23 de fev de 2011

Rastrear e avisar!

Esta informação pode ser útil para muitas pessoas, por isso compartilho aqui:


Se você é daquelas pessoas que não consegue ficar 10 minutos sem acessar o site dos Correios para consultar o tracking de algum objeto, você precisa conhecer o Muambator!
O Muambator é a forma mais prática de você receber as atualizações dos seus objetos! Funciona assim:
  1. Registre-se
  2. Cadastre seus objetos
  3. ... e pronto!
A partir deste momento você receberá as atualizações conforme a opção escolhida. Hoje, temos a disposição 4 formas de notificação:
  • RSS feed por pacote e completo por usuário
  • Twitter (via direct message)
  • E-mail
  • Push (iPhone)
Importante: para receber as notificações por twitter, você precisa seguir o@muambator. Isto é necessário porque toda notificação é realizada através de direct message.
Atualmente o muambator está integrado aos sistemas:
Este serviço é Beta. Obrigado a todos os amigos pelo feedback e paciência com os bugs encontrados. Ah, é importante lembrar que o serviço também é grátis!
Agradecimentos
Ah e já ia me esquecendo... Meu nome é Cícero Raupp Rolim, sou mestre em Computação Aplicada (Unisinos 2007) e gosto muito de desenvolvimento web, principalmente com Django.
E-mail para contato: cicero.rolim arroba gmail ponto com
Também estamos presentes nas redes sociais:
  1. Orkut
  2. Facebook

15 de fev de 2011

Liturgia de Hoje!


Fonte: Nossa Senhora de Medjugorje


MARIA NOS PLANOS DE DEUS“Nossa Senhora recebeu pela inefável bondade de Jesus a força de suportar até o fim as provações do seu amor.
Que você também possa encontrar a força de perseverar com o Senhor até o Calvário!”
SANTO PADRE PIO DE PIETRELCINA



Nosso Senhor foi “homem nascido de uma mulher, encarnado no seio da humanidade para experimentar-lhe os limites, as dificuldades, as possibilidades”.Aos profetas – sobretudo a Isaías – já havia sido revelado: o Messias chegaria nascido de uma jovem, de uma virgem. Certamente, não poderiam aqueles homens imaginar quem seria essa jovem, e, como a maioria do povo provavelmente também eles acreditavam que a escolhida por Deus seria alguém de alta linhagem social.Importa saber que o Senhor não se revelaria mais como uma força da Natureza como por diversas vezes havia se mostrado ao povo.Nem tampouco seria apenas mais palavras nas bocas dos profetas. Seria, sim, homem nascido de uma mulher, encarnado no seio da humanidade para experimentar-lhe os limites, as dificuldades, as possibilidades.Este era um primeiro passo do plano de Deus: se até aquele momento, tudo o que já demonstrara por seu povo não havia sido suficiente, Ele se tornaria um de nós, para mostrar, definitivamente, que era possível.Havia entre as jovens daquele tempo a expectativa de ser a escolhida. Certamente não sabiam como isso aconteceria e o imaginário muito provavelmente alimentava as esperanças das moças que desejavam ser aquela que o Senhor viria a escolher para ser a mãe do Messias.Essa expectativa muito provavelmente deve ter sido experimentada também por Maria.Ainda que em atitude humilde, ainda que provavelmente não conseguindo reconhecer nenhum mérito em sua simples vida, Maria era uma jovem absolutamente normal, conhecia e vivia a realidade das mulheres de seu tempo. Por que, então, estaria ela nos planos de Deus? Por que o Senhor marcou apenas aquela jovem para ser a mãe de Seu Filho?O que haveria nela de tão especial?Maria estava nos planos de Deus como toda a humanidade está. Deus sabia da infidelidade do homem à sua aliança e, por ser todo misericórdia, decidiu o envio de Seu Filho ao mundo. Era preciso, pois, que Jesus nascesse de uma mulher, que crescesse, que por ela fosse cuidado, educado, constituído homem. Maria foi capaz de ler o anúncio de Deus, foi capaz de reconhecer naquele ser que lhe visitava o anjo do Senhor e, mais que tudo, foi capaz de responder sim ao que lhe era pedido. E se ela tivesse respondido “não”, ou se não tivesse visto nada de especial naquele homem que lhe abordava com uma proposta absurda – como ela mesma o questionará. Provavelmente, Deus teria se dirigido a outra jovem, até encontrar aquela que tivesse no coração a capacidade de escuta, o amor por seu Deus acima de si mesma, o desejo de contribuir com a salvação da humanidade – tudo o que conseguiu encontrar em Maria!O diálogo de Maria com o anjo mostra alguém que questiona, que não entende o que vai acontecer. A revelação de que Isabel também está grávida, faz com que corra a ver a prima, que também é detentora de uma situação especial, para com ela compartilhar daquela reviravolta. E quantas outras vezes Maria não terá se perdido em reflexões sobre o que desejava Deus com aquilo tudo… Atitudes e dúvidas plenamente humanas, mas que revelam um diálogo profundo e constante com o Senhor para que Nele encontrasse todas as respostas.Maria fora preparada por Deus para ser a Mãe de Jesus como todos também somos preparados por Deus para fazer Jesus chegar à humanidade.A fé nos faz crer que a jovem de Nazaré fora concebida e mantida imaculada, como um carinho de Deus para não permitir que o pecado tocasse o corpo que geraria Seu Filho, para que não tocasse Ele próprio. Mas Deus não tirou uma só característica da personalidade de Maria, Ele a quis em sua integridade, em sua forma de ser. Nela confiou, nela acreditou e sabia que daria conta da Missão que lhe confiava.Como Maria, cada um de nós faz parte também dos planos de Deus.Somos todos escolhidos. Estamos em Deus antes mesmo de ser concebidos. Deus nos quer desde sempre e nos prepara para a missão.Cabe a cada um reconhecer os anjos que nos procuram, responder aos convites que Deus nos faz – ainda que nos pareçam impossíveis serem realizados.Maria foi preparada por Deus para a Sua Missão, que certamente supera a nossa. Mas, por Ela e nEla podemos crer que Deus também nos prepara para as nossas missões individuais, nos concede graças especiais que nos fortalecem e protegem na caminhada. Ele só quer que digamos “sim”, como quis um dia que aquela jovem, por Ele escolhida, também o dissesse



