21 de ago de 2009

São Pio X

Liturgia Diária!!!

Sexta-feira, dia 21 de Agosto de 2009
Sexta-feira da 20ª semana do Tempo Comum

S. Pio X, papa, +1914



Comentário ao Evangelho do dia feito por
Clemente de Alexandria : Os dois mandamentos

Leituras

Rute 1,1.3-6.14-16.22.
No tempo em que os Juízes governavam, uma fome assolou o país. Certo homem
de Belém de Judá emigrou para os campos de Moab com sua mulher e seus dois
filhos.
Entretanto, Elimélec, esposo de Noemi, morreu, deixando-a com os seus dois
filhos.
Eles tomaram para si mulheres moabitas, uma chamada Orpa e outra Rute.
Viveram ali cerca de dez anos.
Morrendo Maalon e Quilion, Noemi ficou só, sem os seus dois filhos e sem o
marido.
Então levantou-se, na companhia das duas noras, para regressar dos campos
de Moab, pois ouvira dizer que o Senhor tinha visitado o seu povo e lhes
tinha dado pão.
Elas choraram novamente em alto pranto. Entretanto, Orpa beijou a sua sogra
e retirou-se, mas Rute permaneceu na sua companhia.
Noemi disse-lhe: «Vês, a tua cunhada voltou para o seu povo e para os seus
deuses. Vai tu também com a tua cunhada.»
Mas Rute respondeu: «Não insistas para que te deixe, pois onde tu fores, eu
irei contigo e onde pernoitares, aí ficarei; o teu povo será o meu povo e o
teu Deus será o meu Deus.
Foi assim que Noemi voltou, e com ela a sua nora, Rute, que era originária
dos campos de Moab. E chegaram a Belém, no início da colheita da cevada.


Salmos 146(145),5-6.7.8-9.10.
Feliz de quem tem por auxílio o Deus de Jacob, de quem põe a sua esperança
no SENHOR, seu Deus.
Ele criou os céus, a terra e o mar e tudo o que neles existe.
Ele é eternamente fiel à sua palavra; salva os oprimidos, dá pão aos que
têm fome; o SENHOR liberta os prisioneiros.
SENHOR dá vista aos cegos, o SENHOR levanta os abatidos; o SENHOR ama o
homem justo.
SENHOR protege os que vivem em terra estranha e ampara o órfão e a viúva,
mas entrava o caminho aos pecadores.
SENHOR reinará eternamente! O teu Deus, ó Sião, reinará por todas as
gerações!


Mateus 22,34-40.
Constando-lhes que Jesus reduzira os saduceus ao silêncio, os fariseus
reuniram-se em grupo.
E um deles, que era legista, perguntou-lhe para o embaraçar:
«Mestre, qual é o maior mandamento da Lei?»
Jesus disse lhe: Amarás ao Senhor, teu Deus, com todo o teu coração, com
toda a tua alma e com toda a tua mente.
Este é o maior e o primeiro mandamento.
O segundo é semelhante: Amarás ao teu próximo como a ti mesmo.
Destes dois mandamentos dependem toda a Lei e os Profetas.»


Da Bíblia Sagrada



Comentário ao Evangelho do dia feito por

Clemente de Alexandria (150 - c. 215), teólogo
Homilia «Que rico se pode salvar?» (a partir da trad. col. Icthus, vol. 6, p. 42 rev.)

Os dois mandamentos

Quando perguntaram ao Mestre qual era o maior dos mandamentos, Ele
respondeu: «Amarás o Senhor teu Deus com todo o teu coração e com todas as
tuas forças. Não há maior mandamento». E eu acredito nisso, porque diz
respeito ao Ser essencial e primeiro, Deus nosso Pai, por Quem tudo foi
feito, tudo permanece, e a Quem voltarão todos os que forem salvos. Foi Ele
Quem nos amou primeiro, Quem nos fez nascer; seria sacrilégio pensar que
exista um ser mais antigo e mais sábio. O nosso reconhecimento é ínfimo,
comparado com as imensas graças que nos concedeu, mas não podemos
oferecer-Lhe outro testemunho, a Ele que é perfeito e de nada necessita.
Amemos o nosso Pai com todas as nossas forças e todo o nosso fervor e
receberemos a imortalidade. Quanto mais se ama a Deus, mais a nossa
natureza se mistura e se confunde com a Sua.

O segundo mandamento, diz Jesus, em nada fica atrás do primeiro: «Amarás o
teu próximo como a ti mesmo.» [...] Quando o doutor da Lei pergunta a
Jesus: «E quem é o meu próximo?» (Lc 10, 29), Ele não lhe responde com a
definição judaica de próximo – o parente, o concidadão, o prosélito, o
homem que vive sob a mesma lei; mas conta a história de um viajante que
descia de Jerusalém para Jericó. Ferido pelos ladrões [...], esse homem foi
tratado por um Samaritano, que «se mostrou seu próximo» (v. 36).

E quem é meu próximo mais do que o Salvador? Quem teve mais piedade de nós
quando os poderes das trevas nos abandonaram e golpearam? [...] Só Jesus
soube curar as nossas chagas e extirpar os males enraizados nos nossos
corações. [...] É por isso que devemos amá-Lo tanto quanto a Deus. E amar a
Cristo Jesus é cumprir a Sua vontade e guardar os Seus mandamentos.




Gerir directamente o seu abono (ou a sua subscrição) neste endereço : www.evangelhoquotidiano.org


20 de ago de 2009

Estamos dispostos a ir à prisão antes que acatar lei do aborto, dizem ginecologistas

.- O Dr. Esteban Rodríguez, porta-voz da plataforma de médicos de Direito a Viver, respondeu ao Ministro de Justiça da Espanha, Francisco Caamaño, quem há uns dias atrás disse que ante a lei do aborto não cabe a objeção de consciência, assinalando que "estamos dispostos a ir à prisão antes que acatar uma lei criminal, e estamos dispostos a cometer um suposto delito de desobediência antes que um delito de aborto".

O médico explicou que "não mataremos a nossos pacientes nem cometeremos um delito contra a saúde pública lesando deliberadamente a saúde das mulheres, por muito que nos ameace o ministro da Justiça, abusando de seu poder".

"Os médicos não são soldados, nem policiais, nem carrascos. Não há desobediência civil na negativa a matar a um ser humano, a não ser cumprimento de nossa obrigação profissional", acrescentou.

Assim, considera que, se o Governo cumprir com a ameaça do ministro de Justiça de tratar penalmente aos impedimentos como desobedientes, "será gerada uma nova categoria de vítimas das leis do aborto e de regulação da consciência: os ginecologistas que desejem cumprir com seu sentido de responsabilidade frente a uma ideologia imposta".

Depois de recordar que a objeção de consciência deve ser respeitada pois está estabelecida no artigo 16 da Constituição espanhola, Rodríguez assinalou que "resulta-nos surpreendente que uma lei que pretende proteger, para evitar a prisão, a certos mercenários da Medicina, como o condenado doutor Morín, que lucram matando seres humanos à custa de lesar a saúde das mulheres, vá secundada de outra lei que pretende a desproteção, penalizando com a prisão aos médicos que tratem de defender as vidas de seus pacientes e não danificar a saúde das mulheres".

"Recomendamos, que eles vão pensando em criar uma nova categoria de funcionários do ministério de justiça ou do de igualdade: os carrascos fetais", adicionou o Dr. Rodríguez.

"Parecem-nos altamente preocupantes as intenções totalitárias do Ministério de Justiça, em simbiose com o de Igualdade. Se o anterior ministro de Justiça conseguiu instigar aos profissionais da magistratura, este o conseguirá com os profissionais da Medicina", concluiu.

ACI DIGITAL

Informativo Cléofas - 20/08/09

Informativo Cléofas, 20 de Agosto de 2009 - Ano IV - Número 133

Notícias do Programa Escola da Fé

+ "Não há explicação científica" para o Manto de Virgem de Guadalupe, diz perito
+ Juiz evangélico defende crucifixos em repartições públicas
+ Governador mexicano defende lei pró-vida em Congresso Internacional de Família
+ Divulgado programa do Congresso Mundial de Padres em 2010
+ Presença da Igreja nos shoppings
+ Deus não pode ser tirado das escolas da Venezuela, exclama Cardeal Urosa
+ Santuário de Fátima acolhe exposição sobre Milagres Eucarísticos
+ Aprovação do acordo Brasil-Santa Sé será “gesto de lucidez”, diz arcebispo



+ leia mais

O programa Escola da Fé, é exibido toda a quinta-feira às 20h30 na TV Canção Nova (Link))


Perguntas e Respostas

+ A Igreja é contra o uso de cobaias Humanas?
+ Por que a Igreja Católica proíbe o consumo de carne vermelha na Semana Santa?
+ Por que os Padres não podem casar-se ?

