9 de set de 2010

Dilma defende legalização do aborto e distribuição de renda

BRASÍLIA (Reuters) - A chefe da Casa Civil, ministra Dilma Rousseff, defendeu a legalização do aborto e deu pistas de como poderá agir se suceder o presidente Luiz Inácio Lula da Silva a partir de 2011.

Da Reuters


"Tenho um imenso orgulho de fazer parte de um governo que mostrou que é possível crescer e distribuir renda ao mesmo tempo", afirmou a ministra em entrevista à revista feminina Marie Claire, que será publicada neste fim de semana.

Desde que foi apontada por Lula como a sua preferida para disputar a eleição presidencial de 2010 pelo PT, a ministra tem se esforçado para se aproximar do eleitorado. Pesquisas de opinião, no entanto, mostram Dilma ainda muito atrás do principal pré-candidato da oposição, o governador de São Paulo, José Serra (PSDB).

Sob crescentes ataques da oposição, Dilma ressaltou que, com o tempo, aprendeu a resistir às turbulências políticas. A ministra revelou que, além de ter o apoio do presidente e de colegas de ministérios, consegue se fortalecer quando tem a sensação de que as acusações são injustas.

"É preciso se lembrar de ter um distanciamento e entender que isso faz parte do jogo político", disse ela, responsável pela gestão do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). "Tem um lado disso que é espuma, que vai embora."

A ministra não se esquivou de temas polêmicos. "Abortar não é fácil para mulher alguma. Duvido que alguém se sinta confortável em fazer um aborto. Agora, isso não pode ser justificativa para que não haja a legalização", argumentou.

"O aborto é uma questão de saúde pública. Há uma quantidade enorme de mulheres brasileiras que morre porque tenta abortar em condições precárias."

Dilma também afirmou que acredita em Deus, outra questão sensível entre os eleitores brasileiros. "Fui batizada na Igreja Católica, mas não pratico. Mas, olha, balançou o avião, a gente faz uma rezinha", disse, sorrindo.

TORTURA

A ministra relembrou sua atuação no período do regime militar, que durou de 1964 a 1985.

"Foi nesse período que ganhei minha sensibilidade social, a noção de que era impossível o país viver com tanta miséria", comentou.

Ex-militante da luta armada contra a ditadura, Dilma contou detalhes dos duros momentos que passou quando foi presa pelos militares, na década de 1970.

"Tomei choques em várias partes do corpo, inclusive nos bicos dos seios. Tive até hemorragia. Depois de apanhar, era jogada nua em um banheiro, suja de urina e fezes", contou.

Para a chefe da Casa Civil, a esquerda cometeu erros de avaliação sobre a situação política e econômica da época.

"Achamos que a ditadura estava em crise, mas, na verdade, o milagre econômico estava apenas começando. A gente não percebeu o quanto eles ainda iam endurecer", reconheceu.



(Texto de Fernando Exman; Edição de Alexandre Caverni)
Fonte : http://www.direitos.org.br/index.php?option=com_content&task=view&id=5127&Itemid=1

5 comentários:

  1. Não podemos permiti que o Brasil se torne o campo de concentração de milhões e milhões de crianças que serão brutalmente assassinadas, a mando da assassina Dilma, que no passado, matou muitos brasileiros inocentes, tentando implantar no Brasil, a maldita ditadura comunista. Temos que lutar para que os assassinos do PT deixem logo o poder e nossas crianças não sejam assassinadas. Esses comunistas ordinários, que nunca tiveram respeito pela vida humana - pois já mataram mais de 130 milhões de pessoas em todo o mundo - chegam agora falando que defendem as leis. Se não defendem as leis de Deus, que é contra o assassinato de crianças, como vão respeitar as leis dos homens. Tantas multas contra o PT na eleição que começou, e eles falam que fazem tudo na lei. Não vamos permitir que os nazistas do PT façam do Brasil um campo de extermínio para as inocentes crianças, não queremos ser como a Raquel biblica a chorar seus filhos que morreram nas mãos de Herodes sem alma e sem Deus.

    ResponderExcluir
  2. A CANDIDATA DILMA DEFENDE NAO SÓ A LEGALIZAÇÃO DO ABORTO COMO TAMBÉM A UNIÃO CIVIL ENTRE GAYS.
    NÃO É DISSO QUE O BRASIL PRECISA.
    UMA MULHER TOTALMENTE CONTRÁRIA A PALAVRA DE DEUS.

    ResponderExcluir
  3. O Lula tem medo que a oposição assuma apresidencia assuma a presidencia e descubra todas as falcatruas feitas com o dinheiro público, inclusive a fortuna amealhada pelo lulinha exfuncionário do jatfim zoológico. Não vos deixeis anganar. A Dilma já se pronunciou sobre o aborto. Esse recuo que ela fez é so estratégia de campanha.

    ResponderExcluir
  4. Voces eu criarma este bolg ainda pensma em ir para o céu?!?! acusando o próximo desse jeito! Dilma é uma pessoa que lutou para que hoje nós tivessemos esta liberdade de expressão e comunicação.. ela lutou contra a DITADURA!!! E sofreu.. será q voces aguentariam as torturas que ela vivenciou?! Serra autorizou aborto no SUS, dele, voces nao falam nada...! muito estranho.. sabe.. isto aqui é pura politicagem e ainda usam o nome do Senhor Jesus em vão..

    ResponderExcluir
  5. Irmã ou irmão anônimo, não apoiamos Serra nem ninguém através deste site. Mas não podemos deixar de informar a respeito daquilo que a Igreja através da CNBB e através de vários padres, bispos e religiosos estão falando e denunciando.
    Pesquise um pouco mais e veja a realidade dos fatos. Não condenamos nunca a pessoa, mas as ideologias, partidos que assume, pois o PT é o único partido que declaradamente expulsa quem é contra o aborto. Veja a matéria que colocaremos no dia 07/10 onde o padre Augusto da Cançao Nova fala sobre este fato.

    ResponderExcluir

Irmão, deixe uma mensagem!!!


"Despojemo-nos das ações das trevas e vistamos as armas da Luz" Rm 13,12
CEFAS, oriundo do nome de São Pedro apóstolo, significa também um Acróstico: Comunhão para Evangelização, Formação e Anúncio do Senhor. É um humilde projeto de evangelização através da internet, buscando levar formação católica doutrinal e espiritual.