MENSAGEM DO DIA 25/09/2002 - Queridos filhos! Também neste tempo sem paz, convido-os à oração. Filhinhos, rezem pela paz para que no mundo cada homem sinta amor pela paz. Somente quando a alma encontra paz em Deus ela sente-se feliz e o amor corre pelo mundo. De maneira especial, filhinhos, vocês são chamados a viver e a dar testemunho da paz: paz em seus corações e nas famílias, e, por meio de vocês, a paz propagar-se-á também no mundo. Obrigada por terem correspondido a Meu apelo - MENSAGENS DE NOSSA SENHORA DE MEDJUGORJE 
















DIA : 15/02/2011
PRIMEIRA LEITURA : Gênesis 6, 5-8; 7, 1-5.10
VI SEMANA COMUM
(verde - ofício do dia)
Leitura do livro do Gênesis - Naqueles dias, 5O Senhor viu que a maldade dos homens era grande na terra, e que todos os pensamentos de seu coração estavam continuamente voltados para o mal. 6O Senhor arrependeu-se de ter criado o homem na terra, e teve o coração ferido de íntima dor. 7E disse: "Exterminarei da superfície da terra o homem que criei, e com ele os animais, os répteis e as aves dos céus, porque eu me arrependo de os haver criado." 8Noé, entretanto, encontrou graça aos olhos do Senhor. 1O Senhor disse a Noé: "Entra na arca, tu e toda a tua casa, porque te reconheci justo diante dos meus olhos, entre os de tua geração. 2De todos os animais puros tomarás sete casais, machos e fêmeas, e de todos animais impuros tomarás um casal, macho e fêmea; 3das aves do céu igualmente sete casais, machos e fêmeas, para que se conserve viva a raça sobre a face de toda a terra. 4dentro de sete dias farei chover sobre a terra durante quarenta dias e quarenta noites, e exterminarei da superfície da terra todos os seres que eu fiz." 5Noé fez tudo o que o Senhor lhe tinha ordenado. 10Passados os sete dias, as águas do dilúvio precipitaram-se sobre a terra. - Palavra do senhor.

SALMO RESPONSORIAL (28)
REFRÃO: Que o Senhor abençõe, com a paz, o seu povo!
1. Salmo de Davi. Tributai ao Senhor, ó filhos de Deus, tributai ao Senhor glória e poder! - R.
2. Rendei-lhe a glória devida ao seu nome; adorai o Senhor com ornamentos sagrados. - R.
3. Ouve-se a voz do Senhor sobre as águas! O Deus de grandeza atroou: o Senhor trovejou sobre as águas imensas! A voz do Senhor faz-se ouvir com poder! A voz do Senhor faz-se ouvir com majestade! - R.
4. A voz do Senhor retorce os carvalhos, desnuda as florestas. E em seu templo todos bradam: glória! O Senhor preside ao dilúvio, o Senhor trona como rei para sempre. - R.