+ O demônio pode ler nossos pensamentos? Como pode nos tentar?

+ índice


Blog do Prof. Felipe

Ação para retirada de símbolos religiosos é exagero, diz Mendes

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Gilmar Mendes, afirmou nesta terça-feira, 11, que considera um exagero a ação do Ministério Público Federal que pede a retirada de símbolos religiosos nos locais públicos federais de São Paulo.

Mendes aponta que se a questão fosse aprofundada e fossem tomadas atitudes radicais, até o calendário seria revisto. “Nós estamos agora no ano de 2009, que significa 2009 anos depois de Cristo. Vamos colocar isso em xeque? O próprio calendário, o sábado, o domingo, será revisto? A Páscoa, o Natal?”, questionou.

O ministro disse que o Ministério Público Federal tem “muito mais coisa para fazer” antes de se preocupar com essa questão. Sua declaração foi feita antes de participar de uma banca de doutorado na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP)...(...)

leia mais


Livro da Semana

Entrai pela Porta Estreita

O mundo vai mal porque está habituado a dar “soluções fáceis para problemas difíceis”, como certa vez denunciou o Papa Paulo VI.

Essas “soluções” são cômodas e rápidas, mas não resolvem os problemas; e, por isso, os agrava ainda mais, porque, na verdade, são muitas vezes imorais.

Entre elas encontramos o aborto, a esterilização em massa de homens e mulheres, a eutanásia, o suicídio, o divórcio, a “camisinha”, a pena de morte, os linchamentos, as invasões de terra, as religiões “alternativas”, as seitas, os bebês de proveta, a liberdade sexual e tantas outras “saídas”, fáceis, que vão agravando cada vez mais os problemas ao invés de, de fato, resolvê-los. São soluções que não condizem com a Lei de Deus e a moral católica.

Este livro apresenta reflexões à luz do Evangelho e dos ensinamentos da Igreja, e do seu Magistério, para enfrentar e resolver, de fato, os nossos angustiantes problemas.
São soluções difíceis porque nossos males são graves. É o caminho da Igreja: o da “porta estreita”.


Ficha Técnica
Editora: Cléofas
ISBN: 85-86283-02-9
Ano: 2005
Edição: 4
Número de páginas: 200
Idioma: Português (BR)
Acabamento: Brochura
Formato: 14x21 cm


+ comprar


* Caso não deseje mais receber a newsletter, entre em contato e escolha o assunto "Newsletter - REMOVER"
** Veja nossas regras para a newsletter aqui.
Lançamento



Jesus Sinal de Contradição

14x21 cm - 264 páginas


Shopping Cléofas



Os Sete Sacramentos

14x21 cm - 208 páginas



A Minha Igreja

14x21 cm - 208 páginas



© 2009 - Editora Cléofas

São Bernardo

Liturgia Diária!!!

Quinta-feira, dia 20 de Agosto de 2009
Quinta-feira da 20ª semana do Tempo Comum

S. Bernardo de Claraval, abade, Doutor da Igreja, +1153



Comentário ao Evangelho do dia feito por
Santo Agostinho : O traje das bodas

Leituras

Juízes 11,29-39.
Então, o espírito do SENHOR desceu sobre Jefté; Jefté atravessou Guilead e
Manassés; depois, Mispá de Guilead; de Mispá de Guilead atravessou a
fronteira dos amonitas.
Jefté fez um voto ao SENHOR, dizendo: «Se realmente entregas nas minhas
mãos os amonitas,
pertencerá ao SENHOR quem quer que saia das portas da minha casa para me
vitoriar pelo meu regresso a salvo da terra dos amonitas; eu oferecê-lo-ei
em holocausto.»
Então, Jefté marchou contra os amonitas e travou combate contra eles; o
SENHOR entregou-os nas suas mãos.
Derrotou-os desde Aroer até às proximidades de Minit, tomando-lhes vinte
cidades, e até Abel-Queramim; foi uma derrota muito grande; deste modo, os
amonitas foram humilhados pelos filhos de Israel.
Quando Jefté regressou a sua casa em Mispá, eis que sua filha saiu para o
vitoriar, dançando e tocando tamborim; ela era filha única; não tinha mais
filhos nem filhas.
Ao vê-la, rasgou as suas vestes e disse: «Ai, minha filha! Tu fazes-me
lançar no desespero! Tu és a minha desgraça! Eu falei demais na presença do
SENHOR; agora não posso tornar atrás.»
Ela disse-lhe: «Meu pai, tu falaste demais na presença do SENHOR; faz
comigo segundo o que saiu da tua boca, pois o SENHOR deu-te a vingança
contra os teus inimigos, os amonitas.»
Depois, disse a seu pai: «Concede-me o seguinte: deixa-me sozinha durante
dois meses para que eu vá vaguear pelas montanhas, chorando a minha
virgindade, eu e as minhas companheiras.»
Ele disse: «Vai.» E deixou-a partir durante dois meses; ela foi com as suas
companheiras e chorou sobre as montanhas a sua virgindade.
Ao fim de dois meses, voltou para junto de seu pai; este cumpriu nela o
voto que havia feito. Ora ela não conhecera homem e foi assim que nasceu em
Israel


Salmos 40,5.7-8.9.10.
Feliz o homem que confia no SENHOR e não se volta para os idólatras, para
os que seguem a mentira.
Não quiseste sacrifícios nem oblações, mas abriste me os ouvidos para
escutar; não pediste holocaustos nem vítimas.
Então eu disse: "Aqui estou! No Livro da Lei está escrito aquilo que devo
fazer."
Esse é o meu desejo, ó meu Deus; a tua lei está dentro do meu coração.
Anunciei a tua justiça na grande assembleia; Tu bem sabes, SENHOR, que não
fechei os meus lábios.


Mateus 22,1-14.
Tendo Jesus recomeçado a falar em parábolas, disse-lhes:
«O Reino do Céu é comparável a um rei que preparou um banquete nupcial para
o seu filho.
Mandou os servos chamar os convidados para as bodas, mas eles não quiseram
comparecer.
De novo mandou outros servos, ordenando-lhes: 'Dizei aos convidados: O meu
banquete está pronto; abateram-se os meus bois e as minhas reses gordas;
tudo está preparado. Vinde às bodas.'
Mas eles, sem se importarem, foram um para o seu campo, outro para o seu
negócio.
Os restantes, apoderando-se dos servos, maltrataram-nos e mataram-nos.
O rei ficou irado e enviou as suas tropas, que exterminaram aqueles
assassinos e incendiaram a sua cidade.
Disse, depois, aos servos: 'O banquete das núpcias está pronto, mas os
convidados não eram dignos.
Ide, pois, às saídas dos caminhos e convidai para as bodas todos quantos
encontrardes.'
Os servos, saindo pelos caminhos, reuniram todos aqueles que encontraram,
maus e bons, e a sala do banquete encheu-se de convidados.
Quando o rei entrou para ver os convidados, viu um homem que não trazia o
traje nupcial.
E disse-lhe: 'Amigo, como entraste aqui sem o traje nupcial?' Mas ele
emudeceu.
O rei disse, então, aos servos: 'Amarrai-lhe os pés e as mãos e lançai-o
nas trevas exteriores; ali haverá choro e ranger de dentes.'
Porque muitos são os chamados, mas poucos os escolhidos.»


Da Bíblia Sagrada



Comentário ao Evangelho do dia feito por

Santo Agostinho (354-430), Bispo de Hipona (Norte de África) e Doutor da Igreja
Sermão 90, 5-6; PL 38-39, 561-563

O traje das bodas

Que é o traje das bodas, a veste nupcial? O apóstolo Paulo diz-nos: «Os
preceitos não têm outro objectivo senão a caridade que nasce de um coração
puro, de uma boa consciência e de uma fé sem fingimento» (1Tim 1, 5). É
essa a veste nupcial. Não se trata de um qualquer amor, porque muitas vezes
vêem-se homens que amam com má consciência. Os que se entregam juntos a
brigas, à maldade, os que se amam com o amor dos actores, dos condutores de
carros, dos gladiadores, amam-se generosamente entre si, mas não com aquela
caridade que nasce de um coração puro, de uma boa consciência e de uma fé
sem fingimento; ora, a veste nupcial não é essa caridade.

