8 de nov de 2010

BRASIL: CELEIRO DE SANTOS


◊   Cidade do Vaticano, 06 nov (Rádio Vaticano) - Nós brasileiros ficamos entusiasmados, até eufóricos, quando falamos das riquezas de nossa terra, da grandeza de nosso povo. Ultimamente o ufanismo se dirige para o lado econômico, no momento em que nosso país ingressa no grupo seleto de grandes potências.
Mas ao mesmo tempo, com o olhar para os nossos pés e a terra onde eles pisam podemos nos perguntar sobre a qualidade de vida de nosso povo e, mais ainda, sobre a expressividade do brasileiro que é tão humano. Imediatamente reconhecemos um povo sofrido, mas alegre, cheio de esperança, um povo que não se abate e que canta: “levanta, sacode a poeira e dá a volta por cima”!
Esse povo marcadamente religioso também começa a se fazer presente no grande catálogo dos santos e beatos da Igreja Católica.
Hoje, o Arcebispo de Porto Alegre, Dom Dadeus Grings beatifica a religiosa Maria Bárbara da Santíssima Trindade – Bárbara Maix - uma austríaca que foi para o Brasil com 30 anos de idade, onde viveu 25 anos. Fundou em nossa Pátria a Congregação das Filhas do Imaculado Coração de Maria, que hoje está presente não só no Brasil, mas também na Argentina, Estados Unidos, Paraguai, Venezuela, Moçambique, Bolívia, Itália e Haiti. Apesar de ter nascido na Áustria, é reconhecida como brasileira, porque todo emigrante que chega ao Brasil, adota esse país como seu. Recordamos Madre Paulina do Coração Agonizante de Jesus, também fundadora de uma congregação religiosa, as Irmãzinhas da Imaculada Conceição, apesar de nascida na Itália, é considerada a 1ª santa brasileira. O mesmo se diga do Beato José de Anchieta, nascido em terras espanholas, mas considerado o Apóstolo do Brasil, por ter vivido em nosso país mais de 40 anos e ser o ícone de nossa evangelização. Nessa linha encontramos também Pe. Mariano, o agostiniano espanhol que foi para o Brasil, logo após sua ordenação sacerdotal e lá realizou toda sua vida ministerial; o que dizer de Pe. Eustáquio, nascido nos Países Baixos, que foi para o interior de Minas Gerais, depois para São Paulo e, finalmente Belo Horizonte, tornando-se um renomado vigário das paróquias por onde passou.
Temos ainda o Pe. Manuel Gomez Gonzáles, espanhol que foi para o Brasil com 36 anos de idade e com 47 morreu mártir, juntamente com o coroinha Adílio Daronch, brasileiro nato. Adílio tinha 16 anos.
Como brasileiras natas foram declaradas beatas Albertina Bekenbrok, mártir da virgindade aos 12 anos; também pela mesma causa a Irmã Lindalva Justo de Oliveira, com 40 anos de idade.
Aguardamos para os próximos meses a beatificação do “Anjo bom do Brasil”, Maria Rita Lopes Pontes, para nós simplesmente, Irmã Dulce.
Mas nossa terra possui também muitos mártires. Os primeiros nos início de nossa evangelização, quando o jesuíta Inácio de Azevedo e seus 39 companheiros foram martirizados próximos às Ilhas Canárias, pelos huguenotes, quando se dirigiam para o Brasil. Outros mártires, liderados por Pe. André do Soveral, filho de um português e de uma índia. Ele, mais Pe. Ambrósio, o casal Manuel Rodrigues de Moura, e vinte seis leigos foram martirizados no Rio Grande do Norte, no século XVI pelos holandeses, por causa da fé católica.
Deixamos por último o primeiro santo brasileiro, o paulista Frei Antônio de Sant’Ana Galvão, canonizado por Bento XVI em 2007.
Que esta plêiade de heróis da fé incentive nosso povo, seja qual for a idade, estado civil ou classe social a viver plenamente a fidelidade a Deus, à Sua Igreja, no exercício de suas cidadanias, a terrestre e a celeste! (CA)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Irmão, deixe uma mensagem!!!


"Despojemo-nos das ações das trevas e vistamos as armas da Luz" Rm 13,12
CEFAS, oriundo do nome de São Pedro apóstolo, significa também um Acróstico: Comunhão para Evangelização, Formação e Anúncio do Senhor. É um humilde projeto de evangelização através da internet, buscando levar formação católica doutrinal e espiritual.