EVANGELHO : Marcos 8, 14-21
Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo, segundo Marcos - Aconteceu que eles haviam esquecido de levar pães consigo. Na barca havia um único pão. 15Jesus advertiu-os: Abri os olhos e acautelai-vos do fermento dos fariseus e do fermento de Herodes! 16E eles comentavam entre si que era por não terem pão. 17Jesus percebeu-o e disse-lhes: Por que discutis por não terdes pão? Ainda não tendes refletido nem compreendido? Tendes, pois, o coração insensível? 18Tendo olhos, não vedes? E tendo ouvidos, não ouvis? Não vos lembrais mais? 19Ao partir eu os cinco pães entre os cinco mil, quantos cestos recolhestes 20E quando eu parti os sete pães entre os quatro mil homens, quantos cestos de pedaços levantastes? Sete, responderam-lhe. 21Jesus disse-lhes: Como é que ainda não entendeis?... - Palavra da salvação


"Quando recita o Rosário, a comunidade cristã sintoniza-se com a lembrança e com o olhar de Maria. A contemplação de Maria é, antes de mais, um recordar os acontecimentos salvíficos, que culminam no próprio Cristo, ICONE da contemplação cristã. Maria vive com os olhos fixos em Cristo e nos seus acontecimentos, que constituíram, de certo modo, o “Rosário” que Ela mesma recitou constantemente nos dias da sua vida terrena. Nunca como no Rosário o caminho de Cristo e o de Maria aparecem unidos tão profundamente. Maria só vive em Cristo e em função de Cristo!" - PAPA JOÃO PAULO II




















A IGREJA CELEBRA HOJE
SÃO CLAUDIO DE LA COLOMBIERE
Dado aos estudos, aprofundou-se, lecionou e chegou a superior de um colégio jesuíta. Mas Deus tinha muitos planos para ele. Ele dizia: “Os planos de Deus nunca se realizam senão à custa de grandes sacrifícios” e pôde experimentar essa realidade. Ao ser o confessor do convento de Nossa Senhora da Visitação, conheceu a humilde e serva do Senhor, Margarida Maria Alacoque, que ia recebendo as promessas do Sagrado Coração de Jesus. Ele a orientou muito e pôde se aprofundar também nesta devoção; amor ao coração de Jesus. Amando o Senhor, pôde estar em comunhão também com o sacrifício e com a dor. Ele mergulhou o seu coração nessa devoção e pôde ajudar a santa, mas, por obediência, teve de ir para Londres onde sofreu incompreensões por parte de cristãos não católicos, ao ponto de calúnias o levarem ao julgamento e à prisão. Só não foi morto por causa da intervenção do rei da França, Luís XIV. São Cláudio de La Colombiere voltou para o berço da devoção ao Sagrado Coração de Jesus. Com 41 anos, partiu para a glória, como havia profetizado Margarida Maria Alacoque

11 de fev de 2011

Caroneiros

Irmãos, achei este site muito bom confiram:

Procurar e oferecer carona é a onda do momento! Economizamos gasolina, tempo e dinheiro!
Clique e confira!


10 de fev de 2011

O que se oferece em um “espetáculo” como o Big Brother “é digno de lástima”