Revesti-vos, pois, da veste nupcial, vós que ainda a não tendes. Já
entrastes na sala do banquete, ides aproximar-vos da mesa do Senhor, mas
não tendes ainda, em honra do Esposo, a veste nupcial: procurais ainda os
vossos interesses e não os de Jesus Cristo. Usa-se o traje nupcial para
honrar a união nupcial, isto é, o Esposo e a Esposa. Vós conheceis o
Esposo, é Jesus Cristo; conheceis a Esposa, é a Igreja (Ef 5, 32). Prestai
honra àquela que é desposada, prestai honra também Àquele que a desposa.




Gerir directamente o seu abono (ou a sua subscrição) neste endereço : www.evangelhoquotidiano.org


19 de ago de 2009

São João Eudes

Liturgia Diária!!!

Quarta-feira, dia 19 de Agosto de 2009
Quarta-feira da 20ª semana do Tempo Comum

S. João Eudes, presbítero, +1680



Comentário ao Evangelho do dia feito por
S. João Crisóstomo : O homem da décima primeira hora: «Os últimos serão os primeiros»

Leituras

Juízes 9,6-15.
Juntaram-se, então, todos os senhores de Siquém e toda a casa de Milo, e
foram proclamar rei Abimélec, junto do terebinto do monumento que está em
Siquém.
Isto foi comunicado a Jotam. E ele foi colocar-se no cimo do monte Garizim;
ergueu a voz e gritou; depois, disse-lhes: «Ouvi-me, senhores de Siquém, e
que Deus vos oiça!
As árvores puseram-se a caminho para ungirem um rei para si próprias.
Disseram, então, à oliveira: 'Reina sobre nós.'
Disse-lhes a oliveira: 'Irei eu renunciar ao meu óleo, com que se honram os
deuses e os homens, para me agitar por cima das árvores?'
As árvores disseram, depois, à figueira: 'Vem tu, então, reinar sobre nós.'

Disse-lhes a figueira: 'Irei eu renunciar à minha doçura e aos meus bons
frutos, para me agitar sobre as árvores?'
Disseram, então, as árvores à videira: 'Vem tu reinar sobre nós.'
Disse-lhes a videira: 'Irei eu renunciar ao meu mosto, que alegra os deuses
e os homens, para me agitar sobre as árvores?'
Então, todas as árvores disseram ao espinheiro: 'Vem tu, reina tu sobre
nós.'
Disse o espinheiro às árvores: 'Se é de boa mente que me ungis rei sobre
vós, vinde, abrigai-vos à minha sombra; mas, se não é assim, sairá do
espinheiro um fogo que há-de devorar os cedros do Líbano!'


Salmos 21(20),2-3.4-5.6-7.
SENHOR, o rei alegra se com o teu poder e regozija se com o teu auxílio.
Satisfizeste os desejos do seu coração; não recusaste os pedidos da sua
boca.
Foste ao seu encontro com bênçãos preciosas; puseste lhe na cabeça uma
coroa de ouro fino.
Pediu te a vida e Tu lha concedeste, vida longa, pelos séculos além.
Devido à tua ajuda, é grande a sua glória; cumulaste-o de esplendor e
majestade,
abençoaste-o para sempre e encheste-o de alegria na tua presença.


Mateus 20,1-16.
«Com efeito, o Reino do Céu é semelhante a um proprietário que saiu ao
romper da manhã, a fim de contratar trabalhadores para a sua vinha.
Ajustou com eles um denário por dia e enviou-os para a sua vinha.
Saiu depois pelas nove horas, viu outros na praça, que estavam sem
trabalho,
e disse-lhes: 'Ide também para a minha vinha e tereis o salário que for
justo.'
E eles foram. Saiu de novo por volta do meio-dia e das três da tarde, e fez
o mesmo.
Saindo pelas cinco da tarde, encontrou ainda outros que ali estavam e
disse-lhes: 'Porque ficais aqui todo o dia sem trabalhar?'
Responderam-lhe: 'É que ninguém nos contratou.' Ele disse-lhes: 'Ide também
para a minha vinha.'
Ao entardecer, o dono da vinha disse ao capataz: 'Chama os trabalhadores e
paga-lhes o salário, começando pelos últimos até aos primeiros.'
Vieram os das cinco da tarde e receberam um denário cada um.
Vieram, por seu turno, os primeiros e julgaram que iam receber mais, mas
receberam, também eles, um denário cada um.
Depois de o terem recebido, começaram a murmurar contra o proprietário,
dizendo:
'Estes últimos só trabalharam uma hora e deste-lhes a mesma paga que a nós,
que suportámos o cansaço do dia e o seu calor.'
O proprietário respondeu a um deles: 'Em nada te prejudico, meu amigo. Não
foi um denário que nós ajustámos?
Leva, então, o que te é devido e segue o teu caminho, pois eu quero dar a
este último tanto como a ti.
Ou não me será permitido dispor dos meus bens como eu entender? Será que
tens inveja por eu ser bom?'
Assim, os últimos serão os primeiros e os primeiros serão os últimos.
Porque muitos são os chamados, mas poucos os escolhidos.»


Da Bíblia Sagrada



Comentário ao Evangelho do dia feito por

S. João Crisóstomo (c. 345-407), sacerdote em Antioquia, mais tarde Bispo de Constantinopla, Doutor da Igreja
Homilia para Sexta-feira Santa «A Cruz e o ladrão» (a partir da trad. Année en fêtes, Migne 2000, p. 277)

O homem da décima primeira hora: «Os últimos serão os primeiros»

Que fez, pois, o ladrão para receber em herança o paraíso, logo a seguir à
cruz? [...] Enquanto Pedro negava Cristo, o ladrão, do alto da cruz, dava
testemunho Dele. Não digo isto para denegrir Pedro; digo-o para pôr em
evidência a grandeza de alma do ladrão. [...] Aquele ladrão, enquanto toda
a populaça se mantinha à sua volta, acusando, vociferando, cobrindo-os de
blasfémias e de sarcasmos, não lhes deu a menor importância. Nem sequer
teve em conta o estado miserável da crucifixão que se erguia diante dele.
Lançou sobre tudo isso um olhar cheio de fé. [...] Virou-se para o Senhor
dos céus e, entregando-se a Ele, disse: «Lembra-te de mim, Senhor, quando
fores para o teu Reino» (Lc 23, 42). Não menosprezemos o exemplo do ladrão
nem tenhamos vergonha de o tomarmos como mestre, a ele que nosso Senhor não
desdenhou de fazer entrar no paraíso em primeiro lugar. [...]

Ele não lhe disse, como fizera a Pedro: «Vem, segue-Me e farei de ti um
pescador de homens» (Mt 4, 19). Também não lhe disse, como aos Doze:
«Sentar-vos-eis sobre doze tronos para julgar as doze tribos de Israel» (Mt
19, 28). Não o agraciou com nenhum título; não lhe mostrou qualquer
milagre. O ladrão não O viu ressuscitar um morto, nem expulsar demónios;
não viu o mar obedecer-Lhe. Cristo não lhe disse nada acerca do Reino, nem
da geena. E, contudo, deu testemunho dEle diante de todos e recebeu o Reino
em herança.




Gerir directamente o seu abono (ou a sua subscrição) neste endereço : www.evangelhoquotidiano.org


18 de ago de 2009

CEFASCAST agora em site próprio para podcast!


Acesse já o site próprio para podcast onde estaremos construindo o nosso podcast
"CEFASCAST"!
Clique na imagem acima e conheça o site!
Ouça, Baixe ou assine o rss do podcast!
No mais novo episódio trazemos matéria sobre a internet e a humanização e a Catequese do Papa sobre Nossa Senhora e o Sacerdócio!
Seja Bem vindo!

Santa Helena

Liturgia Diária!!!

