho do dia feito por
São Gregório Nazianzeno : «Se alguém quiser ser o primeiro, há-de ser o último de todos»

Leituras

Sirac 2,1-11.
Meu filho, se entrares para o serviço de Deus, prepara a tua alma para a
provação.
Endireita o teu coração e sê constante, não te perturbes no tempo do
infortúnio.
Conserva-te unido a Ele e não te separes, para teres bom êxito no teu
momento derradeiro.
Aceita tudo o que te acontecer, e tem paciência nas vicissitudes da tua
humilhação,
porque no fogo se prova o ouro e os eleitos de Deus, no cadinho da
humilhação. Nas doenças e na pobreza, confia nele.
Confia em Deus e Ele te salvará, endireita os teus caminhos e espera nele.
Vós que temeis o Senhor, esperai na sua misericórdia, e não vos afasteis,
para não cairdes.
Vós que temeis o Senhor, confiai nele, a vossa recompensa não vos faltará.
Vós, que temeis o Senhor, contai com a prosperidade, a alegria eterna e a
misericórdia, pois a sua recompensa é um dom eterno e jubiloso.
Considerai as gerações antigas e vede: quem confiou no Senhor e foi
confundido? Quem perseverou no temor do Senhor e foi abandonado? Quem o
invocou e se sentiu desprezado?
Porque o Senhor é compassivo e misericordioso, perdoa os pecados e salva no
tempo da aflição.


Salmos 37(36),3-4.18-19.27-28.39-40.
Confia no SENHOR e faz o bem; habitarás a terra e viverás tranquilo.
Procura no SENHOR a tua felicidade, e Ele satisfará os desejos do teu
coração.
O SENHOR conhece os dias do homem honesto e a herança dele será para
sempre.
Não se envergonhará no tempo da adversidade e nos dias da fome será
saciado.
Afasta te do mal e pratica o bem, e então viverás para sempre,
porque o SENHOR ama a rectidão e não abandona os seus fiéis. Os ímpios
serão dizimados e a sua descendência será destruída.
A salvação dos justos vem do SENHOR; Ele é o seu refúgio na hora da
angústia.
O SENHOR os ajuda e liberta, defende os dos ímpios e salva os, porque nele
se refugiam.


Marcos 9,30-37.
Partindo dali, atravessaram a Galileia, e Jesus não queria que ninguém o
soubesse,
porque ia instruindo os seus discípulos e dizia-lhes: «O Filho do Homem vai
ser entregue nas mãos dos homens que o hão-de matar; mas, três dias depois
de ser morto, ressuscitará.»
Mas eles não entendiam esta linguagem e tinham receio de o interrogar.
Chegaram a Cafarnaúm e, quando estavam em casa, Jesus perguntou: «Que
discutíeis pelo caminho?»
Ficaram em silêncio porque, no caminho, tinham discutido uns com os outros
sobre qual deles era o maior.
Sentando-se, chamou os Doze e disse-lhes: «Se alguém quiser ser o primeiro,
há-de ser o último de todos e o servo de todos.»
E, tomando um menino, colocou-o no meio deles, abraçou-o e disse-lhes:
«Quem receber um destes meninos em meu nome é a mim que recebe; e quem me
receber, não me recebe a mim mas àquele que me enviou.»


Da Bíblia Sagrada



Comentário ao Evangelho do dia feito por

São Gregório Nazianzeno (330-390), bispo, Doutor a Igreja
Homilia para a festa da Páscoa; PG 36, 624 (trad. Homéliaire patristique, coll. Lex orandi n°8, p. 223 rev.)

«Se alguém quiser ser o primeiro, há-de ser o último de todos»

Há quem se deixe abater pela dúvida ao ver no corpo de Cristo os estigmas
da Paixão, e se pergunte: «Quem é este rei glorioso?» (Sl 23, 8).
Responde-lhes que é o Cristo, «forte e poderoso» (v. 8) em tudo quanto fez
e continua a fazer. [...] Faz-lhes ver a beleza da túnica envergada que é o
corpo sofredor de Cristo, embelezado pela Paixão e transfigurado pelo
brilho da divindade, essa túnica de glória que foi o objecto mais belo e
mais digno de ser amado neste mundo. [...] Ele será pequeno pelo facto de
Se ter feito humilde por tua causa? Será desprezível pelo facto de, Bom
Pastor que dá a vida pelo Seu rebanho (Jo 10, 11), ter ido à procura da
ovelha perdida e, depois de a ter encontrado, a ter posto aos ombros que
por ela carregaram com a cruz e a ter contado de novo entre o número das
ovelhas fiéis que permaneceram dentro do aprisco (Lc 15, 4ss.)? Parece-te
menos grandioso por Se ter cingido com uma toalha para lavar os pés aos
discípulos, mostrando-lhes assim que o meio mais seguro de a pessoa se
elevar é humilhando-se (Jo 13, 4; Mt 23, 12)? Porque, inclinando a alma
para a terra, Se abaixa a fim de elevar Consigo aqueles que viviam abatidos
sob o peso do pecado? Censuras-Lhe o facto de ter comido com os publicanos
e os pecadores, para salvação deles (Mt 9, 10)?