Carmadélio

O que se oferece em um espetáculo com o Big Brother “é digno de lástima”, afirma o arcebispo de Belo Horizonte, Dom Walmor Oliveira de Azevedo.
Em um artigo intitulado “A celebridade é frágil”, divulgado à imprensa nesta sexta-feira, o arcebispo afirma que pode parecer “um despropósito a abordagem conjunta sobre celebridade e doença”.
“Particularmente quando se pensa na pessoa célebre como alguém com potência de força, seja física, esportiva, artística ou política – condição contrária à fragilidade do doente. No entanto, a condição humana pode hospedar, num tempo ou noutro, cedo ou tarde, força e fraqueza.”
Dom Walmor recorda que “ninguém é poderoso sempre, possui tudo sempre, tem força física sempre. E mais, ninguém está imune ao sofrimento e à dor, seja na própria vida, na família ou nas instituições que frequenta”.
“Essa verdade, que constantemente deve ser considerada, devolve cada um à realidade da sua condição de ser humano. Pela força da sabedoria, demove do orgulho e da soberba, além de corrigir o coração e a inteligência de toda indiferença causadora da falta de solidariedade, que impede a igualdade e perpetua as discriminações.”
“A consideração da fraqueza que se hospeda no ser humano, seja no enfermo, no pobre, no outro que pode menos, tem sido ofuscada, ilusoriamente, pela apelação das disputas e apegos pelo poder”, afirma.
“Não menos, e de modo imoral – prossegue o arcebispo –, seduzindo multidões e tirando, como caça-níqueis, o seu dinheiro, por meio de espetáculos questionáveis, como é o caso do Big Brother.”
“Na verdade, sob o apanágio do poder e dos momentos de celebridade, mesmo com a exposição do próprio corpo, da privacidade e dos desejos escondidos de ter e poder mais, o que se oferece em tal espetáculo é digno de lástima.”
Dom Walmor considera que ali se assiste a um show que “mostra a fragilidade humana, a falta de valores e do sentido de dignidade e respeito”.
“Voltar o olhar para quem precisa, especialmente, o doente contracenando com a condição de celebridade, é um exercício educativo, oportuno na vida de qualquer um”.
“Seja para os jovens de modo a não viverem na ilusão e chegarem despreparados ao lugar e à condição que todos chegam, ou os adultos, no auge da ascensão e conquistas, para que o orgulho e a soberba não os derrubem, com celeridade inusitada, dos postos e funções de um momento glorioso e passageiro.”
Nesta semana que antecede o Dia Mundial do Doente, Dom Walmor convida a visitar os enfermos no hospital, em casa, nos asilos, casas de repouso ou nas clínicas e abrigos.
“Que crianças, jovens, adultos e velhos, com reverência traduzida em gestos de solidariedade, ofertas e presença consoladora, sejam um apelo para que haja mais investimentos em saúde, com boas estruturas médicas para todos, em especial os mais pobres e sofredores.”
“Vale lembrar as palavras de Cristo para o juízo final, ao falar da garantia para a participação no Reino de Deus: ‘Estive doente e me visitastes’”, afirma o arcebispo.

9 de fev de 2011

Não podemos ter a Bíblia e rejeitar a Igreja que a legitimou e a preservou na História.

Carmadélio


http://www.comshalom.org/blog/carmadelio/20819-nao-podemos-ter-a-biblia-e-rejeitar-a-igreja-que-a-legitimou