Terça-feira, dia 18 de Agosto de 2009
Terça-feira da 20 semana do Tempo Comum

Santo Alberto Hurtado Cruchaga, presbítero, +1952, Santa Helena, mãe do imperador Constantino, +328



Comentário ao Evangelho do dia feito por
São Pedro Damião : «Receberá cem vezes mais agora, no tempo presente» (Mc 10, 30)

Leituras

Juízes 6,11-24.
Veio, então, o anjo do SENHOR e colocou-se debaixo do terebinto de Ofra,
que era propriedade de Joás, da família de Abiézer; e Gedeão, seu filho,
estava a limpar o trigo no lagar, para o esconder da vista dos madianitas.
O anjo do SENHOR viu-o e disse-lhe: «O SENHOR está contigo, valente
guerreiro!»
Respondeu-lhe Gedeão: «Por favor, meu Senhor: se o SENHOR está connosco,
então porque é que nos aconteceu tudo isto? Onde estão todas as maravilhas
que nos contavam os nossos pais, quando diziam: 'Não é verdade que o SENHOR
nos fez sair do Egipto?' Pois agora o SENHOR abandonou-nos e entregou-nos
nas mãos dos madianitas.»
O SENHOR voltou-se para ele e disse: «Vai com toda a tua força, e salva
Israel do poder dos madianitas; sou Eu que te envio.»
Disse-lhe ele: «Por favor, meu Senhor, como salvarei eu Israel? A minha
família é a mais pobre de Manassés, e eu sou o mais jovem da casa de meu
pai!»
Disse-lhe o SENHOR: «Eu estarei contigo e tu hás-de derrotar os madianitas,
como se fossem um só homem.»
Gedeão respondeu: «Se, porventura, mereci o teu favor, mostra-me por um
sinal que és Tu quem fala comigo.
Por favor te peço: Não te afastes deste lugar até que eu venha ter contigo;
trarei a minha oferta e colocá-la-ei na tua presença.» Ele disse: «Eu
ficarei aqui até que regresses.»
Gedeão foi preparar um cabrito e, com uma medida de farinha, preparou pães
ázimos; pôs a carne num cesto e o molho numa panela; depois, levou tudo
para baixo do terebinto e ofereceu-lho.
Disse-lhe o anjo de Deus: «Toma a carne e os pães ázimos, põe-nos sobre
esta rocha e espalha o molho.» Gedeão assim fez.
O anjo do SENHOR estendeu a extremidade do bastão que tinha na mão e tocou
na carne e nos pães ázimos; saiu fogo da rocha e devorou a carne e os pães
ázimos. Então, o anjo do SENHOR desapareceu da vista dele.
Gedeão viu que era o anjo do SENHOR e disse: «Ai, Senhor DEUS, que eu vi
face a face o anjo do SENHOR!»
O SENHOR disse-lhe: «A paz seja contigo! Não temas: não morrerás!»
Gedeão erigiu ali um altar ao SENHOR e chamou-lhe: «O SENHOR é paz.» Até ao
dia de hoje, este altar ainda está em Ofra de Abiézer.


Salmos 85,9.11-12.13-14.
Prestarei atenção ao que diz o SENHOR Deus; Ele promete paz para o seu povo
e para os seus amigos e para todos os que se voltam para Ele de coração.
O amor e a fidelidade vão encontrar-se. Vão beijar-se a justiça e a paz.
Da terra vai brotar a verdade e a justiça descerá do céu.
O próprio SENHOR nos dará os seus bens e a nossa terra produzirá os seus
frutos.
A justiça caminhará diante dele e a paz, no rasto dos seus passos.


Mateus 19,23-30.
Jesus disse, então, aos discípulos: «Em verdade vos digo que dificilmente
um rico entrará no Reino do Céu.
Repito-vos: É mais fácil passar um camelo pelo fundo de uma agulha, do que
um rico entrar no Reino do Céu.»
Ao ouvir isto, os discípulos ficaram estupefactos e disseram: «Então, quem
pode salvar-se?»
Fixando neles o olhar, Jesus disse-lhes: «Aos homens é impossível, mas a
Deus tudo é possível.»
Tomando a palavra, Pedro disse-lhe: «Nós deixámos tudo e seguimos-te. Qual
será a nossa recompensa?»
Jesus respondeu-lhes: «Em verdade vos digo: No dia da regeneração de todas
as coisas, quando o Filho do Homem se sentar no seu trono de glória, vós,
que me seguistes, haveis de sentar-vos em doze tronos para julgar as doze
tribos de Israel.
E todo aquele que tiver deixado casas, irmãos, irmãs, pai, mãe, filhos ou
campos por causa do meu nome, receberá cem vezes mais e terá por herança a
vida eterna.
Muitos dos primeiros serão os últimos, e muitos dos últimos serão os
primeiros.»


Da Bíblia Sagrada



Comentário ao Evangelho do dia feito por

São Pedro Damião (1007-1072), eremita e posteriormente bispo, Doutor da Igreja
Sermão 9; PL 1, 54-553 (a partir da trad. Delhougne, Les Pères commentent, p.499)

«Receberá cem vezes mais agora, no tempo presente» (Mc 10, 30)

Temos de viver desligados das coisas que possuímos e da nossa própria
vontade, se quisermos seguir Aquele que não tinha «onde reclinar a cabeça»
(Lc 9, 58), que veio, não para fazer a Sua vontade, mas, como disse, «a
vontade d'Aquele que Me enviou» (Jo 6, 38). [...]. Conheceremos assim por
experiência própria o que a Vontade promete a todo aquele que tudo abandona
e que caminha seguindo os Seus passos: «Receberá cem vezes mais agora [...]
e no tempo futuro, a vida eterna» (Mc 10, 30). De facto, o dom do cêntuplo
é grande conforto para a nossa caminhada, e a posse da vida eterna será a
felicidade infinita na pátria celeste.

Mas o que é este cêntuplo ? É, simplesmente, o consolo do Espírito doce
como mel, as visitas que nos faz e os seus primeiros frutos. É o testemunho
da nossa consciência, é a feliz e muito alegre espera dos justos, é a
memória da bondade generosa de Deus, é também, na verdade, a imensidão da
sua doçura. Os que experienciaram estes dons não precisam que deles lhes
falemos; mas como descrevê-los, por simples palavras, a quem por eles não
passou?




Gerir directamente o seu abono (ou a sua subscrição) neste endereço : www.evangelhoquotidiano.org


17 de ago de 2009

Dicas para melhor usar o e-mail

São Jacinto

Liturgia Diária!!!

Segunda-feira, dia 17 de Agosto de 2009
Segunda-feira da 20ª semana do Tempo Comum

Santa Beatriz da Silva, religiosa, +1490, S. Jacinto, presbítero, apóstolo da Polónia, +1257



Comentário ao Evangelho do dia feito por
Santo Atanásio : «Terás um tesouro no céu»

Leituras

Juízes 2,11-19.
Os filhos de Israel fizeram o mal perante o SENHOR e prestaram culto aos
ídolos de Baal.
Abandonaram o SENHOR, Deus de seus pais, que os tinha libertado da terra do
Egipto, e foram atrás dos deuses dos povos que os rodeavam; prostraram--se
diante deles e ofenderam o SENHOR.
Abandonaram o SENHOR e adoraram Baal e os ídolos de Astarté.
Inflamou-se a ira do SENHOR contra Israel e entregou-os nas mãos de
salteadores que os espoliaram, e vendeu-os aos inimigos que os rodeavam.
Eles já não foram capazes de lhes resistir.
Para onde quer que saíssem, pesava sobre eles a mão do SENHOR como um
flagelo, conforme lhes havia dito e jurado; e foi muito grande a sua
angústia.
O SENHOR suscitou, então, juízes que os libertaram dos seus espoliadores.
Eles, porém, nem mesmo aos seus juízes deram ouvidos; prostituíram-se a
deuses estranhos e prostraram-se diante deles. Depressa se desviaram dos
caminhos que seus pais haviam trilhado, obedecendo aos preceitos do SENHOR,
não procederam como eles.
Quando o SENHOR lhes suscitava juízes, o SENHOR estava com aquele juiz,
libertando-os da mão dos seus inimigos durante toda a vida do juiz; é que o
SENHOR deixava-se comover pelos seus lamentos frente aos que os oprimiam e
humilhavam.
Mas, quando o juiz morria, eles voltavam a corromper-se, mais ainda que
seus pais, seguindo deuses estranhos para os servir e adorar; não
renunciavam aos seus crimes, nem à sua conduta pertinaz.


