8 de jan de 2019

2018/2019



Valeu à pena todo esforço e tempo despendido nas redes sociais durante a campanha de 2018;
Valeu à pena combater todas as mentiras manipuladas espalhadas sobre Bolsonaro;
Valeu à pena combater o PT e todo o seu projeto de poder que poderia destruir de vez nosso país;
Valeu à pena fazer tudo isso pelos únicos motivos de defender nossas famílias, nosso país e nossa religião que estavam gravemente ameaçados;
Valeu à pena combater todos os textos, críticas, posts mentirosos, maliciosos e manipuladores, compartilhados inocente ou culposamente pelos nossos amigos e parentes;
Valeu à pena todo esforço de fazer acordar as pessoas, tendo ou não êxito em cada caso;
Houve excessos, com certeza. E aos quais pedimos perdão a quem se sentiu desconfortável de alguma forma;
Estamos em guerra. Não estamos numa situação normal. Num "estado de sítio" há características especiais a se tratar;
Cansamos de combater os sintomas (jovens drogados, prostituídos, alienados e violentos) e começamos a combater as raízes dos problemas (políticas de liberação das drogas, incentivos à prostituição e promiscuidade, manipulação ideológica na educação, cumplicidade com o crime organizado e a impunidade) para salvar nossos jovens;
Dependendo do caso, a omissão numa situação crítica é um pecado muito mais grave do que os excessos que se cometem de alguém que esteja tentando fazer o melhor para sanar os perigos;
Na Igreja costumamos dizer que Deus odeia o pecado mas ama o pecador.
De igual maneira quero deixar claro que nosso combate é às más ideologias e não às pessoas:
Combatemos o socialismo e não os socialistas, pois queremos eles livres dessa ideologia torpe;
Combatemos a mentira e não os mentirosos, pois queremos que reconheçam o erro e se corrijam;
Combatemos a promiscuidade e não os que caíram em suas garras, pois precisam de apoio e que sejam desmascaradas as forças deste forte ídolo moderno;
Combatemos o laicismo e não o estado laico, pois as religiões devem ser livres para atuar na nação;
Combatemos a corrupção e não os corruptos dos quais devem pagar por seus crimes e serem impedidos de retomarem o poder;
Combatemos a violência contendo o agente violento não só com palavras, mas ações de fato (e isso não é violência, mas defesa, algo gravemente exigido principalmente quando o ataque não é a si, mas à sua família);
Combatemos toda a alienação da realidade e não as pessoas que foram manipuladas de alguma forma, pois queremos e devemos tentar conscientizá-las do erro a que foram conduzidas e se não o fizermos cairemos no grave pecado da omissão culposa.
Infelizmente o discurso do pensamento moderno e de quem não entendeu o que aconteceu recentemente, muitas vezes é que os tais cristãos que se levantaram bravamente contra esses erros levantados acima seriam "hipócritas", pois não estariam vivendo o "amor evangélico"...
Isso é diabolicamente falso.
Primeiro porque hipocrisia é você ter um discurso daquilo que não vive de fato. E creio que ninguém ficou pregando ser perfeito ou pacifista nestes momentos de crise. Então o discurso, por mais que não seja aceito por alguns, foi coerente com a prática. E difamar uma pessoa publicamente como hipócrita baseado na busca zelosa da fé dela é algo bem errado...
Segundo porque o "amor evangélico" não é um amor morno, fresco, frouxo, frio ou vazio. O amor de Cristo é aquele tipo de amor que o levou o Cordeiro de Deus ao sacrifício de si pela defesa da verdade, custe o que custar. O Amor cristão levou milhares de mártires a não negarem a Cristo ou às verdades da fé mesmo que os torturassem e os assassinassem. O amor divino "é um fogo que arde sem se ver", pois o "zelo pelo Reino de Deus nos consome". É um amor vivo, ativo e transformador. É um amor que exige ação e muito trabalho. É um amor que exige o combate à indiferença e ao ódio.
Conflitos entre os cristãos sempre houveram, desde os apóstolos. E é por isso que Jesus falou tanto em perdão.
Se você é incapaz hoje de amar e de orar pelos que lhe ofenderam repense seu cristianismo.



Um comentário:

  1. "Valeu à pena todo esforço" melhor esperar 4 anos para comemorar.

    abs

    ResponderExcluir

Irmão, deixe uma mensagem!!!


"Despojemo-nos das ações das trevas e vistamos as armas da Luz" Rm 13,12
CEFAS, oriundo do nome de São Pedro apóstolo, significa também um Acróstico: Comunhão para Evangelização, Formação e Anúncio do Senhor. É um humilde projeto de evangelização através da internet, buscando levar formação católica doutrinal e espiritual.