28 de mai de 2010

CURA DO CÂNCER!!!

Repasso email que recebi. Não sei se é 100% confiável, mas me convenceu! :




Um médico italiano descobriu algo simples que considera a causa do
> câncer
. Inicialmente banido da comunidade médica italiana, foi aplaudido
> de pé na Associação Americana contra o Câncer quando apresentou sua
> terapia. O médico observou que todo paciente de câncer tem aftas. Isso
> já era sabido da comunidade médica, mas sempre foi tratada como uma
> infecção oportunista por fungos - Candida albicans. Esse médico achou
> muito estranho que todos os tipo de câncer tivessem essa característica,
> ou seja, vários são os tipos de tumores mas têm em comum o aparecimento
> das famosas aftas no paciente. Então, pode estar ocorrendo o contrário -
> pensou ele. A causa do câncer pode ser o fungo. E, para tratar esse
> fungo, usa-se o medicamento mais simples que a humanidade conhece:
> bicarbonato de sódio.
Assim ele começou a tratar seus pacientes com
> bicarbonado de sódio, não apenas ingerível, mas metódicamente controlado
> sobre os tumores.Resultados surpreendentes começaram a acontecer.
> Tumores de pulmão, próstata e intestino desapareciam como num passe de
> mágica, junto com as Aftas.
> Desta forma, muitíssimos pacientes de câncer foram curados e hoje
> comprovam com seus exames os resultados altamente positivos do
> tratamento.                                             Lá estão os
> métodos utilizados para aplicação do bicarbonado de sódio sobre os
> tumores. Quaisquer tumores podem ser curados com esse tratamento simples
> e barato. Parece brincadeira, né?
> Mas foi notícia nos EUA e nunca chegou por aqui. Bem que o livro de
> homeopatia recomenda tratar tumores com borax, que é o remédio
> homeopático para aftas.Afinal, uma boa notícia em meio a tantas ruins.
> De novo, a pergunta que não quer calar: por que a grande imprensa não dá
> a menor cobertura a isso? Nem na TV, nem nas rádios, nem nos grandes
> jornais... Absolutamente nada. Quem os proíbe de noticiar? O médico teve
> que construir um site, para divulgar o seu trabalho de curar o câncer
> (ou, pelo menos, várias das suas formas), usando apenas solução de
> bicarbonato de sódio a 20%
. Imaginem! Bicarbonato de sódio, coisa que a
> gente encontra até no boteco da esquina. Neste endereço, o vídeo, onde o
> médico italiano mostra a evolução do tratamento até a completa cura em 4
> casos: Neste, o site em Português.
>
> Clicando-se nas bandeirinhas no alto da página, muda-se o idioma:
> seguinte forma:
http://www.cancerfungus.com
>
> Repasse, gente. Milhares estão pela hora da morte por causa dessa
> doença.
>
> VAI ACABAR A FARRA DOS LUCROS DOS LABORATÓRIOS...
>
> - É POR ISTO QUE A NOTÍCIA ESTÁ RESERVADA A PEQUENOS CÍRCULOS ?!?!?!

27 de mai de 2010

Twitter pelos Correios – Typed Tweets

Mesmo que estejamos na época das redes sociais que integram pessoas do mundo inteiro com mensagens automáticas, alguns indivíduos ainda sentem falta do charme das velhas cartas que antigamente trocavamos com nossos amigos e parentes.
A impessoalidade de um e-mail ou de uma mensagem de Facebook pode não ser suficiente para alguns e talvez por essa razão tenha surgido o site Typed Tweets. O serviço é no mínimo curioso: as mensagens de até 140 caracteres do microblog Twitter são datilografadas em antigas máquinas de escrever e enviados pelo correio ao destinatário.
O preço do serviço é apenas US$ 5 e já inclui os custos do envio. Parece ser ideal para recados românticos, basta escrever uma boa mensagem em 140 toques e enviar para aquelas pessoas especiais que sentem falta dos velhos tempos em que podiamos guardar as cartas com carinho até o papel amarelar.

Por Mauro Tavares
Fonte: G1 Tecnologia

26 de mai de 2010

Correios: Funcionários querem conscientizar a população.

Trabalhadores dos Correios param 24 horas na quarta

Mobilização acontece, simultaneamente, em todos os estados
  24/05/10 às 14:29  |  Redação Bem Paraná
Os funcionários do Correios do Paraná fazem paralisação de 24 horas na próxima quarta-feira, dia 26, para defender uma das empresas públicas mais respeitadas do Brasil. Os trabalhadores querem mostrar os motivos de as correspondências não chegarem a tempo aos usuários. A mobilização acontece, simultaneamente, em todos os estados.

O Sindicato dos Trabalhadores nos Correios do Paraná (Sintcom) realizou, no dia 18, assembleia geral onde a categoria aprovou Indicativo de Greve. Uma nova assembleia na terça-feira (25) define a paralisação de 24 horas.

Os trabalhadores querem mostrar que a população brasileira é vítima de mais um ataque aos Correios. Grandes empresas querem explorar o mercado postal que mais cresce no mundo. "Essa exploração será à custa de cada usuário dos Correios, que ficará sem o atendimento em várias localidades, já que os empresários pensam no lucro, deixando de lado o caráter social da empresa, que está presente em todos os municípios brasileiros", destaca o secretário-geral do Sintcom-PR, Nilson Rodrigues dos Santos.

Os trabalhadores são vítimas tanto quanto a população. A falta de funcionários está fazendo com que todos trabalhem além dos limites. Essa situação faz o problema ficar ainda mais grave, pois o trabalhador acaba doente, tamanho é a sobrecarga de serviço, sendo obrigado a se afastar de suas atividades, aumentando a falta de funcionários. "Os trabalhadores exigem a contratação de mais funcionários", diz Nilson.

A tentativa da direção dos Correios é de sucatear o serviço para mudar a opinião pública, que sempre foi defensora da empresa. Essa direção não realiza as provas do concurso, que já contam com mais de 1 milhão de pessoas inscritas.

A categoria busca o apoio da população contra a medida provisória, que pretende homologar a mudança da ECT para Sociedade Anônima, criando os Correios do Brasil S/A. Essa alteração significa o primeiro passo para a privatização. "Empresas privadas poderão comprar ações e pressionar o a governo abrir, definitivamente, para a iniciativa privada", diz Nilson.

PLR 

Os trabalhadores também exigem uma divisão justa na Participação nos Lucros e Resultados (PLR). Hoje, a proposta da empresa é "beneficiar", os diretores com mais de 40 mil reais, deixando os trabalhadores com pouco mais de R$ 800. "Queremos uma divisão igual. Todos trabalharam para alcançar os lucros recordes. Não está certo dar mais para poucos e uma miséria para muitos", afirma Nilson. A negociação da PLR continua em Brasília e os trabalhadores não descartam a possibilidade de uma greve geral caso a empresa não altere a distribuição.