Salmos 106(105),34-35.36-37.39-40.43.44.
Não exterminaram os povos pagãos, como o SENHOR lhes tinha ordenado;
em vez disso, misturaram-se com esses povos e aprenderam os seus costumes.
Prestaram culto aos seus ídolos, que foram para eles uma armadilha.
Imolaram os seus filhos e as suas filhas em sacrifício aos demónios.
Contaminaram-se com os seus actos, prostituíram-se com os seus crimes.
Por isso, o SENHOR se indignou com o seu povo e ficou desgostoso com a sua
herança.
Muitas vezes Deus os libertou, mas eles mostraram-se rebeldes nos seus
caprichos e mergulharam sempre mais na sua maldade.
Contudo, Ele reparou na sua aflição e ouviu os seus lamentos.


Mateus 19,16-22.
Aproximou-se dele um jovem e disse-lhe: «Mestre, que hei-de fazer de bom,
para alcançar a vida eterna?»
Jesus respondeu-lhe: «Porque me interrogas sobre o que é bom? Bom é um só.
Mas, se queres entrar na vida eterna, cumpre os mandamentos.»
«Quais?» perguntou ele. Retorquiu Jesus: Não matarás, não cometerás
adultério, não roubarás, não levantarás falso testemunho,
honra teu pai e tua mãe; e ainda: Amarás o teu próximo como a ti mesmo.
Disse-lhe o jovem: «Tenho cumprido tudo isto; que me falta ainda?»
Jesus respondeu: «Se queres ser perfeito, vai, vende o que tens, dá o
dinheiro aos pobres e terás um tesouro no Céu; depois, vem e segue-me.»
Ao ouvir isto, o jovem retirou-se contristado, porque possuía muitos bens.


Da Bíblia Sagrada



Comentário ao Evangelho do dia feito por

Santo Atanásio (295-373), Bispo de Alexandria, Doutor da Igreja
Vida de Santo Antão, pai dos monges, 2-4

«Terás um tesouro no céu»

Após a morte de seus pais, tinha Antão entre dezoito e vinte anos [...],
entrou certo dia numa igreja no momento da leitura do evangelho, e ouviu o
Senhor dizer a um jovem rico: «Se queres ser perfeito, vai, vende o que
tens, dá o dinheiro aos pobres e terás um tesouro no Céu; depois, vem e
segue-Me». Antão teve a impressão de que esta leitura tinha sido para ele.
Saiu imediatamente do templo e entregou às gentes da aldeia as suas
propriedades de família. Depois de ter vendido todos os seus bens móveis,
distribuiu pelos pobres o dinheiro dessa venda, reservando apenas uma
pequena parte para sua irmã. Doutra vez em que entrou na
igreja, ouviu o Senhor dizer no evangelho: «Não vos preocupeis com o dia de
amanhã» (Mt 6, 34). Compreendendo que não podia reservar fosse o que fosse,
também isso distribuiu pelos pobres. Confiou sua irmã ao cuidado de umas
virgens conhecidas e fiéis, que viviam juntas numa casa, para nela ser
educada. E consagrou-se desde então, perto de sua casa, ao labor da vida
ascética. Vigiando sobre si mesmo, perseverava numa vida austera. [...]Trabalhava manualmente, porque tinha ouvido esta recomendação: «Se
algum não quer trabalhar, que também não coma» (2 Tess 3, 10). Comprava o
seu pão de cada dia com uma parte daquilo que ganhava, distribuindo o resto
pelos indigentes. Rezava sem cessar, porque tinha aprendido que é preciso
«orar sem desfalecer» (Lc 21, 36) em privado. Estava de tal maneira atento
à leitura, que nada perdia da Escritura, antes dela tudo retendo; a seguir,
substituía os livros pela memória. Todos os habitantes da aldeia, e as
gentes de bem que a frequentavam habitualmente, vendo-o viver daquela
maneira, lhe chamavam amigo de Deus. Uns amavam-no como filho, outros como
irmão.




Gerir directamente o seu abono (ou a sua subscrição) neste endereço : www.evangelhoquotidiano.org


16 de ago de 2009

Santo Estevão da Hungria

Desconecte-se e experimente a verdadeira liberdade!

Lorena Soares
Missionária da Com. Católica Shalom

Sharon Sarmiento sabia que era hora de se desconectar quando percebeu que até seus sonhos envolviam mensagens publicadas em blogs e mensagens instantâneas imaginárias.

Para Ariel Meadows Stallings, foram as horas perdidas em navegação pela internet que a fizeram sentir como se tivesse passado por um coma alcoólico.

Ambas as mulheres são parte de um novo movimento sob o qual os adeptos da tecnologia, viciados em Internet, usuários maníacos de Blackberrys e remetentes compulsivos de mensagens instantâneas decidiram retomar o controle de suas vidas ousando se desconectar – nem que por apenas um dia.

Encontrei esta notícia num portal da internet muito conhecido; ela fazia referência a um artigo que havia sido publicado na Reuters – uma das mais famosas agências de notícias do mundo.

Muitas coisas passaram pela minha cabeça quando li esta notícia. Imaginei como ficaria ‘viciada em internet’ e o porquê desse vazio. Percebia que o que essas pessoas sentiam, outras tantas que conheço já sentiram, outras sentem e eu mesma já sofri dessa dor.

À medida que essa angústia tomava forma concreta, percebia que nenhum usuário se torna ‘maníaco’ da noite para o dia. No entanto, isso vai acontecendo gradativamente na vida de cada um, quando uma simples necessidade de checar e-mails vai virando um acesso compulsivo, várias vezes ao dia, quando o passatempo de conversar com os amigos na rede vai tornando-se uma dependência aos sites de relacionamento. Navegar na internet, que antes era um entretenimento agradável, acaba por se tornar objeto de um esgotamento extremo, podendo ser comparado a um coma alcoólico.

Percebendo o atraso e conseqüente sofrimento causado por tantas horas na web, Sarmiento, uma mulher de cerca de 30 anos que é dona de uma empresa virtual e blogueira profissional, no Alabama – EUA, partilhou em seu blog seus sonhos e disseminou uma nova idéia: passar um dia desconectado!

Parece irônico utilizar um blog para divulgar esta idéia a internautas que levam o notebook ao banheiro e blogueiros que enviam mensagem de texto enquanto dirigem, mas parece que deu certo. Rapidamente (pois tudo na internet é incrivelmente veloz) e mundialmente (já que esta rede chega a lugares inimagináveis) iniciaram uma campanha por um Dia Off.

Algumas pessoas já partilhavam (na web, é claro!) experiências incríveis para estimular os outros. Sarmiento, inclusive, tem mandado carta (isso mesmo, cartas, aquelas que a gente faz à mão) para seus amigos e aproveitado as quartas-feiras para aulas de dança com o marido.

O exemplo de Sarmiento é apenas uma demonstração de como a Internet vai nos tirando de atividades tão simples e prazerosas. Alguns lazeres simples e fraternos vão perdendo espaço para jogos complexos e solitários na frente do computador. Até mesmo e-mails e blogs que deveriam nos aproximar de quem está distante acabam nos prendendo de tal forma que esquecemo-nos dos vizinhos, ficamos sem tempo para jantar com um amigo e deixamos de acompanhar as alegrias e desafios dos de casa.


A blogueira profissional confessa:

"Acredito que exista alguma porção de nós, onde vive o bom senso, que nos faz parar e pensar que as coisas foram longe demais e que vivemos conectados em excesso”.

Se pudesse vê-la, ou mesmo postar em seu blog, não diria, eu GRITARIA : ‘Sim, existe!! Existe mesmo algo dentro de nós chamado Espírito Santo que nos faz perceber que o que deveria nos libertar (porque felicidade também é liberdade) está nos sufocando’.

Dessa forma, a Igreja nos diz que o homem é capaz de Deus, significando que: “O desejo de Deus está inserido no coração do homem, já que o homem é criado por Deus e para Deus; e Deus não cessa de atrair o homem a si, e somente em Deus o homem há de encontrar a verdade e a felicidade que não cessa de procurar ”.

O ‘mundo real’ com o qual a nossa alma deseja se conectar é a verdade e a Verdade: é Cristo! Existe um momento em que o nosso corpo pede que nos desliguemos de nós mesmos, para nos ligarmos a Deus, que em Sua Infinita Misericórdia nos espera.


O homem, ao decidir-se por Deus, está utilizando-se da sua liberdade para optar pela Felicidade. Esta situação é apenas uma dentre tantas que deixam nossas almas dispersas e cansadas. Quantos de nós não já paramos para refletir e avaliamos que as coisas foram longe demais, que nossas vidas estão sem sentido e que, no fundo, nos sentimos incompletos?!

