22 de jun de 2011

PAPA NA AUDIÊNCIA GERAL: SALMOS NOS ENSINAM A FALAR COM DEUS

◊   Cidade do Vaticano, 22 jun (Rádio Vaticano) - Bento XVI acolheu, nesta quarta-feira, milhares de fiéis e peregrinos, na Praça São Pedro, no Vaticano, para a habitual Audiência Geral.

Continuando seu ciclo de catequeses sobre a oração cristã, o Papa se deteve hoje sobre os Salmos, livro de oração por excelência.

Os cento e cinqüenta cânticos que compõem o Livro dos Salmos expressam a riqueza da experiência humana e nos ensinam como falar com Deus. Em hebraico, os Salmos são chamados Tehellim ou cânticos de louvor. Duas idéias centrais resumem esta vasta gama de sentimentos: a súplica e o louvor, ambos profundamente unidos.

A oração de louvor é, na verdade, a nossa melhor resposta a Deus que mesmo nos momentos de provação permanece sempre ao nosso lado. "Muitos Salmos são atribuídos a Davi, grande Rei de Israel que, como o Ungido do Senhor, prefigurava o Messias. Em Jesus Cristo e no seu mistério pascal o Saltério encontra o seu significado mais profundo e o cumprimento profético" – ressaltou o Papa.

A seguir, o Santo Padre fez um resumo, em português, de sua catequese, saudou os fiéis lusófonos presentes na audiência e concedeu a todos a sua bênção apostólica.

Queridos irmãos e irmãs,

Hoje iniciamos uma nova etapa no percurso das catequeses sobre a oração, ao entrar no "livro de oração" por excelência: o livro dos Salmos. Composto por cento e cinqüenta salmos, segundo diversas formas literárias, o Saltério se apresenta como uma manifestação das múltiplas experiências humanas que se fazem oração. E, dentre essas formas expressivas, há dois âmbitos que sintetizam toda a oração do saltério: a súplica e o louvor. Trata-se de duas dimensões correlacionadas e inseparáveis, pois toda a súplica é animada pela certeza de que Deus responderá, abrindo-se assim ao louvor; por sua vez o louvor brota da experiência da salvação recebida, que supõe a necessidade de ajuda, expressa pela súplica. Desta forma, os salmos ensinam a rezar, de modo análogo ao que acontece com a criança que aprende a falar, assimilando a língua de seus pais para poder expressar as suas sensações e emoções. Nos salmos, a própria Palavra de Deus se torna palavra de oração. Por fim, é com Jesus que os salmos encontram o seu cumprimento definitivo e o seu sentido mais pleno e profundo. De fato, o cristão recitando os salmos, reza ao Pai em Cristo e com Cristo.

Saúdo todos os peregrinos de língua portuguesa, em particular os brasileiros de Curitiba e os jovens portugueses que se organizaram sob o lema “Eu acredito” para unir seus coetâneos à volta do Sucessor de Pedro. Continuai a fazer da oração um meio para crescerdes nesta união. Cada dia, pedi a Jesus como os seus primeiros discípulos: "Senhor, ensinai-nos a rezar"! Que Deus vos abençoe!
No final da audiência, Bento XVI recordou que amanhã, quinta-feira, Solenidade do Santíssimo Corpo e Sangue de Cristo (Corpus Christi), presidirá, em Roma, a celebração eucarística na Basílica Papal de São João de Latrão e a procissão eucarística, após a missa, até a Basílica Papal de Santa Maria Maior.

"Convido os fiéis romanos e todos os peregrinos a se unirem neste ato de profunda fé na Eucaristia, precioso tesouro da Igreja e da humanidade" – concluiu o Santo Padre. (MJ)

Informativo Cléofas - 23/06/2011*

Informativo Cléofas, 23 de junho de 2011 - Ano VI - Número 175

Notícias do site Cléofas

+ Missa de desagravo após sacrilégio no qual pisaram e jogaram cerveja sobre a Eucaristia

+ Fraternidade e Juventude em 2013

+ Catequese do Papa: a oração de Elias e o fogo de Deus

+ CNBB: sociedade deveria fazer 'marcha contra maconha'

+Médico que foi famoso especialista em inseminação artificial diz: fiquei totalmente horrorizado quando percebi o que estava fazendo

+Só em Cristo estão as respostas fundamentais da vida, disse o Papa aos jovens

+ Sexo na adolescência ligado a índices mais elevados de divórcio

+ Sexualidade humana e AIDS, por D. Tony Anatrella

+ A esperança não se alimenta de mentiras

+ Refugiados: desafio para Igreja e sociedade

O programa Escola da Fé, é exibido toda quinta-feira às 20h40 na TV Canção Nova (Link)


Para meditar...

Corpus Christi

História da Festa de Corpus Christi

No final do século XIII surgiu em Lieja, Bélgica, um Movimento Eucarístico cujo centro foi a Abadia de Cornillon fundada em 1124 pelo Bispo Albero de Lieja. Este movimento deu origem a vários costumes eucarísticos, como por exemplo, a exposição e bênção do Santíssimo Sacramento, o uso dos sinos durante a elevação na Missa e a festa do Corpus Christi.

Santa Juliana de Mont Cornillon, priora da Abadia, foi escolhida, por Deus para criar esta Festa. A santa desde jovem teve uma grande veneração ao Santíssimo Sacramento. Esperava que algum dia tivesse uma festa especial ao Sacramento da Eucaristia. Este desejo, conforme a tradição foi intensificado por uma visão que teve da Igreja sob a aparência de lua cheia com uma mancha negra, que significada a ausência dessa solenidade.

