10 de jun de 2010

Comunhão frequente...


Disse Santo Afonso Maria de Ligório:
“Com que ardor deseja Jesus Cristo vir a nós pela santa Comunhão!”Desejei ardentemente comer esta páscoa convosco antes de sofrer“.Desejei ardentemente, falou ele naquela noite em que instituiu este sacramento de amor.Diz São Lourenço JustinianoO amor que nos tinha o forçou a falar assim.
Para que facilmente cada um pudesse recebê-lo, quis ficar sob as aparências de pão.Se ele tivesse ficado sob a aparência de algum alimento raro, ou de preço elevado, os pobres ficariam privados dele.Mas não, Jesus quis ficar sob as aparências de pão: custa pouco, em toda parte se encontra, todos poderão achá-lo e recebê-lo em qualquer lugar do mundo.
Para que nos animemos a recebê-lo na Sagrada Comunhão ele nos exorta com muitos convites: “Vinde comer o pão e beber o vinho que vos preparei.Comei, amigos e bebei“, referindo-se à eucaristia.Impõe-nos ainda como preceito: “Tomai e comei: isto é o meu corpo“.Atrai-nos ainda com a promessa do paraíso para que o recebamos: “Quem come a minha carne, tem a vida eterna.Quem come este pão viverá para sempre“.Ameaça-nos com o inferno, com a exclusão do céu, se nos recusarmos a comungar: “se não comerdes a carne do Filho do Homem e não beberdes o seu sangue, não tereis a vida em vós“.Estes convites, promessas e ameaças, nascem todos do grande desejo que ele tem de vir a nós neste Sacramento.
Mas por que Jesus Cristo deseja tanto que o recebamos na Sagrada Comunhão?Eis a razão.DizSão Dionísio que o amor sempre aspira e tende à união.
Os amigos, que se amam de coração, querem estar unidos de tal modo que formem uma só pessoa, diz Santo Tomás.Ora, isto fez o imenso amor de Deus para com os homens.Deus não só se dá a eles no reino eterno, mas já neste mundo se deixa possuir pelos homens na união mais íntima possível.Dá-se todo sob as aparências de pão no sacramento da Eucaristia.Ali está como atrás de um muro e dali nos olha como através de apertadas grades: “Ei-lo atrás de nossas paredes, olhando pelas janelas, espreitando pelas grades“.Ainda que nós não o vejamos, ele de lá nos observa e lá está realmente presente.Está presente para deixar-se possuir por nós mas se esconde para que o desejemos.Enquanto não chegamos até o paraíso, Jesus Cristo quer dar-se todo a nós e estar intimamente unido conosco.
Ele não pode contentar o seu amor apenas dando-se todo ao gênero humano pela encarnação e paixão, morrendo por todos os homens.Quis ainda encontrar o meio de dar-se todo a cada um.Instituiu, por isso, o sacramento do altar a fim de unir-se todo com cada um de nós.”Quem come a minha carne permanece em mim e eu nele“.Na Comunhão, Jesus une-se à pessoa e a pessoa a Jesus.Esta união não é apenas de simples afeto, mas real e verdadeira.Por isso diz São Francisco de Sales: “Em nenhuma outra ação se pode considerar o Salvador mais carinhoso, mais amoroso que nesta.Aniquila-se, por assim dizer, e se reduz a alimentação para penetrar nossas almas e se unir ao coração de seus fiéis“.Diz São João CrisóstomoJesus Cristo quer de tal modo unir-se conosco, pelo amor ardente que nos tem, que nos tornemos uma só coisa com ele.
São Lourenço Justiniano diz: Ó Deus, que tanto nos amais, com este sacramento quisestes fazer com que o nosso coração se tornasse um só com o vosso, inseparavelmente unido.AcrescentaSão Bernardinho de SenaO dar-se Jesus Cristo a nós como alimento foi o último grau de amor.Deu-se a nós para unir-se totalmente conosco como se une o alimento diário com quem o toma.Oh!quanto Jesus Cristo se alegra em estar unido conosco!
Certa vez, depois da comunhão, a serva Margarida de Ipres sentia como se Jesus lhe dissesse: “Vê, minha filha, a bela união entre mim e ti.Ama-me e estejamos sempre unidos no amor e não nos separemos mais“.
Portanto, devemos estar certos de que uma pessoa não pode fazer nem pensar fazer coisa mais agradável a Jesus Cristo, do que comungar com as disposições convenientesa tão grande hóspede.Assim se une a Cristo, pois esta é a intenção deste Senhor.Mas vejam bem o que eu disse: com as disposições convenientesnão disse “dignas”porque se estas fossem exigidas, quem poderia comungar?Só um outro Deus seria digno de receber um Deus.
