3 de ago de 2011

Informativo Cléofas- 03/08/2011

Informativo Cléofas, 03 de agosto de 2011 - Ano VI - Número 181

Notícias do Site Cléofas

+ 10 conselhos de Bento XVI aos jovens

+ Anunciada descoberta da tumba de São Felipe

+ Meninos que veem pornografia têm mais probabilidade de perturbar meninas

+ A contracepção é a causa fundamental do colapso da família e da moralidade sexual, diz especialista

+A face oculta da Igreja Católica

+Fiéis receberão indulgência plenária em visita a Catedral de Lorena

+ Leigos(as): Discípulos(as) Missionários(as)

+ Enquete Folha de SP: casamento homossexual

+ Ameaças que pesam sobre a família

+ Histórico: 11 mil Luteranos voltam à Igreja Católica. A Reforma foi um «trágico erro de proporções épicas que nunca devia ter acontecido»

 

O programa Escola da Fé, é exibido toda quinta-feira às 20h40 na TV Canção Nova (Link)


Para meditar...

A importância da oração

 

Para você ser um cristão "de pé", forte e equilibrado, senhor de você mesmo, e capaz de amar, você precisa aprender a rezar.A nossa natureza ficou debilitada pelo pecado original e é marcada pela concupiscência, isto é, uma força que nos puxa para o mal.

Quem de nós não sente isso? Jesus disse claro: "O espírito é forte, mas a carne é fraca. Vigiai e orai para que não entreis em tentação" (Mt 26,41).

Jesus estimava tanto a oração que passava noites inteiras no alto dos montes da Galiléia conversando com o Pai (cf. Lc 5,16; 6,12; 9,29). E aí estava a sua força; de dia pregava, de noite rezava.

Ensinou os discípulos a rezarem (cf. Mt 6,9) e insistiu com eles: É necessário orar sempre sem jamais deixar de faze-lo" (Lc 18,1b);); "Pedi e se vos dará" (Mt 7,7a).

Orar é uma ordem, um mandamento do Senhor. Sem oração, nenhum de nós fica de pé espiritualmente e ninguém consegue fazer a vontade de Deus. A razão é muito clara: "Porque sem mim nada podeis fazer" (Jo 15, 4). Jesus deixou claro:esse "nada" indica que, por nós mesmos, não conseguiremos fazer o bem e, pior ainda, evitar o mal. São Paulo insistiu: 'E o mesmo Deus que opera tudo em todos" (1 Cor 12,6b).

São Tomás de Aquino disse que todas as graças que o Se­nhor, desde toda a eternidade, determinou conceder-nos, não as quer conceder a não ser por meio da oração. "A oração é necessária", disse o santo, "não para que Deus conheça as nos­sas necessidades, mas para que fiquemos conhecendo a neces­sidade que temos de recorrer a Deus, reconhecendo-O como o único autor de todos os bens".

Quando o Senhor manda: "Pedi e se vos dará. Buscai e achareis" (Mt 7,7a), no fundo, Ele deseja que reconheçamos que só Ele é o autor dos nossos bens e que, portanto, devemos só a Ele recorrer. É por isso que desagradamos profundamente a Deus todas as vezes que buscamos socorro fora dEle, especialmente nas práticas idolátricas - magia, feiticismo, necromancia, cartomancia, adivinhação, invocação dos mortos, horóscopo e em outras práticas - sendo infiéis a Deus.

Toda a tradi­ção da Igreja e as Escrituras condenam toda e qualquer busca de poder fora de Deus, por ser exatamente essa a característica do paganismo (1Cor 10,20; Dt 18,9-13).

Por outro lado, aquele que ora, manifesta confiança em Deus, como Q salmista disse: "Confia ao Senhor a tua sorte, espera nele: e ele agirá" (Sl 36,5). O velho Tobias afirmava: "Pede-lhe que dirija os teus passos, de modo que os teus planos estejam sempre de acordo com a sua vontade" (Tb 4,20b).

Feliz o cristão que adquiriu o hábito de conversar; coração a coração, familiarmente, com Deus. Isso é orar; falar com Deus, coração a coração, em todas as circunstancias.

Deus quer que conversemos com Ele, diz São Ligório, e quer ser tratado como amigo íntimo. Ninguém nos ama tanto como Ele e até as nossas pequenas coisas Lhe interessam.

É preciso sermos transparentes diante do Senhor; abrin­do-Ihe o coração com toda a liberdade e confiança. Diz o livro da Sabedoria que "Deus antecipa-se a dar-se a conhecer aos que O desejam" (cf. Sb 6,13).

+Leia mais


PERGUNTE

E

RESPONDEREMOS

É permitido casamento entre católicos e protestantes?