Texto da Igreja ortodoxa.
***
Artigo traduzido por Raimundo Santos.
Original em inglês: Orthodox Research Institute The Bible and the Church
Existem, hoje, mais de 250 denominações se proclamando Cristãs e se apegando à Bíblia Sagrada como a única fonte de fé. Invariavelmente, elas defendem que as Escrituras contenham toda a Revelação de Deus ao homem, e tudo o que é essencial à salvação humana esteja somente nelas.
O Espírito Santo, dizem eles, guia cada leitor sincero das Escrituras a um próprio entendimento delas; não é necessário buscar auxílio e interpretação de nenhuma outra fonte, tais como a tradição da Igreja.
Qual é a reação Ortodoxa a isto? Para responder, devemos nos fazer algumas perguntas básicas: “O que são as Escrituras?”, Como os primeiros Cristãos lidavam com elas?”
“O que a Bíblia diz sobre ela mesma?”.
Todos os Cristãos aceitam a Bíblia como a palavra inspirada de Deus. Mas muitos não compreendem que a Bíblia, como a conhecemos hoje, é produto da Igreja, respondendo a certas condições e situações no Cristianismo Primitivo sobre a consciência profunda da verdade de Cristo.
Os diversos livros que compõem o Novo Testamento são o que poderíamos chamar de “escritos ocasionais.” Eles foram escritos para momentos e propósitos particulares, dirigidos à comunidade e grupos em particular. Por exemplo, São Mateus escreveu um breve relato do Evangelho que ele pregou para beneficiar especialmente os judeus falantes do aramaico.
As epístolas de São Paulo confrontaram problemas especiais que ele tinha de resolver ou abusos que ele tinha de ratificar. Não havia nenhuma intenção ou esforço por parte dos escritores das Escrituras de compor um livro chamado “Novo Testamento.” Eles escreveram para esclarecer, resolver disputas, corrigir erros, e lembrar os Cristãos do legado deixado a eles por Cristo.
Por muitos anos, inúmeros escritos circulavam livremente entre as igrejas. Além do que aceitamos hoje como o cânon das Escrituras, assim como outros livros que compunham a palavra inspirada de Deus, havia pelo menos cinquenta “evangelhos”, uns vinte e dois conjuntos de “atos” e inúmeras epístolas e livros de revelações. Por algum tempo, alguns desses escritos eram lidos nas igrejas junto com as epístolas de São Paulo. De todos os escritos em circulação, foi a Igreja quem finalmente julgou o que era e o que não era autêntico e inspirado.
A coletânea desses livros inspirados veio a ser conhecida como Novo Testamento e, junto com o Antigo Testamento dos judeus, compuseram a revelação escrita de Deus à Sua criação. O Segundo conjunto de escritos foi o cumprimento do primeiro, onde no Antigo Testamento as profecias apontavam para o Messias, no Novo Testamento, Cristo, Ele próprio, apareceu como a culminação da revelação de Deus.
Mas as perguntas continuam: Como poderia a Igreja discernir entre o que era a verdadeira Escritura da que não era? A resposta é encontrada no fato de que a Bíblia não foi o ponto inicial da fé Cristã, mas um resumo dela.  Ela não é o fundamento da Igreja, mas seu produto. A Igreja precedeu a Bíblia; De fato, seria difícil explicar a existência de Cristãos nos primeiros anos após o ministério e Ressurreição de Nosso Senhor se, como muito Cristãos modernos insistem, as Escrituras fossem o fundamento da fé! Conforme o Padre Alexander Turner explica, antes que as primeiras epístolas de São Paulo fossem escritas, a igreja Cristã já estivera estabelecida e em plena atividade por duas décadas, estando organizados seus sacramentos.
Se a Igreja aprovou e colocou seu selo de aprovação no que agora é a Bíblia, não foi porque ela foi presunçosa, mas porque ela foi testemunha da promessa de Nosso Senhor de que o Espírito Santo a guiaria na plena verdade.E por causa deste direcionamento, somente a Igreja pode dizer, com certeza, que compreende as Escrituras. Somente a Igreja pode proclamar na sua plenitude a “fé de uma vez por todas depositada nos santos” (São Judas 3).
É difícil acreditar que Deus não possibilitasse uma composição imediata e a vasta distribuição do Novo Testamento se este fosse considerado como a fonte necessária para a salvação humana. Mas o fato é que não somente os primeiros Cristãos não tinham os Evangelhos escritos, como também até à invenção da prensa em meados do século XV – pelo menos 1.400 anos após a morte de Cristo – as Escrituras estivessem disponíveis somente para os mais ricos. Em valores atuais, o custo de uma única bíblia antes do uso da prensa seria estimado bem acima de mil dólares. Como poderíamos explicar os milhões de Cristãos que viveram e morreram antes que o Novo Testamento fosse completado? Certamente que eles não foram Cristãos bíblicos. Entretanto, milhares e milhares deles deram suas vidas em martírio, testemunhando um Cristo que era tão real para eles como Ele é real para nós hoje – até mais real do que para nós – e para quem a devoção deles é inigualável nos anais da história.
Estes Cristãos aprenderam sobre Cristo através dos ensinamentos da Igreja, através da rica e viva tradição da Igreja, de geração em geração, até o presente, pura e intacta sob a inspiração do Espírito Santo.
Certamente que os livros do Novo Testamento foram aceitos calorosamente pelos Cristãos quando foram escritos e apresentados nas igrejas, e nenhuma igreja presta mais honra e veneração a estes escritos do que a Ortodoxa. Mas eles viam neles não uma nova religião, não um novo Cristo, mas uma reflexão da religião que há muito tempo eles haviam praticado, e um Cristo que eles há muito tempo tinham conhecido e amado.
Foi pela pregação e não pela palavra escrita que as nações foram convertidas a Cristo. São João Crisóstomo escreveu que “Cristo não deixou nenhuma instrução escrita a Seus Apóstolos; mas ao contrário, Ele prometeu a eles que o Espírito Santo os inspiraria com o que eles deveriam dizer.” Os Apóstolos e seus sucessores deram ao mundo o Cristianismo, não distribuindo Bíblias gratuitamente, mas pregando com autoridade dada a eles por Cristo: “Vão, e assim, façam discípulos das nações”.
As próprias Escrituras exortam os Cristãos a guardarem a fé transmitida tanto por palavra quanto por carta. Quando São Paulo pregou aos Tessalonicenses, ele instruiu-os… “Guardai os ensinamentos que aprenderam, quer por palavra ou por carta nossa” (II Tess, 2:15). Nenhuma distinção era feita entre a tradição oral e a tradição escrita, nenhuma escala de valor foi determinada em que as Escrituras fossem colocadas acima da palavra oral. São Paulo buscou comunicar aos Cristãos de seu tempo a plena revelação de Deus – tanto escrita quanto não-escrita – qualquer outra coisa teria sido contrária ao espírito de somente a Bíblia. Pois a plenitude da revelação está na Igreja, que é o Corpo de Cristo, e não é descoberta através da interpretação pessoal. Pois nunca, “nenhuma profecia foi revelada por vontade humana: mas homens santos de Deus falaram quando eram movidos pelo Espírito Santo.” (II Pedro, 1:20-21).
Eis a questão: quem conhece mais o Cristianismo? Os Primeiros Cristãos que provaram do martírio por amor a Cristo, aqueles que conheceram os Apóstolos e aqueles que por eles foram ordenados, ou os Cristãos que, séculos mais tarde, decidiram apagar 1500 anos de tradição, desprezando essa antiga e primitiva fé Cristã?
Separar a Bíblia da Igreja é extirpá-la de seu contexto e abrir uma porta à confusão e á mentira. Quando alguém escolhe aceitar a Cristo, deve também aceitar as plenas implicações de Seus ensinamentos, a plenitude da fé Cristã. Não podemos ter a Bíblia e rejeitar a Igreja, da mesma forma que não podemos ter a Igreja e rejeitar a Bíblia. Juntas, elas formam uma tradição infindável, enraizada em Cristo.
Artigo traduzido por Raimundo Santos
Original em inglês: Orthodox Reseach Institute