Entendo como “Convenientes” aquelas disposições que convêm a uma miserável criatura vestida da pecadora carne de Adão.Basta, ordinariamente falando, comungar em estado de graça e com vivo desejo de crescer no amor a Jesus Cristo.Dizia São Francisco de Sales: “Só por amor se deve receber Jesus Cristo na comunhão já que só por amor ele se dá a nós“.
Entendamos, pois, que não existe coisa tão proveitosa a nós como a comunhão.O Pai Eterno pôs nas mãos de Jesus Cristo todas as suas riquezas divinas: “O Pai tudo lhe colocou nas mãos“.Por isso, quando Cristo vem até uma pessoa pela comunhão traz consigo imensos tesouros de graças.Uma pessoa que recebeu bem a comunhão, pode dizer: “Com ela me vieram todos os bens“.São Dionísio diz que o sacramento da Eucaristia tem poder de santificar as pessoas mais do que todos os outros meios espirituais.E São Vicente Ferrer escreveu que maior proveito se tira da comunhão, do que uma semana de jejum a pão e água.
Primeiramente, como ensina o Concílio de Trentoa comunhão é o remédio que nos livra dos pecados veniais, e nos preserva dos mortais: “Remédio pelo qual somos livres das falhas cotidianas e preservados dos pecados mortais“.
Diz-se que somos livres das falhas cotidianas porque segundo São Tomáspor meio deste sacramento, o homem é estimulado a fazer atos de amor e por eles se apagam os pecados veniais.Somos preservados dos pecados mortais, porque a comunhão confere o aumento da graça que nos preserva das culpas graves.Por isso escreveu Inocêncio III: “Jesus Cristo com sua Paixão nos livrou do poder do pecado, mas com a Eucaristia nos livra do poder de pecar“.
Além disso, este sacramento inflama de modo especial as pessoas no amor de Deus: “Deus é amor“.É fogo que consome todos os afetos terrenos em nossos corações: “É fogo devorador“.O Filho do Homem veio precisamente acender este fogo de amor na terra.Não tinha outro desejo senão ver aceso este santo fogo em cada um de nós.”Vim trazer fogo à terra, e que desejo, senão que ele se acenda?“.Que chamas de amor acende Jesus Cristo em todo aquele que devotamente o recebe neste sacramento!
Santa Catarina de Sena imaginava Jesus Sacramentado nas mãos do sacerdote como se fosse um globo de fogo e a santa admirava-se de não ficarem abrasados e consumidos todos os corações dos homens.Santa Rosa de Limadepois da comunhão, impressionava a todos que dela se aproximavam por sua grande piedade e recolhimento.Conta-se também que São Venceslau,ao visitar as igrejas onde estava o Santíssimo Sacramento, transformava-se exteriormente a ponto de chamar a atenção de quem o seguia.Por isso, diz São João CrisóstomoO Santíssimo Sacramento é fogo que nos inflama de modo que, retirando-nos do altar espargimos tais chamas de amor que nos tornam terríveis ao inferno.
Dizia a Esposa no Livro dos Cânticos: “Ele me introduziu numa adega“.Escreveu São Gregório de Nissa que a comunhão é exatamente essa adega de vinho em que a pessoa fica inebriada do amor de Deus, de tal como que esquece e perde de vista todas as coisas criadas.É aquele morrer de amor mencionado pelo Livro dos Cânticos: “Estou enferma de amor“.
-Não comungo com freqüência, dirá alguém, por que me vejo frio no amor de Deus.
Responde Gerson: Então, porque você se sente frio quer se afastar do fogo?Porque você se sente frio, tanto mais você deve se achegar a este Sacramento, se é que tem verdadeiro desejo de amar a Jesus Cristo!São Boaventuraescreve: ainda que friamente, aproxime-se confiando na misericórida de Deus.Tanto mais uma pessoa precisa do médico, quanto mais se sente doente.Também dizia São Francisco de Sales: “Duas espécies de pessoas devem comungar com freqüênciaos perfeitos, para se conservarem na perfeição, e os imperfeitos, para chegarem à perfeição.Mas, para comungar freqüentemente é preciso, ao menos, ter um grande desejo de fazer-se santo e crescer no amor a Jesus Cristo.”Quando você for comungar, deseje todo aquele amor que jamais um coração teve para comigo, e eu receberei seu amor como você gostaria que fosse“, é o que nos diz o Senhor.” (Santo Afonso Maria de Ligório - A Prática do Amor a Jesus Cristo)
Dizia São João Maria Batista Vianney:
“MINHAS CRIANÇAS, todos os seres em criação requerem ser alimentados, para que eles possam viver; para este propósito Deus fez árvores e plantas crescerem; é uma mesa bem-servida para a qual todos os animais vêm e levam a comida que serve para cada um. Mas a alma também deve ser alimentada. Onde, então, está a sua comida?