Esta pergunta se torna cada vez mais comum porque muitos jovens católicos estão namorando com pessoas protestantes. Se ambos foram batizados (mesmo que na comunidade protestante), o sacramento do matrimônio pode ser celebrado na Igreja Católica, desde que os cônjuges aceitem certas condições. Mas a Igreja não deixa de lembrar que há dificuldades a serem superadas. Sabemos que o casamento se funda na expressão "sereis uma só carne" (Gen 2, 23), e que, portanto, a diferença de religiões dificulta esta união plena.

Antes de tudo a Igreja coloca as condições para a liceidade e validade de um matrimônio:

Cân.1108 § 1. "Somente são válidos os matrimônios contraídos perante o Ordinário local ou o pároco, ou um sacerdote ou diácono delegado por qualquer um dos dois como assistente, e além disso perante duas testemunhas, de acordo porém com as normas estabelecidas nos cânones seguintes, e salvas as exceções contidas nos cânn. 144, 1112, § 1, 1116 e 1127, §§ 2-3."

§2. Considera-se assistente do matrimônio somente aquele que, estando presente, solicita a manifestação do consentimento dos contraentes, e a recebe em nome da Igreja.

Cân.1086§1."É inválido o matrimônio entre duas pessoas, uma das quais tenha sido batizada na Igreja católica ou nela recebida e que não a tenha abandonado por um ato formal, e a outra que não é batizada."

Prof. Felipe Aquino

+Leia mais

 


Blog do Prof. Felipe Aquino

Respeito à Palavra de Deus

Côn. José Geraldo Vidigal de Carvalho*

Causou profundo pesar a quantos respeitam a Palavra de Deus contida na Bíblia, as declarações de Luis Inácio Lula da Silva, num de seus pronunciamentos  mais infelizes, dia 27 de julho último em Salvador. A imprensa registrou suas palavras que revelam um profundo desconhecimento da mensagem bíblica sobre os pobres e a pobreza.

Numa ousadia inacreditável foram distorcidas as palavras de Cristo, dando interpretação incorreta ao que está no Evangelho segundo São Lucas: “Bem-aventurados vós, os que sois pobres, porque é vosso o reino de Deus” (Lc 6, 20).
Na hermenêutica lulista Jesus proferiu uma bobagem, “pois o que nós queremos é o reino aqui na terra”. Numa prova de que nada entendia da passagem acima referida ainda  resolveu criticar indiretamente o versículo 25,  do capítulo 18, quando Cristo mostrou  as dificuldades do rico alcançar o céu e a facilidade do pobre chegar lá: “Como é difícil que entrem no reino de Deus os que têm riquezas! É mais fácil para um camelo passar pelo fundo de uma agulha do que um rico entrar no reino de Deus”. O ex-Presidente ironicamente acrescentou: “Queremos que todo mundo vá pro céu, agora”.

+Leia mais


Livro da Semana

O GLORIOSO SÃO JOSÉ

O Papa Pio IX proclamou, em 8 de dezembro de 1870, São José Patrono universal da Igreja, colocando-o sob o seu patrocínio e proteção, naqueles tempos difíceis. Hoje a Igreja atravessa novamente tempos agitados, onde um laicismo anticatólico a ameaça de todos os lados, tentando-a excluir da vida pública e amordaçá-la para que não anuncie a mensagem salvadora de Nosso Senhor Jesus Cristo. As trevas do pecado e da morte, agitadas pelo Inferno, investem contra ela. Mais do que nunca precisamos recorrer a São José; pois, assim como ele soube livrar o Menino Jesus, Cabeça da Igreja, das garras assassinas de Herodes, saberá também proteger o Corpo de Cristo, a Sua Esposa Santa, das perseguições que hoje ela sofre. Precisamos conhecer a vida, as virtudes, a glória e os méritos do glorioso São José; e nos refugiarmos sob a sua poderosa proteção. Como os grandes santos da Igreja é preciso rogar: São José, valei-nos!




Ficha Técnica
Editora: Cléofas
ISBN: 978-85-88158-41-2
Ano: 2008
Edição: 1
Número de páginas: 200
Idioma: Português (BR)
Acabamento: Brochura
Formato: 14x21 cm

 


* Caso não deseje mais receber a newsletter, entre em contato e escolha o assunto "Newsletter - REMOVER".
Lançamento



Os Dogmas da Fé

14x21 cm - 392 páginas


Shopping Cléofas



O Socorro da Virgem Maria
14x21 cm - 176 páginas



Falsas Doutrinas
14x21 cm - 216 páginas



Namoro
14x21 cm - 144 páginas


 


 

 

 


© 2011 - Editora Cléofas

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Irmão, deixe uma mensagem!!!


"Despojemo-nos das ações das trevas e vistamos as armas da Luz" Rm 13,12
CEFAS, oriundo do nome de São Pedro apóstolo, significa também um Acróstico: Comunhão para Evangelização, Formação e Anúncio do Senhor. É um humilde projeto de evangelização através da internet, buscando levar formação católica doutrinal e espiritual.