Um pra mim, um pra você...

Um pra mim, um pra você... 

Em uma  cidadezinha do interior havia uma figueira 
carregada dentro do cemitério.
Dois amigos decidiram entrar lá à noite (quando não havia 
vigilância) e pegar todos os figos. 
Eles pularam o muro, subiram na árvore com as sacolas
penduradas no ombro e começaram a distribuir o 'prêmio'. 


- Um pra mim, um pra você.
- Um pra mim, um pra você.
De repente um falou pro outro: 
 - Pô! meu, você deixou cair dois do lado de fora do muro! 


 - Não faz mal, depois que a gente terminar aqui pega os de fora. 
 - Então tá bom, mas 
um pra mim, um pra você. 
Um bêbado, passando do lado de fora do cemitério, escutou esse negócio de
'um pra mim e um pra você' e saiu correndo para a delegacia. 
Chegando lá, virou para o policial: 
 - Seu guarda, vem comigo! Deus e o diabo estão no cemitério dividindo as  almas dos mortos! 
 - Ah, cala a boca bêbado.
 
- Juro que é verdade, vem comigo. 
 
 Os dois foram até o cemitério, chegaram perto do muro e começaram a escutar... 

 - Um para mim, um para você.

O guarda assustado: 
- É verdade! É o dia do Apocalipse! Eles estão dividindo as almas dos mortos! 
O que será que vai acontecer depois? 
 E continuaram a escutar:
 -
 Um para mim, um para você.
De repente ouviram um dizer:
 -Pronto, acabamos aqui dentro...  
-Agora a gente vai lá fora e pega os dois que estão do outro lado do muro...


-Cooooorreeeee !!!!!

Juízes repudiam discurso de Lula sobre caixa-preta

Para relembrar em 2003:


As declarações do presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, de que "é preciso saber como funciona a caixa-preta" do Judiciário ainda estão fervendo nos meios jurídicos. 
Juízes telefonaram para a redação da revista Consultor Jurídico para repudiar o discurso de Lula no Espírito Santo. 
Um juiz questionou se há caixa-preta nas histórias que envolvem a morte do prefeito Celso Daniel, em Santo André. Ele sugeriu que a revista faça uma pesquisa sobre o assunto. Outro juiz propôs uma pesquisa sobre a existência de uma caixa-preta na administração do PT. No Fórum dos Leitores do jornal O Estado de S. Paulo, o juiz Ruy Coppola, do 2º Tribunal de Alçada Civil do Estado de São Paulo, afirmou: "Caixa-preta por caixa-preta (no sentido meramente figurativo), sr. presidente, a do Poder Executivo é bem maior do que a nossa". 
Leia a íntegra da carta do juiz Coppola publicada no jornal: 


Mensagem ao presidente 


Estimado presidente, assisti na televisão, anteontem, a trecho de seu discurso criticando o Poder Judiciário e dizendo que V. Exa. e seu amigo Márcio, ministro da Justiça, há muito tempo são favoráveis ao controle externo do Poder Judiciário, não para "meter a mão na decisão do juiz", mas para abrir a "caixa-preta" do Poder. Vi também V. Exa. falar sobre "duas Justiças" e sobre a influência do dinheiro nas decisões da Justiça. Fiquei abismado, caro presidente, não com a falta de conhecimento de V. Exa., já que coisa diversa não poderia esperar (só pelo fato de que o nobre presidente é leigo), mas com o fato de que o nobre presidente ainda não se tenha dado conta de que não é mais candidato. Não precisa mais falar como se em palanque estivesse; não precisa mais fazer cara de inconformado, alterando o tom da voz para influir no ânimo da platéia. Afinal, não é sempre que se faz discurso na porta da Volks. Não precisa mais chorar. O eminente presidente precisa apenas mandar, o que não fez até agora. Não existem duas Justiças, como V. Exa. falou. Existe uma só. Que é cega, mas não é surda e costuma escutar as besteiras que muitos falam sobre ela. Basta ao presidente mandar seu amigo Márcio tomar medidas concretas e efetivas contra o crime organizado. Mandar seus demais ministros exercer os cargos para os quais foram nomeados. Mandar seus líderes partidários fazer menos conchavos e começar a legislar em favor da sociedade. Afinal, V. Exa. foi eleito para isso. Logo depois, sr. presidente, no mesmo canal de televisão, assisti a uma reportagem dando conta de que, em Pernambuco (sua terra natal), crianças que haviam abandonado o lixão, por receberem R$ 25 do Bolsa-Escola, tinham voltado para aquela vida (??) insólita, simplesmente porque desde janeiro seu governo não repassou o dinheiro destinado ao Bolsa-Escola. E a Benedita, sr. presidente? Disse ela que ficou sabendo dos fatos apenas no dia da reportagem. Como se pode ver, sr. presidente, vou tentar lembrá-lo de algumas coisas simples. Nós, do Poder Judiciário, não temos caixa-preta. Temos leis inconsistentes e brandas (que seu amigo Mário sempre utilizou para inocentar pessoas acusadas de crimes do colarinho-branco). Temos de conviver com a Fazenda Pública (e o sr. presidente é responsável por ela, caso não saiba), sendo nossa maior cliente e litigante, na maioria dos casos, de má-fé. Temos os precatórios que não são pagos. Temos acidentados que não recebem benefícios em dia (o INSS é de sua responsabilidade, sr. presidente). Não temos medo algum de qualquer controle externo, sr. presidente. Temos medo, sim, de que pessoas menos avisadas, como V. Exa. mostrou ser, confundam controle externo com atividade jurisdicional (pergunte ao seu amigo Márcio, ele explica o que é). De qualquer forma, não é bom falar de corda em casa de enforcado. Evidente que V. Exa. usou da expressão "caixa-preta" não no sentido pejorativo do termo. Juízes não tomam vinho de R$ 4 mil a garrafa. Juízes não são agradados com vinhos portugueses raros quando vão a restaurantes. Juízes, quando fazem churrasco, não mandam vir churrasqueiro de outro Estado. Mulheres de juízes não possuem condições financeiras para importar cabeleireiros de outras unidades da Federação, apenas para fazer uma "escova". Cachorros de juízes não andam de carro oficial. Caixa-preta por caixa-preta (no sentido meramente figurativo), sr. presidente, a do Poder Executivo é bem maior do que a nossa. Meus respeitos a V. Exa. e recomendações ao seu amigo Márcio.
P.S.: Dê lembranças a "Michelle". 
Ruy Coppola, juiz do 2.º Tribunal de Alçada Civil do Estado de São Paulo, São Paulo


Fonte: JusBrasil
http://www.jusbrasil.com.br/noticias/1645323/juizes-repudiam-discurso-de-lula-sobre-caixa-preta

25 de mai de 2010

Adopte Um Sacerdote Através Da Oração!