Ele conheceu a fadiga, a fome, a sede, a angústia e as lágrimas, seguindo a
lei da nossa natureza humana. Como Deus, porém, o que não fez? [...]
Precisávamos de um Deus feito homem, tornado mortal, para podermos viver.
Partilhámos a Sua morte, que nos purifica; pela Sua morte, Ele deu-nos a
partilhar a Sua ressurreição; pela Sua ressurreição, deu-nos a partilhar a
Sua glória.




Gerir directamente o seu abono (ou a sua subscrição) neste endereço : www.evangelhoquotidiano.org


23 de fev de 2009

Liturgia Diária!!!

Segunda-feira, dia 23 de Fevereiro de 2009
Segunda-feira da 7ª semana do Tempo Comum

S. Policarpo, bispo, mártir, +155



Comentário ao Evangelho do dia feito por
Santa Teresa d'Ávila : «Eu creio! Ajuda a minha pouca fé!»

Leituras

Sirac 1,1-10.
Toda a sabedoria vem do Senhor e permanece junto dele para sempre.
A areia dos mares, as gotas da chuva, os dias da eternidade, quem os poderá
contar?
A altura do céu, a extensão da terra, o abismo e a sabedoria, quem os
poderá medir?
A sabedoria foi criada antes de todas as coisas, e a luz da inteligência,
desde a eternidade.
A fonte da sabedoria é a palavra de Deus nos céus; os seus caminhos são os
mandamentos eternos.
A quem foi revelada a raiz da sabedoria, e quem pode discernir os seus
planos?
A quem foi manifestada a ciência da sabedoria? E quem pode compreender a
riqueza dos seus caminhos?
Só há um sábio, sumamente temível: o que está sentado no seu trono.
Foi o Senhor quem a criou, quem a viu e a mediu, e a difundiu sobre todas
as suas obras,
e por todos os homens, segundo a sua liberalidade, e a comunicou àqueles
que o amam. O amor do Senhor é uma sabedoria gloriosa.Ele a comunica
àqueles a quem se revela, para que o vejam.


Salmos 93(92),1-2.5.
O SENHOR é rei, vestido de majestade; revestido e cingido de poder está o
SENHOR. Firmou o universo, que não vacilará.
O teu trono, SENHOR, está firme desde sempre; e Tu existes desde a
eternidade.
São dignos de fé os teus testemunhos, a tua casa está adornada de santidade
por todo o sempre, ó SENHOR!


Marcos 9,14-29.
Ia ter com os seus discípulos, quando viu em torno deles uma grande
multidão e uns doutores da Lei a discutirem com eles.
Assim que viu Jesus, toda a multidão ficou surpreendida e acorreu a
saudá-lo.
Ele perguntou: «Que estais a discutir uns com os outros?»
Alguém de entre a multidão disse-lhe: «Mestre, trouxe-te o meu filho que
tem um espírito mudo.
Quando se apodera dele, atira-o ao chão, e ele põe-se a espumar, a ranger
os dentes e fica rígido. Pedi aos teus discípulos que o expulsassem, mas
eles não conseguiram.»
Disse Jesus: «Ó geração incrédula, até quando estarei convosco? Até quando
vos hei-de suportar? Trazei-mo cá.»
E levaram-lho. Ao ver Jesus, logo o espírito sacudiu violentamente o jovem,
e este, caindo por terra, começou a estrebuchar, deitando espuma pela boca.

Jesus perguntou ao pai: «Há quanto tempo lhe sucede isto?» Respondeu:
«Desde a infância;
e muitas vezes o tem lançado ao fogo e à água, para o matar. Mas, se podes
alguma coisa, socorre-nos, tem compaixão de nós.»
«Se podes...! Tudo é possível a quem crê», disse-lhe Jesus.
Imediatamente o pai do jovem disse em altos brados: «Eu creio! Ajuda a
minha pouca fé!»
Vendo, Jesus, que acorria muita gente, ameaçou o espírito maligno, dizendo:
«Espírito mudo e surdo, ordeno-te: sai do jovem e não voltes a entrar
nele.»
Dando um grande grito e sacudindo-o violentamente, saiu. O jovem ficou como
morto, a ponto de a maioria dizer que tinha morrido.
Mas, tomando-o pela mão, Jesus levantou-o, e ele pôs-se de pé.
Quando Jesus entrou em casa, os discípulos perguntaram-lhe em particular:
«Porque é que nós não pudemos expulsá-lo?»
Respondeu: «Esta casta de espíritos só pode ser expulsa à força de oração.»



Da Bíblia Sagrada



Comentário ao Evangelho do dia feito por

Santa Teresa d'Ávila (1515-1582), carmelita, Doutora da Igreja
O Castelo Interior, 6.ª Morada, cap. 4

«Eu creio! Ajuda a minha pouca fé!»