7 de fev de 2011

Mais uma vez... BBBosta....

BIG BROTHER BRASIL
(Luiz Fernando Veríssimo)
Que me perdoem os ávidos telespectadores do Big Brother Brasil (BBB), produzido e organizado pela nossa distinta Rede Globo, mas conseguimos chegar ao fundo do poço...A  décima primeira (está indo longe!) edição do BBB é uma síntese do que há de pior na TV brasileira. Chega a ser difícil,... encontrar as palavras adequadas para qualificar tamanho atentado à nossa modesta inteligência.
Dizem que em Roma, um dos maiores impérios que o mundo conheceu, teve seu fim marcado pela depravação dos valores morais do seu povo, principalmente pela banalização do sexo. O BBB é a pura e suprema banalização do sexo. Impossível assistir, ver este programa ao lado dos filhos. Gays, lésbicas, heteros... todos, na mesma casa, a casa dos “heróis”, como são chamados por Pedro Bial. Não tenho nada contra gays, acho que cada um faz da vida o que quer, mas sou contra safadeza ao vivo na TV, seja entre homossexuais ou heterosexuais. O BBB é a realidade em busca do IBOPE...Veja como Pedro Bial tratou os participantes do BBB. Ele prometeu um “zoológico humano divertido” . Não sei se será divertido, mas parece bem variado na sua mistura de clichês e figuras típicas.Pergunto-me, por exemplo, como um jornalista, documentarista e escritor como Pedro Bial que, faça-se justiça, cobriu a Queda do Muro de Berlim, se submete a ser apresentador de um programa desse nível. Em um e-mail que  recebi há pouco tempo, Bial escreve maravilhosamente bem sobre a perda do humorista Bussunda referindo-se à pena de se morrer tão cedo.
Eu gostaria de perguntar, se ele não pensa que esse programa é a morte da cultura, de valores e princípios, da moral, da ética e da dignidade.
Outro dia, durante o intervalo de uma programação da Globo, um outro repórter acéfalo do BBB disse que, para ganhar o prêmio de um milhão e meio de reais, um Big Brother tem um caminho árduo pela frente, chamando-os de heróis. Caminho árduo? Heróis?
São esses nossos exemplos de heróis?
Caminho árduo para mim é aquele percorrido por milhões de brasileiros: profissionais da saúde, professores da rede pública (aliás, todos os professores), carteiros, lixeiros e tantos outros trabalhadores incansáveis que, diariamente, passam horas exercendo suas funções com dedicação, competência e amor, quase sempre mal remunerados..
Heróis, são milhares de brasileiros que sequer têm um prato de comida por dia e um colchão decente para dormir e conseguem sobreviver a isso, todo santo dia.
Heróis, são crianças e adultos que lutam contra doenças complicadíssimas porque não tiveram chance de ter uma vida mais saudável e digna.
Heróis, são aqueles que, apesar de ganharem um salário mínimo, pagam suas contas, restando apenas dezesseis reais para alimentação, como mostrado em outra reportagem apresentada, meses atrás pela própria Rede Globo.
O Big Brother Brasil não é um programa cultural, nem educativo, não acrescenta informações e conhecimentos intelectuais aos telespectadores, nem aos participantes, e não há qualquer outro estímulo como, por exemplo, o incentivo ao esporte, à música, à criatividade ou ao ensino de conceitos como valor, ética, trabalho e moral.
E ai vem algum psicólogo de vanguarda e me diz que o BBB ajuda a "entender o comportamento humano". Ah, tenha dó!!!
Veja o que está por de tra$$$$$$$$$$$$$$$$ do BBB: José Neumani da Rádio Jovem Pan, fez um cálculo de que se vinte e nove milhões de pessoas ligarem a cada paredão, com o custo da ligação a trinta centavos, a Rede Globo e a Telefônica arrecadam oito milhões e setecentos mil reais. Eu vou repetir: oito milhões e setecentos mil reais a cada paredão.
Já imaginaram quanto poderia ser feito com essa quantia se fosse dedicada a programas de inclusão social: moradia, alimentação, ensino e saúde de muitos brasileiros?
(Poderiam ser feitas mais de 520 casas populares; ou comprar mais de 5.000 computadores!)
Essas palavras não são de revolta ou protesto, mas de vergonha e indignação, por ver tamanha aberração ter milhões de telespectadores.
Em vez de assistir ao BBB, que tal ler um livro, um poema de Mário Quintana ou de Neruda ou qualquer outra coisa..., ir ao cinema..., estudar... , ouvir boa música..., cuidar das flores e jardins... , telefonar para um amigo... , visitar os avós... , pescar..., brincar com as crianças... , namorar... ou simplesmente dormir.
Assistir ao BBB é ajudar a Globo a ganhar rios de dinheiro e destruir o que ainda resta dos valores sobre os quais foi construída nossa sociedade.