Que o Espírito Santo, que clama em nós, nos auxilie a buscar ou retomar o caminho seguro! Este mesmo Espírito Santo que libertou a tantos das drogas, do álcool, de uma vida de pecado, do fechamento em si mesmo, hoje, nos convida à liberdade verdadeira, que provém do conhecimento de Deus.


______________________________________

1 Na linguagem da Internet se costuma usar as letras maiúsculas para representar um grito, ou como forma de chamar atenção.

2 Citação do Catecismo da Igreja Católica, parágrafo 27.



- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
por
Revista Shalom Maná
Faça sua assinatura da Revista Shalom Maná

Liturgia Diária!!!

Domingo, dia 16 de Agosto de 2009
20º Domingo do Tempo Comum - Ano B

XX Domingo do Tempo Comum (semana IV do saltério)
Santo Estêvão, rei da Hungria, +1038, S. Roque, peregrino, séc. XIV



Comentário ao Evangelho do dia feito por
São Gaudêncio de Brescia : «Quem come a Minha carne e bebe o Meu sangue fica a morar em Mim e Eu nele»

Leituras

Prov. 9,1-6.
A sabedoria edificou a sua casa, e levantou as suas sete colunas.
Abateu os seus animais, misturou o seu vinho e dispôs a sua mesa.
Enviou as suas servas para que anunciassem nos pontos mais elevados da
cidade:
«Quem for simples venha a mim!» Aos insensatos mandou dizer:
«Vinde, comei do meu pão e bebei do vinho que preparei;
deixai a insensatez e vivereis; andai pelos caminhos da inteligência.»


Salmos 34(33),2-3.10-11.12-13.14-15.
Em todo o tempo, bendirei o SENHOR; o seu louvor estará sempre nos meus
lábios.
A minha alma gloria se no SENHOR! Que os humildes saibam e se alegrem.
Temei o SENHOR, vós que lhe estais consagrados, pois nada falta aos que o
temem.
Os ricos empobrecem e passam fome, mas aos que procuram o SENHOR nenhum bem
há-de faltar.
Vinde, meus filhos, escutai me: vou ensinar vos o temor do SENHOR.
Qual é o homem que não ama a vida e não deseja longos dias de prosperidade?
Nesse caso, guarda a tua língua do mal e os teus lábios das palavras
mentirosas.
Desvia te do mal e faz o bem, procura a paz e segue a.


Efésios 5,15-20.
Portanto, vede bem como procedeis: não como insensatos, mas como sensatos,
aproveitando o tempo, pois os dias são maus.
Por isso mesmo, não vos torneis néscios, mas tratai de compreender qual é a
vontade do Senhor.
E não vos embriagueis com vinho, que leva à vida desregrada, mas deixai-vos
encher do Espírito;
entre vós, cantai salmos, hinos e cânticos espirituais; cantai e louvai o
Senhor com todo o vosso coração;
sem cessar, dai graças por tudo a Deus Pai, em nome de Nosso Senhor Jesus
Cristo.


João 6,51-58.
Eu sou o pão vivo, o que desceu do Céu: se alguém comer deste pão, viverá
eternamente; e o pão que Eu hei-de dar é a minha carne, pela vida do
mundo.»
Então, os judeus, exaltados, puseram-se a discutir entre si, dizendo: «Como
pode Ele dar-nos a sua carne a comer?!»
Disse-lhes Jesus: «Em verdade, em verdade vos digo: se não comerdes mesmo a
carne do Filho do Homem e não beberdes o seu sangue, não tereis a vida em
vós.
Quem realmente come a minha carne e bebe o meu sangue tem a vida eterna e
Eu hei-de ressuscitá-lo no último dia,
porque a minha carne é uma verdadeira comida e o meu sangue, uma verdadeira
bebida.
Quem realmente come a minha carne e bebe o meu sangue fica a morar em mim e
Eu nele.
Assim como o Pai que me enviou vive e Eu vivo pelo Pai, também quem de
verdade me come viverá por mim.
Este é o pão que desceu do Céu; não é como aquele que os antepassados
comeram, pois eles morreram; quem come mesmo deste pão viverá eternamente.»



Da Bíblia Sagrada



Comentário ao Evangelho do dia feito por

São Gaudêncio de Brescia (?-após 406), bispo
Homilia pascal; CSEL 68, 30 (a partir da trad. breviário)

«Quem come a Minha carne e bebe o Meu sangue fica a morar em Mim e Eu nele»

O sacrifício celeste instituído por Cristo é verdadeiramente a herança
legada pelo Seu novo testamento; Ele deixou-no-la na noite em que ia ser
entregue para ser crucificado, como garante da Sua presença. Ele é o
viático da nossa viagem, o nosso alimento no caminho da vida, até chegarmos
à outra Vida, ao deixar este mundo. Era por isso que o Senhor dizia: «Se
não comerdes a Minha carne e não beberdes o Meu sangue, não tereis a vida
em vós».

Ele quis que os Seus benefícios permanecessem entre nós; quis que as almas
resgatadas pelo Seu sangue precioso fossem sempre santificadas à imagem da
Sua própria Paixão. Foi por essa razão que ordenou aos Seus discípulos
fiéis, que estabeleceu como primeiros sacerdotes da Sua Igreja, que
celebrassem estes mistérios de vida eterna. [...] Com efeito, a multidão
dos fiéis devia ter todos os dias diante dos seus olhos a representação da
Paixão de Cristo; ao segurá-la nas nossas mãos, ao recebê-la na boca e no
coração, ficaremos com uma recordação indelével da nossa redenção.

É preciso que o pão seja feito com a farinha de numerosos grãos de
fermento, misturada com água, e receba do fogo o seu acabamento.
Encontra-se aí, portanto, uma imagem semelhante ao corpo de Cristo, pois
sabemos que Ele forma um só corpo com a multidão dos homens, que recebeu o
seu acabamento do fogo do Espírito Santo. [...] Do mesmo modo, o vinho do
Seu sangue é extraído de diversos cachos de uvas, isto é, de uvas da vinha
plantada por Ele, esmagadas sob o peso da cruz; vertido no coração dos
fiéis, aí se agita pelo seu próprio poder.

É este o sacrifício da Páscoa, que traz a salvação a todos os que foram
libertados da escravatura do Egipto e do Faraó, isto é, do demónio.
Recebei-o em união connosco, com toda a avidez de um coração religioso.




Gerir directamente o seu abono (ou a sua subscrição) neste endereço : www.evangelhoquotidiano.org


15 de ago de 2009

Assunção de Nossa Senhora

ASSISTA ao vídeo educativo publicado no site do Ministério da Saúde que ensina como acontece a transmissão e contágio.

Liturgia Diária!!!

Sabado, dia 15 de Agosto de 2009
ASSUNÇÃO DA VIRGEM SANTA MARIA - solenidade

Assunção de Nossa Senhora
Assunção de Nossa Senhora



Comentário ao Evangelho do dia feito por
São Germano de Constantinopla : «Elevada à glória celeste em corpo e alma» (Oração colecta da festa)

Leituras

Apoc. 11,19.12,1-6.10.
Depois, abriu-se no céu o santuário de Deus e apareceu a Arca da aliança. E
houve relâmpagos, estrondos, trovões, um tremor de terra e uma tempestade
de granizo.
Depois, apareceu no céu um grande sinal: uma Mulher vestida de Sol, com a
Lua debaixo dos pés e com uma coroa de doze estrelas na cabeça.
Estava grávida e gritava com as dores de parto e o tormento de dar à luz.
Apareceu ainda outro sinal no céu: era um grande dragão de fogo com sete
cabeças e dez chifres. Sobre as cabeças tinha sete coroas e,
com a sua cauda, varreu a terça parte das estrelas do céu e lançou-as à
terra. Depois colocou-se diante da Mulher que estava para dar à luz, a fim
de lhe devorar o filho quando ele nascesse.
Ela deu à luz um filho varão. Ele é que há-de governar todas as nações com
ceptro de ferro. Mas o filho foi-lhe arrebatado para junto de Deus e do seu
trono.
E a Mulher fugiu para o deserto onde Deus lhe preparou um lugar, de modo a
não lhe faltar aí o alimento durante mil duzentos e sessenta dias.
Então ouvi uma voz forte no céu que aclamava: «Eis que chegou o tempo da
salvação, da força e da realeza do nosso Deus e do poder do seu Cristo!
Porque foi precipitado o Acusador dos nossos irmãos, o que os acusava
diante de Deus, dia e noite;


Salmos 45,10.11.12.16.
Entre as damas da tua corte há filhas de reis, à tua direita está a rainha
ornada com ouro de Ofir.
Filha, escuta, vê e presta atenção; esquece o teu povo e a casa do teu pai.
Porque o rei deixou se prender pela tua beleza; ele é agora o teu senhor:
presta lhe homenagem!
Avançam com alegria e júbilo e entram felizes no palácio real.