Adopte Um Sacerdote Através Da Oração!
Os sacerdotes têm a grande responsabilidade de tornar Deus presente no meio de nós. Através da celebração dos sacramentos, os sacerdotes marcam presença nos momentos mais importantes das nossas vidas.

Eles são os mediadores da Graça de Deus, mas acima de tudo são homens que precisam da nossa AJUDA E ORAÇÃO!

Durante o Ano Sacerdotal, até à sua conclusão a 19 de Junho de 2010, comprometa-se a rezar diariamente por um sacerdote da Igreja que sofre.

Para isso, peça-nos uma pagela com uma oração, o nome e o país de origem deste sacerdote.

24 de mai de 2010

Ditadura no Brasil


DR. IVES GRANDA
"Que a Paz de Cristo e a Ternura de Maria esteja contigo e com os teus!"

O grande Magistrado Ives Granda, relata toda a farsa do Projeto dos Direitos Humanos PNDH 3, que nega a Constituição, e tira o poder do Judiciário e Legislativo, dando todo o poder ao Execuitivo, para manipular o povo e ditar as leis por plebiscitos, excluindo a liberdade da imprensa, da Igreja e dos 97% dos brasileiros cristã, que são a favor da vida! Não devem ser os 3% ditadores ateus, a forçar os cristãos a negar a sua cultura e o seu valor por símbolos religiosos.
 
É uma hipocrisia, tirar os símbolos religiosos, e permitir o aborto, a prostituição, a perseguição religiosa, em nome dos direitos humanos. Este projeto é uma tortura ditatorial populista lulista, que quer colocar uma coleira no pescoço dos brasileiros, e matar a liberdade de expressão do povo e da imprensa.
 
Estejamos atentos a este projeto de tomada de poder, que quer quebrar a constituição de 88!
 
Unamo-nos em nome da vida e da liberdade! E lembremos-nos que vivemos em um estado laico e não em um estado ateu, pois o estado laico respeita o valor de todos, tendo suas leis e criadas em favor da maioria de todos, não sendo um estado ditatorial lulista, que quer suprimir a liberdade religiosa e impedir a sua expressão, por meio da força e da opressão. 
 
Relembremos que um católico que vota em um candidato marxista, petista, a favor do aborto, do homossexualismo, da união de pessoas do mesmo sexo, está fora da comunhão da Igreja, e não pode nem fazer a comunhão. Peço que divulguem em blogs, sites, radios, e-mails, orkut, e etc...
 
Escutemos com atenção a palestra do Dr. Ives Granda, segue o link abaixo:
 
"Que o Senhor que é rico em Misericórdia te abençoe: Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Amém!"

Caso queira indicar alguém para receber o nosso boletim eletrônico, responda este e-mail, enviando-nos os endereços eletrônicos de vossos amigos.

Aqueles que quiserem contribuirem com a nossa obra de evangelização, poderão fazer uma doação, nos seguintes bancos: ITAU Ag. 0192 - C/C 18160-0 ou BRADESCO Ag. 0499-5  C/C 0149800-2 Desde já agradecemos!

Permaneçamos Unidos em Oração com Maria!
Um fraterno abraço em Cristo Jesus!

Pe. Mateus Maria, FMDJ

 
paniejezuufamtobie@terra.com.br 
Visite o nosso site: www.mosteiroreginapacis.org.br 
Visite a nossa página de espiritualidade Mariana http://rainhadapaz.blog.terra.com.br/
Twitter: http://twitter.com/Mosteiro_Gospa
Comentário do Evangelho de Domingo: http://www.youtube.com/user/DeiVerbum1 
Vídeos de espiritualidade Mariana: http://pt.gloria.tv/?user=10793&medias=videos
Audios de espiritualidade Mariana:  http://pt.gloria.tv/?user=10793&medias=audios

Visite os nossos sites parceiros:
http://www.mensagensdemaria.org/
http://regina-apostolorum.blogspot.com/
http://www.tercodoshomens.com.br/

Panie Jezu Ufam Tobie!

23 de mai de 2010

Espiritualidade faz bem à Saúde...

Dois estudos internacionais indicam que a religiosidade pode proteger da morte por problemas cardíacos e de doenças como hipertensão

Folha de S. Paulo, 29-04-2010

Por 30 anos, médicos norte-americanos acompanharam a saúde cardiovascular de 6.500 adultos que não apresentavam fatores de risco (obesidade, tabagismo etc.). Constataram menor número de mortes por doenças do coração entre os que seguiam alguma religião. Outro estudo americano, realizado pela Universidade de Duke com 3.963 pessoas, concluiu que a leitura de textos religiosos, a prática de oração ou a participação em cultos reduziu em 40% o risco de a pessoa desenvolver hipertensão.

Com base nesses resultados, a Sociedade de Cardiologia de São Paulo vai discutir pela primeira vez a relação entre espiritualidade e saúde cardiovascular, em um congresso.“Cada vez mais estudos apontam essa associação benéfica. Os resultados ainda não são definitivos, mas merecem ser discutidos”, diz o cardiologista Álvaro Avezum, diretor da divisão de pesquisa do Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia de São Paulo.

“O estresse aumenta os níveis de cortisol no sangue. Isso eleva a pressão arterial e pode provocar taquicardia – fatores de risco para problemas cardiovasculares. As pessoas espiritualizadas têm maior convivência social e enfrentam os problemas da vida de maneira mais fácil, gerenciam melhor o estresse”, diz. O psicólogo José Roberto Leite, do departamento de Psicobiologia da Unifesp, concorda. “Pessoas que têm uma crença religiosa costumam alimentar expectativas positivas em relação ao futuro.

22 de mai de 2010

Ataques e defesas ao Papa e à Igreja

Governo britânico desculpa-se ao Vaticano por ridicularizar Papa

O governo britânico pediu hoje desculpa ao Vaticano pela redação de um documento oficial interno em que sugere assinalar a visita do Papa ao Reino Unido com a abertura de uma clínica de aborto e o lançamento de uma marca papal de preservativos. O documento, a que teve acesso o “The Sunday Telegraph”, foi intitulado “A visita ideal seria…” . Após o acesso pela imprensa do documento, o ministério dos Negócios Estrangeiros britânico veio pedir publicamente desculpas e anunciou hoje que o responsável pela elaboração do texto foi transferido para outras funções no ministério. O Papa, que vai estar em solo britânico entre 16 e 19 de setembro, vai visitar algumas cidades do país e beatificar o Cardeal John Newman.

Diário Digital / Lusa http://tinyurl.com/278xxwf


Ataques ao Papa Bento seguem agenda sexista e hedonista, diz jornal russo não católico

Um editorial do jornal Pravda.ru, em Português, explica que a atual campanha mediática difamatória contra o Papa e a Igreja pretende desacreditar a Igreja para poder seguir obtendo benefícios econômicos, através da imposição de uma ideologia que não considera a natureza espiritual do ser humano mas que enxerga tudo desde uma perspectiva sexista e hedonista.