Certas verdades acerca da grandeza de Deus estão tão impressas na alma que,
ainda que lhe faltasse a fé para lhe dizer quem Ele é, e para a obrigar a
reconhecê-Lo como seu Deus, a alma adorá-Lo-ia como tal. Foi exactamente
isto o que fez Jacob, depois da visão da escada misteriosa (Gn 28,12s). É
provável que este patriarca tenha compreendido, nesse instante, outros
segredos que não pôde depois explicar [...]. Não sei se estou a exprimir-me
bem, porque, ainda que tenha ouvido falar deste episódio, não sei se as
minhas recordações são exactas. Também Moisés não pôde explicar tudo o que
tinha visto na sarça, senão o que Deus lhe permitiu que revelasse. Mas, se
Deus não tivesse comunicado à sua alma a certeza dessas coisas secretas, se
não lhe tivesse dado a ver e a acreditar que eram coisas vindas de Deus,
não se teria metido em tantas e tão grandes provações. Seguramente deve ter
descoberto, no meio dos espinhos daquela sarça, tão profundas verdades, que
lhe deram a necessária coragem para fazer o que fez pelo povo de Israel.

Não temos pois de procurar, nas coisas ocultas de Deus, razões para as
compreender. Mas, porque acreditamos que Ele é todo-poderoso, devemos
igualmente acreditar que, na nossa imensa pobreza, somos incapazes de
compreender as Suas grandezas. Louvemo-Lo pois muito, porque é Seu grande
desejo revelar-nos algumas das Suas grandezas.




Gerir directamente o seu abono (ou a sua subscrição) neste endereço : www.evangelhoquotidiano.org


22 de fev de 2009

Liturgia Diária!!!

Domingo, dia 22 de Fevereiro de 2009
7º Domingo do Tempo Comum - Ano B

Sétimo Domingo do Tempo Comum (semana II do saltério)
Cadeira de São Pedro, Beato Diogo Carvalho, presbítero, mártir, +1624



Comentário ao Evangelho do dia feito por
São João Crisóstomo : «Por que fala assim?»

Leituras

Is. 43,18-19.21-22.24-25.
«Não vos lembreis dos acontecimentos de outrora, não penseis mais no
passado,
pois vou realizar algo de novo, que já está a aparecer: não o notais? Vou
abrir um caminho no deserto, e fazer correr rios na estepe.
o povo que Eu formei para mim, e assim hão-de proclamar os meus louvores.»
«Mas tu, Jacob, não era a mim que invocavas, não era por mim que te
esforçavas, Israel.
Não me compravas canela com dinheiro nem me satisfazias com a gordura das
tuas vítimas, antes, me atormentavas com os teus pecados, e me cansavas com
as tuas iniquidades.
Eu, porém, é que apagava as tuas faltas, por mim, não me lembrava dos teus
pecados.


Salmos 41(40),2-3.4-5.13-14.
Feliz daquele que cuida do pobre; no dia da desgraça, o SENHOR o salvará.
O SENHOR o guardará e lhe dará vida e felicidade na terra; não o abandonará
à mercê dos seus inimigos.
O SENHOR o assistirá no leito do sofrimento; quando estiver de cama, o
restabelecerá da doença.
Eu disse: "SENHOR, tem compaixão de mim; cura me, embora tenha pecado
contra ti!"
Tu me ajudarás, porque vivo com sinceridade, e me farás viver sempre na tua
presença.
Bendito seja o SENHOR, Deus de Israel, desde agora e para sempre. Ámen!
Ámen!


2 Cor. 1,18-22.
Mas Deus é testemunha de que a nossa palavra dirigida a vós não é «sim» e
«não.»
Pois o Filho de Deus, Jesus Cristo, aquele que foi por nós anunciado entre
vós, por mim, por Silvano e por Timóteo, não foi um «sim» e um «não», mas
unicamente um «sim.»
Nele todas as promessas de Deus se tornaram «sim» e é por isso que, graças
a Ele, nós podemos dizer o «ámen» para glória de Deus.
Aquele que nos confirma juntamente convosco em Cristo e nos dá a unção é
Deus,
Ele que nos marcou com um selo e colocou em nossos corações o penhor do
Espírito.


Marcos 2,1-12.
Dias depois, tendo Jesus voltado a Cafarnaúm, ouviu-se dizer que estava em
casa.
Juntou-se tanta gente que nem mesmo à volta da porta havia lugar, e
anunciava-lhes a Palavra.
Vieram, então, trazer-lhe um paralítico, transportado por quatro homens.
Como não podiam aproximar-se por causa da multidão, descobriram o tecto no
sítio onde Ele estava, fizeram uma abertura e desceram o catre em que jazia
o paralítico.
Vendo Jesus a fé daqueles homens, disse ao paralítico: «Filho, os teus
pecados estão perdoados.»
Ora estavam lá sentados alguns doutores da Lei que discorriam em seus
corações:
«Porque fala este assim? Blasfema! Quem pode perdoar pecados senão Deus?»
Jesus percebeu logo, em seu íntimo, que eles assim discorriam; e
disse-lhes: «Porque discorreis assim em vossos corações?
Que é mais fácil? Dizer ao paralítico: 'Os teus pecados estão perdoados',
ou dizer: 'Levanta-te, pega no teu catre e anda'?
Pois bem, para que saibais que o Filho do Homem tem na terra poder para
perdoar os pecados,
Eu te ordeno disse ao paralítico: levanta-te, pega no teu catre e vai para
tua casa.»
Ele levantou-se e, pegando logo no catre, saiu à vista de todos, de modo
que todos se maravilhavam e glorificavam a Deus, dizendo: «Nunca vimos
coisa assim!»


