16 de jun de 2016

Uma pequena confissão...

Apesar de todas as dificuldades atuais eu tenho muita esperança nas pessoas. Não tinha, mas aprendi a ter. Temos mais acesso às notícias de catástrofes e desgraças ao redor do mundo, mas nunca antes também temos um número tão grande de pessoas pacíficas e que buscam o bem do próximo.
Aprendi o verdadeiro significado da palavra esperança com o Papa Bento 16 e agora também com Francisco.



Desde criança aprendi a ler bastante e na minha conversão na Igreja mergulhei fundo nas leituras da doutrina e espiritualidade por causa da imensidão de dúvidas que invadiu minha mente e coração. Sou um aprendiz. Aprendi a sempre me comportar com simplicidade e humildade como um discípulo, pois somente alguém que se cala, e ouve, alguém que procura ser discípulo de verdade é que poderá falar com sabedoria, poderá ser apóstolo de verdade.

Ainda estou longe disso. Minha caminhada de busca e aprendizado está só no início, desde minha conversão em 1993, eu sempre aprendi a me colocar à disposição, buscando seguir o exemplo de Nossa Senhora, às solicitações missionárias que sou chamado. Aprendi que há uma sequência de prioridades na vida de uma pessoa no estado como o meu: 1º Espiritualidade; 2º Família; 3º Trabalho; 4º Missão. E tento ser fiel a estas prioridades, tais como estão postas. Tenho muitas falhas, muitas, muitas, muitas, muitas... Mas tenho a segurança de algo que tenho que manter para ter a certeza de que não me perderei no caminho: a humildade. A humildade para ouvir a Deus que fala das formas mais diferentes possíveis e contrariando minhas concepções e decisões...rs. Humildade não é andar de cabeça baixa, mas é aquilo que aprendi no livro "Imitação de Cristo":

"Se em ti houver algum bem, pensa que ainda melhores são os outros, para assim te conservares na humildade. Nenhum mal te fará se te julgares inferior a todos; muito, porém, se a qualquer pessoa te preferires. De contínua paz goza o humilde; no coração do soberbo, porém, reinam inveja e iras sem conta... Bom é passarmos algumas vezes por aflições e contrariedades, porque freqüentemente fazem o homem refletir, lembrando-lhe que vive no desterro e, portanto, não deve pôr sua esperança em coisas alguma do mundo. Bom é econtrarmos às vezes contradições, e que de nós façam conceito mau ou pouco favorável, ainda quando nossas obras e intenções sejam boas. Isto ordinariamente nos conduz à humildade e nos preserva da vanglória. Porque, então, mais depressa recorremos ao testemunho interior de Deus, quando de fora somos vilipendiados e desacreditados pelos homens."
Humildade é algo íntimo, não é externo. E minha obrigação de defender a verdade não devem ser diminuídas por uma falsa humildade. Humildade é me sacrificar, sacrificar minha imagem, meu currículo, se for preciso, para defender um bem maior, segundo o Coração de Deus. Então, às vezes, a humildade me obriga a lutar, gritar e denunciar a verdade, mesmo a custa de um martírio social, diante de um mundo tão cheio de mentiras...

É necessário aceitar julgamentos e críticas para buscar a humildade. Constantemente estamos contrariando a vontade de Deus, então para estar "antenado" com Ele, é preciso muita escuta e autocrítica. Outra coisa: Deus sempre contraria também os costumes e culturas atuais. E isso é o que mais nos custa. Aquilo que todos fazem, do jeito que fazem, as prioridades que acham melhor, as opiniões, ideologias aceitas por todos no grupo de amigos, de trabalho, de igreja ou de grupo de oração; nem sempre correspondem ao que Deus quer de cada um de nós. E a obediência à vontade de Deus, às vezes, vai fazer você contrariar algumas pessoas, amigos, e até líderes... Mas cuidado para não colocar a sua vontade como vontade de Deus... Esse é o maior perigo, maior pecado e muito fácil de cair nesta porcaria de tentação. Um termômetro muito bom é quando Deus lhe pede algo que vai contrariar as pessoas a começar por si mesmo...rs. E isso é constante nos dias atuais...