No texto comenta que estas agressões tomam “um caso isolado, preferivelmente complicado, e o generalizam para induzir ao leitor a pensar que todo o corpo é a mesma natureza”.

Fonte: abril 8th, 2010
http://tinyurl.com/2eqm74l


Solidariedade de judeus com o Papa e a Igreja Católica perante ataque mediático

ROMA, 29 Abr. 10 / 01:26 am (ACI).- Ao finalizar a Audiência Geral da quarta-feira, um grupo de judeus liderados pelo rabino Gary L. Krupp, fundador e presidente da Pave the Way Foundation (Estados Unidos), expressaram ao Papa Bento XVI e à Igreja sua solidariedade ante os ataques mediáticos dos que são objeto. Junto com a delegação judia, saudaram o Santo Padre um grupo de religiosas capuchinhas do Divino Pastor, fundadas pelo Pe. José Tous e Soler, que foi beatificado em Barcelona no domingo passado 25 de abril.



Não se pode condenar a Igreja e o Papa pelos abusos de uns quantos, diz rabino

REDAÇÃO CENTRAL, 08 Abr. 10 (ACI) .- O rabino Jack Bemporad, Diretor do Centro para o Entendimento Inter-religioso em New Jersey, Estados Unidos, assinalou que "não se pode condenar coletivamente a Igreja pelo que alguns sacerdotes e indivíduos nela possam ter feito", perante a campanha mediática difamatória contra o Papa Bento XVI.

21 de mai de 2010

3º Encontro de Legisladores e Governantes pela Vida pede total rejeição ao PNDH-3



Arquivado em: Aborto — Prof. Felipe Aquino at 8:54 pm on segunda-feira, maio 3, 2010
BRASILIA, 30 Abr. 10 (ACI) .- Em nota de imprensa divulgada pelo Movimento Defesa da Vida, os palestrantes que participaram do 3º Encontro de Legisladores e Governantes pela Vida, realizado nesta quarta-feira na Câmara de Deputados em Brasília, afirmaram que o 3º Plano Nacional de Direitos Humanos (PNDH-3) deve ter todas as suas iniciativas rejeitadas pelo Congresso, pois traz como diretrizes a descriminalização do aborto e o tratamento desse tema como uma questão de saúde pública. Para eles, o fato de o plano afrontar o direito à vida já compromete o documento integralmente.
“Essa matéria tem de ser devolvida, considerada prejudicada, porque viola o direito à vida, uma cláusula pétrea da nossa Constituição. A proposta está toda manchada em sangue na sua concepção mais elementar”, afirmou o deputado Paes de Lira (PTC-SP).
O vereador carioca Márcio Pacheco (PSC), que preside a Frente Parlamentar em Defesa da Vida da Câmara Municipal do Rio de Janeiro qualificou o PNDH-3 como “como uma fruta de que se aproveita pequenos pedaços, mas que está com a essência podre. Uma simples letra macula todo o plano, por menosprezar o direito à vida”. O fato de que o ministro da Secretaria dos Direitos Humanos, Paulo Vannucchi, tenha afirmado na semana passada que o governo vai alterar pontos relacionados ao aborto no PNDH não diminuiu o tom das críticas do grupo contrário ao aborto.
Para o deputado Paes de Lira, o recuo do ministro não basta. Ele defende que o plano seja todo reavaliado integralmente: “Enquanto continuar com esses propósitos, não será um plano de direitos humanos, mas um documento que atenta contra esses direitos”, afirmou.
Já o deputado Miguel Martini (PHS-MG) afirmou ser contrário ao programa do governo pelo fato de se referir a um modelo social do qual discorda. “O projeto de sociedade claro no PNDH é de uma sociedade ateia, com aborto, com legalização de prostituição, com casamento gay e adoção por gays, sem direito à propriedade e com a mídia controlada. Se nós vamos deixar isso é outra história. Cabe a nós dizer não: não ao aborto, não ao casamento gay, sim à família e sim à vida”, defendeu o deputado.
Acordo internacional
O promotor de Justiça do estado de São Paulo Thiago Cintra Essado lembrou que o Brasil aderiu ao Pacto de São José da Costa Rica, acordo internacional que tem como norma a garantia do direito à vida desde a sua concepção.
Esse acordo, disse, tem força de lei no Brasil por interpretação do Judiciário. Recentemente, o Supremo Tribunal Federal (STF) proibiu a prisão civil do depositário infiel porque essa determinação afronta o Pacto de São José. Assim, não é apenas o Código Penal que criminaliza o aborto, argumentou o promotor. “Dentro desse panorama jurídico, o STF deve reconhecer também a defesa da vida desde a concepção”, disse o promotor.
Lei contra abandono de mulheres
Em alusão à Lei Maria da Penha, que coíbe a violência doméstica contra a mulher, o subprocurador-geral da República Cláudio Fonteles sugeriu a criação de uma “Lei Maria do Abandono”, que ampare as mulheres que não querem abortar, mas o fazem por pressão familiar ou pela situação de abandono em que vivem. “Ouvi de mulheres pró-aborto que nenhuma mulher quer abortar, mas acaba fazendo isso por pressão ou por uma situação de abandono completo. O governo tem de dar um passo adiante para defender as mulheres contra o abandono, com centros de atendimento integral e abrigos”, defendeu Fonteles.

19 de mai de 2010

Perseguição aos Cristãos e a Vingança de Deus!