Da Bíblia Sagrada



Comentário ao Evangelho do dia feito por

São João Crisóstomo (cerca de 345-407), presbítero em Antioquia e depois Bispo de Constantinopla, Doutor da Igreja
Homilias sobre São Mateus, n° 29

«Por que fala assim?»

Os doutores da Lei diziam: «Blasfema! Quem pode perdoar pecados senão
Deus?» Qual é a resposta do Salvador? Terá desaprovado o que diziam? Se Ele
não fosse igual a Deus, deveria ter-lhes dito: «Por que me atribuís uma tal
pretensão?» [...] Mas não disse nada disso; pelo contrário, confirmou esta
afirmação dos seus inimigos. Dar testemunho de si mesmo levanta suspeitas;
é melhor que a verdade seja apoiada por outros, que não apenas os seus
amigos, mas é ainda melhor se o for pelos seus inimigos. [...] O nosso
Mestre tinha demonstrado a Sua força junto dos Seus amigos quando dissera
ao leproso: «Quero, fica purificado» (Mc 1,41) e ao centurião: «Não
encontrei ninguém em Israel com tão grande fé!» (Mt 8,10). Agora, faz com
que sejam os seus inimigos a testemunhar [...].

Mas há aqui, ainda, um outro testemunho da divindade de Jesus Cristo, do
facto de Ele ser igual ao Pai. Não somente porque apenas Deus pode perdoar
os pecados, mas ainda porque só Ele pode penetrar os pensamentos secretos
dos corações. Aqui está escrito: «Jesus percebeu logo, em seu íntimo, que
eles assim discorriam; e disse-lhes: «Por que discorreis assim em vossos
corações?»» O profeta escreve: «Só Tu conheces o coração dos homens» (2Cr
6,30); «Tu, que perscrutas o íntimo dos corações» (Sl 7,10) [...]; «o homem
vê as aparências, mas o Senhor olha o coração» (1Sm 16,7). Ao mesmo tempo,
Cristo dá uma nova prova da sua ternura: «Por que discorreis [o mal] nos
vossos corações?» [...]

«Que vos parece mais fácil: curar um corpo enfermo ou perdoar os pecados de
uma alma? A alma é mais elevada; as suas doenças são mais difíceis de
curar. Mas, como essa cura é invisível, farei, sob os vossos olhos, uma
cura visível, embora menos importante» [...]. Assim, Jesus faz levantar o
paralítico e manda-o voltar para casa [...]. Parece dizer-lhe: «Através
daquilo que te aconteceu, Eu gostaria de curar estas pessoas, que parecem
de boa saúde, mas que, na realidade, têm a alma doente. Mas, visto que não
querem, vai tu para tua casa; pelo menos lá, a tua cura dará frutos.»




Gerir directamente o seu abono (ou a sua subscrição) neste endereço : www.evangelhoquotidiano.org


21 de fev de 2009

Liturgia Diária!!!

Sabado, dia 21 de Fevereiro de 2009
Sábado da 6a semana do Tempo Comum

S. Pedro Damião, bispo, Doutor da Igreja, +1072



Comentário ao Evangelho do dia feito por
São João Damasceno : «Este é o Meu Filho muito amado»

Leituras

Heb. 11,1-7.
Ora a fé é garantia das coisas que se esperam e certeza daquelas que não se
vêem.
Foi por ela que os antigos foram aprovados.
Pela fé, sabemos que o mundo foi organizado pela palavra de Deus, de modo
que o que se vê provém de coisas não visíveis.
Pela fé, Abel ofereceu a Deus um sacrifício maior que o de Caim; com base
nela, foi declarado justo, porque Deus aceitou os seus dons e, por meio
dela, fala ainda depois da morte.
Pela fé, Henoc foi arrebatado, para não ver a morte, e não foi encontrado
porque Deus o tinha levado. Porém, antes de ser levado, obtivera o
testemunho de que tinha agradado a Deus.
Ora, sem a fé é impossível agradar-lhe; e quem se aproxima de Deus tem de
acreditar que Ele existe e recompensa aqueles que o procuram.
Pela fé, Noé, avisado acerca de coisas que ainda se não viam, e, tomando o
aviso a sério, construiu uma Arca para salvar a sua família; por essa fé,
condenou o mundo e tornou-se herdeiro da justiça que se obtém pela fé.


