"Despojemo-nos das ações das trevas e vistamos as armas da Luz" Rm 13,12

7 de dez de 2009

Faça a diferença neste Natal

Clique para Ampliar
A EXPECTATIVA DOS Correios é de que sejam apadrinhadas em torno de três mil cartas este ano
Foto: Kiko Silva

6/12/2009

Quem disse que Papai Noel é um só? Qualquer pessoa pode encarnar o personagem sem sequer precisar ter barba branca e usar roupas vermelhas. Pelo projeto Papai Noel dos Correios, a empresa coloca à disposição dos candidatos a bom velhinho cartas de crianças de todo o Estado com pedidos de presentes.

Até agora, já foram recebidas cerca de 11 mil cartas, mas menos de mil foram apadrinhadas. A expectativa é de que o número chegue a três mil, a mesma quantidade do ano passado. Antes de serem colocadas na árvore à espera de adoção, o material passa por uma triagem. Os Correios priorizam cartinhas de crianças com até 10 anos de idade e escritas a mão. São descartadas as correspondências que não possuem remetente ou com endereços repetidos.

Como participar

Os interessados devem se dirigir às agências participantes - saiba mais na agência mais próxima de você -, escolher uma ou mais crianças e comprar os tão sonhados presentes, que devem ser deixados no mesmo local onde a carta foi retirada. O prazo vai até o próximo dia 12 de dezembro. Os padrinhos não têm acesso aos endereços das crianças. A entrega aos destinatários fica por conta dos Correios.

Os pedidos, todos de crianças carentes, revelam histórias, muitas vezes, comoventes. Os tão sonhados presentes vão desde bonecas, carrinhos, skates, patins e videogames até material escolar. Vários querem ainda roupas e calçados. É possível encontrar cartas para papais-noéis com bolsos de todos os tamanhos. Uma delas, escrita pela mamãe de uma menina de apenas nove anos, de Fortaleza, diz: "Minha filha espera por um transplante de coração e tenho sofrido muito por tudo isso, mas gostaria muito que ela tivesse um Natal especial".

Histórias de vida

O representante comercial Jean Carlos Muniz Pereira adotou três cartas este ano, mas uma delas chamou mais a sua atenção. "O menino dizia que queria ganhar qualquer presente. Isso é de cortar o coração de qualquer um", explicou. "A felicidade ou a decepção de uma criança só dependem da generosidade de cada um".

Para a dona-de-casa Francisca Valdirene Batista, a única chance de os três filhos ganharem presentes no Natal está no Papai Noel dos Correios. No ano passado, um deles, foi contemplado. A menina recebeu uma boneca. "Acho que foi o dia mais feliz da vida dela, e para quem deu talvez nem tenha significado tanto. Este ano, queria que todos ganhassem", disse. "Não tenho condições de comprar, e aposto na bondade de alguém".

A iniciativa surgiu há pelo menos 20 anos, mas só virou um projeto corporativo em 1997. Os carteiros não sabiam o que fazer com as centenas de cartas endereçadas a Papai Noel e, sensibilizados, eles próprios tentavam atender aos pedidos. Hoje, a ação acontece nas 28 diretorias regionais dos Correios.

Para quem se interessa em participar, procure maiores informações na agência dos Correios mais próxima.

Fonte: Diário do Nordeste
http://diariodonordeste.globo.com/materia.asp?codigo=701939