"Porque os meus pensamentos não são os vossos pensamentos, nem os vossos caminhos os meus caminhos, diz o Senhor.
Porque assim como os céus são mais altos do que a terra, assim são os meus caminhos mais altos do que os vossos caminhos, e os meus pensamentos mais altos do que os vossos pensamentos."
Isaías 55,8-9

Me dediquei muito a Deus desde o início da minha convesão. Vivíamos a espiritualidade carismática de forma constante e aprendemos desde cedo a viver como filhos de Maria, na oração do Rosário e na meditação e divulgação de suas mensagens dadas ao redor do mundo no contexto da história da Igreja. Nos unimos em comunidade de aliança e Deus agiu de forma plena em nossas vidas.

Até que um dia ao discernir meus estudos, senti um claro direcionamento para o tema "Administração". Uma passagem que meditei inúmeras vezes nas minhas orações foi os primeiros capítulos do livro de Daniel. A constância, a disciplina, o sacrifício, a perfeição de um trabalho bem feito, a fidelidade irrestrita aos valores cristãos, nortearam as exigências que Deus sempre cobrou de mim. Tentei sempre ser fiel e fazer o melhor que posso no trabalho, nos estudos, na parte técnica e missionária do contexto atual secular.

Nesse caminho me destaquei nos estudos e no trabalho. Deus foi abrindo as portas e fui buscando ser fiel ao que via ser o mais certo. Nem sempre acertei. Errei bastante. Mas estou eternamente agradecido pelo nosso Deus estar sempre presente e nunca abandonar, corrigindo e me exortando a voltar e seguir o caminho certo.

Sempre levei minha vida profissional e de estudos como parte do contexto missionário. Aliás, me acho um missionário inserido no meio secular, como nos ensina São José Maria Escrivá.

Atualmente estou numa das fases mais exigentes da minha vocação cristã-missionária. Com os acontecimentos dos últimos anos com a ascendência do PT no governo ele começou a aprovar várias políticas que atacavam frontalmente alguns valores cristãos: o aborto, a liberdade religiosa (PNDH), ideologias anticristãs, etc. Eu não tinha conhecimento de nada disso do contexto político em confronto com a fé. Foi através de algumas pregações de vários padres, dentre eles o Padre Paulo Ricardo é que me foi apresentado tal problemática.

Me vi cercado de total ignorância a respeito de tais assuntos. E a primeira coisa que descobri é que o mal estava nos atacando não mais só dentro das igrejas, mas a partir do poder político pressionando e patrocinando na população todas as coisas que buscávamos combater: as drogas, prostituição, promiscuidade, violência, ateísmo, ódio a Deus, etc.

De cima para baixo estamos recebendo uma doutrinação, uma "nova religião" do estado, disfarçado de políticas públicas, implantando em nosso país tudo aquilo que era pregado na "antiga" seita do Gnosticismo, Nova Era, Satanismo, Esoterismo, etc...

Deus providenciou eu ter acesso a uma série de livros, cursos, novos amigos e contatos em que me foi apresentado algumas verdades que me chocaram e me chocam ainda hoje. Estamos num reino da mentira, sendo manipulados a acreditar em muitas falsas verdades, e o que é pior: nos manipularam para manipular! Explico: Somos ideologizados de tal forma que nos tornamos inconscientemente doutrinadores de outros! Repassamos o conteúdo dessas mentiras ideológicas sem saber! Nos tornamos missionários do mal no intuito de fazer o bem.

Para um conhecimento mais claro do que estou dizendo recomendo a leitura das seguintes postagens que tenho feito aqui:

Tempos difíceis exigem almas fortes

Sobre a Teologia hoje

Introdução à Nova Ordem Mundial

A Nova Era

O livro "O Diário do Silêncio" e outras experiências

O livro "Não, sr. comuna"

Socialismo X Cristianismo


Nestas postagens, como vocês poderão ver ao lê-las, eu não comento somente o tema proposto (livro, tema, etc), mas coloco também uma série de outras fontes de estudos que originaram tais reflexões e postagens. Deus foi me levando por realidades bem concretas, como vocês verão nos links acima. Não se tratam de utopias, teorias conspiratórias, mas infelizmente de realidades que estão (propositalmente ocultas) na nossa cara...