Salmos 145(144),2-3.4-5.10-11.
Todos os dias te bendirei; louvarei o teu nome para sempre.
SENHOR é grande e digno de todo o louvor; a sua grandeza é insondável.
Cada geração contará à seguinte o louvor das tuas obras e todos proclamarão
as tuas proezas.
Anunciarão o esplendor da tua majestade e eu meditarei sobre as tuas
maravilhas.
Louvem-te, SENHOR, todas as tuas criaturas; todos os teus fiéis te
bendigam.
Dêem a conhecer a glória do teu reino e anunciem os teus feitos poderosos,


Marcos 9,2-13.
Seis dias depois, Jesus tomou consigo Pedro, Tiago e João e levou-os, só a
eles, a um monte elevado. E transfigurou-se diante deles.
As suas vestes tornaram-se resplandecentes, de tal brancura que lavadeira
alguma da terra as poderia branquear assim.
Apareceu-lhes Elias, juntamente com Moisés, e ambos falavam com Ele.
Tomando a palavra, Pedro disse a Jesus: «Mestre, bom é estarmos aqui;
façamos três tendas: uma para ti, uma para Moisés e uma para Elias.»
Não sabia que dizer, pois estavam assombrados.
Formou-se, então, uma nuvem que os cobriu com a sua sombra, e da nuvem
fez-se ouvir uma voz: «Este é o meu Filho muito amado. Escutai-o.»
De repente, olhando em redor, já não viram ninguém, a não ser só Jesus, com
eles.
Ao descerem do monte, ordenou-lhes que a ninguém contassem o que tinham
visto, senão depois de o Filho do Homem ter ressuscitado dos mortos.
Eles guardaram a recomendação, discutindo uns com os outros o que seria
ressuscitar de entre os mortos.
E fizeram-lhe esta pergunta: «Porque afirmam os doutores da Lei que
primeiro há-de vir Elias?»
Jesus respondeu-lhes: «Sim; Elias, vindo primeiro, restabelecerá todas as
coisas; porém, não dizem as Escrituras que o Filho do Homem tem de padecer
muito e ser desprezado?
Pois bem, digo-vos que Elias já veio e fizeram dele tudo o que quiseram,
conforme está escrito.»


Da Bíblia Sagrada



Comentário ao Evangelho do dia feito por

São João Damasceno (c. 675-749), monge, teólogo, Doutor da Igreja
Homilia sobre a Transfiguração do Senhor, 18; PG 96, 573 (trad. Delhougne, Les Pères commentent, p. 504 rev.)

«Este é o Meu Filho muito amado»

«Uma voz dizia da nuvem: «Este é o Meu Filho muito amado, no Qual pus todo
o Meu enlevo; escutai-O!»» (Mt 17, 5). São estas as palavras do Pai saídas
da nuvem do Espírito: «Este é o Meu Filho muito amado, ele que é homem e
que tem a aparência de homem. Ontem fez-Se homem, viveu humildemente entre
vós; agora o Seu rosto resplandece. Este é o Meu Filho muito amado; Ele
existe desde antes dos séculos. Ele é o Filho único do Deus único. Fora do
tempo, foi eternamente gerado de Mim, o Pai. Não acedeu à existência depois
de Mim, mas desde toda a eternidade Ele é de Mim, está em Mim e coMigo».
[...]

Foi pela bondade do Pai que o Seu Filho único, o Seu Verbo, Se fez carne.
Foi pela Sua bondade que o Pai realizou, no Seu Filho único, a salvação do
mundo inteiro. Foi a bondade do Pai que fez a união de todas as coisas no
Seu Filho único. [...] Verdadeiramente, foi do agrado do Senhor de todas as
coisas, do Criador que governa o universo, unir no Seu Filho único a
divindade e a humanidade e, desse modo, toda a criatura, «para que Deus
seja tudo em todos» (1Cor 15, 28).

«Este é o Meu Filho muito amado, «o resplendor da Minha glória, a imagem da
Minha substância», pelo qual também criei os anjos, pelo qual o céu foi
firmado e a terra estabelecida. Ele «sustém o universo pela Sua palavra
poderosa» (Heb 1, 3) e pelo sopro da Sua boca, quer dizer, pelo Espírito
que guia e dá a vida. Escutai-O, porque aquele que O recebe, recebe-Me a
Mim (Mc 9, 37), a Mim que O enviei, não pelo Meu poder soberano, mas ao
modo de um pai. Como homem, com efeito, foi enviado, mas como Deus, Ele
permanece em Mim e Eu nEle. [...] Escutai-O, porque Ele tem palavras de
vida eterna» (Jo 6, 68).




Gerir directamente o seu abono (ou a sua subscrição) neste endereço : www.evangelhoquotidiano.org


20 de fev de 2009

Liturgia Diária!!!

