17 de mai de 2012

Mitos sobre a educação a distância


José Antônio dos Santos
Mestrando pela UFSJ

A Wikipedia traz o seguinte conceito sobre Educação a Distância (EaD): “Educação a Distância EaD é a modalidade de educação mediada por tecnologias que permitem que o aprendiz e seus mestres estejam separados espacial e/ou temporalmente, ou seja, não estejam fisicamente presentes em um ambiente formal de ensino-aprendizagem.”
A EaD não é novidade no Brasil e, muito menos, na Europa. Desde a década de 50, o Instituto Universal Brasileiro já oferecia cursos básicos que formavam muitas pessoas em eletricidade, mecânica de motos, corte e costura etc., etc. Vi meu pai recebendo várias peças de rádio para fazer um curso de rádio amador. A tecnologia usada, na época, eram apostilas e vinham pelos correios, junto com as peças. Imagine a dificuldade para as pessoas fazerem um curso a distância, naquelas condições.
Hoje, as tecnologias da comunicação avançaram e facilitaram a mediação dos materiais necessários para um curso EaD e para a comunicação dos cursistas com os tutores ou mestres. Talvez, seja pela grande facilidade de se fazer um curso a distância hoje é que umas pessoas colocaram na cabeça uns mitos de que se trata de uma forma leve, fácil, rápida e superficial de se conseguir um diploma. Ao contrário!
As estatísticas mostram que poucos inscritos nessa modalidade de estudos conseguem concluir seu curso. Trata-se de uma modalidade muito mais exigente do que a presencial, pois “a EaD enfatiza o papel do aluno, que gerencia seu próprio aprendizado, deste modo desenvolvendo sua autonomia.” (Wikipedia). Observe, leitor, que a EaD enfatiza a aprendizagem ativa e não o ensino passivo, empurrado ‘goela abaixo’. 
Gerenciar o próprio estudo exige do cursista algumas habilidades tais como: rigorosa disciplina pessoal para estudos; capacidade de administração do tempo; capacidade para aprender sozinho ou para partilhar o processo de aprendizagem com os colegas. Essa prática tem sido chamada de aprendizagem colaborativa. Além disso, o cursista tem de exercitar a escrita, prática muito rara na escola convencional onde os professores falam o tempo todo e, tanto eles quanto os alunos, não exercitam a escrita. 
Meu conceito de escrita aqui é a atividade de reconstrução de ideias com autonomia intelectual e não cópia de ideias prontas de livros. Isso os professores fazem na escola convencional. Muitos passam, acriticamente, vários conteúdos na lousa, copiados passivamente pelos alunos, que conversam entre si, copiando palavras e frases de forma errada, sem jamais perceber as barbaridades que cometem. Essas poucas considerações que apresento já são suficientes para derrubar por terra os mitos de que a educação a distância como algo leve, fácil e rápida.
A maior parte das pessoas está despreparada para a maturidade intelectual e humana que a EaD está exigindo. Ainda estamos engatinhando na construção da cultura da aprendizagem autônoma. Alunos dependentes e inseguros não conseguem dar conta do rigor exigido pela EaD. 
A maioria das pessoas vai para um curso a distância, levando para essa modalidade as mazelas e atitudes dos cursos presenciais, onde, quase sempre, os alunos exigem que o professor faça para eles e no lugar deles; onde a ênfase está no ensino e não na aprendizagem. 
Enquanto os cursistas não compreenderem que essa modalidade exige atitudes pessoais rigorosas, e que ela é marcada por uma estrutura diferente da tradicional, vai ser difícil derrubar esses mitos.
Contato – joseantonio281@oi.com.br
Educação em Debate – Programa na Rádio Carijós AM – 1270KHz, toda 4ª. feira, das 4h às 5h da tarde. Ouça e dê a sua opinião! (31) 3763.3379.

Fonte: http://www.jornalcorreiodacidade.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=2660:mitos-sobre-a-educacao-a-distancia&catid=45:educacao&Itemid=55

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Irmão, deixe uma mensagem!!!


"Despojemo-nos das ações das trevas e vistamos as armas da Luz" Rm 13,12
CEFAS, oriundo do nome de São Pedro apóstolo, significa também um Acróstico: Comunhão para Evangelização, Formação e Anúncio do Senhor. É um humilde projeto de evangelização através da internet, buscando levar formação católica doutrinal e espiritual.