E fui interpelado a denunciar urgentemente tais realidades. E em alguns círculos estou começando a ser taxado de tudo que possam imaginar...rs. Eu não tenho problema quanto a isso, pois estou vacinado há anos com relação à perseguição, injúria, calúnia, etc. Na época de nossa comunidade de aliança fomos vítimas de mentiras e boatos ridículos dentro e fora da igreja.

O objetivo desta postagem, além de alertar para a necessidade de conhecermos tais problemáticas elencadas aqui, é o de dizer que não podemos nos calar! O diabo será o primeiro a patrocinar todo tipo de coisas para nos atingir nos nossos pontos fracos para nos fazer calar e não conhecer tais realidades... e a que preço... quanto custa sua fidelidade à verdade?

Não é oculto a ninguém que o contexto que vivemos refletem todos os sintomas das profecias apocalípticas de Jesus e do Apocalipse. Irmão, uma coisa que tenho aprendido com vários padres e homens de Deus é o seguinte: não se omita de buscar conhecer tais coisas e não se acovarda de denunciá-las.

Estamos no tempo das mentiras. E no tempo das mentiras é preciso mais do que nunca de profetas e profecias. Seja uma luz na escuridão, seja sal na terra, não se esconda, não tenha medo de perseguição, de julgamentos, de represárias, de perder dinheiro, status, fama, etc... Lembre-se do que disse o livro "Imitação de Cristo" que citei acima.

Se você não estuda, vão te chamar de preguiçoso. Se você estuda bem, vão te chamar de soberbo. Se você lê as coisas de Deus vão te chamar de beato. Se você estuda bem as coisas do trabalho ou de política vão te chamar de louco, a não ser que seja estudos politicamente corretos...rs; enfim, não espere consolo dos homens. O único que você deve agradar é Jesus Cristo. As pessoas não sabem reconhecer umas às outras, nem seus amigos saberão fazer isso... olhe para Jesus...

Há quem acha que sou louco por gostar de ler essas coisas...rs. Gostar???? Não sabem eles que preferia mil vezes estar assistindo minhas séries favoritas, filmes queridos, esportes e livros de devoção que me darão muito mais consolação espiritual do que ler estas coisas... E outra: todos estes estudos estão depois das prioridades fundamentais de dar meu tempo necessário à família: filhos, esposa e outras obrigações fundamentais... Então o que sobra para eles é acordar mais cedo, dormir mais tarde, ler no ônibus, nos momentos "livres", etc...

Não sei até onde Deus me levará. A única coisa que sei é que devo ser fiel a Ele hoje. "Cada dia basta o seu cuidado" (Mt). Quero terminar com mais uma citação do livro "Imitação de Cristo", onde o próprio Jesus nos diz:

"Filho... Pede-me, não o que te é agradável e cômodo, senão o que a mim me é aceito e honroso; pois, se julgares retamente, deves preferir minha lei a todos os teus desejos e cumpri-la. Conheço teus desejos e ouvi teus freqüentes gemidos. Quiseras já agora estar na gloriosa liberdade dos filhos de Deus, já te deleita o pensamento da morada eterna, na pátria celestial repleta de gozo; - mas não é ainda chegada essa hora, outro é o tempo atual, tempo de guerra, trabalho e provação. Desejas gozar a plenitude do Sumo Bem, mas por enquanto ainda não o podes conseguir. Sou eu esse Bem supremo; espera-me, diz o Senhor, até que venha o reino de Deus.
Hás de passar ainda por muitas provações na terra e ser exercitado em muitas coisas. Consolações se te darão de vez em quando, mas plena satisfação não podes receber. Esforça-te, pois, e tem coragem, para fazer e sofrer o que repugna à natureza. Importa que te revistas do homem novo e te transformes em outro homem. Cumpre-te fazer muitas vezes o que não queres e deixar o que queres."
Graças sejam dadas a Deus!


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Irmão, deixe uma mensagem!!!


"Despojemo-nos das ações das trevas e vistamos as armas da Luz" Rm 13,12
CEFAS, oriundo do nome de São Pedro apóstolo, significa também um Acróstico: Comunhão para Evangelização, Formação e Anúncio do Senhor. É um humilde projeto de evangelização através da internet, buscando levar formação católica doutrinal e espiritual.