Juliana comunicou esta imagem a Dom Roberto de Thorete, bispo de Lieja, também ao douto Dominico Hugh, mais tarde cardeal legado dos Países Baixos e Jacques Pantaleón, mais tarde o Papa Urbano IV. A festa mundial de Corpus Christi foi decretada em 1264, 6 anos após a morte de irmã Juliana em 1258, com 66 anos. Santa Juliana de Mont Cornillon foi canonizada em 1599 pelo Papa Clemente VIII.

Dom Roberto não viveu para ver a realização de sua ordem, já que morreu em 16 de outubro de 1246, mas a festa foi celebrada pela primeira vez no ano seguinte, na quinta-feira após à festa da Santíssima Trindade. Mais tarde um bispo alemão conheceu os costumes e o levou por toda atual Alemanha.

Milagre de Bolsena

Certa vez, quando o padre Pedro de Praga, celebrou uma Missa na cripta de Santa Cristina, em Bolsena, Itália, aconteceu um milagre eucarístico: da hóstia consagrada começaram a cair gotas de sangue sobre o corporal após a consagração. Alguns dizem que isto ocorreu porque o padre teria duvidado da presença real de Cristo na Eucaristia.

O Papa Urbano IV (1262-1264), que residia em Orvieto, cidade próxima de Bolsena, onde vivia S. Tomás de Aquino, informado do milagre, então, ordenou ao Bispo Giacomo que levasse as relíquias de Bolsena a Orvieto. Isso foi feito em procissão. Quando o Papa encontrou os fiéis caminhando na entrada de Orvieto, teria então pronunciado diante da relíquia eucarística as palavras: “Corpus Christi”.

Ainda hoje se conservam, em Orvieto, os corporais onde se apóia o cálice e a patena durante a Missa e também se pode ver a pedra do altar em Bolsena, manchada de sangue.

Instituição da Festa

O Santo Padre movido pelo prodígio, e pelo pedido de vários bispos, fez com que se estendesse a festa do Corpus Christi a toda a Igreja por meio da bula "Transiturus" de 8 setembro do mesmo ano, fixando-a para a quinta-feira depois da oitava de Pentecostes.

O decreto de Urbano IV teve pouca repercussão, porque o Papa morreu logo em seguida (2 de outubro de 1264), um pouco depois da publicação do decreto, prejudicando a difusão da festa. Mas o Papa Clemente V tomou o assunto em suas mãos e, no Concílio Geral de Viena (1311) ordenou mais uma vez a adoção desta festa.

Em 1317 é promulgada uma recopilação de leis, por João XXII, e assim a festa é estendida a toda a Igreja. Na diocese de Colônia na Alemanha, a festa de Corpus Christi é celebrada antes de 1270.

Procissão

Na paróquia de Saint Martin em Liège, em 1230, quando começou as homenagens ao Santíssimo Sacramento a procissão eucarística acontecia só dentro da igreja. Em 1247, aconteceu a primeira procissão eucarística pelas ruas de Liège, já como festa da diocese. Depois se tornou festa nacional na Bélgica.

Nenhum dos decretos fala da procissão com o Santíssimo como um aspecto da celebração. Porém estas procissões foram dotadas de indulgências pelos Papas Martinho V e Eugênio IV, e se fizeram bastante comuns a partir do século XIV.

Finalmente, o Concílio de Trento declara que muito piedosa e religiosamente foi introduzido na Igreja de Deus o costume, que todos os anos, o santíssimo seja levado em procissão pelas ruas e lugares públicos.

Todo católico deve participar dessa Procissão por ser a mais importante de todas que acontecem durante o ano, pois é a única onde o próprio Senhor sai às ruas para abençoar as pessoas, as famílias e a cidade.

Tapetes, arte e religiosidade

Em muitos lugares criou-se o belo costume de enfeitar as casas com oratórios e flores e as ruas com tapetes ornamentados, tudo em honra do Senhor que vem visitar o seu povo.

No dia dedicado ao Corpo de Deus (Corpus Christi), várias cidades brasileiras, organizam procissões, que percorrem as ruas enfeitadas com tapetes. A confecção de tapetes de rua é uma magnífica manifestação de arte popular

Utilizando diversos tipos de materiais, como serragem colorida, borra de café, farinha, areia e alguns pequenos acessórios, como tampinhas de garrafas, flores e folhas, as pessoas montam, com grande arte, um tapete pelas ruas, formando desenhos relacionados ao Santíssimo.

Por este tapete passa a procissão, o sacerdote vai á frente carregando o ostensório e em seguida pelas pessoas que participam da festa. Tudo isto tem muito sentido e deve ser preservado.

Devoção no Brasil

A tradição de fazer o tapete com folhas e flores vem dos imigrantes açorianos. Essa tradição praticamente desapareceu em Portugal continental, onde teve origem, mas foi mantida nos Açores e nos lugares em que chegaram seus imigrantes, como por exemplo Florianópolis-SC.

As procissões portuguesas eram esplendorosas: tropas, fidalgos, cavaleiros, andores, danças e cantos. A imagem de São Jorge, padroeiro de Portugal, seguia a procissão montada em um cavalo, rodeada de oficiais de gala.