1 Cor. 15,20-26.
Mas não! Cristo ressuscitou dos mortos, como primícias dos que morreram.
Porque, assim como por um homem veio a morte, também por um homem vem a
ressurreição dos mortos.
E, como todos morrem em Adão, assim em Cristo todos voltarão a receber a
vida.
Mas cada um na sua própria ordem: primeiro, Cristo; depois, aqueles que
pertencem a Cristo, por ocasião da sua vinda.
Depois, será o fim: quando Ele entregar o reino a Deus e Pai, depois de ter
destruído todo o principado, toda a dominação e poder.
Pois é necessário que Ele reine até que tenha colocado todos os inimigos
debaixo dos seus pés.
O último inimigo a ser destruído será a morte,


Lucas 1,39-56.
Por aqueles dias, Maria pôs-se a caminho e dirigiu-se à pressa para a
montanha, a uma cidade da Judeia.
Entrou em casa de Zacarias e saudou Isabel.
Quando Isabel ouviu a saudação de Maria, o menino saltou-lhe de alegria no
seio e Isabel ficou cheia do Espírito Santo.
Então, erguendo a voz, exclamou: «Bendita és tu entre as mulheres e bendito
é o fruto do teu ventre.
E donde me é dado que venha ter comigo a mãe do meu Senhor?
Pois, logo que chegou aos meus ouvidos a tua saudação, o menino saltou de
alegria no meu seio.
Feliz de ti que acreditaste, porque se vai cumprir tudo o que te foi dito
da parte do Senhor.»
Maria disse, então: «A minha alma glorifica o Senhor
e o meu espírito se alegra em Deus, meu Salvador.
Porque pôs os olhos na humildade da sua serva. De hoje em diante, me
chamarão bem-aventurada todas as gerações.
O Todo-poderoso fez em mim maravilhas. Santo é o seu nome.
A sua misericórdia se estende de geração em geração sobre aqueles que o
temem.
Manifestou o poder do seu braço e dispersou os soberbos.
Derrubou os poderosos de seus tronos e exaltou os humildes.
Aos famintos encheu de bens e aos ricos despediu de mãos vazias.
Acolheu a Israel, seu servo, lembrado da sua misericórdia,
como tinha prometido a nossos pais, a Abraão e à sua descendência, para
sempre.»
Maria ficou com Isabel cerca de três meses. Depois regressou a sua casa.


Da Bíblia Sagrada



Comentário ao Evangelho do dia feito por

São Germano de Constantinopla (?-733), bispo
Homilia 1 para a Dormição da Mãe de Deus; PG 98, 346 (a partir da trad. de Orval)

«Elevada à glória celeste em corpo e alma» (Oração colecta da festa)

Mãe de Deus, templo vivo da divindade santíssima do Filho único, em acção
de graças o repito: na verdade, a tua assunção não te afastou nada dos
Cristãos. Vives imperecível, mas não estás longe deste mundo perecível.
Pelo contrário, estás próxima de quantos te invocam e quem te procura com
fé encontra-te. Convinha que o teu espírito permanecesse sempre forte e
vivo e que o teu corpo fosse imortal. Com efeito, como poderia a corrupção
da carne reduzir-te a cinzas e a pó, a ti, que livraste o Homem do fracasso
da morte, pela incarnação do teu Filho? [...]

Uma criança procura e deseja a sua mãe e a mãe gosta de viver com o seu
filho. Da mesma forma, visto que tinhas no teu coração um amor maternal por
teu Filho e teu Deus, naturalmente tinhas de conseguir regressar para junto
Dele. E Deus, devido ao amor filial para contigo, devia, com toda a
justiça, permitir-te partilhar da Sua condição. Assim, morta para as coisas
perecíveis, emigraste para as moradas imperecíveis da eternidade, onde
reside Deus de Quem agora partilhas a vida. [...]

O teu corpo foi Sua morada e neste dia foi Ele que, por Sua vez, Se tornou
o local do teu repouso. «Este será para sempre o Meu lugar de repouso»
dizia [Sl 132 (131), 14]. Este espaço de repouso é a carne que de ti tomou
e de que Se revestiu, Mãe de Deus, a carne na qual acreditamos que Se
mostrou no mundo presente e que Se manifestará no mundo futuro, quando vier
julgar os vivos e os mortos. Visto seres a morada do Seu repouso eterno
retirou-te da corrupção e levou-te consigo, querendo guardar-te na Sua
presença com o seu afecto. Eis porque tudo quanto Lhe pedes Ele to concede,
como a uma mãe ciosa dos seus filhos. Eternamente bendito, tudo quanto
desejas Ele o realiza com a Sua divina omnipotência.




Gerir directamente o seu abono (ou a sua subscrição) neste endereço : www.evangelhoquotidiano.org


14 de ago de 2009

São Maximiliano Maria Kolbe

Rosa de Saron - Sem Você (Acústico e Ao Vivo)

Liturgia Diária!!!

Sexta-feira, dia 14 de Agosto de 2009
Sexta-feira da 19ª semana do Tempo Comum

S. Maximiliano Maria Kolbe, presbítero, mártir, +1941



Comentário ao Evangelho do dia feito por
Missal Romano : «Serão os dois um só»

Leituras

Josué 24,1-13.
Josué reuniu todas as tribos de Israel em Siquém, e convocou os seus
anciãos, chefes, juízes e oficiais; todos se apresentaram diante de Deus.
Então, Josué disse a todo o povo: «Eis o que diz o SENHOR, Deus de Israel:
'Vossos pais, Tera, pai de Abraão e de Naor, habitavam ao princípio do
outro lado do rio e serviam outros deuses.
Tomei o vosso pai Abraão do outro lado do Jordão, e conduzi-o à terra de
Canaã. Multipliquei a sua posteridade, dando-lhe Isaac.
A Isaac dei Jacob e Esaú e dei a Esaú a montanha de Seir; Jacob, porém, e
os seus filhos foram para o Egipto.
Depois, enviei Moisés e Aarão e feri o Egipto com tudo o que fiz no meio
dele; por fim, tirei-vos de lá.
Tirei os vossos pais do Egipto e chegastes ao mar. Os egípcios perseguiram
os vossos pais com carros e cavaleiros até ao Mar dos Juncos.
Eles, porém, clamaram ao SENHOR, e o SENHOR pôs trevas entre vós e os
egípcios e fez avançar o mar sobre eles, cobrindo-os. Os vossos olhos viram
o que fiz aos egípcios e, depois disto, passastes largo tempo no deserto.
Levei-vos, em seguida, para a terra dos amorreus que habitavam do outro
lado do Jordão. Eles combateram contra vós, mas Eu entreguei-os nas vossas
mãos. Tomastes posse da sua terra, e Eu exterminei-os na vossa frente.
Balac, filho de Cipor, rei de Moab, levantou-se para lutar contra Israel e
mandou chamar Balaão, filho de Beor, para vos amaldiçoar.
Eu, porém, não quis ouvir Balaão, e ele teve de vos abençoar repetidas
vezes, e assim vos tirei das mãos de Balac.
Atravessastes o Jordão e chegastes a Jericó. Combateram contra vós os
homens de Jericó, os amorreus, os perizeus, os cananeus, os hititas, os
guirgaseus, os heveus e os jebuseus; mas Eu entreguei-os nas vossas mãos.
Mandei diante de vós insectos venenosos que expulsaram os dois reis dos
amorreus. Não foi com a vossa espada, nem com o vosso arco.
Dei-vos, pois, uma terra que não lavrastes, cidades que não edificastes e
que agora habitais, vinhas e oliveiras que não plantastes e de cujos frutos
vos alimentais'.