Na região de Orissa, Índia, manadas de elefantes vindas de longe, agem de um modo inusual. Fala-se que parecem cumprir uma “missão” vinda do alto.
Nessa região há quase dois anos ocorrem atrozes perseguições anti-cristãs praticadas por hinduístas.
Porém, há alguns meses, como que guiados por mão não humana manadas de elefantes estão punindo os perseguidores.
A matéria a seguir, de autoria do Pe. Sunil de Silva e publicada no site da arquidiocese de Colombo [Ceilão], em 9 de dezembro de 2009, dispensa comentários.
Em julho de 2008, estorou uma grave perseguição contra os cristãos no estado indiano de Orissa [Bahia de Bengala, parte oriental da Índia]. Uma freira de 22 anos de idade foi queimada viva quando multidões enfurecidas incendiaram um orfanato na aldeia de Khuntpali, no distrito de Barhgarh.
Outra freira foi estuprada por uma gangue em Kandhamal. Bandos atacaram as igrejas, incendiaram os carros e destruíram as casas de cristãos.
O Pe. Thomas Chellen, diretor do centro de pastoral que foi destruído por uma bomba, escapou por pouco de ser queimado vivo por um magote de hindus.
O resultado final foi de mais de 500 cristãos mortos, milhares de outros feridos e desabrigados após suas casas serem reduzidas a cinzas.
Porém, recentemente, um evento dramático e estranho ocorreu em Orissa, que fez muitas pessoas falarem e pensarem sobre ele.
Nos últimos meses, manadas de elefantes selvagens desceram sobre as aldeias onde residem alguns dos piores perseguidores dos cristãos durante os distúrbios.
Numa aldeia de onde, em agosto do ano passado, os cristãos tiveram que fugir para salvar as vidas enquanto suas casas destruídas pelos baderneiros, uma manada de elefantes surgiu da floresta circundante exatamente um ano depois, em julho de 2009, na mesma hora e dia do ataque.
Estes elefantes primeiro atacaram uma máquina trituradora de propriedade de um dos principais líderes da perseguição. Em seguida, avançaram e destruíram sua casa e suas fazendas.
No Estado de Orissa, centenas de habitantes das aldeias foram obrigados a se refugiarem em acampamentos após repetidos ataques das manadas.
Nas últimas semanas no distrito de Kandhamal, sete pessoas foram mortas e várias outras ficaram feridas em ataques perpetrados por uma manada de 12-13 elefantes.
Mais de 2.500 pessoas que vivem em 45 vilarejos foram afetadas pelos ataques, disse o chefe do distrito Krishen Kumar.
Não é claro, contudo, por que essa manada de elefantes migrou da reserva de Lakheri num distrito vizinho. Krishen disse que o rebanho viajou cerca de 300 km até Kandhamal, e até entrou numa cidade do distrito.
Especialistas em animais selvagens estão acampados no local dos ataques tentando descobrir por que os elefantes saíram de sua reserva.
Os moradores das aldeias insistem em que os elefantes atacam em manada, causando pesadas destruições.
Crescendo em ousadia, os elefantes invadiram outras casas de não-cristãos, demolindo os jardins, recordando as casas dos perseguidores, e deixando intocados os lares cristãos.
Estes estranhos ataques se espalharam, e de acordo com um outro relatório, os elefantes já destruíram mais de 700 casas em 30 aldeias, e mataram cinco pessoas.
Ninguém na região vira ou sequer imaginou o singular aparecimento de uma manada de elefantes selvagens como essa. Os elefantes não são normais, eles parecem estar cumprindo uma missão.
Pelo geral, os elefantes menores entram os primeiros nas aldeias, como se estivessem fazendo um recenseamento da comunidade. Depois voltam para a manada, e logo aparecem os elefantes maiores que fazem o serviço.
Um missionário da Índia, afirmou: “Nós achamos que isto pode ter algo a ver com a vingança do sangue dos mártires. De fato, o temor de Deus desceu sobre o povo local, que chama esses elefantes de “elefantes cristãos”.
O governo fornece pouca ajuda e os moradores montaram bloqueios nas estradas. “Os elefantes destruíram seletivamente plantações e casas.”
Mas os agentes do governo também confessam desconcerto e desamparo. Não há um ambiente permanente para elefantes em Sudargarh. Eles vêm de Bihar, Chhattisgarh e Jharkhand, onde seus habitats encolheram. Mas não está claro como e por que esses elefantes atingiram Orissa.
P.S.: entre os males das perseguições conta-se a desedificante apostasia de alguns católicos mais fracos. Porém, em Orissa verifica-se mais uma vez a palavra de Tertuliano (155-220 d.C.) para o imperador Antonino Pio: Semen est sanguis Christianorum “o sangue dos mártires é semente de cristãos.”
fonte: revista catolicismo

18 de mai de 2010

Ateísmo e a nova religiosidade


O homem e Deus, na época contemporânea, não estão mais em competição mútua, como se pensava no século passado. O ser moderno não quer dizer ser religioso. Acontece, porém, que a religião hoje reaparece após a onda de ateísmo do século passado… reaparece desligada da razão ou na base de fortes emoções e sentimentos. Isto se deve, em grande parte, ao fato de que as soluções racionais parecem insuficientes para atender ao homem e seus problemas hoje; a ciência já não oferece o que dela esperou o cientificismo de outras épocas; donde o recurso à magia, ao falso milagre, ao extraordinário, que os homens querem tornar ordinário ou cotidiano. Sem a bússola da razão, o senso religioso pode degenerar no fantasioso, imaginativo e até no desumano, como acontece no fanatismo e nos grupos pretensamente orientados por vozes e mensagens do além. A razão jamais poderá compreender as verdades da fé, mas poderá sempre examinar e testar as credenciais da mesma.

O fenômeno religioso em nossos dias chama a atenção. Ateísmo e ondas de misticismo caminham lado a lado; pode-se mesmo dizer que há um surto quase violento de religiosidade emotiva e irracional, enquanto a fé cristã continua a proclamar sua mensagem perene tentando utilizar os moldes da cultura moderna.
Desde 1965 (ano terminal do Concílio do Vaticano II), existe em Roma um “Secretariado para o Diálogo com os Não Crentes”, encarregado de estudar o ateísmo e a indiferença religiosa. Em 1988, o S. Padre João Paulo II deu a esse órgão o título de “Pontifício Conselho para o Diálogo com os Não Crentes”, confirmando suas atribuições e sugerindo-lhe contactar assiduamente as correntes do pensamento contemporâneo. O Presidente desse Conselho é o Cardeal francês Paul Poupard, prelado de grande cultura, Reitor do Institut Catholique de Paris, autor de obras referentes à fé católica e ao pensamento de nossos dias.
Em 1985, o Conselho para o Diálogo com os Não Crentes empreendeu um inquérito junto às Conferências Episcopais do mundo inteiro, às Universidades Católicas e a personalidade de renome a respeito da incredulidade e da indiferença religiosa. Tal inquérito trouxe à tona quadros assaz diversificados, espelho da realidade contemporânea: assim originou-se um relatório emanado do Conselho, do qual vão, a seguir, extraídos os tópicos mais relevantes.
1. O panorama religioso do nosso mundo
O relatório considera cinco setores da humanidade contemporânea.
1.1. Países socialistas