O barroco enriqueceu esta festa com todas as suas características de pompa. Em todo o Brasil esta festa adquiriu contornos do barroco português. Corpus Christi é celebrado desde a época colonial com uma abundância de cores. A tradição de enfeitar as ruas surgiu em Ouro Preto, cidade histórica do interior de Minas Gerais.

 

 

 


Blog do Prof. Felipe Aquino

É bom fazer promessas?

As promessas não obrigam Deus a nos dar o que Ele não quer

As pessoas perguntam: O que a Igreja diz sobre as promessas? A Igreja as aprova quando realizadas adequadamente. Os santos faziam promessas. O Catecismo da Igreja Católica (CIC) diz que: “Em várias circunstâncias o cristão é convidado a fazer promessas a Deus… Por devoção pessoal o cristão pode também prometer a Deus este ou aquele ato, oração, esmola, peregrinação, etc. A fidelidade às promessas feitas a Deus é uma manifestação do respeito devido à majestade divina e do amor para com o Deus fiel” (CIC § 2101).

 

+Leia mais


Livro da Semana

COMO FAZER A VONTADE DE DEUS?

Os santos ensinam que o caminho da santidade é o da santa vontade de Deus. “Nem todo aquele que me diz “Senhor, Senhor” entrará no Reino dos Céus, mas sim aquele que pratica a vontade do meu Pai que está nos céus.” (Mt 7,21).
Santo Afonso de Ligório, doutor da Igreja, dizia que “para ser santo é preciso fazer o que Deus quer e querer o que Deus faz”; isto é, cumprir os seus mandamentos e aceitar com fé e esperança tudo que nos acontece e que não pode ser mudado.
Mas, qual é a vontade de Deus para a nossa vida?
Como Deus a apresenta a cada um de nós?
São essas perguntas que o Prof. Felipe Aquino procura responder neste livro, usando de sua longa experiência como cristão.

Ficha Técnica
Editora: Cléofas
ISBN: 978-85-88158-77-1
Ano: 2011
Edição: 1
Número de páginas: 240
Idioma: Português (BR)
Acabamento: Brochura
Formato: 14x21 cm

 


* Caso não deseje mais receber a newsletter, entre em contato e escolha o assunto "Newsletter - REMOVER".
Lançamento



OS DOGMAS DA FÉ

14x21 cm - 392 páginas


Shopping Cléofas



SOFRENDO NA FÉ

14x21 cm - 200 páginas



UMA HISTÓRIA QUE NÃO É CONTADA

16x23 cm - 272 páginas


_______________________________

EVENTOS

APROFUNDAMENTO SOBRE IGREJA

22 A 24 DE JULHO

Presenças de:

Prof.Felipe Aquino

Pe.José Augusto

LOCAL:CASA DE LAVRINHAS-SP

Faça já sua inscrição!

Informações:(12)3146-1122

blog.cancaonova.com/lavrinhas

Realização:

_______________________________


© 2011 - Editora Cléofas

Papa convoca os cristãos para participar da política

No dia 26 de maio último o Papa Bento XVI, falando aos bispos italianos, na Basílica de Santa Maria Maior, fez um apelo para que os bispos encorajem  os católicos a participar da vida pública. Disse o Papa:
“A fé, de fato, não é alienação: são outras as experiências que contaminam a dignidade do homem e a qualidade da convivência social”.
O Papa pediu aos bispos que estimulem os fiéis leigos a “vencer todo espírito de fechamento, distração e indiferença, e a participar em primeira pessoa na vida pública”, para construir uma sociedade que respeite plenamente a dignidade humana.
Hoje a dignidade humana é altamente desrespeitada, a imagem e semelhança de Deus no rosto humano é desfigurada, especialmente porque faltam bons cristãos na política,na mídia e nos cargos públicos.
Bento XVI insistiu na importância das “iniciativas de formação inspiradas na “Doutrina Social da Igreja”, para que quem esteja chamado a responsabilidades políticas e administrativas não seja vítima da tentação de explorar sua posição por interesses pessoais ou por sede de poder”.
Sabemos que a política é uma atividade boa, que visa o bem comum, a caridade; o que não presta é a politicagem dos politiqueiros que usam da política para os seus interesses egoístas e o desejo de poder. Por isso, a maioria boa acaba ficando com medo de entrar na política e na vida pública, deixando o campo aberto a muitos maus, corruptos e imorais.
A  atual situação do Brasil mostra quanto é necessário uma reforma política, trabalhista, tributária, etc., mas sabemos que nada acontece porque não é de interesse de quem faz uso da política para seu benefício e não do povo. Nossas instituições democráticas estão fragilizadas ameaçando-se o Estado de Direito. O poder legislativo está acuado pelo executivo e o judiciário nem sempre está livre para fazer valer a lei maior.
Infelizmente grande parte dos políticos hoje eleitos em todos os níveis consegue se eleger porque são bancados financeiramente por instituições poderosas, ou por entidades corporativistas, ou por partidos políticos criados para isso, e depois de eleitos vão trabalhar para essas instituições e não para o povo, não para o bem comum. Isso precisa mudar urgentemente.
Então é preciso que novos políticos, imaculados, se disponham a entrar na vida pública não para trabalhar para si mesmos e suas famílias, e nem mesmo pela Igreja, que não pede isso, mas para a caridade, para o bem do povo.
Já não agüentamos mais tantas notícias de corrupção deslavada. Já é o terceiro chefe da Casa Civil do governo que cai por denúncia de  corrupção!… “É preciso começar a varrer a escada pelo degrau mais alto”, diz o provérbio. São imensas as denúncias de superfaturamento nas obras públicas, com dificuldades de apuração; campeia a impunidade que realimenta a corrupção; os poderosos tratam com cinismo as acusações da boa Imprensa, denunciadora corajosa desses males; uma parte da mídia está dominada e comprometida com a corrupção.
Na economia vemos o povo sufocado com uma carga de impostos sufocante. Dizem os economistas que o assalariado trabalha de  quatro a cinco meses só para pagar impostos. E onde vai esse dinheiro? Falta saúde, boa escola, bons hospitais, saneamento básico, empreendimentos de infra-estrutura para que o país possa crescer.
Por outro lado projetos anticristãos são aprovados, como a legalização da estabilidade da união homossexual, o uso de embriões humanos para pesquisa, a legalização da prostituição, a tentativa de se impedir a Igreja de pregar os valores evangélicos, a deseducação sexual das crianças nas escolas com cartilhas e kits obscenos, a distribuição farta da camisinha até nas escolas, a destruição da língua portuguesa com a desculpa de “discriminação lingüística”, a tentativa permanente de aprovar o aborto… A Lei de Cristo e da Igreja vai sendo calcada aos pés. Até quando?
Como o nosso Brasil era majoritariamente católico até uns quarenta anos atrás, e nossos homens públicos e as nossas leis eram católicas, o povo cristão não aprendeu a se mobilizar e lutar por leis católicas; não era preciso. Mas hoje tudo mudou; hoje há a necessidade da aprendermos o que significa MOBILIZAÇÃO,  que as minorias gritantes fazem bem.
Por falta dessa mobilização de todos: CNBB, Comunidades de Vida, Movimentos, mídia católica, Paróquias, etc., estamos vendo leis anticristãs sendo propostas e aprovadas uma após outras. E depois ficamos nos lastimando, chorando o leite derramado… agora é tarde.
Infelizmente nós católicos ficamos chorando nos ombros uns dos outros, mas ainda não nos unimos e agimos; por ora estamos apenas em nossas “equipes de consolo mútuo”, sem resultados. Sabemos que o mal se agiganta quando o bem se omite. Leão XIII já dizia que a audácia dos maus cresce com a omissão dos bons. Um terreno abandonado não produz couve, alface, chicória, rabanete, etc., não, só produz mato, espinho, abrolhos, ratos, lagartos, cobras e lixo. Assim fica a sociedade se não sofrer a ação dos cristãos.