Meus irmãos, a comida da alma é Deus. Ah! que um pensamento bonito! A alma não se alimenta de nada, exceto de Deus. Só Deus é suficiente para ela; só Deus pode enchê-la; só Deus pode saciar sua fome; requer seu Deus absolutamente! Há em todas as casas um lugar onde são mantidas as providências da família; é a dispensa.
A Igreja é a casa das almas; é a casa que pertence a nós. Bem, nesta casa há uma dispensa. Você vê o tabernáculo? Se fossem perguntadas as almas dos cristãos, “o que é isso?” suas almas responderiam, ‘Isto é a dispensa‘.
Não há nada tão grande, minhas crianças, como a Eucaristia! Ponha todos os trabalhos bons no mundo contra uma Comunhão boa; eles estarão como um grão de pó ao lado de uma montanha. Faça uma oração quando você tiver o Deus bom em seu coração; o Deus bom não poderá o recusar qualquer coisa, se você Lhe oferecer o Seu Filho, e os méritos de Sua Santa morte e Paixão.
Minhas crianças, se nós entendêssemos o valor da Santa Comunhão, nós evitaríamos as menores faltas, que nós poderíamos ter a felicidade de fazê-las freqüentemente. Nós sempre devemos manter nossas almas puras aos olhos de Deus. Minhas crianças, eu suponho que vocês foram à confissão hoje, e vocês vigiaram; vocês estarão contente em pensar que amanhã terão a alegria de receber o bom Deus em seu coração. Tampouco vocês podem ofender o bom Deus amanhã; suas almas serão todas embalsamadas com o Sangue precioso de Nosso Deus. Oh, vida bonita!
Ó minhas crianças, como é bonito uma alma que está na eternidade, que tenha meritoriamente e freqüentemente recebido o bom Deus! O Corpo de Nosso Deus lustrará por nosso corpo, o Sangue adorável Dele por nosso sangue; nossa alma será unida à Alma de Nosso Deus durante toda a eternidade. Lá desfrutará pura e perfeita felicidade.
Minhas crianças, quando a alma que recebeu Nosso Deus entra no paraíso, aumenta a alegria de CéuOs Anjos e a Rainha dos Anjos vêm conhecê-la, porque eles reconhecem o Filho de Deus naquela alma. Então aquela alma será recompensada pelas dores e sacrifícios que suportou em sua vida na terra. Minhas crianças, nós sabemos quando uma alma recebe o Sacramento da Eucaristia meritoriamente, ela está tão apaixonada, tão penetrada e mudada, que ninguém pode reconhecer suas palavras e suas ações. . . . É humilde, é suave, é mortificada, caridosa, e modesta; está a paz com todo o mundo. É uma alma capaz dos maiores sacrifícios; em resumo, você não a conheceria novamente.
Vá, então, para Comunhão, minhas crianças; vá com carinho para Jesus e confiança; vá e viva nele para viver para Ele! Não diga que você tem muito para fazer. O Divino Salvador não disse, “Venham a mim, todos vocês que labutam e são carregados, e eu os aliviarei?“ vocês podem resistir a um convite tão cheio de amor e ternura? Não digam que vocês não são merecedores. É verdade, vocês não são merecedores; mas vocês precisam. Se Nosso Deus tivesse considerado nosso mérito, Ele nunca teria instituído Seu Santíssimo Sacramento de Amor: Pois ninguém no mundo é merecedor Dele, nem os santos, nem os anjos, nem os arcanjos, nem a Virgem Santíssima; mas Ele teve nossas necessidades à vista, e nós somos tudo em falta Dele. Não digam que vocês são pecadores, que vocês são tão miseráveis, e por isso não ousam aproximar-se Dele.
Todas as orações da Missa são uma preparação para Comunhão; e toda a vida de um Cristão deveria ser uma preparação para aquela grande ação. Nós deveríamos trabalhar para merecer receber Nosso Deus diariamente.Como humilhados nós deveríamos sentir quando vendo os outros indo para a mesa santa, e nós permanecendo imóveis em nosso lugar! Como feliz é um anjo da guarda que conduz uma alma bonita à mesa santa!” (São João Maria Batista Vianney - Catecismo)
——–
Fonte: Volta para casa

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Irmão, deixe uma mensagem!!!


"Despojemo-nos das ações das trevas e vistamos as armas da Luz" Rm 13,12
CEFAS, oriundo do nome de São Pedro apóstolo, significa também um Acróstico: Comunhão para Evangelização, Formação e Anúncio do Senhor. É um humilde projeto de evangelização através da internet, buscando levar formação católica doutrinal e espiritual.