A ideologia fundada sobre o materialismo histórico e dialético parece estar no seu ocaso. Ainda ocupa espaço notável, porque sustentada pelos governantes e mentores de tais países. Mas a fachada impressionante e o triunfalismo das palavras e da propaganda escondem uma situação real bem diferente: o edifício construído pela ideologia está vazio, desertado pelas inteligências, desmentido pelos fatos… Os respectivos governantes vão compreendendo que as massas não os seguem; o desmoronamento da ideologia é patente aos olhos de todos. O homem, desiludido, se vê a braços com a inquietude, a solidão e a angústia.
1.2. O Ocidente industrializado e tecnológico
Está contaminado pela mentalidade consumista e pelo hedonismo (ou a procura do prazer). Em conseqüência, muitos cidadãos questionam o sentido da vida, cujos grandes objetivos parecem ser tão somente o pragmatismo utilitário e a procura da eficiência a todo custo. Daí se originam o relativismo moral, a indiferença religiosa e o secularismo. O homem que aceite tal modo de pensar e viver, se torna incapaz de experimentar valores transcendentais e procura sua realização no sucesso econômico e no prestígio social.
Esses bens ilusórios não podem deixar de gerar o sentido de solidão, a insatisfação posta em demanda de algo maior, melhor e mais duradouro; as capacidades espirituais do homem emergem com sua sede, aberta ou dissimulada, de respostas mais adequadas para os anseios humanos.
A tecnologia parece “mecanicizar” a mentalidade dos homens, fechando-os em parâmetros materiais, pilotados unicamente pelas conquistas da técnica. Todavia esse progresso meramente horizontal faz ameaças mortais e acarreta perigos nunca dantes imaginados.
Como quer que seja, os países do bem-estar abrem, a seu modo, o campo para o debate das grandes questões relativas ao sentido da vida e da morte, do homem e da Ética.
1.3. América Latina

O crescente hiato entre ricos e pobres cria graves tensões entre as duas ideologias antagônicas: o capitalismo liberal, cuja única lei é o ganhar mais, dentro de uma visão individualista e utilitária do homem, e o coletivismo marxista, que professa o mito da revolução e a mística da luta de classes. Sobre este pano de fundo, a Igreja aponta aos povos os valores transcendentais, propondo-lhes um humanismo autenticamente cristão contido na Doutrina Social de Encíclicas e documentos oficiais (do qual o último, muito concreto e atualizado, se intitula Sollicitudo Rei Socialis).
1.4. África
Na África estão em voga certas ideologias baseadas no retorno aos valores tradicionais (a solidariedade na família, na tribo, a cultura aborígene, os idiomas nativos…). São, porém, dominadas pelo totalitarismo de Estado e o absolutismo que regem certos países. Nesse contexto a Igreja emerge como garantia do respeito às pessoas e da liberdade dos povos. O marxismo-leninismo, que governa várias nações africanas, interessa tão somente à classe dirigente e a alguns setores da cultura, enquanto o povo lhe fica estranho, impregnado de sua religiosidade tradicional. A luta de classes é vista por muitos cidadãos como fator de dissolução da solidariedade e da comunhão existentes entre os membros do mesmo clã – o que favorece a irresponsabilidade e a perda da identidade étnica.
1.5. Ásia

A Ásia, berço de religiosidade e sabedoria milenares, conserva firmemente as suas tradições, mas também se acha penetrada pelo marxismo, apesar dos desastres provocados por esta ideologia em alguns países. Em tal continente, a Igreja prega a sua mensagem de salvação, em diálogo com as antigas tradições religiosas e culturais.
Após este percurso panorâmico, parece oportuno dizer algo sobre ideologia, já que o tema foi mais de uma vez mencionado anteriormente.
2. Ideologia e crença
Ideologia significa literalmente estudo das idéias. Ideólogo era, nos séculos passados, o cultor de tal estudo. Hoje ideologia designa as idéias dominantes ou o sistema de pensamento de um grupo social, que tudo vê unilateralmente, ou seja, em função da preservação da situação vigente ou, vice-versa, em função da transformação da mesma. Pode haver ideologia também no setor da religião, onde se fala, por exemplo, de “ideologia islâmica”.
As ideologias costumam apelar para a violência, instigada por certa intuição “mística”, pois a ideologia mobiliza as aspirações, as energias, os interesses, os sonhos de uma sociedade, propondo um futuro belo e risonho. A ideologia tende a oferecer a explicação última, absoluta e obrigatória de todas as indagações de um grupo. A este título, as ideologias têm certa analogia com os mitos e com a própria religião. Na Carta Octogesima Adveniens (n.º 28) Paulo VI dizia que a ideologia pode tornar-se “um novo ídolo”. O Documento de Puebla, emitido pelo episcopado latino-americano em 1979, por sua vez, assim se refere às ideologias como “religiões leigas”:
“Entre as múltiplas definições que se podem propor, chamamos aqui ideologia toda concepção que ofereça uma visão dos diversos aspectos da vida, desde o ponto de vista de um grupo determinado da sociedade. A ideologia manifesta as aspirações desse grupo, convida para certa solidariedade e combatividade e fundamenta sua legitimação em valores específicos. Toda ideologia é parcial, já que nenhum grupo particular pode pretender identificar suas aspirações com as da sociedade global…
As ideologias trazem em si mesmas a tendência a absolutizar os interesses que defendem, a visão que propõem e a estratégia que promovem. Neste caso, transformam-se em verdadeiras “religiões leigas”. Apresentam-se como uma explicação última e suficiente de tudo e se constrói assim um novo ídolo, do qual se aceita, às vezes, sem que as pessoas se dêem conta, o caráter totalitário e obrigatório. Nesta perspectiva não é de estranhar que as ideologias tentem instrumentalizar pessoas e instituições a serviço da eficaz consecução de seus fins. Eis o lado ambíguo e negativo das ideologias…
Isto lhes confere uma mística especial e a capacidade de penetrar os diversos ambientes de modo muitas vezes irresistível. Seus slogans, suas expressões típicas, seus critérios, chegam a marcar profundamente e com facilidade mesmo aqueles que estão longe de aderir voluntariamente a seus princípios doutrinais. Desse modo, muitos vivem e militam praticamente dentro dos limites de determinadas ideologias sem haver tomado consciência disso… Tudo isto se aplica tanto às ideologias que legitimam a situação atual, como àquelas que pretendem mudá-la” (n.º 535-537).
Os psicossociólogos mostram como a ideologia pode suscitar a crença cega e a esperança acrítica de um grupo. Este, em conseqüência, rejeitará como inimigo do povo todo indivíduo que não compartilhe tal modo de pensar. A ideologia inspira os militantes e revolucionários que, consagrando-se ao seu serviço, encontram motivação suficiente para levá-los até o sacrifício da própria vida.
As ideologias – tanto as liberais como as coletivistas, marxistas – apoiam-se sobre uma interpretação irracional da realidade ou dos mecanismos econômicos e sociais. Adam Smith (1723-90), por exemplo, um dos primeiros mentores do capitalismo liberal, dizia que este é a “mão invisível” da Divindade e o penhor do bem-estar coletivo.
Conclui-se, pois, que nosso mundo está marcado por um paradoxo: de um lado exalta-se o acume e o exercício da razão (na ciência, na técnica e na Filosofia racionalista…); de outro lado, porém, seguem-se correntes emotivas, desligadas da bússola da razão e, por isto, tendentes a escravizar o homem.