Santo Agostinho dizia que o que a nossa alma é para  o nosso corpo, os cristãos são para o mundo.  “Vós sois o sal da terra e a luz do mundo”, disse o Senhor.
Como o Papa está pedindo, os católicos precisam entrar na política, mas de maneira organizada, preparados, para atuarem de maneira correta. Hoje precisamos de Associações cristãs que preparem e lancem candidatos políticos a todos os cargos eletivos. Precisamos urgentemente de “instrumentos de mobilização” política para formar homens e mulheres públicos preparados, com acompanhamento, assessoramento para exercer bem os seus mandatos, etc.. E sabemos que isso é papel de nós leigos e não do clero.
Prof. Felipe Aquino

O que os demônios dizem sobre o Beato João Paulo II

Pe. Gabriele Amorth, sacerdote exorcista da diocese de Roma (Itália) e um dos mais conhecidos do ramo, assinalou que, o agora Beato Papa João Paulo II se converteu, nos últimos anos, em um poderoso intercessor na luta contra o demônio.
O Pe. Amorth tem 86 anos de idade e 70 000 exorcismos em seu experiência. O primeiro que disse na entrevista é que “o mundo deve saber que Satanás existe”.
Em seu pequeno e singelo escritório na zona sudeste de Roma onde realizou milhares de exorcismos, o sacerdote contou que às vezes invoca a ajuda de Santos homens e mulheres, entre os quais destaca João Paulo II, beatificado pelo Papa Bento XVI no último passado 1º de maio em Roma ante um milhão e meio de fiéis.
Durante os exorcismos, contou o sacerdote à agência em espanhol do grupo ACI, a ACI Prensa, “perguntei ao demônio mais de uma vez: ‘por que João Paulo II te dá tanto medo?’ E tive duas respostas distintas, ambas interessantes”.
“A primeira foi: ‘porque ele desarmou meus planos’. E acredito que com isso se refere à queda do comunismo na Rússia e na Europa do Leste. O colapso do comunismo”.
“Outra resposta que o demônio me deu foi ‘porque arrebatou a muitos jovens de minhas mãos’. Há muitos jovens que, graças a João Paulo II, converteram-se. Talvez alguns já eram cristãos mas não praticantes, e logo com João Paulo II voltaram para a prática”.
Ao ser perguntado sobre o intercessor mais efetivo de todos, o Pe. Amorth respondeu sem duvidar: “é obvio que a Virgem é a mais efetiva. E quando é invocada como Maria!”
“Uma vez perguntei a Satanás. ‘mas por que te assusta mais quando invoco a Nossa Senhora que quando invoco a Jesus Cristo? ’ Respondeu ‘porque me humilha mais ser derrotado por uma criatura humana que ser derrotado por Ele”.
O sacerdote disse também que é importante a intercessão dos que ainda vivem através da oração. Os cristãos podem rezar pela liberação de uma alma, um dos três elementos que ajudam neste processo aos que se somam a fé e o jejum.
“O Senhor deu (aos Apóstolos) uma resposta que também é muito importante para nós os exorcistas. Disse que para vencer o demônio se necessita muita fé, muita oração e muito jejum: Fé, oração e jejum”.
O Pe. Amorth disse ademais que na luta contra o demônio é necessária “especialmente a fé, necessita-se muita fé. Muitas vezes também nas curas, Jesus não diz no Evangelho sou eu quem te curei. Diz, no entanto, você está curado por sua fé. Quer fé nas pessoas, uma fé forte e absoluta. Sem fé não pode fazer nada”.
O sacerdote membro da Sociedade de São Paulo explicou que “o diabo e os demônios são muitos e têm dois poderes: os ordinários e os extraordinários”.
“O poder ordinário é a capacidade de tentar o homem para distanciá-lo de Deus e levá-lo ao inferno. Esta ação se realiza contra todos os homens e as mulheres de todo lugar e religião”.
Sobre os poderes extraordinários, o Pe. Amorth indicou que estes se concentram em uma pessoa específica e existem quatro tipos:
“A possessão demoníaca para a qual se requer um exorcismo, o vexame demoníaco, como o que sofreu em reiteradas ocasiões o Santo Padre Pio de Pietrelcina que era golpeado fisicamente pelo demônio; as obsessões que levam a pessoa ao desespero; e a infestação, que é quando o demônio ocupa um espaço, um animal ou inclusive um objeto”.
O sacerdote alertou que estes fatos são pouco freqüentes mas estão em aumento. Também manifestou sua preocupação pela cada vez maior quantidade de jovens que são afetados por Satanás através das seitas, as sessões de espiritismo e as drogas. Apesar disso não se desalenta.
“Com Jesus Cristo e Maria, Deus nos prometeu que nunca permitirá tentações maiores que nossas forças”, assinalou.
Finalmente na entrevista o Pe. Amorth propôs uma breve guia a ser tomada em conta na luta contra Satanás:
“As tentações do demônio são vencidas sobretudo evitando as ocasiões, porque o demônio sempre procura nossos pontos mais fracos. E logo, com a oração. Nós os cristãos temos uma vantagem porque temos a Palavra de Deus, temos a oração e podemos rezar ao Senhor”, concluiu.
Fonte: www.regina-apostolorum.com