Sexta-feira, dia 20 de Fevereiro de 2009
Sexta-feira da 6ª semana do Tempo Comum

Beato Francisco Marto, vidente de Fátima, +1919, Beata Jacinta Marto, vidente de Fátima, +1920



Comentário ao Evangelho do dia feito por
São Leão Magno : «Tome a sua cruz e siga-Me»

Leituras

Gén. 11,1-9.
Em toda a Terra, havia somente uma língua, e empregavam-se as mesmas
palavras.
Emigrando do oriente, os homens encontraram uma planície na terra de
Chinear e nela se fixaram.
Disseram uns para os outros: «Vamos fazer tijolos, e cozamo-los ao fogo.»
Utilizaram o tijolo em vez da pedra, e o betume serviu-lhes de argamassa.
Depois disseram: «Vamos construir uma cidade e uma torre, cujo cimo atinja
os céus. Assim, havemos de tornar-nos famosos para evitar que nos
dispersemos por toda a superfície da Terra.»
O Senhor, porém, desceu, a fim de ver a cidade e a torre que os homens
estavam a edificar.
E o Senhor disse: «Eles constituem apenas um povo e falam uma única língua.
Se principiaram desta maneira, coisa nenhuma os impedirá, de futuro, de
realizarem todos os seus projectos.
Vamos, pois, descer e confundir de tal modo a linguagem deles que não
consigam compreender-se uns aos outros.»
E o Senhor dispersou-os dali por toda a superfície da Terra, e suspenderam
a construção da cidade.
Por isso, lhe foi dado o nome de Babel, visto ter sido lá que o Senhor
confundiu a linguagem de todos os habitantes da Terra, e foi também dali
que o Senhor os dispersou por toda a Terra.


Salmos 33(32),10-11.12-13.14-15.
O SENHOR desfez os planos das nações, frustrou os projectos dos povos.
Só o plano do SENHOR permanece para sempre, e os desígnios do seu coração,
por todas as idades.
Feliz a nação cujo Deus é o SENHOR, o povo que Ele escolheu para sua
herança.
Do céu, o SENHOR contempla e vê toda a humanidade;
do trono em que está sentado, observa todos os habitantes da terra.
Ele formou o coração de cada homem e discerne todas as suas obras.


Marcos 8,34-38.9,1.
Chamando a si a multidão, juntamente com os discípulos, disse-lhes: «Se
alguém quiser vir após mim, negue-se a si mesmo, tome a sua cruz e siga-me.

Na verdade, quem quiser salvar a sua vida, há-de perdê-la; mas, quem perder
a sua vida por causa de mim e do Evangelho, há-de salvá-la.
Que aproveita ao homem ganhar o mundo inteiro, se perder a sua vida?
Ou que pode o homem dar em troca da sua vida?
Pois quem se envergonhar de mim e das minhas palavras entre esta geração
adúltera e pecadora, também o Filho do Homem se envergonhará dele, quando
vier na glória de seu Pai, com os santos anjos.»
Disse-lhes também: «Em verdade vos digo que alguns dos aqui presentes não
experimentarão a morte sem terem visto o Reino de Deus chegar em todo o seu
poder.»


Da Bíblia Sagrada



Comentário ao Evangelho do dia feito por

São Leão Magno (? – c. 461), Papa e Doutor da Igreja
8ª Homilia sobre a Paixão

«Tome a sua cruz e siga-Me»

O Senhor foi entregue aos que O odeiam. Para insultar a sua dignidade real,
obrigam-No a transportar Ele próprio o instrumento do Seu suplício. Assim
se cumpria o oráculo do profeta Isaías: «Ele recebeu sobre os Seus ombros a
insígnia do poder» (Is 9,5). Transportar assim a cruz, aquela cruz que Ele
iria transformar em ceptro da Sua força, era certamente, aos olhos dos
ímpios, um grande motivo de zombaria, mas para os fiéis foi um mistério
espantoso: o glorioso vencedor do demónio, o todo-poderoso adversário das
forças do mal, exibia aos Seus ombros, para adoração de todos os povos e
com uma paciência invencível, o troféu da Sua vitória, o sinal da salvação.
E através da imagem que Ele dá com este gesto, dir-se-ia que queria
fortalecer todos aqueles que O imitarão, todos aqueles a quem dissera:
«Aquele que não toma a sua cruz e não Me segue não é digno de Mim» (Mt
10,30).

Como a multidão acompanhasse Jesus até ao local do suplício, encontraram um
certo Simão de Cirene e fizeram passar a cruz dos ombros do Senhor para os
seus. Este gesto prefigurava a fé das nações, para quem a cruz de Cristo
iria tornar-se, não um opróbrio, mas uma glória.




Gerir directamente o seu abono (ou a sua subscrição) neste endereço : www.evangelhoquotidiano.org


19 de fev de 2009

Informativo Cléofas - 19/02/2009

Informativo Cléofas, 19 de Fevereiro de 2009 - Ano IV - Número 109

Notícias do Programa Escola da Fé


+ Bispos europeus apóiam projeto de lei sobre descanso dominical na UE
+ Ministério da Saúde pretende distribuir 1,2 bilhão de camisinhas em 2009
+ Papa tomou "uma decisão valente" ao visitar Terra Santa
+ Pobreza não se combate reduzindo a população, adverte Dom Aguer
+ Cânon lança medidas urgentes para que empregados japoneses tenham mais filhos
+ Cardeal Cipriani rechaça energicamente o Aborto e a Eutanásia
+ Papa presta homenagem a Pio XI em sua oposição ao nazismo
+ O problema não é a Teoria da Evolução, mas sim o Evolucionismo como Ideologia
+ Mãe valenciana luta pela vida de sua jovem filha em coma há 7 anos
+ Missionário devolve título honorífico ao presidente da Itália
+ Garoto de 13 anos é um dos pais mais jovens do Reino Unido
+ Fundamentalistas Hindus perseguem e ameaçam a Católicos em estado de Assam
+ Presidente Uribe pede à Virgem "uma Colômbia sem terrorismo" e sem sequestrados
+ Evo Morales pede fundar “uma nova Igreja” para substituir a que o critica
+ Seminaristas não estão em extinção

+ leia mais

O programa Escola da Fé, é exibido toda a quinta-feira às 20h30 na TV Canção Nova (Link))

 


Perguntas e Respostas

+ O transplante de Orgãos é aceito pela Igreja?
+ Católico pode fazer uso da Homeopatia?
+ Judas foi condenado por sua traição?