Big Brother Brasil

Autor: Antonio Barreto, Cordelista, natural de Santa Bárbara-BA, residente em Salvador.
Curtir o Pedro Bial
E sentir tanta alegria
É sinal de que você
O mau-gosto aprecia
Dá valor ao que é banal
É preguiçoso mental
E adora baixaria.
Há muito tempo não vejo
Um programa tão ‘fuleiro’
Produzido pela Globo
Visando Ibope e dinheiro
Que além de alienar
Vai por certo atrofiar
A mente do brasileiro.
Me refiro ao brasileiro
Que está em formação
E precisa evoluir
Através da Educação
Mas se torna um refém
Iletrado, ‘zé-ninguém’
Um escravo da ilusão.
Em frente à televisão
Lá está toda a família
Longe da realidade
Onde a bobagem fervilha
Não sabendo essa gente
Desprovida e inocente
Desta enorme ‘armadilha’.
Cuidado, Pedro Bial
Chega de esculhambação
Respeite o trabalhador
Dessa sofrida Nação
Deixe de chamar de heróis
Essas girls e esses boys
Que têm cara de bundão.
O seu pai e a sua mãe,
Querido Pedro Bial,
São verdadeiros heróis
E merecem nosso aval
Pois tiveram que lutar
Pra manter e te educar
Com esforço especial.
Muitos já se sentem mal
Com seu discurso vazio.
Pessoas inteligentes
Se enchem de calafrio
Porque quando você fala
A sua palavra é bala
A ferir o nosso brio.
Um país como Brasil
Carente de educação
Precisa de gente grande
Para dar boa lição
Mas você na rede Globo
Faz esse papel de bobo
Enganando a Nação.
Respeite, Pedro Bienal
Nosso povo brasileiro
Que acorda de madrugada
E trabalha o dia inteiro
Dar muito duro, anda rouco
Paga impostos, ganha pouco:
Povo HERÓI, povo guerreiro.
Enquanto a sociedade
Neste momento atual
Se preocupa com a crise
Econômica e social
Você precisa entender
Que queremos aprender
Algo sério – não banal.
Esse programa da Globo
Vem nos mostrar sem engano
Que tudo que ali ocorre
Parece um zoológico humano
Onde impera a esperteza
A malandragem, a baixeza:
Um cenário sub-humano.
A moral e a inteligência
Não são mais valorizadas.
Os “heróis” protagonizam
Um mundo de palhaçadas
Sem critério e sem ética
Em que vaidade e estética
São muito mais que louvadas.
Não se vê força poética
Nem projeto educativo.
Um mar de vulgaridade
Já tornou-se imperativo.
O que se vê realmente
É um programa deprimente
Sem nenhum objetivo.
Talvez haja objetivo
“professor”, Pedro Bial
O que vocês tão querendo
É injetar o banal
Deseducando o Brasil
Nesse Big Brother vil
De lavagem cerebral.
Isso é um desserviço
Mal exemplo à juventude
Que precisa de esperança
Educação e atitude
Porém a mediocridade
Unida à banalidade
Faz com que ninguém estude.
É grande o constrangimento
De pessoas confinadas
Num espaço luxuoso
Curtindo todas baladas:
Corpos “belos” na piscina
A gastar adrenalina:
Nesse mar de palhaçadas.
Se a intenção da Globo
É de nos “emburrecer”
Deixando o povo demente
Refém do seu poder:
Pois saiba que a exceção
(Amantes da educação)
Vai contestar a valer.
A você, Pedro Bial
Um mercador da ilusão
Junto a poderosa Globo
Que conduz nossa Nação
Eu lhe peço esse favor:
Reflita no seu labor
E escute seu coração.
E vocês caros irmãos
Que estão nessa cegueira
Não façam mais ligações
Apoiando essa besteira.
Não dêem sua grana à Globo
Isso é papel de bobo:
Fujam dessa baboseira.
E quando chegar ao fim
Desse Big Brother vil
Que em nada contribui
Para o povo varonil
Ninguém vai sentir saudade:
Quem lucra é a sociedade
Do nosso querido Brasil.
E saiba, caro leitor
Que nós somos os culpados
Porque sai do nosso bolso
Esses milhões desejados
Que são ligações diárias
Bastante desnecessárias
Pra esses desocupados.
A loja do BBB
Vendendo só porcaria
Enganando muita gente
Que logo se contagia
Com tanta futilidade
Um mar de vulgaridade
Que nunca terá valia.
Chega de vulgaridade
E apelo sexual.
Não somos só futebol,
baixaria e carnaval.
Queremos Educação
E também evolução
No mundo espiritual.
Cadê a cidadania
Dos nossos educadores
Dos alunos, dos políticos
Poetas, trabalhadores?
Seremos sempre enganados
e vamos ficar calados
diante de enganadores?
Barreto termina assim
Alertando ao Bial:
Reveja logo esse equívoco
Reaja à força do mal…
Eleve o seu coração
Tomando uma decisão
Ou então: siga, animal…
Fim
Salvador, 16 de janeiro de 2010