21 de jun de 2011

Pai é Pai .... não adianta questionar !!!!!!!!!!!!


O filho roqueiro, de um pastor da igreja, está prestes há completar 18 anos.
Louco pra dirigir, o rapaz resolve pedir o carro emprestado ao pai.
Depois de pensar um pouco, o pastor responde:
- Filho, vamos fazer um trato: você melhora suas notas na escola, estuda a
Bíblia todos os dias e corta esse cabelo. E aí voltamos a conversar.

Um mês depois, o rapaz volta a perguntar ao pai se pode usar o carro.
- Filho, eu estou realmente orgulhoso: você dobrou suas notas na escola e
estudou bem a Bíblia..Mas não cortou o cabelo! E como fica o
nosso trato ???
- Papai, lendo a Bíblia, eu fiquei intrigado - responde o filho -
Sansão usava cabelos longos, Noé também. Até Jesus tinha cabelos compridos
!!! E todos eram boas pessoas !!!

E o pai: É verdade meu filho... e, olha que coisa...
-TODOS ELES ANDAVAM A PÉ.......

Origem da festa de Corpus Christi.”A celebração do Amor e União

História: A Festa de Corpus Christi foi instituída pelo Papa Urbano IV com a Bula “Transiturus” de 11 de agosto de 1264, para ser celebrada na quinta-feira após a Festa da Santíssima Trindade, que acontece no domingo depois de Pentecostes.
O Papa Urbano IV foi o cônego Tiago Pantaleão de Troyes, arcediago do Cabido Diocesano de Liège na Bélgica, que recebeu o segredo das visões da freira agostiniana, Juliana de Mont Cornillon, as quais exigiam uma festa da Eucaristia no Ano Litúrgico.
Juliana nasceu em Liège em 1192 e participava da paróquia Saint Martin. Com 14 anos, em 1206, entrou para o convento das agostinianas em Mont Cornillon, na periferia de Liège. Com 17 anos, em 1209, começou a ter ‘visões’, exigindo da Igreja uma festa anual para agradecer o sacramento da Eucaristia. Com 38 anos, em 1230, confidenciou esse segredo ao arcediago de Liège, que 31 anos depois, por três anos, se tornaria o Papa Urbano IV (1261-1264), tornando mundial a Festa de Corpus Christi, pouco antes de morrer.
A “Fête Dieu” começou na paróquia de Saint Martin em Liège, em 1230, com autorização do arcediago para procissão Eucarística só dentro da igreja, a fim de proclamar a gratidão a Deus pelo benefício da Eucaristia. Em 1247, aconteceu a primeira Procissão Eucarística pelas ruas de Liège, já como festa da diocese. Depois se tornou festa nacional na Bélgica. A festa mundial de Corpus Christi foi decretada em 1264, 6 anos após a morte de irmã Juliana em 1258, com 66 anos.
Santa Juliana de Mont Cornillon foi canonizada em 1599 pelo Papa Clemente VIII.
Celebração: O decreto do Papa Urbano IV teve pouca repercussão, porque ele morreu em seguida. Mas se propagou por algumas igrejas, como na diocese de Colônia na Alemanha, onde Corpus Christi é celebrada antes de 1270. O ofício divino, seus hinos, a sequência ‘Lauda Sion Salvatorem’ são de Santo Tomás de Aquino (1223-1274), que estudou em Colônia com Santo Alberto Magno. Essa festa [Corpus Christi] tomou seu caráter universal definitivo, 50 anos depois de Urbano IV, a partir do século XIV, quando o Papa Clemente V, em 1313, confirmou a Bula de Urbano IV nas Constituições Clementinas do Corpus Júris, tornando a Festa da Eucaristia um dever canônico mundial.
Em 1317, o Papa João XXII publicou esse Corpus Júris com o dever de levar a Eucaristia em procissão pelas vias públicas. O Concílio de Trento (1545-1563), por causa dos protestantes, da Reforma de Lutero, dos que negavam a presença real de Cristo na Eucaristia, fortaleceu o decreto da instituição da Festa de Corpus Christi, obrigando o clero a realizar a Procissão Eucarística pelas ruas da cidade, como ação de graças pelo dom supremo da Eucaristia e como manifestação pública da fé na presença real de Cristo na Eucaristia.
Em 1983, o novo Código de Direito Canônico – cânon 944 – mantém a obrigação de se manifestar “o testemunho público de veneração para com a Santíssima Eucaristia” e “onde for possível, haja procissão pelas vias públicas”, mas os bispos escolham a melhor maneira de fazer isso, garantindo a participação do povo e a dignidade da manifestação.
Sacramento: A Eucaristia é um dos sete sacramentos e foi instituído na Última Ceia, quando Jesus disse: “Este é o meu corpo…isto é o meu sangue… fazei isto em memória de mim”. Porque a Eucaristia foi celebrada pela primeira vez na Quinta-Feira Santa, Corpus Christi se celebra sempre numa quinta-feira após o domingo depois de Pentecostes.
Na véspera da Sexta-Feira Santa, a morte na cruz impede uma festa solene e digna de gratidão e doutrinação. Porque a Última Ceia está no Novo Testamento, os evangélicos lhe têm grande consideração, mas com interpretação diferente.
Para os luteranos e metodistas, a Eucaristia é sacramento, mas Cristo está presente no pão e no vinho apenas durante a celebração, como permanência e não transubstanciação. Outras igrejas cristãs celebram a Ceia como lembrança, memorial, rememoração, sinal, mas não reconhecem a presença real de Cristo nela. Mas alguma coisa existe em comum que, por intermédio da Eucaristia, une algumas Igrejas cristãs na Eucaristia, ensina o Concílio Vaticano II, no decreto “Unitatis Redintegratio”.
A Eucaristia é também celebração do amor e união, da comum-união com Cristo e com os irmãos.
Ela [Eucaristia], que é a renovação do sacrifício de Cristo na cruz, significa também reunião em torno da mesa, da vida e da unidade para repartir o pão e o amor. E é o centro da vida dos cristãos: “Eu sou o Pão da Vida, que desceu do céu para a vida do mundo, por meio da vida de comum-união dos cristãos”.
Ornamentação: A decoração das ruas para a Procissão de Corpus Christi é uma herança de Portugal e tradição brasileira. Muitas cidades enfeitam suas ruas centrais com quilômetros de tapetes, feitos de serragem colorida, areia, tampinhas de garrafa, cascas de ovos, pó de café, farinha, flores, roupas e outros ingredientes.
Monsenhor Arnaldo Beltrami (*)
20/06/2011 –

17 de jun de 2011

Pastoras lésbicas na Parada Gay…

Saiu uma matéria no Repórter de Cristo, ontem [16], sobre duas pastoras protestantes, lésbicas, que pretendem ir à Parada Gay que acontecerá no fim deste mês, em São Paulo.  Percebam: não fosse a esperança uma característica peculiaríssima dos cristãos, poder-se-ia dizer que, de fato, “o mundo está perdido”…  Heresia, sodomia e hipocrisia: tudo junto em um par de mulheres.
As “pastoras” chamam-se Lanna Holder e Rosania Rocha. Poucas coisas são tão engraçadas quanto ver a tal Lanna Holder pregando sobre o nepotismo dentro das próprias seitas protestantes: o vídeo postado no youtube é, simplesmente, cômico. O site dela não fica atrás: lá vendem-se CD’s, DVD’s e… canecas do ministério!
Mas, não obstante a existência e atuação dessa “pastora” e da sua “companheira” possa parecer hilária, há algo de muito triste nisso tudo: o fato de algumas pessoas prostituírem a verdade para fazer da religião uma atividade mercantil é simplesmente lastimável. É deprimente que os interesses egoístas de uma pessoa levem-na não apenas a mergulhar de cabeça no erro e no pecado, mas também a induzir e conduzir outras tantas almas ingênuas consigo. Quando vemos essas duas figuras afirmarem que a homossexualidade “não é opção, é definitivamente uma orientação” dá raiva. A covardia que fez com que elas se curvassem aos seus desejos, agora as impulsiona a admitir a inclinação pecaminosa que têm como sendo um imperativo da natureza.
É triste ver pessoas carentes de atenção serem atraídas à igreja-loja dessa dupla. É deplorável que as consciências estejam a tal ponto adormecidas que não se perceba mais a gravidade de afrontar à lei de Deus. É de fazer chorar e tremer o fato de que o dom do temor de Deus está rarefeito na nossa sociedade: não porque Deus não o queira conceder, mas por que as pessoas não estão dispostos a recebê-lo.
Se for verdade que famílias frequentam a Comunidade Cidade de Refúgio [a igrejola fundada pela dupla de lésbicas], é indignante que certos pais tenham tenham sido atingidos pela cultura gayzista em tal medida que já não sabem mais discernir quais valores e princípios devem ser transmitidos aos seus filhos. Aviltando a sua própria dignidade de famílias, esses pais acabam comprometendo a formação de seus filhos e confundindo a cabeça de seus próprios pupilos [dado que em casa as crianças veem os pais, heterossexuais, e na  "igreja" veem os pares de gays postos em condição de igualdade].
Lamentável é que em duas semanas o público frequentador dessa igreja tenha mais dobrado (!). Mas, como diria, o saudoso papa Leão XIII: rerum novarum cupidi [a sede de inovações]… Rezemos!