+ O que são pecados graves(mortais) e pecados leves(veniais)?


Blog Prof. Felipe Aquino

A GULA

Gula é comer além do necessário para se alimentar. Para alguns o prazer de comer passou a ser um fim em si mesmo, esse é o erro. Se frustram quando a refeição não é “suculenta e variada”.

Escrevendo aos filipenses, São Paulo se refere àqueles cujo “deus é o ventre” (Fil 3,19); isto é o alimento. Se a Igreja nos aponta a gula como um vício capital, é porque ela gera outros males: preguiça, comodismo, paixões, doenças, etc… Podemos comer e beber com moderação e gosto, mas não podemos fazer da comida um meio só de prazer; isso desvirtua a alimentação.

Um corpo “pesado” debilita o espírito. Santo Agostinho dizia que temia não a impureza da comida, mas a do apetite. Ele escreve uma página sábia sobre isto: “Vós me ensinastes a ingerir os alimentos como se tratasse de remédios”. Santa Catarina de Sena dizia que o “estômago cheio prejudica a mente”. Santo Ambrosio afirmava que: “Aquele que submete o seu próprio corpo e governa sua alma, sem deixar-se submergir pelas paixões, é seu próprio senhor: pode ser chamado rei porque é capaz de reger a sua própria pessoa”. Ghandi afirmava que “a verdadeira felicidade é impossível sem verdadeira saúde, e a verdadeira saúde é impossível sem rigoroso controle da gula. Todos os demais sentidos estarão automaticamente sujeitos ao controle quando a gula estiver sob controle”.

A virtude oposta à gula é a temperança; evitar todos os excessos no comer e no beber. Para destruir as raízes da gula é preciso submeter o corpo à mortificação. E esta haverá de ser sob a ação do Espírito Santo, nosso santificador. São Paulo ensinou aos gálatas e aos romanos que somente o Espírito pode destruir em nós as paixões. “Conduzi-vos pelo Espírito Santo e não satisfareis o desejo da carne” (Gal 5,16)“

...(...)

+ leia mais


Livro da Semana

Para Ser Feliz

Precisamos ter a coragem de parar diante de nós mesmos e perguntar: Eu sou feliz? Fomos feitos para a paz e para a felicidade; sem isto, podemos mergulhar na tristeza e na depressão. Para ser feliz é preciso ter coragem de vencer-se a si mesmo, sair de si, e buscá-la nos outros. Conheça neste livro a essência da verdadeira felicidade.


Ficha Técnica
Editora: Cléofas
ISBN: 85-88158-24-8
Ano: 2008
Edição: 3
Número de páginas: 264
Idioma: Português (BR)
Acabamento: Brochura
Formato: 16x23 cm


+ comprar


* Caso não deseje mais receber a newsletter, entre em contato e escolha o assunto "Newsletter - REMOVER"
** Veja nossas regras para a newsletter aqui.
LANÇAMENTO


Problemas no Namoro
14x21 cm - 184 páginas.


Shopping Cléofas


Só Por Ti Jesus
14x21 cm - 200 páginas


Jovem, Levanta-te!
14x21 cm - 176 páginas.


 


© 2009 - Editora Cléofas

Liturgia Diária!!!

Quinta-feira, dia 19 de Fevereiro de 2009
Quinta-feira da 6ª semana do Tempo Comum

S. Conrado de Placência, confessor, +1351



Comentário ao Evangelho do dia feito por
São Cirilo de Jerusalém : «Pedro, desviando-se com Ele um pouco, começou a repreendê-Lo.»

Leituras

Gén. 9,1-13.
Deus abençoou Noé e os seus filhos, e disse-lhes: «Sede fecundos,
multiplicai-vos e enchei a terra.
Sereis temidos e respeitados por todos os animais da terra, por todas as
aves do céu, por tudo quanto rasteja sobre a terra e por todos os peixes do
mar; ponho-os à vossa disposição.
Tudo o que se move e tem vida servir-vos-á de alimento; dou-vos tudo isso
como já vos tinha dado as plantas verdes.
Porém, não comereis a carne com a sua vida, o sangue.
Ficai também a saber que pedirei contas do vosso sangue a todos os animais,
por causa das vossas vidas; e ao homem, igualmente, pedirei contas da vida
do homem, seu irmão.
A quem derramar o sangue do homem, pela mão do homem será derramado o seu,
porque Deus fez o homem à sua imagem.
Quanto a vós, sede fecundos e multiplicai-vos; espalhai-vos pela Terra e
multiplicai-vos sobre ela.»
A seguir, Deus disse a Noé e a seus filhos:
«Vou estabelecer a minha aliança convosco, com a vossa descendência futura
e com os demais seres vivos que vos rodeiam: as aves, os animais
domésticos, todos os animais selvagens que estão convosco, todos aqueles
que saíram da arca.
Estabeleço convosco esta aliança: não mais criatura alguma será exterminada
pelas águas do dilúvio e não haverá jamais outro dilúvio para destruir a
Terra.»
E Deus acrescentou: «Este é o sinal da aliança que faço convosco, com todos
os seres vivos que vos rodeiam e com as demais gerações futuras:
coloquei o meu arco nas nuvens, para que seja o sinal da aliança entre mim
e a Terra.