3. A nova religiosidade
Tendo abandonado, em parte, a fé que berçou a civilização ocidental ou o Cristianismo, para aderir a cosmovisões materialistas de direita ou de esquerda, o homem contemporâneo se vê frustrado, esvaziado, descrente de soluções humanas para seus múltiplos problemas e, por isto, propenso a procurar no além ou na mística novas respostas. Assim, ao passo que no século passado e nos primeiros decênios deste se punha o dilema “Ou Deus ou o homem”, “Ou a fé ou a ciência”, em nossos dias já se diz “Deus e o homem”, “A ciência e a fé”. Todavia nem sempre se dá o retorno ao Cristianismo, que aprecia a razão como via condutora ao Transcendental, mas muitos recorrem diretamente ao “transcendental” por vias irracionais e emotivas; dir-se-ia que estão céticos em relação à razão para explicar ao homem os mistérios da vida e do mundo.
A procura do sentido da vida e do porquê viver, lutar, sofrer, morrer… leva naturalmente a Deus, visto que as respostas imanentes são insatisfatórias. A nova religiosidade emotiva ou meio-irracional assume três aspectos diferentes:
1) “a religião do sucesso”. Apresenta a crença como penhor seguro de sucesso material, de cura de doenças, superação de carências econômicas… A doença, a pobreza, as desgraças seriam obras de Satanás, que deve ser contido mediante a força da fé e exorcismos. Os fracos e infelizes seriam tais por não terem fé. A riqueza e a saúde serão a prenda de quem foi libertado do Maligno. Tem-se aí um “materialismo teológico” ligado às “igrejas eletrônicas”, em grande parte norte-americanas. O pentecostalismo e o neo-pentecostalismo protestantes estão neste rol, que atrai principalmente as pessoas mais desprovidas de recursos materiais ou mais incapacitadas de prover às suas necessidades materiais; todavia não se excluem pessoas abastadas, que estejam à procura de soluções mágicas para seus problemas. – São correntes religiosas de pouco conteúdo doutrinário e de grande efervescência sentimental, que reduzem seu culto muitas vezes ao atendimento dos numerosos clientes que as procuram. Tal é, entre outras, a Igreja Universal do Reino de Deus, fundação brasileira recente, que vem crescendo na base da apelação para os sentimentos e as emoções e do “exorcismo” curandeiro.

2) O revisionismo bíblico. Há correntes que fazem uma radical reinterpretação da Bíblia, acrescentando-lhe, por vezes, uma nova revelação, como são a dos Mórmons a das Testemunhas de Jeová, a do Moonismo e… quiçá a dos Adventistas. Entre os católicos, registram-se certos grupos dissidentes, inspirados por “aparições” e “visões” não autênticas como a de El Palmar de Troya,¹ a do Monte Santo em Guiricema de Minas. Encontram certa ressonância não só entre os mais pobres, mas também na classe média.
3) As religiões de cunho panteísta, geralmente de origem oriental. Assumem várias modalidades: Hare Krishna, Meditação Transcendental, Gnosticismo, Esoterismo, Rosa-Cruz (embora esta diga que não é religião, faz as vezes de uma cosmovisão religiosa panteísta), Teosofia, Antroposofia, Logosofia… O panteísmo ou o monismo é, pode-se dizer, uma forma velada de ateísmo, pois professa que Deus, o homem e o mundo são da mesma substância ou são divinos, de modo que o homem pode mais e mais exercer poderes próprios da Divindade. O panteísmo costuma atrair (não exclusivamente) pessoas de certa cultura, que não querem renegar a religião, mas (consciente ou inconscientemente) não aceitam a dependência do homem em relação a Deus Criador e Transcendente. A tese da reencarnação costuma estar associada a este tipo de concepção religiosa, pois ela professa a auto-salvação do homem mediante sucessivas reencarnações.

A corrente New Age (Nova Era), já mencionada em PPR 325/1989, pp. 278-283, é uma forma sincretista que pretende ultrapassar e substituir o Cristianismo, propondo um panteísmo místico.
Vejamos agora
4. O desafio à Igreja O surto e a expansão dos novos grupos religiosos em nossos tempos sugere várias reflexões:
1) Vê-se que o homem e Deus não estão mais em competição mútua, como se pensava no século passado. O ser moderno não quer dizer ser irreligioso ou arreligioso; nossa época não é uma época pós-religiosa, como se diz por vezes.
2) Acontece, porém, que a religião hoje reaparece depois da onda de ateísmo do século passado,… reaparece desligada da razão ou na base de emoções e sentimentos. Isto se deve a dois fatores principais:
a) as soluções racionais e normais parecem insuficientes para atender ao homem; a ciência já não oferece o que dela esperou o cientificismo; donde o recurso à magia, ao milagroso, ao extraordinário, que os homens querem tornar ordinário ou cotidiano;
b) a onda de antitelectualismo iniciada em meados do século XIX com Sören Kierkegaard (+ 1848) perdura até hoje, ao menos no tocante à metafísica e à religião. – Sem a bússola da razão ou do raciocínio, o senso religioso (que costuma ser sempre muito forte), pode degenerar no fantasioso, imaginativo e até no desumano, como acontece no fanatismo e nos grupos pretensamente orientados por vozes e mensagens do além. A razão jamais poderá compreender as verdades da fé, mas poderá examinar a testar as credenciais da mesma.
3) Mais do que nunca, o fiel católico precisa do dom do discernimento dos espíritos, para que se possa orientar entre as correntes de pensamento ambíguas que o cercam. À fé não se opõe apenas o ateísmo, mas também a idolatria da nova religiosidade.
4) Conseqüentemente, o fiel católico que deseje enfrentar o mundo de hoje, não pode dispensar sólida formação doutrinária. A Igreja não favorece o antitelectualismo; ela precisa de pessoas preparadas no campo filosófico e no teológico para poder dialogar com o mundo contemporâneo. Não basta pensar na Pastoral ou na ação prática; requer-se um cabedal de idéias claras para que a Pastoral não se desvirtue ou não venha a ser antieclesial. Também não basta que as pessoas “se sintam bem” (coisa tão procurada e estimada em nossos dias) na igreja; o sentir-se bem é algo de subjetivo e pode estar desligado da verdade e da autêntica fé. Não se exclui o “sentir-se bem”, mas dê-se-lhe por fundamento a autêntica profissão de fé, que certamente tem em anexo uma parcela da Cruz de Cristo.
Esta problemática ainda será aprofundada no decorrer da entrevista que, a seguir, vai transcrita.
5. Uma entrevista notável
O Cardeal Paul Poupard, Presidente do Pontifício Conselho para o Diálogo com os Não Crentes, respondeu nos seguintes termos ao repórter Angelo Bertani, da revista JESUS (edição de maio 1989, pp. 74s):
Repórter: “Afirma o Cardeal Daneels¹ que a alternativa para a fé não é necessariamente o ateísmo, mas pode ser a idolatria. Que diz V. Em.cia?”.
Paul Poupard: “De fato; o ateísmo puro é extremamente raro. Sartre diz em uma de suas obras, “Les Mots”, aliás uma obra-prima literária: “O ateísmo é um empreendimento difícil e de longo fôlego. Creio tê-lo realizado até o fim”. Sim; Sartre, Marx, Engels tinham uma certa inteligência cientificista ou niilista. Mas a questão se põe para Nietzsche: que é a sua exaltação da vida e do super-homem senão uma série de ídolos feitos absolutos no lugar de Deus? E Lênin, com o mito do proletariado, da revolução, do comunismo… Não seriam ídolos tudo isto? E não falamos da grande multidão daqueles que se dizem não-crentes com os seus ídolos mais terra-a-terra: sexo, dinheiro, drogas, esporte, sucesso econômico e social, prazeres estéticos e de outra ordem meramente terrena.
A idolatria conheceu um desenvolvimento extraordinário e adquiriu o caráter de culto do Estado nos países socialistas. Por exemplo, assistimos na União Soviética ao ressurgimento dos mitos arcaicos, como o culto dos heróis, dos quais o primeiro é Lênin, do fogo eterno, símbolo da vida, dos ritos do batismo (imposição do nome), da iniciação da juventude (Confirmação), do casamento e das exéquias socialistas. Aliás, é preciso dizer que essas formas de idolatria socialistas não são senão um infeliz plágio dos ritos cristãos, plágio um pouco ridículo e que desagrada ao povo”.
R.: “Por conseguinte, os “novos crentes” não têm muita segurança. E os “novos ateus” não deixam de ter esperanças…”
P.P.: “Os novos crentes, os adoradores dos ídolos, encontram-se em posição insustentável. E isto, porque, após Jesus Cristo, os ídolos, os verdadeiros ídolos, são simplesmente impossíveis. Os velhos deuses não podem mais ressuscitar, não podem ser levados a sério. É impossível crer sinceramente em Vênus, Mercúrio, Dionísio, etc. Ao homem europeu que fez a experiência de Cristo e teve o conhecimento da Revelação, não resta senão uma alternativa: ou Cristo ou o nada. Os deuses pagãos morreram realmente.
Os “novos ateus”, os verdadeiros ateus, podem ter esperança? Sim, porque a esperança é a virtude dos tempos trágicos. E os dados são inequívocos: adesão a Deus, que se revelou em Jesus Cristo, ou a escolha do nada. É diante desta prospectiva séria que Dostoievskij põe nos lábios de seus personagens: “O ateísmo pleno se encontra no alto da escada, no penúltimo degrau que leva à fé plena”.
R.: “Que diria hoje V. Em.cia a um ateu que lhe afirmasse: “Eu sou ateu!?”
P.P.: “Eu o contemplaria profundamente nos olhos (como Jesus) e lhe diria: “Que maravilha! Tu, com o teu semblante iluminado pelo Espírito, com os teus olhos em que se lê uma individualidade imortal, com todo o teu corpo, obra-prima da criação, tu, com aquilo que és, tu és a prova mais estupenda de uma evolução criadora do universo, que, logicamente, não pôde ser orientada senão por uma inteligência amorosa, que os homens, há milênios, chamam Deus”. E, se ele me dissesse ainda: “Não creio em Deus”, eu lhe responderia: “Mas Deus crê em ti”.