Fonte: http://exsurge.wordpress.com/2011/06/17/as-pastores-lesbicas-na-parada-gay/

15 de jun de 2011

Informativo Cléofas - 16/06/2011

Informativo Cléofas, 16 de junho de 2011 - Ano VI - Número 174

Notícias do site Cléofas

+ É hora de anunciar o Evangelho sem medo e com alegria, assegura o Papa

+ Tempo comum: tempo da evangelização

+ A síndrome pós-aborto persegue as mulheres para o resto da vida

+ França rejeita o "matrimônio" gay

+ Pentecostes: o Dom do Ressuscitado derramado sobre a Igreja

+Alerta aos Educadores - por Dom Eduardo Benes

+ Não podemos nos calar

+ Desafio: poder e saber falar de Deus hoje

+ Evento: Primeiro Encontro "Consagra-te!"

O programa Escola da Fé, é exibido toda quinta-feira às 20h40 na TV Canção Nova (Link)


Para meditar...

Orações ao Sagrado Coração de Jesus

 

Ato de consagração das famílias ao Sagrado Coração de Jesus

(Texto aprovado por São Pio X em 1908)

SAGRADO CORAÇÃO de Jesus, que manifestastes a Santa Margarida Maria o desejo de reinar sobre as famílias cristãs, nós vimos hoje proclamar vossa realeza absoluta sobre a nossa família.

Queremos, de agora em diante, viver a vossa vida, queremos que floresçam, em nosso meio, as virtudes às quais prometestes, já neste mundo, a paz.

Queremos banir para longe de nós o espírito mundano que amaldiçoastes.

Vós reinareis em nossas inteligências pela simplicidade de nossa fé; em nossos corações pelo amor sem reservas de que estamos abrasados para convosco, e cuja chama entreteremos pela recepção frequente de vossa divina Eucaristia.

Dignai-Vos, Coração divino, presidir as nossas reuniões, abençoar as nossas empresas espirituais e temporais, afastar de nós as aflições, santificar as nossas alegrias, aliviar as nossas penas.

Se, alguma vez, algum de nós tiver a infelicidade de Vos ofender, lembrai-Vos, ó Coração de Jesus, que sois bom e misericordioso para com o pecador arrependido.

E quando soar a hora da separação, nós todos, os que partem e os que ficam, seremos submissos aos vossos eternos desígnios. Consolar-nos-emos com o pensamento de que há de vir um dia em que toda a família, reunida no Céu, poderá cantar para sempre a vossa glória e os vossos benefícios.

Digne-se o Coração Imaculado de Maria, digne-se o glorioso Patriarca São José apresentar-Vos esta consagração e no-la lembrar todos os dias de nossa vida. Viva o Coração de Jesus, nosso Rei e nosso Pai.

Amém.

Coroinha ao Sagrado Coração de Jesus

Obs.: Padre Pio recitava esta coroinha diariamente, por todos os que pediam suas orações. Os fiéis, por isso, são convidados a rezá-la todos os dias, para se unir espiritualmente à oração de Padre Pio.

I – Ó meu Jesus que dissestes: “Em verdade eu vos digo, pedi e recebereis, procurai e achareis, batei e vos será aberto!”, eu bato, procuro e peço a graça…

Pai-Nosso, Ave-Maria, Glória ao Pai.
Sagrado Coração de Jesus, confio e espero em vós.

II – Ó meu Jesus que dissestes: “Em verdade eu vos digo, tudo o que pedirdes ao Pai em meu nome, Ele vos concederá!”, ao vosso Pai, em vosso nome, eu peço a graça…

Pai-Nosso, Ave-Maria, Glória ao Pai.
Sagrado Coração de Jesus, confio e espero em vós.

III – Ó meu Jesus que dissestes: “Em verdade eu vos digo, passará o Céu e a Terra, mas minhas palavras não passarão!”, apoiado na infalibilidade de vossas palavras, eu peço a graça…

Pai-Nosso, Ave-Maria, Glória ao Pai.
Sagrado Coração de Jesus, confio e espero em vós.

Ó Sagrado Coração de Jesus, a quem é impossível não ter compaixão dos infelizes, tende piedade de nós, pobres pecadores, e concedei-nos as graças que vos pedimos, por meio do Imaculado Coração de Maria, vossa e nossa terna Mãe.

São José, Pai putativo do Sagrado Coração de Jesus, rogai por nós.

Salve Rainha.

 


Blog do Prof. Felipe Aquino

Papa convoca cristãos para participar da política

 

No dia 26 de maio último o Papa Bento XVI, falando aos bispos italianos, na Basílica de Santa Maria Maior, fez um apelo para que os bispos encorajem  os católicos a participar da vida pública. Disse o Papa:

“A fé, de fato, não é alienação: são outras as experiências que contaminam a dignidade do homem e a qualidade da convivência social”.