Salmos 102(101),16-18.19-21.29.22-23.
Os povos honrarão, SENHOR, o teu nome, e todos os reis da terra, a tua
majestade.
Quando o SENHOR reconstruir Sião e manifestar a sua glória,
há-de voltar-se para a oração do indigente e não desprezará as suas
súplicas.
Escrevam-se estas coisas para as gerações futuras, e os que hão-de nascer
louvarão o SENHOR.
SENHOR observa do alto do seu santuário; lá do céu, Ele olha para a terra,
para escutar os gemidos dos cativos e livrar os condenados à morte.
Os filhos dos teus servos hão-de viver tranquilos e a sua descendência
perdurará na tua presença.
Em Sião será anunciado o nome do SENHOR, e em Jerusalém, a sua glória,
quando os povos de todas as nações se reunirem para servirem o SENHOR.


Marcos 8,27-33.
Jesus partiu com os discípulos para as aldeias de Cesareia de Filipe. No
caminho, fez aos discípulos esta pergunta: «Quem dizem os homens que Eu
sou?»
Disseram-lhe: «João Baptista; outros, Elias; e outros, que és um dos
profetas.»
«E vós, quem dizeis que Eu sou?» perguntou-lhes. Pedro tomou a palavra, e
disse: «Tu és o Messias.»
Ordenou-lhes, então, que não dissessem isto a ninguém.
Começou, depois, a ensinar-lhes que o Filho do Homem tinha de sofrer muito
e ser rejeitado pelos anciãos, pelos sumos sacerdotes e pelos doutores da
Lei, e ser morto e ressuscitar depois de três dias.
E dizia claramente estas coisas. Pedro, desviando-se com Ele um pouco,
começou a repreendê-lo.
Mas Jesus, voltando-se e olhando para os discípulos, repreendeu Pedro,
dizendo-lhe: «Vai-te da minha frente, Satanás, porque os teus pensamentos
não são os de Deus, mas os dos homens.»


Da Bíblia Sagrada



Comentário ao Evangelho do dia feito por

São Cirilo de Jerusalém (313-350), Bispo de Jerusalém e Doutor da Igreja
Catequese baptismal n° 13, 3.6.23 (trad. breviário)

«Pedro, desviando-se com Ele um pouco, começou a repreendê-Lo.»

Não devemos ter vergonha da cruz do Salvador, mas devemos gloriar-nos nela.
«A linguagem da cruz é escândalo para os judeus, loucura para os gentios»,
mas para nós é salvação. É loucura para os que se perdem, e poder de Deus
para os que se salvam (1Cor 1, 18-24). Não foi apenas um homem que morreu,
mas o Filho de Deus, Deus feito homem. No tempo de Moisés, o cordeiro
afastou o anjo exterminador (Ex 12, 23); pois muito mais «o Cordeiro de
Deus que vai tirar o pecado do mundo» (Jo 1, 29) nos libertou dos nossos
pecados. [...]

Não foi obrigado que Ele deixou a vida, não foi pela força que foi imolado,
mas pela Sua própria vontade. Escutai o que nos diz: «Tenho poder para a
dar e para tornar a tomá-la» (Jo 10, 18). [...] Entregou-Se deliberadamente
à sua Paixão, feliz pela Sua entrega, sorrindo ao Seu triunfo, contente por
salvar os homens. Não teve vergonha da cruz, porque salvava a terra
inteira. Não era um pobre homem que sofria, mas Deus feito homem que ia
combater para obter o preço da paciência. [...]

Não te regozijes da cruz somente em tempos de paz; guarda a mesma fé em
tempos de perseguição; não sejas amigo de Jesus apenas em tempos de paz,
para te tornares Seu inimigo em tempos de guerra. Recebes agora o perdão
dos teus pecados e os dons espirituais prodigalizados pelo teu rei; quando
eclodir a guerra, combate com bravura pelo teu rei. Jesus foi crucificado
por ti, Ele que não tinha pecado. [...] Não foste tu que Lhe deste esta
graça, porque recebeste-a primeiro. Mas dá graças Àquele que pagou a tua
dívida sendo crucificado por ti no Gólgota.




Gerir directamente o seu abono (ou a sua subscrição) neste endereço : www.evangelhoquotidiano.org



"Despojemo-nos das ações das trevas e vistamos as armas da Luz" Rm 13,12