R.: “E que diria V. Em.cia a quem afirmasse: “A nós o fato religioso não interessa em absoluto?”
P.P.: “Eu lhe diria: “É porque vives na superfície de ti mesmo, na distração e no divertimento. E negligencias a dimensão mais profunda, mais bela, mais interessante do teu ser. A vida provavelmente tem, em certos momentos (e tu o sabes bem!), um sabor de fastio; talvez em certas ocasiões um sentimento de desespero te acometa, e isto te leva a uma procura insaciável de prazeres. Mas sabes que se trata de um beco sem saída. Entra, pois, de novo dentro de ti mesmo, descobre as tuas profundidades, a dimensão total do teu ser e então descobrirás dentro de ti algo de sagrado, inviolável, uma santidade que tu mesmo não pudeste poluir, uma fome do além, uma nostalgia de beleza”.

R.: “Enfim, como enfrentar aqueles que dizem: “Fiz uma experiência à altura das minhas necessidades em tal ou tal grupo ou seita, no(a) qual me sinto realizado e seguro?”
P.P.: “Dir-lhe-ia: “Uma experiência religiosa que não seja senão a satisfação de necessidades íntimas e um meio de realizar-se, só pode ser uma ilusão, uma procura de si mesmo, o arbitrário elevado à categoria do absoluto, uma falsa segurança. Quem a faz, não sai deste mundo nem do seu eu mais ou menos turvo e egoísta. É preciso renunciar à auto-suficiência, à auto-suficiência deste mundo, e aceitar uma verdade que vem de outra fonte, abrir-se ao absolutamente outro. Aceitar esse absolutamente outro que nos põe radicalmente em foco, é uma via para nos libertarmos do mundo e de nós mesmos. Esse Outro é Jesus Cristo e o seu Evangelho, vivo na sua Igreja”.
R.: “Portanto, que é que ainda ensinam os “novos crentes”, os “ateus” ou os “indiferentes”?
P.P.: “Os novos crentes, para os cristãos, são figuras do passado, “os velhos deuses que dormem em mortalhas de ouro” (Renan), que nada pode ressuscitar: uma posição impossível e falsa. Os indiferentes, por princípio, nada têm a dizer. “Boh!” não é uma resposta. Os “novos ateus” que levaram o seu ateísmo até o extremo, os ateus coerentes consigo mesmos, os ateus heróicos e trágicos, são os que ficam mais próximos de nós e paradoxalmente nos podem ensinar algo: um mundo de total ausência de Deus, escolhido de maneira consciente e vivido de modo trágico. Eles nos dizem o que é a ausência real e, conseqüentemente, nos fazem saber o que é a presença real de Deus entre nós: luz do coração, sentimento de liberdade, alegria e esperança”.
Eis como o cardeal Poupard vê o ateísmo contemporâneo; julga que é algo de artificial ou violento demais para o homem, a tal ponto que os ateus mais radicais parecem fadados a ter pouca estabilidade na sua posição atéia; experimentando o vazio e o trágico de um mundo sem Absoluto e sem plenitude de valores, estão perto de passar para o campo da fé ou do reencontro do homem consigo e com os mais profundos anseios da alma humana.
O caso mais doloroso e lamentável é o dos indiferentes ou o dos que ficam descomprometidos com qualquer ideal, ainda que errôneo. Já o Apocalipse comenta a hediondez de tal atitude, atribuindo a Cristo as palavras: “Conheço tua conduta; não é nem frio nem quente. Oxalá fosses frio ou quente! Assim, porque é morno, nem frio nem quente, estou para te vomitar de minha boca” (Ap 3,15s).
Fonte: Cleofas.

"Despojemo-nos das ações das trevas e vistamos as armas da Luz" Rm 13,12