Salmos 136(135),1-3.16-18.21-22.24.
Louvai o SENHOR, porque Ele é bom, porque o seu amor é eterno!
Louvai o Deus dos deuses, porque o seu amor é eterno!
Louvai o Senhor dos senhores, porque o seu amor é eterno!
Conduziu o seu povo pelo deserto, porque o seu amor é eterno!
Feriu grandes reis, porque o seu amor é eterno!
Matou reis poderosos, porque o seu amor é eterno!
Deu a terra deles como herança, porque o seu amor é eterno!
Como herança a Israel, seu servo, porque o seu amor é eterno!
livrou-nos dos nossos opressores, porque o seu amor é eterno!


Mateus 19,3-12.
Alguns fariseus, para o experimentarem, aproximaram-se dele e disseram-lhe:
«É permitido a um homem divorciar-se da sua mulher por qualquer motivo?»
Ele respondeu: «Não lestes que o Criador, desde o princípio, fê-los homem e
mulher,
e disse: Por isso, o homem deixará o pai e a mãe e se unirá à sua mulher, e
serão os dois um só?
Portanto, já não são dois, mas um só. Pois bem, o que Deus uniu não o
separe o homem.»
Eles, porém, objectaram: «Então, porque é que Moisés preceituou dar-lhe
carta de divórcio, ao repudiá-la?»
Respondeu Jesus: «Por causa da dureza do vosso coração, Moisés permitiu que
repudiásseis as vossas mulheres; mas, ao princípio, não foi assim.
Ora Eu digo-vos: Se alguém se divorciar da sua mulher excepto em caso de
união ilegal e casar com outra, comete adultério.»
Os discípulos disseram-lhe: «Se é essa a situação do homem perante a
mulher, não é conveniente casar-se!»
Respondeu-lhes Jesus: «Nem todos compreendem esta linguagem, mas apenas
aqueles a quem isso é dado.
Há eunucos que nasceram assim do seio materno, há os que se tornaram
eunucos pela interferência dos homens e há aqueles que se fizeram eunucos a
si mesmos, por amor do Reino do Céu. Quem puder compreender, compreenda.»


Da Bíblia Sagrada



Comentário ao Evangelho do dia feito por

Missal Romano
Bênção dos esposos na cerimónia do matrimónio

«Serão os dois um só»

Deus, Pai santo, que pelo Vosso infinito poder fizestes do nada todas as
coisas e, na harmonia primordial do universo, formastes o homem e a mulher
à
Vossa imagem e semelhança, dando um ao outro como companheiros
inseparáveis,
para se tornarem os dois uma só carne, e assim nos ensinastes que
nunca é lícito separar o que Vós mesmo unistes; Deus, Pai santo, que no
grande mistério do Vosso amor consagraste a aliança matrimonial,
tornando-
a símbolo da aliança de Cristo com a Igreja; Deus, Pai santo, que sois o
autor do matrimónio e destes à primordial comunidade humana a vossa
bênção, que nem a pena do pecado original, nem o castigo do dilúvio, nem
criatura alguma pôde abolir; olhai benignamente para estes vossos
filhos,
que, se uniram pelo vínculo do Matrimónio e esperam o auxílio da vossa
bênção: enviai sobre eles a graça do Espírito Santo para que, pelo Vosso
amor derramado em seus corações, permaneçam fiéis na aliança conjugal.
Nós Vos pedimos, Senhor, que estes Vossos filhos permaneçam unidos na
fé e na observância dos mandamentos; fiéis um ao outro, sirvam de
exemplo
pela integridade da sua vida; fortalecidos pela sabedoria do Evangelho,
dêem a todos bom testemunho de Cristo; acolham sempre com alegria o
dom dos filhos, sejam pais de virtude comprovada, possam ver os filhos
dos seus filhos e, depois de uma vida longa e feliz, alcancem o reino
celeste, na companhia dos santos.
Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, que é Deus conVosco na unidade
do Espírito Santo. Ámen!




Gerir directamente o seu abono (ou a sua subscrição) neste endereço : www.evangelhoquotidiano.org


13 de ago de 2009

Informativo Cléofas - 13/08/09

Informativo Cléofas, 13 de Agosto de 2009 - Ano IV - Número 132

Notícias do Programa Escola da Fé

+ Testemunho de menina católica ante o câncer gera conversões ao catolicismo nos EUA
+ Igreja no Brasil promove semana da família
+ Cardeal Urosa acusa Chávez de querer tirar Deus das escolas
+ Estados que blindaram a vida dos não-nascidos foram valentes, diz Bispo mexicano
+ CUT oficializa participação em frente pró-aborto legal
+ Igreja é referência moral para hondurenhos ante a crise, afirma perito
+ Corte Constitucional de Portugal rejeita "matrimônio" homossexual
+ Tribunal confirma permanência de crucifixos em escolas italianas
+ Bispos lamentam novos atos contra a democracia na Venezuela
+ Evo Morales cumprimenta evangélicos e ignora Te Deum católico



+ leia mais

O programa Escola da Fé, é exibido toda a quinta-feira às 20h30 na TV Canção Nova (Link))


Perguntas e Respostas

+ Nós Católicos podemos namorar pessoas de outra religião?
+ Judas foi condenado por sua traição?
+ Qual é o pior dos 7 pecados capitais?

+ A Igreja não acreditava que o escravo tivesse alma?

+ índice


Blog do Prof. Felipe

“Ação contra crucifixos mostra intolerância”

O Dr. William Douglas, que é um juiz protestante, fez uma veemente defesa da permanência dos crucifixos nos lugares públicos, contrariando aqueles que querem retirá-los dali. Trancrevo aqui alguns trechos do seu escrito, retirado da fonte:

http://www.conjur.com.br/2009-ago-11/retirada-crucifixos-discussao-pirotecnica-intolerante

Em atenção à queixa de um cidadão, que se sentiu discriminado pela presença de um crucifixo no Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo, a Procuradoria Regional dos Direitos do Cidadão entrou com uma ação civil pública para obrigar a União a retirar todos os símbolos religiosos ostentados em locais de atendimento ao público no Estado.

Em junho de 2007, o Conselho Nacional de Justiça indeferiu o pedido de retirada de símbolos religiosos de todas as dependências do Judiciário.

O tema vem sendo cada vez mais discutido e, ao meu ver, está sendo objeto de uma interpretação equivocada por aqueles que desejam a retirada dos símbolos religiosos. O Estado é laico, isso é o óbvio, mas a laicidade não se expressa na eliminação dos símbolos religiosos, e sim na tolerância aos mesmos.

A resposta estatal ao cidadão queixoso, mencionado acima, não deveria ser uma ação civil pública, mas uma simples orientação, no sentido de que o país ter uma formação histórica-cultural cristã explica que haja na parede um crucifixo e que tal presença não importa em discriminação alguma. Ao contrário, o pensamento deletério e a ser combatido é a intolerância religiosa, que se expressa quando alguém desrespeita ou se incomoda com a opção e o sentimento religioso alheios, o que inclui querer eliminar os símbolos religiosos...(...)

leia mais


Livro da Semana

Para Entender e Celebrar a Liturgia

Através da Liturgia Cristo continua a obra de nossa salvação.
Sua "eficácia, no mesmo título e grau, não é igualada por nenhuma outra ação da Igreja" (SC,7).

Diz a Sacrosantum Concilium, que por ela, o próprio Cristo exerce o Seu múnus sacerdotal para a nossa salvação.

Assim, a celebração litúrgica, como obra de Cristo Sacerdote e de seu corpo que é a Igreja, é ação sagrada por excelência. Entretanto, muitos católicos a desconhecem.

Este livro apresenta de maneira condensada, o rico sentido da Liturgia e os significados dos termos litúrgicos, dos sinais usados, das vestes e objetos litúrgicos, das cores, do rito litúrgico, do Tempo Litúrgico, da Liturgia das Horas, e das principais normas aprovadas para a celebração da Santa Missa contidas na Instrução Geral do Missal Romano.


Ficha Técnica
Editora: Cléofas
ISBN: 978-8588-15845-0
Ano: 2008
Edição: 9
Número de páginas: 216
Idioma: Português BR
Acabamento: Brochura
Formato: 14x21 cm


+ comprar


* Caso não deseje mais receber a newsletter, entre em contato e escolha o assunto "Newsletter - REMOVER"
** Veja nossas regras para a newsletter aqui.
Lançamento



Jesus Sinal de Contradição

14x21 cm - 264 páginas


Shopping Cléofas



A Igreja

14x21 cm - 216 páginas



Entrai pela Porta Estreita

14x21 cm - 200 páginas.



© 2009 - Editora Cléofas


"Despojemo-nos das ações das trevas e vistamos as armas da Luz" Rm 13,12