2 de fev de 2011

The Vocal People

The Vocal People é um conjunto formado por pessoas que por incrível que pareça,apenas com as vozes,eles conseguem reproduzir um som perfeito imitando diversas músicas.Vale a pena conferir.





Mais

ORAÇÃO DO PAPA PARA O MÊS DE FEVEREIRO


◊   Cidade do Vaticano, 1º fev (RV) - “Para que nos territórios de missão onde é mais urgente a luta contra as doenças, as comunidades cristãs saibam testemunhar a presença de Cristo ao lado dos que sofrem”. Esta é a intenção da oração missionária de Bento XVI para o mês de fevereiro. Um tema sobre o qual o Papa falou mais de uma vez.

“Apesar de a doença ser parte da experiência humana - disse Bento XVI durante o Angelus de 8 de fevereiro de 2009 – nós não nos acostumamos a ela, não só porque às vezes torna-se pesada e grave, mas essencialmente porque somos feitos para a vida, para a vida completa”. “Quando somos provados pelo mal e nossas orações parecem vãs” - acrescentou o Papa – “encontramos uma resposta no Evangelho”.

Mas como testemunhar a presença de Cristo ao lado dos que sofrem? O diretor da Revista Fatebenefratelli, irmão Marco Baello, falando à Rádio Vaticano disse que “são as comunidades cristãs mais antigas que, talvez, possuem os fundamentos mais profundos, que deveriam de alguma forma ser capazes de manifestar essa presença de Cristo ao lado dos sofredores, especialmente nos territórios de missão, mas também nas nossas missões de todos os dias. Naturalmente, em terra de missão existem menos meios, menos agentes disponíveis, mas provavelmente há um terreno que talvez saiba aceitar melhor o Evangelho, a Boa Nova, de quanto talvez ocorra nos nossos países, nas nossas cidades. (SP)

"Despojemo-nos das ações das trevas e vistamos as armas da Luz" Rm 13,12
CEFAS, oriundo do nome de São Pedro apóstolo, significa também um Acróstico: Comunhão para Evangelização, Formação e Anúncio do Senhor. É um humilde projeto de evangelização através da internet, buscando levar formação católica doutrinal e espiritual.