O Papa pediu aos bispos que estimulem os fiéis leigos a “vencer todo espírito de fechamento, distração e indiferença, e a participar em primeira pessoa na vida pública”, para construir uma sociedade que respeite plenamente a dignidade humana.

Hoje a dignidade humana é altamente desrespeitada, a imagem e semelhança de Deus no rosto humano é desfigurada, especialmente porque faltam bons cristãos na política,na mídia e nos cargos públicos.

Bento XVI insistiu na importância das “iniciativas de formação inspiradas na “Doutrina Social da Igreja”, para que quem esteja chamado a responsabilidades políticas e administrativas não seja vítima da tentação de explorar sua posição por interesses pessoais ou por sede de poder”.

 

+Leia mais


Livro da Semana

JESUS, SINAL DE CONTRADIÇÃO

 

Cristo sempre foi e sempre será “Sinal de Contradição”, como disse o profeta Simeão. E da mesma forma a Igreja Católica e cada um de seus filhos autênticos. Por isso Cristo foi crucificado e a Igreja é perseguida e martirizada há dois mil anos; e hoje mais do que antes.

Aqueles que fazem o mal amam as trevas, a calada da noite para praticar os crimes, as corrupções, os conchavos... Cristo não recuou diante das ofensas e perseguições; hoje a Igreja precisa imitá-lo como fez nesses dois mil anos. Este livro quer mostrar o quanto a Igreja Católica e Jesus Cristo têm sido combatidos no Ocidente. Cresce rapidamente entre nós uma verdadeira Cristofobia e um verdadeiro ódio à Sua Igreja, nossa Mãe.

Jesus é a Luz que brilha nas trevas do mundo e esse a rejeita; como disse o evangelista São João: “Nele havia a vida, e a vida era a luz dos homens. A luz resplandece nas trevas, e as trevas não a compreenderam” (Jo 1,4-5)... Era a verdadeira luz que, vindo ao mundo, ilumina todo homem. Estava no mundo e o mundo foi feito por Ele, mas o mundo não o reconheceu. Veio para o que era seu, mas os seus não o receberam.” (v. 7-11).

 

Ficha Técnica
Editora: Cléofas
ISBN:978-85-88158-51-1
Ano: 2009
Edição: 3ª
Número de páginas: 264
Idioma: Português BR
Acabamento: Brochura
Formato: 16×23 cm

Em breve a estréia do Novo Programa do Prof. Felipe Aquino: "PERGUNTE E RESPONDEREMOS", na TV Canção Nova.

Aguarde...


* Caso não deseje mais receber a newsletter, entre em contato e escolha o assunto "Newsletter - REMOVER".
Lançamento



OS DOGMAS DA FÉ

14x21 cm - 392 páginas


Shopping Cléofas



COMO FAZER A VONTADE DE DEUS?

14x21 cm - 240 páginas



NA ESCOLA DOS SANTOS DOUTORES

14x21 cm - 216 páginas


 

 

 


© 2011 - Editora Cléofas

OS PAPAS – ANO -155 dC a 235 dC

Santo Aniceto I (155 – 166)Nasceu na Síria. Confirmou a festa da Páscoa conforme seu
antecessor.
Também faleceu através do martírio.
————————————————————–
São Sotero (166 – 175)
Nasceu em Fondi (Lácio). Enviou ajuda material para a comunidade cristã de Corinto que sofria uma perseguição violenta.
Foi o primeiro que outorgou o caráter de sacramento ao matrimônio.
————————————————————–
Santo Eleutério (175 – 189)Nasceu em Épiro. Durante seu pontificado surgiram as perseguições do imperador Marco Aurélio. Santa Cecília foi martirizada nesta época.
Santo Eleutério também foi martirizado.
————————————————————–
São Vitor (189 – 199)

Era africano.
Foi um período tranquilo e favorável para o cristianismo, graças
à proteção de Márcia e de Júlia Domna, esposas dos imperadores Cómodo e Septimo Severo respectivamente.
————————————————————–
São Zeferino (199 – 217)Nasceu em Roma. Nomeou São Calixto seu Secretário particular.
Defendeu a indissolubilidade do matrimônio e o rito do batismo.
————————————————————–
São Calixto (217 – 222)Nasceu em Roma de uma família nobre. Mandou construir e organizar as catacumbas que depois receberam o seu nome.
Nessas catacumbas foram sepultados 46 papas e 170.000 mártires.
Construiu, também em Roma,  a basílica de Santa Maria em Trastevere, a primeira igreja consagrada a Virgem Maria. Morreu mártir.
————————————————————–
Santo Urbano I (222 – 230)Foi decapitado por ordem do prefeito de Roma Túrcio Almênio.
————————————————————–
São Ponciano (230 – 235)

Nasceu em Roma. Ordenou que fossem cantados os salmos nas igrejas.
Foi deportado para Sardenha e submetido a muitos sofrimentos.
Veio a falecer devido aos maus tratos sofridos.
————————————————————–
Fonte: 
http://reporterdecristo.com/os-papas-ano-155-dc-a-235-dc?utm_source=feedburner&utm_medium=email&utm_campaign=Feed%3A+ReporterDeCristo+%28Rep%C3%B3rter+de+Cristo%29

"Despojemo-nos das ações das trevas e vistamos as armas da Luz" Rm 13,12